Autor Tópico: A influência do sharp na percepção do ruído na fotografia  (Lida 13948 vezes)

AlexandreS

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.251
Frequentemente surgem foristas insatisfeitos com o rendimento em baixa luz de suas fotos, mesmo utilizando câmeras APS-C com sensores relativamente modernos.

Sempre achei que muito destas queixas poderiam provir de procedimentos não adequados, seja uma perfeita exposição no momento do clique, seja uma conversão do RAW feita de maneira inadequada.

Ultimamente tenho deparado com alguns relatos onde pode-se notar a utilização de rotinas de sharp bastante agressivas, o que acaba por salientar o ruído existente. Pensando nisso resolvi fazer um teste para mostrar como variações na rotina de sharp podem gerar resultados muito diferentes em uma foto que já apresenta um pouco de ruído em função do ISO alto.

Em primeiro lugar, deve-se salientar que existem dois tipos de sharp. Embora os conceitos não sejam unanimidade, a grosso modo podemos dizer que um é aquele que é aplicado de forma mais intensa, com um "radius" menor e de forma homogênea na foto. Este tipo de sharp é normalmente aplicado em fotos de paisagem. Outro é aquele que é aplicado de forma mais amena, com um "radius" maior e somente nas bordas dos objetos fotografados. Este tipo de sharp é normalmente aplicado em retratos ou outras fotos onde os detalhes (como imperfeições de pele ou ruídos) não devem ser ressaltados.

O LR implementa dois preset´s básicos com estes dois tipos de sharp, um chamado de "Sharpen - Faces" e outro de "Sharpen - Scenic"

Dito isso, vamos ao teste.

As condições foram as seguintes: Foi feita uma foto em ISO 1600 na 60D, apenas com luz natural. A foto foi feita em RAW usando uma SMC Takumar 50mm f/1.4 fechada em f/2.0. Essa é uma lente de mount M42 que uso na Canon com adaptadores. O RAW foi carregado no LR usando seus defaults.

É importante ressaltas que não foi usada nenhum tipo de rotina de redução de ruído além do default do LR, ou seja, redução de 25 no ruído de chroma e 0 na luminância.

Foi então criada uma cópia virtual da foto e foi aplicado sharp em ambas, uma voltada a retratos ou fotos com ruído, outra voltada a paisagens que é o padrão do LR. Em ambos pesei um pouco a mão com a finalidade de acentuar as diferenças, o que acabou gerando alguns artefatos na foto com sharp para retratos, mas que mesmo assim permaneceriam imperceptíveis em uma impressão.

Depois disso foram feitos printscreens do LR na tela de comparação, com as fotos em preview de 100%.

Foto original. Está em 2048 pixels no Flickr, clique na foto para abrir a página


IMG_0208 por Alexandre.Schuster, no Flickr

Centro da foto, com os dois tipos de sharp aplicado

central por Alexandre.Schuster, no Flickr

Fundo da foto, área em desfoque e escura onde normalmente o ruído é mais evidente

fundo por Alexandre.Schuster, no Flickr

Vejam que não foi aplicada redução de ruído de luminância, o que aparente ser ruído na foto da direita é apenas o resultado da aplicação incorreta das rotinas de sharp, salientando o ruído existente.

Os parâmetros de aplicação de sharp nas duas fotos foram, respectivamente

Amount 50 70
Radius   2,0 0,8
Detail 15 35
Mask 68 0

Fica evidente a importância de um sharp adequado às condições e finalidade da foto. E me parece que muito das queixas de excesso de ruído em ISO´s relativamente baixos podem advir de um fluxo errado na conversão do RAW ou então, fotografia feita em JPG com o sharp setado na câmera.

Aliás, neste caso em especial o JPG pode ser uma péssima escolha já que vc não tem na câmera formas de fazer um sharp mais específico como é feito no LR. Neste caso (e pessoalmente, acho que na grande maioria dos casos), o ideal seria zerar o sharp na câmera e deixar para aplicar o sharp através do LR ou outro programa específico.

Esta foto devidamente convertida eu imprimiria sem medo em tamanho grande, mesmo sem nenhuma redução de ruído.

Complementações ou correções são bem vindas.

[]´s
« Última modificação: 11 de Junho de 2014, 19:21:15 por AlexandreS »

Canon 60D - Canon 450D XSi
Tamron 17-50 f/2.8 VC - EF 50mm f/1.8 - EF 28-135 USM IS - EF-S 55-250 IS
SMC Takumar 50mm f/1.4 - S-M-C Takumar 135mm f/2.5 e mais alguns vidrinhos M42
Speedlite 430EX II - YongNuo YN460


Luciano.Queiroz

  • Trade Count: (30)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.426
  • Sexo: Masculino
    • Luciano Queiroz
Resposta #1 Online: 11 de Junho de 2014, 19:55:54
Parabéns pelo artigo Alexandre! muito bom!

Também já tinha percebido essa reclamação do pessoal, mas eu não podia ser tão claro como você na explicação... Essa semana mesmo teve um reclamando de ruído em ISO 400.. tava na cara que não era ruído o problema.
Luciano Queiroz
www.lucianoqueiroz.com
Facebook: @caminhotracado - https://goo.gl/pNRgQX
Instagram: @caminhotrtacado - https://goo.gl/Gou1E2
Youtube: www.youtube.com/c/caminhotracado


Hoogle

  • Trade Count: (4)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 970
  • Sexo: Masculino
  • Hello. It's me.
    • Alexander Hugo - Fotografia
Resposta #2 Online: 11 de Junho de 2014, 21:19:51
Confesso que não sabia desses dois modos.
Valeu por compartilhar, vou testar da próxima vez que for editar algo.  :ok:


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.710
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #3 Online: 11 de Junho de 2014, 23:24:42
Muito bom Alexandre, bem didático e direto ao ponto! Também não conhecia esses dois tipos de sharp, mas é porque não costumo usar o LR... Mas é o que eu sempre digo, principalmente a nitidez é algo que se deve ajustar foto a foto, tem casos que realmente uma menor nitidez é mais adequada, sem prejuízo à qualidade da imagem.

Gostei!

Abraços


Alexandre Ricci

  • Trade Count: (31)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.070
    • Flickr Alexandre
Resposta #4 Online: 11 de Junho de 2014, 23:53:40
Muito bom comparativo e esclarecimentos Alexandre!
Tive algumas fotos com exatamente esse problema e acredito que deve estar aí a causa.
Vou me atentar nas próximas edições que fizer.

Abs


Rafa_Meira

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (2)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.152
  • Sexo: Masculino
Resposta #5 Online: 12 de Junho de 2014, 00:56:23
Muito bacana e esclarecedor o teste, tanto do ponto de vista de explicar para que serve cada parâmetro da nitidez como pelo teste realizado.

 :clap: :clap:


Gabriel Rigoni

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 237
  • Sexo: Masculino
Resposta #6 Online: 12 de Junho de 2014, 04:15:08
Acho que isso é novo pra muitos aqui (principalmente eu :D). Parabéns Alexandre, foi direto ao ponto, e com um pequeno texto conseguiu informar direitinho. Vou até salvar aqui o post, na próxima vou tentar esse resultado. :clap: :clap: :clap:


Andrei Gomes

  • Trade Count: (4)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 487
  • Sexo: Masculino
  • Canon
Resposta #7 Online: 12 de Junho de 2014, 07:35:59
 :worship: :ok: :clap: :clap: Muito bom. Valeu


Luciano.Queiroz

  • Trade Count: (30)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.426
  • Sexo: Masculino
    • Luciano Queiroz
Resposta #8 Online: 12 de Junho de 2014, 07:46:46
Vale ressaltar uma outra questão do LR....

Além da nitidez na hora do tratamento, ele aplica (ou não, porque o usuário que escolhe) uma nitidez de saída, que vai ser somada àquela que já foi escolhida pelo usuário..

Muita gente erra nesse ponto, porque faz o tratamento que poderia até ser adequado, mas aplica uma "nitidez a mais" na janela de exportação, que pode arruinar o que foi feito antes.
« Última modificação: 12 de Junho de 2014, 07:47:14 por Luciano.Queiroz »
Luciano Queiroz
www.lucianoqueiroz.com
Facebook: @caminhotracado - https://goo.gl/pNRgQX
Instagram: @caminhotrtacado - https://goo.gl/Gou1E2
Youtube: www.youtube.com/c/caminhotracado


Renan.Paiva

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 551
  • Sexo: Masculino
Resposta #9 Online: 12 de Junho de 2014, 08:12:16
Muito bom o arquivo, vlw por compartilhar
Nikon D7100 - 35mm DX 1.8G - 50 mm AF-S 1.8G - 55 200 VR - Tamron 17-50 2.8 VC DX II


Raphael Sombrio

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.904
  • O RAW é um diamante...bruto
Resposta #10 Online: 12 de Junho de 2014, 09:49:13
Valeu, muito legal o teste, obrigado por compartilhar!

Eu tbm não sabia que existia esses dois tipos de se trabalhar a nitidez, mas gostaria de colocar que tlvz uma coisa importante tbm, falando de "revelação" da imagem no Lr ( ou qualquer programa que se use )
sempre é legal "testar" as ferramentas e seus respectivos resultados. Ex.: arriscar mais, demorar-se mais testando os efeitos das ferramentas ( eu pelo menos faço isso, já que não tive uma explicação didática como essa que vc está passando ) afim de entender e descobrir os melhores resultados, certo?

O que quero dizer é que as vezes a gente é muito apressado, não entende direito como as coisas são ou funcionam e, além de desistir de encontrar um resultado melhor, "táca o pé na jaca".

Valeu!


AlexandreS

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.251
Resposta #11 Online: 12 de Junho de 2014, 10:58:37
Valeu pessoal !

Não sou especialista no assunto, com certeza tem vários foristas que poderiam falar com muito mais propriedade, mas resolvi fazer este post justamente por nunca ver ninguém discutindo este assunto e também por ver essas inúmeras queixas de ruído que a mim pareciam na realidade fotos com problemas na conversão.

Nesta questão do sharp salientar o ruído, um dos sliders mais importantes é o "Masking". Ele que vai determinar onde o sharp será aplicado, calculando uma máscara de borda da imagem. Com isso podemos fazer com que o sharp seja aplicado apenas nas regiões de variação de tom e contraste e não na foto inteira. Com isso podemos fazer com que o ruído não seja "sharpeado", apenas as bordas da imagem.
No LR, vc pode pressionar <ALT> ao mesmo tempo que mexe no slider para ver a máscara que será utilizada.

O slider de "Radius" determina quando a partir do centro do pixel o efeito de sharp vai ser aplicado. Quanto maior o valor, mais as bordas ficam destacadas. Por exemplo, se usar um "Masking" pequeno e um "Radius" alto em um retrato, pode acabar revelando imperfeições. Por isso alguns sites recomendam usar Radius pequeno para retratos e grande para paisagens, o que é outra forma de fazer.

No final de tudo, o resultado será dado pelo conjunto de configurações. Para meu uso amador, parto das configurações padrão do LR para cada tipo de foto e ajusto "a gosto" de acordo com o tipo de foto.

Para aqueles como o Humberto que usam o DPP ou outros softwares de conversão do RAW em que a rotina de sharp é baseada em "Unsharp Mask", tem o controle de "threshold" que também cria uma máscara baseado na diferença entre pixels adjacentes.

E também tem que cuidar o sharp de saída, como bem colocou o Luciano. O motivo da existência do sharp de saída é simples. Diferentes mídias aceitam níveis de sharp diferentes. Antes deste recurso, vc aplicava um sharp quando a foto ia para a web. Para mandar para a impressão, aplicava outro sharp. Agora vc faz o sharp "básico" e na hora de exportar o LR encarrega-se de dar o toque final dependendo da mídia de saida. Só que este "toque final" praticamente não tem parâmetros além da quantidade de sharp aplicado e se exagerar na parte básica, pode acabar estragando a foto na saída final.

« Última modificação: 12 de Junho de 2014, 11:00:08 por AlexandreS »

Canon 60D - Canon 450D XSi
Tamron 17-50 f/2.8 VC - EF 50mm f/1.8 - EF 28-135 USM IS - EF-S 55-250 IS
SMC Takumar 50mm f/1.4 - S-M-C Takumar 135mm f/2.5 e mais alguns vidrinhos M42
Speedlite 430EX II - YongNuo YN460


AFShalders

  • Trade Count: (27)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.295
  • Sexo: Masculino
  • "Bela câmera, mas mostre as fotos..."
    • Old Good Light
Resposta #12 Online: 12 de Junho de 2014, 11:12:43
Boa explicação, mas convém adicionar umas informações, nem que a título de curiosidade. O tal ruído que aparece após o sharpening não é ruído propriamente dito e sim a criação de artefatos matemáticos. Esses artefatos podem ser diminuidos por vária maneiras, sendo a mais fácil pela variação da relação entre os três principais parâmetros visiveis ao usuário, a intensidade ou força, o raio e o limiar. A regra é que quanto maior o raio e menor a intensidade, menos ruido. Mas há que ter muito cuidado com a criação de falsos contornos. Por isso que um sharpen de 200% com raio 2 vira um desastre.

O segundo método é mais complexo, e é basicamente o oposto que a sua câmera faz ao criar uma imagem colorida ao processar a matriz de bayer. Primeiro um blur dado pelo filtro anti alias, e depois um sharpen para tentar recuperar a definição. No caso discutido, um ligeiro blur após aplicar um sharpen pode ser bem benéfico. É uma forma primitiva de redução de ruído.

O terceiro método é não exagerar no raio e usar uma intensidade mais agressiva, valores como raio 0.2-0.5 e intensidade de 100-200%. Isso gera artefatos pequenos, de remoção mais fácil. Pessoalmente quando julgo necessário aplico um bom filtro de ruído, ajustado manualmente na imagem. Eu uso o noiseware professional em modo manual, regulando a intensidade do filtro diferentemente para as altas, medias e baixas frequencias. Dá trabalho mas fica bom.

Uma coisa importante é que as pessoas geralmente querem tudo mastigado. Quanto mais presets e botões mágicos melhor, e a preguiça (ou mesmo incapacidade) anda muito em alta.

Por fim, vem a não menos importante percepção visual do "ruido". Se a pessoa usa uma câmera de 20 MP e abre em 1:1 na tela do computador, ela não está interessada em apreciar a imagem, e sim em procurar defeitos. Pegue um monitor grande, por exemplo de 27" com resolução decente, algo como 2560 x 1440. São aproximadamente 3.6 megapixeis. Isso quer dizer que você aproveitou apenas cerca de 18% da resolução e que a maioria dos detalhes finos, inclusive o ruido e artefatos, simplesmente foram jogados fora ou estão praticamente invisíveis. Essa cruzada atras da imagem lisa, perfeita não tem lá muito sentido para 99% das situações (salvo quando se usa um crop ou quando se imprime em tamanhos muito grandes e em resoluções altissimas, mas isso já é outro papo). Quantas vezes alguém aqui já imprimiu uma foto de 30x60 cm adequadamente ? É por aí.

Esse teste está ótimo, bem explicado.  :clap:
Ética não é negociável.

Viciado em Fotografia desde 1980
www.oldgoodlight.blogspot.com
www.flickr.com/groorj


AlexandreS

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.251
Resposta #13 Online: 12 de Junho de 2014, 14:51:09
Obrigado pela intervenção Shalders:ok:

Se a pessoa usa uma câmera de 20 MP e abre em 1:1 na tela do computador, ela não está interessada em apreciar a imagem, e sim em procurar defeitos.

Essa aqui vai para o meu caderninho  :D

Canon 60D - Canon 450D XSi
Tamron 17-50 f/2.8 VC - EF 50mm f/1.8 - EF 28-135 USM IS - EF-S 55-250 IS
SMC Takumar 50mm f/1.4 - S-M-C Takumar 135mm f/2.5 e mais alguns vidrinhos M42
Speedlite 430EX II - YongNuo YN460


Luciano.Queiroz

  • Trade Count: (30)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.426
  • Sexo: Masculino
    • Luciano Queiroz
Resposta #14 Online: 12 de Junho de 2014, 14:57:00
Se a pessoa usa uma câmera de 20 MP e abre em 1:1 na tela do computador, ela não está interessada em apreciar a imagem, e sim em procurar defeitos.

ótima!
Luciano Queiroz
www.lucianoqueiroz.com
Facebook: @caminhotracado - https://goo.gl/pNRgQX
Instagram: @caminhotrtacado - https://goo.gl/Gou1E2
Youtube: www.youtube.com/c/caminhotracado