Autor Tópico: Número Guia Speedligth x Flash de Estúdio  (Lida 4206 vezes)

Paulo Arruda

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.963
  • Sexo: Masculino
Online: 12 de Abril de 2013, 10:30:08
Olá pesso all...
Há diferença nas métricas de número guia entre flashs de estúdio e speedligths???
Vejo muitos comentários de gente que prefere as "tochas" em vez dos "speeds" porque as tochas são mais potentes.
Entretanto... se vc pega o número guia de um speed, normalmente é na casa de NG 45-50 ou até um pouco mais.
NUMERICAMENTE para se ter a mesma potência em tochas estaríamos falando como referência de um Flash Atek 200 - com NG 45 ou um ATEK 250 a bateria com NG 48.
Esta relação está correta? A métrica é a mesma??? Os 2 flashes entregariam a mesma quantidade de luz?
Se estiver... porque essa galerinha então diz que "as tochas são muito mais potentes" utilizando estes 2 equipamentos semelhantes?
Abs.


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.897
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #1 Online: 12 de Abril de 2013, 10:40:36
Marcando para acompanhar, pois me interessa também!

Não sei se tem a ver, mas uma coisa pra se levar em conta é que geralmente as especificações de speedlites mostram o n° guia com o zoom da cabeça no máximo...


Mike Castro

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.913
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 12 de Abril de 2013, 10:56:58
Marcando para acompanhar, pois me interessa também!

Não sei se tem a ver, mas uma coisa pra se levar em conta é que geralmente as especificações de speedlites mostram o n° guia com o zoom da cabeça no máximo...

Tbm vou acompanhar este!

Isso que vc postou é verdade, li inclusive aqui no MF sobre isso. Parece que os speedlites tem o numero guia com o zoom no máximo e carga manual em 1/1.
Acho que é isso que inviabiliza um pouco o uso dos flashes dedicados.


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.897
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #3 Online: 12 de Abril de 2013, 11:04:35
Tbm vou acompanhar este!

Isso que vc postou é verdade, li inclusive aqui no MF sobre isso. Parece que os speedlites tem o numero guia com o zoom no máximo e carga manual em 1/1.
Acho que é isso que inviabiliza um pouco o uso dos flashes dedicados.


Uma coisa que eu noto muita diferença é no tempo de recarga, nas tochas é instantâneo, no speedlite tem vezes que demora até 3s... Pra mim é uma das maiores vantagens das tochas.


Paulo Arruda

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.963
  • Sexo: Masculino
Resposta #4 Online: 12 de Abril de 2013, 11:06:12
Tbm vou acompanhar este!

Isso que vc postou é verdade, li inclusive aqui no MF sobre isso. Parece que os speedlites tem o numero guia com o zoom no máximo e carga manual em 1/1.
Acho que é isso que inviabiliza um pouco o uso dos flashes dedicados.

Olá Mike.
Por qual motivo isso inviabilizaria (ou prejudicaria) o uso?


leonobox

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.491
  • Sexo: Masculino
    • Ensaios.tumblr.com
Resposta #5 Online: 12 de Abril de 2013, 13:51:50
Então Paulo, realmente é igual, se uma tocha  tem o NG 58 e o Speedligth NG 58 então a potência dos dois é a mesma, entregam a mesma quantidade de luz, dizem que é pouca por que é de costume eles trabalharem com tochas a partir da atek 400 por exemplo, onde o NG é 87, contra 60 do Speedligth mais potente, ou um Atek 800 com o NG 112... então o Speedligth mais potênte só consegue chegar a potência de uma tocha intermediaria, e não é que necessariamente se usa a tocha no máximo, mas como ja mencionado influencia no tempo de reciclagem, posso usar uma tocha 800 com metade da potencia e com uma reciclagem instantânea enquanto um 600EX-RT (que seria o top da canon) demoraria 4x mais, e isso nos primeiros disparos, a tendencia é demorar cada vez mais conforme o uso por conta das pilhas, e isso as vezes prejudica e muito a dinâmica de um ensaio.
« Última modificação: 12 de Abril de 2013, 13:59:08 por leonobox »
WORKSHOP DE ILUMINAÇÃO EM ESTÚDIO - 24 de Fevereiro em SÃO PAULO
https://forum.mundofotografico.com.br/index.php/topic,130786.0.html

www.leonardopacheco.com.br/workshop


leonobox

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.491
  • Sexo: Masculino
    • Ensaios.tumblr.com
Resposta #6 Online: 12 de Abril de 2013, 13:57:33
Só pra completar, eu mesmo acho que o atek 200 é suficiente pra fazer muitos trabalhos, e não é um flash tão potente, mas comprei um jogo de 400 pra poder usar com uma carga menor, ter um tempo de reciclagem menor e não ficar trabalhando o flash no limite, é muito mais confortável pra trabalhar  :ok:
WORKSHOP DE ILUMINAÇÃO EM ESTÚDIO - 24 de Fevereiro em SÃO PAULO
https://forum.mundofotografico.com.br/index.php/topic,130786.0.html

www.leonardopacheco.com.br/workshop


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.897
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #7 Online: 12 de Abril de 2013, 14:04:30
Mas Leo, e a questão do zoom? O n° guia dos speedlites é com o zoom no máximo, ou seja, 58 em 105mm, no caso do 580EX II. Sei que as tochas de estúdio não têm zoom (pelo menos não as que eu conheço), então esse n° guia seria para um ângulo de cobertura mais aberto. Sendo assim, isso não quer dizer que as tochas são mais potentes? Porque, na prática, não dá pra ficar usando o speedlite em 105mm o tempo todo, o facho de luz fica muito estreito...

Abraços


Mike Castro

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.913
  • Sexo: Masculino
Resposta #8 Online: 12 de Abril de 2013, 14:09:09
Olá Mike.
Por qual motivo isso inviabilizaria (ou prejudicaria) o uso?

Se tirar 10 fotos em carga 1/1 já acaba a carga das pilhas, srsrsrsrsrsr  :D :D :D :D :D :hysterical: :hysterical:

Brincadeira, coloquei 10 pra zuar, mas a carga delas dura muito menos, e o tempo de recilcagem, como os amigos citaram, é muito alto...
Mas, a favor tem a portabilidade, não precisa de energia externa pra funcionar, etc...

Nos meus ensaios externos, uso speedlite.
« Última modificação: 12 de Abril de 2013, 14:10:23 por Mike Castro »


Paulo Arruda

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.963
  • Sexo: Masculino
Resposta #9 Online: 12 de Abril de 2013, 14:38:17
Ôpa... já deram uma boa luz.... hehehe trocadilho infame.
Dúvidas praticamente sanadas... mas sempre aguardando novas considerações.

Gostaria muito de ter as 2 opções.... maaasss tô me decidindo pra que lado atiro...rss com tendência aos speeds pela portabilidade... poder fazer fotos em qualquer lugar mesmo sem ter energia elétrica por perto... mas se as fotos fossem somente em estúdio com certeza a opção seriam as tochas.
Abs.


leonobox

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.491
  • Sexo: Masculino
    • Ensaios.tumblr.com
Resposta #10 Online: 12 de Abril de 2013, 14:51:46
Mas Leo, e a questão do zoom? O n° guia dos speedligth é com o zoom no máximo, ou seja, 58 em 105mm, no caso do 580EX II. Sei que as tochas de estúdio não têm zoom (pelo menos não as que eu conheço), então esse n° guia seria para um ângulo de cobertura mais aberto. Sendo assim, isso não quer dizer que as tochas são mais potentes? Porque, na prática, não dá pra ficar usando o speedlite em 105mm o tempo todo, o facho de luz fica muito estreito...

Abraços

Então, na verdade as tochas tb tem esse "zoom", n sei se da pra chamar dessa forma, mas enfim, usando o Attek 200 por exemplo, o número guia informado pelo fabricante é de 45, só que o número é obtido usando um refletor parabólico 250mm, se vc fizer o disparo sem esse refletor o NG cai pra 22, e se vc colocar um refletor angular por exemplo (que é usado nas sombrinhas rebatedoras) o NG vai pra 25...

Outra coisa que pelo menos EU senti diferença quando usamos os dois com acessórios como por exemplo um softbox grande, a forma como a luz reflete dentro deles é diferente, por que o speedligth tem o refletor interno, a luz vai mais direcionada do que a tocha sem refletor, no meu ver quando usamos um acessório como um softbox grande com uma tocha a luz se disperça por dentro, usando mais das paredes do soft e assim resultando em uma luz mais suave e difusa, ja usando um speedligth ela não se dispersa como a tocha, então acaba não aproveitando 100% do acessório como deveria  :ok:

« Última modificação: 12 de Abril de 2013, 14:55:48 por leonobox »
WORKSHOP DE ILUMINAÇÃO EM ESTÚDIO - 24 de Fevereiro em SÃO PAULO
https://forum.mundofotografico.com.br/index.php/topic,130786.0.html

www.leonardopacheco.com.br/workshop


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.897
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #11 Online: 12 de Abril de 2013, 15:14:07
Legal, Leo, era bem o que eu queria saber! Muito obrigado!!!

Abraços


leonobox

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.491
  • Sexo: Masculino
    • Ensaios.tumblr.com
Resposta #12 Online: 12 de Abril de 2013, 15:26:15
Fiz umas fotos agora pra demonstrar oq falei, as duas primeiras fotos foram feitas com Speedligth, vejam como a luz fica mais concentrada mesmo aberta em 24mm, nesse exemplo mesmo ja da pra ver como não tem um aproveitamento uniforme de toda a sombrinha, isso dentro de um softbox estaria aproveitando praticamente apenas do difusor interno e externo, ignorando as paredes do acessorio, agora veja a diferença de aproveitamento com a tocha  :ok:



WORKSHOP DE ILUMINAÇÃO EM ESTÚDIO - 24 de Fevereiro em SÃO PAULO
https://forum.mundofotografico.com.br/index.php/topic,130786.0.html

www.leonardopacheco.com.br/workshop


Paulo Arruda

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.963
  • Sexo: Masculino
Resposta #13 Online: 12 de Abril de 2013, 15:29:18
Outra coisa que pelo menos EU senti diferença quando usamos os dois com acessórios como por exemplo um softbox grande, a forma como a luz reflete dentro deles é diferente, por que o speedligth tem o refletor interno, a luz vai mais direcionada do que a tocha sem refletor, no meu ver quando usamos um acessório como um softbox grande com uma tocha a luz se disperça por dentro, usando mais das paredes do soft e assim resultando em uma luz mais suave e difusa, ja usando um speedligth ela não se dispersa como a tocha, então acaba não aproveitando 100% do acessório como deveria  :ok:

Eu imaginei isso tbém... já que na saída, pelo speed estar limitado pelas paredes da do próprio equipamento o "facho" de luz sai mais concentrado, com menor dispersão... na tocha, por não ter limitadores do lado, a luz começa a se dispersar já na raiz da fonte, ou seja, na própria lâmpada. Dessa maneira ela se dissipa mais dentro do softbox.
Abs.


iurycarvalho

  • Trade Count: (13)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 235
  • Sexo: Masculino
    • Adelaide Produção Criativa
Resposta #14 Online: 13 de Abril de 2013, 01:21:35
Leo, com aqueles "mini-difusor" que tem nos flash onde amplia pra 14mm o zoom vc já fez o teste também?

Em breve minhas sombrinhas chegam e quero testar com o flash e com os LED(CN160) sei que os LED's vão perder bastante potência mas quero testar em termos de aproveitamento do acessório como vc mesmo falou.

Abs!