Autor Tópico: Fotografia é a menor distância entre a realidade e a... ???  (Lida 874 vezes)

Lindsay

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.594
  • Sexo: Masculino
Resposta #15 Online: 19 de Outubro de 2016, 22:56:05
Se essa discussão fosse um trabalho acadêmico todo mundo ia tomar zero. Isso tá parecendo mais conversa de boteco.

"Pra mim fotografia é um passo entre a realidade as estrelas, porque olha como nenhuma vaca é azul e hoje é terça-feira. Dá pra ver isso nas fotos do Ansel Adams e nas composições do Bethoveen"


Eu não conheço o John Berger ou o trabalho dele, infelizmente. Mas isso não diz nada pra discussão. Isso me parece um apelo à autoridade.

O professor não vai me dar nota alta numa prova onde eu escrevi um monte de coisa doida se eu disser que me inspirei em algum autor famoso. Metafísica ruim sem base na realidade é metafísica ruim não importa o renome da pessoa citada.

Eu adoro debater fotografia e arte, mas quando o papo descamba pra um espectro sem conexão com a realidade física ou a lógica eu começo a revirar meus olhos  8-) 

Acho que não só é fácil falar de arte/fotografia em termos quase que espirituais e religiosos -- qualquer um pode falar qualquer coisa, tudo vale -- mas também é algo sedutor para muita gente, pois te faz parecer "culto" ou "inteligente" ou passa a impressão do que está sendo dito é cheio de significado profundo.

Eu não quero censurar ninguém, espero que debates continuem acontecendo, mas gostaria que eles fossem mais ancorados na realidade.

Então, te peço calma amigo, e sendo sincero, não entendo porque esse tipo de discussão te incomoda a ponto de vc fazer os comentários que fez. Vc gostaria do que de proibir a gente de ter esse tipo de debate aqui neste fórum??? Olha só, tem gente que gosta de conversar sobre esses assuntos viu???

Eu acredito que pensar fotografia é bem legal sobre todos os aspectos, sei que tem gente que gosta de conversar sobre equipamentos, outros sobre técnica, sobre estética, sobre fotografia analógica, inclusive tenho amigos que são colecionadores e que se conectam à fotografia pelo prazer de colecionar de câmeras antigas, enfim, mas tbm tem gente como eu e alguns outros colegas aqui que se interessam por esse tipo de reflexão, por um pensamento mais acadêmico, mas que, de acordo com as palavras que vc escreveu ai em cima pra vc é "papo de boteco" e "sem conexão com a sua realidade".

Olha só, te quero bem amigo, vc é bem vindo, numa boa, e pra mim tudo bem se vc não gosta desse tipo de discussão. Mas queria te pedir licença, por favor, pra deixar a gente continuar a discussão aqui, da maneira como cada um quiser.

Valeu e abraços!!!

Fotografando com a memória


Lindsay

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.594
  • Sexo: Masculino
Resposta #16 Online: 19 de Outubro de 2016, 23:15:49
Eu estava conversando com o bruno_sfc nosso colega aqui deste fórum, e ele trouxe uma referencia muito importante sobre esse assunto, que é o livro "REALIDADES E FICÇÕES NA TRAMA FOTOTGRÁFICA" de Boris Kossoy, um grande mestre Brasileiro, que na última parte do livro, faz reflexões sobre as possibilidades da construção de realidades, diante das representações fotográficas.

Kossoy explica que se trata de uma conexão de duas realidades, e descreve como sendo a primeira e segunda realidades e as realidades interior e exterior.

A primeira realidade, é o próprio passado (que se confunde com a realidade interior), e a realidade das escolhas e decisões tomadas pelo fotógrafo, provocado por conexão física, no instante em que a foto é tirada, a luz que é registrada pelo sensor.

Já a segunda realidade, denominada de realidade exterior, diz respeito à realidade do assunto representado na fotografia, que fora selecionado no tempo e espaço, e que esta contido nos limites bidimensionais da imagem fotográfica.

Valeu Bruno grato pela referência!!!

http://www.iar.unicamp.br/disciplinas/mm_educacao/doc/RES_Boris%20Kossoy.doc

« Última modificação: 19 de Outubro de 2016, 23:40:45 por Lindsay »
Fotografando com a memória


Lindsay

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.594
  • Sexo: Masculino
Resposta #17 Online: 19 de Outubro de 2016, 23:51:47
Meu discurso eh altamente inspirado em criticos academicos como a de John Berger. Se o discurso dele eh de boteco, nao ha discurso que nao seja.
Legal mesmo o John Berger, vou ler e assistir mais sobre ele. Vc sabe que esse assunto é recorrente, desde Walter Benjamin, muitos outros já falaram sobre isso, lembro aqui de Barthes, e inúmeros outros. Lembro tbm que esse assunto pertence à outras áreas, além do pessoal que orbita a fotografia.

To lembrando aqui, quem assistiu vai se lembrar do filme Matrix, onde "Neo" tem que fazer uma escolhas entre duas pílulas, a pílula da realidade ou a da ilusão.
« Última modificação: 19 de Outubro de 2016, 23:54:07 por Lindsay »
Fotografando com a memória


Lindsay

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.594
  • Sexo: Masculino
Resposta #18 Online: 20 de Outubro de 2016, 00:14:03
... minha viagem na maionese...   8-)

Fotografia não é realidade... é a realidade que eu vejo através da câmera e depois edito da forma que eu desejar. Mesmo as fotos jornalísticas, documentais, dependem de onde estou e de como enquadro. Uma mesma cena pode ser retratada de forma diversa por diferentes pessoas criando sensações diversas... uma realidase, várias capturas, vários pontos de vista, várias interpretações. Verdadeiras? Falsas? Para quem?

Então Priscila, pra mim é super complicado entender o significado da palavra "realidade" muitas vezes eu tenho medo de usar essa palavra em várias situações, principalmente porque da mesma forma é difícil saber o que os pessoas com quem conversamos entendem por "realidade".

Mas veja que Kossoy faz uso sem medo o termo duas realidades, uma realidade do ato fotográfico e outra realidade da representação contida na foto.

Barthes tbm explica essa questão da reconstrução de uma realidade pelo espectador no momento da apreciação da foto, realidade essa que já fica contamina pelo conhecimento e cultura do espectador.

Continuo pensado bastante sobre o assunto, uma conclusão previa, considerando somente do ponto de vista da pessoa que aprecia a foto, se trata de uma ficção contida na foto que se conecta com a realidade do espectador.

Vc acha que esse pensamento vai meio na linha do que vc falou???
Fotografando com a memória


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Resposta #19 Online: 20 de Outubro de 2016, 00:36:03

Então, te peço calma amigo, e sendo sincero, não entendo porque esse tipo de discussão te incomoda a ponto de vc fazer os comentários que fez. Vc gostaria do que de proibir a gente de ter esse tipo de debate aqui neste fórum??? Olha só, tem gente que gosta de conversar sobre esses assuntos viu???

Eu acredito que pensar fotografia é bem legal sobre todos os aspectos, sei que tem gente que gosta de conversar sobre equipamentos, outros sobre técnica, sobre estética, sobre fotografia analógica, inclusive tenho amigos que são colecionadores e que se conectam à fotografia pelo prazer de colecionar de câmeras antigas, enfim, mas tbm tem gente como eu e alguns outros colegas aqui que se interessam por esse tipo de reflexão, por um pensamento mais acadêmico, mas que, de acordo com as palavras que vc escreveu ai em cima pra vc é "papo de boteco" e "sem conexão com a sua realidade".

Olha só, te quero bem amigo, vc é bem vindo, numa boa, e pra mim tudo bem se vc não gosta desse tipo de discussão. Mas queria te pedir licença, por favor, pra deixar a gente continuar a discussão aqui, da maneira como cada um quiser.

Valeu e abraços!!!

Eu não desejo censurar ninguém, como disse acima. Eu não vou perseguir cada mensagem mandando a pessoa parar de escrever, nunca faria isso. Espero que o tópico seja aberto para diferentes opiniões, sejam elas a favor ou contra.

Claro que as pessoas na conversa podem ignorar o que eu disse -- e eu não voltaria aqui pra ficar repetindo o que foi ignorado, a conversa continuaria no rumo original sem a minha voz dissonante -- mas acho que seria uma discussão produtiva se as pessoas explicassem porque concordam ou discordam de mim, ao invés da sua atitude de "deixa a gente sozinho, sai daqui".
« Última modificação: 20 de Outubro de 2016, 00:36:54 por Bucephalus »


Lindsay

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.594
  • Sexo: Masculino
Resposta #20 Online: 20 de Outubro de 2016, 00:51:17
Eu não desejo censurar ninguém, como disse acima. Eu não vou perseguir cada mensagem mandando a pessoa parar de escrever, nunca faria isso. Espero que o tópico seja aberto para diferentes opiniões, sejam elas a favor ou contra.

Claro que as pessoas na conversa podem ignorar o que eu disse -- e eu não voltaria aqui pra ficar repetindo o que foi ignorado, a conversa continuaria no rumo original sem a minha voz dissonante -- mas acho que seria uma discussão produtiva se as pessoas explicassem porque concordam ou discordam de mim, ao invés da sua atitude de "deixa a gente sozinho, sai daqui".
Não é pra vc sair daqui, é só pra deixar a gente conversar, vc é bem vindo, por favor, fique por aqui!!!
Fotografando com a memória


Lindsay

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.594
  • Sexo: Masculino
Resposta #21 Online: 20 de Outubro de 2016, 01:20:51
Carai... fui falar de Matrix e olha só o que eu encontrei:

https://youtu.be/Pmi-cFu5Plw
Fotografando com a memória


C R O I X

  • Trade Count: (0)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.413
  • Sexo: Masculino
  • Fotografo Multiformato
    • Marcio Faustino
Resposta #22 Online: 20 de Outubro de 2016, 04:10:47
Eu não conheço o John Berger ou o trabalho dele, infelizmente. Mas isso não diz nada pra discussão. Isso me parece um apelo à autoridade.

O professor não vai me dar nota alta numa prova onde eu escrevi um monte de coisa doida se eu disser que me inspirei em algum autor famoso. Metafísica ruim sem base na realidade é metafísica ruim não importa o renome da pessoa citada.

Eu adoro debater fotografia e arte, mas quando o papo descamba pra um espectro sem conexão com a realidade física ou a lógica eu começo a revirar meus olhos  8-) 

Acho que não só é fácil falar de arte/fotografia em termos quase que espirituais e religiosos -- qualquer um pode falar qualquer coisa, tudo vale -- mas também é algo sedutor para muita gente, pois te faz parecer "culto" ou "inteligente" ou passa a impressão do que está sendo dito é cheio de significado profundo.

Eu não quero censurar ninguém, espero que debates continuem acontecendo, mas gostaria que eles fossem mais ancorados na realidade.

Religiosidade? Nao ha religiosidade alguma, principalmente se tratando de um anarquista.

Pelo nosso historico de debate poso dize que vc eh um pessimo compreemdedor de ideias. E sabendo da sua insistencia em argumentar suas incompreencoes, nao irei perder meu tempo.

Vc quer reclamar mas nao tem nada a agregar. Se torna um ass por esporte.

Lhe de com o que nao lhe cabe e mova a diante para o que agregue. Deixe de rancor.

Pare de perder o seu tempo e o tempo dos outros falando merda sobre merda.
« Última modificação: 20 de Outubro de 2016, 04:38:27 por C R O I X »


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Resposta #23 Online: 20 de Outubro de 2016, 04:34:55
Ser um "ass" com certeza não é a minha intenção; mas eu também não tenho a intenção de ficar colocando açúcar por cima das minhas palavras pra elas descerem melhor ou ofenderem menos.

Não vou ler um livro inteiro so pra postar uma resposta aqui ou so pra descobrir se voce interpretou o que o autor disse certo ou errado, me desculpe. Entretanto, agradeço pela recomendação do autor, pois sempre me interesso a aprender mais.

Voce também pode continuar a debater ou não, mas acho que essa atitude de "acabou a conversa, vai la ler o livro" é meio ridícula. Gostaria que voce se endereçasse as criticas que eu fiz, mas se não quiser também não tem problema. So acho que ignorar opiniões contrarias e so debater com pessoas que concordam com voce é um habito que acaba criando uma camara de eco que gera um falso consenso sobre as coisas.


C R O I X

  • Trade Count: (0)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.413
  • Sexo: Masculino
  • Fotografo Multiformato
    • Marcio Faustino
Resposta #24 Online: 20 de Outubro de 2016, 04:40:38
Ser um "ass" com certeza não é a minha intenção; mas eu também não tenho a intenção de ficar colocando açúcar por cima das minhas palavras pra elas descerem melhor ou ofenderem menos.

Não vou ler um livro inteiro so pra postar uma resposta aqui ou so pra descobrir se voce interpretou o que o autor disse certo ou errado, me desculpe. Entretanto, agradeço pela recomendação do autor, pois sempre me interesso a aprender mais.

Voce também pode continuar a debater ou não, mas acho que essa atitude de "acabou a conversa, vai la ler o livro" é meio ridícula. Gostaria que voce se endereçasse as criticas que eu fiz, mas se não quiser também não tem problema. So acho que ignorar opiniões contrarias e so debater com pessoas que concordam com voce é um habito que acaba criando uma camara de eco que gera um falso consenso sobre as coisas.
Como eu ja disse, baseado em nosso historico, vc em um pessimo compreendedor e insistente em argumentar incompreencoes. Nao perco meu tempo.

Vc nao tem nada a dizer, debater, argumentar ou agregar. Vc so quer reclamar. Logo o resultado eh previsivel.


Eu ate concordo que o tema do topico eh bobo. Mas eu nao me torno um hater por isso. No lugar de tornar um papo e topico bobo em algo pior. Se eu participar sera para tentar ajudar em tornar em algo mais interesaante e agregador. Mesmo que eu falhe.
« Última modificação: 20 de Outubro de 2016, 05:15:34 por C R O I X »