Autor Tópico: [BLOG] Aprenda fine art  (Lida 554 vezes)

Lizandro Júnior

  • Trade Count: (18)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.489
  • Sexo: Masculino
  • "Com Deus, todas as coisas são possíveis."
    • Lizandro Júnior Fotografias
Resposta #7 Online: 22 de Maio de 2017, 09:37:59
Obrigado por compartilhar! Vou ler o material todo  :ok:
Nikon D750 | Nikon D700 | Flash SB900| Nikkor 24mm f/1.8G ED | Sigma 85mm f/1.4 EX DG HSM | Tokina AT-X 16-28mm f/2.8 Pro FX |  Yongnuo 622N | Yongnuo TX

www.lizandrojunior.com  | "Com Deus, todas as coisas são possíveis."


spositom

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.359
Resposta #8 Online: 22 de Maio de 2017, 19:22:45
O que você encontrou de diferente dos seus conceitos?

Colega, pelo seu nick acredito ser você o proprietário do blog

Ficou muito boa a diagramação e explanação do conteúdo, parabéns!!!

O que sei também foi lendo e estudando e existe uma grande possibilidade de EU ter entendido errado, mas em todo caso existem alguns pontos que penso um pouco diferente

Quando fala sobre o manuseio das obras com luvas de algodão (está certo), vc justifica ser por deixar marca de digital no papel (sim protege), mas o verdadeiro intuito é não passar gordura das mãos para o papel pois isto irá gerar acides.

O que pode acontecer é que se o aspirante a impressor pode estar sem as luvas e pegar pela borda branca do papel e esta borda ser emoldura criando assim um ponto de acidificação. A reserva alcalina do material de emolduramento é destinada a fins mais nobres do que a gordura de manipulação

A grande vantagem do papel fine art é de não usar o branqueador ótico e as trocentas texturas e substratos existentes, razão pela qual temos um gamut "pequeno" em alguns papeis quando  comparado a um papel fotográfico everyday. No seu texto vc cita que eles aceitam gamut de cor Adobe RGB, sRGB, claro que é verdade,  mas o importante deste papel  como impressor não é exatamente isto e sim a característica e raridade do papel.

Você chama de drives os perfis icc (impressora x papel), isso pode confundir um pouco

No item "preparando a imagem para impressão" vc jogou pedra na cruz  :no:

O ideal é deixar o gamut de cor em ProPhoto (isto vc não escreveu),  sempre em 16bits e tem que ter nascido assim, não adianta transformar.
Fazendo em 8 bits uma impressão de tamanho razoável, um 40x60 por exemplo, já se vê banding  numa maquiagem mais trabalhada ou uma paisagem.

Parabéns pela iniciativa  :ok:

Abs

Marcio







drhelio

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 3
Resposta #9 Online: 23 de Maio de 2017, 09:30:57
Colega, pelo seu nick acredito ser você o proprietário do blog

Ficou muito boa a diagramação e explanação do conteúdo, parabéns!!!

O que sei também foi lendo e estudando e existe uma grande possibilidade de EU ter entendido errado, mas em todo caso existem alguns pontos que penso um pouco diferente

Quando fala sobre o manuseio das obras com luvas de algodão (está certo), vc justifica ser por deixar marca de digital no papel (sim protege), mas o verdadeiro intuito é não passar gordura das mãos para o papel pois isto irá gerar acides.

O que pode acontecer é que se o aspirante a impressor pode estar sem as luvas e pegar pela borda branca do papel e esta borda ser emoldura criando assim um ponto de acidificação. A reserva alcalina do material de emolduramento é destinada a fins mais nobres do que a gordura de manipulação

A grande vantagem do papel fine art é de não usar o branqueador ótico e as trocentas texturas e substratos existentes, razão pela qual temos um gamut "pequeno" em alguns papeis quando  comparado a um papel fotográfico everyday. No seu texto vc cita que eles aceitam gamut de cor Adobe RGB, sRGB, claro que é verdade,  mas o importante deste papel  como impressor não é exatamente isto e sim a característica e raridade do papel.

Você chama de drives os perfis icc (impressora x papel), isso pode confundir um pouco

No item "preparando a imagem para impressão" vc jogou pedra na cruz  :no:

O ideal é deixar o gamut de cor em ProPhoto (isto vc não escreveu),  sempre em 16bits e tem que ter nascido assim, não adianta transformar.
Fazendo em 8 bits uma impressão de tamanho razoável, um 40x60 por exemplo, já se vê banding  numa maquiagem mais trabalhada ou uma paisagem.

Parabéns pela iniciativa  :ok:

Abs

Marcio

Obrigado!

Legal, cara. Já modifiquei algumas partes do texto com suas sugestões.

Toda contribuição é bem vinda! :ok: :ok: