Autor Tópico: Eu publiquei um livro (mais ou menos...) - análise do Blurb.com  (Lida 2936 vezes)

erickdlm

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • *****
  • Mensagens: 1.896
  • Sexo: Masculino
  • Não é a câmera, é o fotógrafo...
Resposta #30 Online: 18 de Setembro de 2017, 20:51:53
Mas nas empresas nacionais você pode projetar o livro como quiser, não? Talvez ele tenha usado um padrão da gráfica, e nisso eu tenho a impressão que o Blurb é melhor que os outros; os presets parecem bem mais profissionais. Não que eu tenha usado algum preset deles, eu criei o meu do zero.

Com o Blurb você pode fazer sua própria montagem, como bem entender. Fotos em qualquer disposição, quaisquer cores, texto, elementos gráficos... eles tem esse programa chamado BookWright, e as opções são infinitas.

Eu imagino que a qualidade da impressão (em termos de nitidez) e encadernação das empresas nacionais sejam bastante boas. Mas existem outros elementos a se considerar, por exemplo:

1. Fidelidade de cores e tons.
Eu imaginei que as minhas fotos com o Blurb sairiam com tons de cores errados ou com color casts, mas elas saíram 100% idênticas aos arquivos digitais. O nível de contraste, de tons claros e escuros também foi 100% fiel. Dá pra garantir que em outros sites essa qualidade vai ser a mesma? O lance da Blurb é que eles foram criados para fotógrafos fazerem fotolivros, e nesse aspecto eu acho que eles não vão dever. Não sei se eu arriscaria uma gráfica online que não tem ênfase e tradição em imprimir fotos. Vai que você arrisca uma grana e acaba com um livro cheio de fotos com fidelidade ruim.

2. Facilidade de uso.
Achei o software da Blurb incrivelmente fácil de usar, livre de bugs, totalmente conectado ao sistema de vendas e capaz de customizar todos os livros que eles oferecem. Vi que outras empresas oferecem opções de diagramação em sistemas bem lentos, e em muitos casos online. Não curti isso.

3. Número de opções de papel e capas.
Ok, isso é algo que a Blurb fica devendo em relação aos outros. Eles oferecem uns 4 ou 5 papéis diferentes somente pro formato fotolivro, e os outros formatos tipo revista e tradebook não possuem opções de papel. As opções de capa também são limitadas (3, e em alguns casos somente 2 ou nenhuma opção). E eles tem zero de opções em relação ao encadernamento, enquanto alguns sites oferecem várias opções.

4. Preço e número de páginas
Eu acho o preço da Blurb, combinado com o máximo de páginas, imbatível. O frete deles é meio caro para qualquer lugar fora dos EUA, mas o preço dos livros em si são incríveis. Também me decidi por eles por conta do número de páginas: meu primeiro livro tem 212 páginas, e em outros sites o limite de páginas é bem pequeno. Não queria diminuir as páginas pois todo o livro foi pensado com esse número, e a narração ou ritmo da história seriam perdidos com menos páginas e menos fotos. A maioria dos sites limita o número de páginas em torno de 100, e já vi sites que não faziam livros com mais de 60. Pra mim não rola, pelo menos não nesse primeiro livro.

5. Opções de comercialização do livro.
Nem todo mundo vai querer comercializar os livros que produz, mas para aqueles que querem esse é um fator importante. Sinto que a Blurb é um espaço focado em livros de arte e fotografia, e um bom lugar para vende-los. Acho que o Lulu.com é mais focado em livros de literatura, por exemplo. O Blurb também permite que seus livros sejam vendidos na Amazon, o que expande o alcance dele para praticamente todo o mundo. O aspecto visual e navegação da loja da Blurb também são excelentes; não ia querer colocar meu livro pra vender num site com cara de que foi programado em 2002 e cheio de bugs. O site da Blurb é fácil, moderno e com um visual bonito.
Antes de publicar meu livro, fiz bastante pesquisa aqui no Brasil por editoras que pudessem dar qualidade satisfatória de um livro de fotos, mandei imprimir alguns exemplares na Bok2 (capa cartão 250, páginas couché 180), a qualidade do trabalho deles não deixou a desejar, sem falar que em muitas daquelas que funcionam com auto-publicação, você manda seu trabalho da forma que você quer e escolhe as opções de papel, capa, material, etc. Só achei desvantagem é que na maioria delas você só pode ter capa dura se for mais de 200 páginas. O Preço vai depender de quanto você quer receber por livro vendido, quanto maior seu lucro, mais caro o livro fica para o comprador. Outro fator problemático é que como muitas editoras não trabalham com estoque, mas por demanda, a entrega dos livros demora de 11 a 15 dias úteis.


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #31 Online: 18 de Setembro de 2017, 21:08:31
Não pesquisei mais sobre o assunto.. mas na época que fiz o meu a vantagem da Blurb (e outras do gênero no exterior) era a encadernação...

Aqui parece que gostam da abertura em 180º que eu acho horrível.. páginas ficam grossas parecendo livro infantil e limita a quantidade máxima de páginas do livro.. Mesmo em encadernações mais tradicionais, não 180º na época não encontrei nada que chegasse por exemplo a 100 páginas. O que fiz tem 190 páginas se não me engano

Interessante, mas uma abertura maior das páginas é uma vantagem pra mim. Um erro que cometi, e que expliquei na primeira mensagem, foi colocar fotos de páginas duplas com elementos importantes no centro. O pequeno grau de abertura da Blurb estragou minha foto. Eu sabia que os livros deles não abririam em 180 graus, mas não achei que fosse tão fechado assim.

Acho que a Blurb poderia oferecer diferentes opções de encadernação. Essa é a única crítica que eu tenho em relação a eles.


lee.

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.799
  • Sexo: Masculino
  • fotógrafo desde 2009
    • electromacore
Resposta #32 Online: 19 de Setembro de 2017, 00:27:34
Fiz as manipulações em tiff pra não ter perda de qualidade, converti em jpeg de maior qualidade e importei pro BookWright. O software deles não aceita tiff, o que é um troço chato, mas enfim.

Tiff é complicadinho e até entendo os motivos. Não tendo retocado nada no próprio jpg acho q nao tem problema mesmo. Naquela qualidade '12' do PS q gera arquivos de 20mb quase

Qualquer erro o ideal seria abrir o RAW de novo e refazer até sair melhor q a edição anterior e mandar ver.

vou ver se separo algum material q faça sentido. Aceito sugestões  :hysterical:
"Not sharper photographs, not larger photographs, but better photographs — photographs that say something, that mean something, even if only to us."
________________________________________________________
Canon 5D Mark.II | Fujifilm X100 T | https://www.instagram.com/electroma.core | https://www.electromacore.com


lee.

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.799
  • Sexo: Masculino
  • fotógrafo desde 2009
    • electromacore
Resposta #33 Online: 19 de Setembro de 2017, 00:28:46
Interessante, mas uma abertura maior das páginas é uma vantagem pra mim. Um erro que cometi, e que expliquei na primeira mensagem, foi colocar fotos de páginas duplas com elementos importantes no centro. O pequeno grau de abertura da Blurb estragou minha foto. Eu sabia que os livros deles não abririam em 180 graus, mas não achei que fosse tão fechado assim.

Acho que a Blurb poderia oferecer diferentes opções de encadernação. Essa é a única crítica que eu tenho em relação a eles.

uma pena isso. É uma falha até grave pra uma empresa q propõe trabalhar com imagens em alta qualidade
"Not sharper photographs, not larger photographs, but better photographs — photographs that say something, that mean something, even if only to us."
________________________________________________________
Canon 5D Mark.II | Fujifilm X100 T | https://www.instagram.com/electroma.core | https://www.electromacore.com


Di Torres

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 501
Resposta #34 Online: 19 de Setembro de 2017, 00:35:46
No Brasil tem algumas, como a Digipix.
http://direto.digipix.com.br/

Ela é fechada apenas para profissionais de fotografia.
Você precisa realizar o cadastro e passa por uma avaliação para ter acesso ao catálogo deles.
Sem portfólio online e redes sociais relacionadas a um negócio de fotografia eles não aprovam o cadastro.

Assim como na Blurb, eles te oferecem um software de diagramação para realizar o design do seu jeito.
Eles também aceitam arquivos diagramados nos softwares da Adobe caso você prefira fazer assim.

As opções de encadernação são bem variadas.
Tem revistas, fotolivros parecidos com o do autor do tópido e até modelos mais sofisticados com lâminas de papel fotográfico HD da Canon e abertura 180º.
« Última modificação: 19 de Setembro de 2017, 00:48:29 por Di Torres »


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #35 Online: 19 de Setembro de 2017, 01:00:50
vou ver se separo algum material q faça sentido. Aceito sugestões  :hysterical:

Dinossauros!

Acho que não dá pra sugerir um tema sem saber o que você fotografa. Em ambos os livros que eu criei eu planejei antecipadamente, antes de fotografar, o que eu queria criar. Eu saia de casa com a câmera e com uma lista mental de coisas e situações que gostaria de fotografar.

Pra esse primeiro livro eu quis retratar e comentar várias coisas sobre a sociedade e a cidade onde eu moro. Existe um medo atualmente de que a nova geração está mais ferrada economicamente que a geração mais anterior, incapazes de comprar a primeira casa, endividados com empréstimos escolares e com menos perspectivas de trabalho por conta de políticas de imigração liberais. E a Nova Zelândia sofre de outros problemas, tipo altas taxas de suicídio e problemas psicológicos, que no livro eu insinuei serem causados pelos problemas anteriores. Eu saia pra fotografar cenas e pessoas que pudessem me ajudar a contar essa história e fazer essas conexões.

Pro segundo livro eu queria explorar temas de vigilância coletiva e a total indiferença da população em relação aos abusos do governo em termos de invasão de privacidade. A Nova Zelândia participou junto com os EUA em operações de espionagem coletiva contra sua própria população, e interceptou sinais de internet em massa. Na cidade onde moro, várias câmeras de segurança surgiram nos últimos meses, e somente uma pequena parte da população resistiu a instalação delas. Pra esse projeto eu saí pra fotografar essas câmeras de vigilância, assim como antenas de celular e pessoas usando smartphones e tirando selfies.

Não sei como faria para organizar um livro sem planejar, antes de tirar as fotos, qual seria o tema do livro. Você pode colocar suas fotos favoritas juntas e fazer uma espécie de portfólio, mas isso não seria um fotolivro.


lee.

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.799
  • Sexo: Masculino
  • fotógrafo desde 2009
    • electromacore
Resposta #36 Online: 19 de Setembro de 2017, 01:18:01
não serviria pra vender de fato amontoar apenas as fotos q gosto

seria um teste :).


Por hora seriam retratos urbanos. Bem genérico mas é oq  tem pra hoje haha


"Not sharper photographs, not larger photographs, but better photographs — photographs that say something, that mean something, even if only to us."
________________________________________________________
Canon 5D Mark.II | Fujifilm X100 T | https://www.instagram.com/electroma.core | https://www.electromacore.com


lee.

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.799
  • Sexo: Masculino
  • fotógrafo desde 2009
    • electromacore
Resposta #37 Online: 20 de Setembro de 2017, 21:13:37
já sei...

vou fazer dos meus desenhos :o Seria interessante ver elas impressas já q só vi na telinha do computador
"Not sharper photographs, not larger photographs, but better photographs — photographs that say something, that mean something, even if only to us."
________________________________________________________
Canon 5D Mark.II | Fujifilm X100 T | https://www.instagram.com/electroma.core | https://www.electromacore.com


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #38 Online: 20 de Setembro de 2017, 21:32:01
Vai ficar maneiro! Poderia fazer ate desenhos e fotos misturados.

Se os desenhos nao forem muito detalhados, voce pode ate usar a impressao mais barata que de acordo com a Blurb eh apropriada para ilustracoes.


lee.

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.799
  • Sexo: Masculino
  • fotógrafo desde 2009
    • electromacore
Resposta #39 Online: 20 de Setembro de 2017, 23:13:07
Alinhar os desenhos com as fotos vai ser um desafio mas é de fato interessante


eu podia fazer sketch urbanos  :ponder: Pra fazer sentido. Enquanto eu ficar desenhando personagem de quadrinhos e videogame, vai ficar difícil casar  :hysterical:
"Not sharper photographs, not larger photographs, but better photographs — photographs that say something, that mean something, even if only to us."
________________________________________________________
Canon 5D Mark.II | Fujifilm X100 T | https://www.instagram.com/electroma.core | https://www.electromacore.com


Carlos HP

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.570
  • Sexo: Masculino
  • Em busca de tempo!
    • Do Infinito ao Bokeh
Resposta #40 Online: 05 de Outubro de 2017, 17:23:40



Tem, mas não sei afirmar se é pior ou melhor, eu fiz na Dreambooks um fotolivro uma vez, gostei do resultado... Podia ser melhor? Sim, podia, mas não ficou ruim não.

Xará,

Seguindo a sua indicação da Dreambooks, fui dar olhada no site deles e achei interessante. Se possível, poderia indicar qual foi a configuração que você pegou e que te agradou para fotos de paisagem?

Já fiz dois fotolivros noBlurb há algum tempo e gostei. Queria comparar com a Dreambooks pra ver se vale à pena fazer por aqui mesmo.

Abraço,
« Última modificação: 05 de Outubro de 2017, 17:25:00 por Carlos HP »
Fotos: Flickr e 500px
Blog: Do Infinito ao Bokeh
Equipamentos: Lenstag


AlexandreS

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.251
Resposta #41 Online: 06 de Outubro de 2017, 09:24:57
Pessoal, como fica a questão da tributação ?


Li o texto mas não encontrei nenhuma referência, se me passei desculpem-me.


Fiz dois fotolivros no Blurb já fazem mais de 5 anos. Na época inclusive tinha a opção de vc pagar um valor (7 dólares se não me engano) e eles mandavam um kit com vários tipos de papel e contracapa. Depois ao fazer o livro, eles descontavam este valor.

Nunca mais fiz porque a Receita começou a taxas os fotolivros por não considerar como livros, e sim como objetos destinados a comercialização (que vc faz para revender).
Com isso, considerando-se o frete alto, fazer fotolivros lá fora ficou inviável. Isso não acontece mais ??

Outra coisa que já foi discutido por aqui em relação ao Blurb. Na época, as rotinas de resizing que eles usavam eram terríveis. Se vc mandasse uma foto em tamanho grande para ser impressa em tamanho normal, ao redimensionar as fotos ficavam cheias de artefatos e retículas.

Para sair com boa qualidade, eu calculei o tamanho em pixels das fotos para impressão em 300dpi, fiz o resizing das fotos para o tamanho correto e depois incorporei no álbum. Ficou perfeito.



Canon 60D - Canon 450D XSi
Tamron 17-50 f/2.8 VC - EF 50mm f/1.8 - EF 28-135 USM IS - EF-S 55-250 IS
SMC Takumar 50mm f/1.4 - S-M-C Takumar 135mm f/2.5 e mais alguns vidrinhos M42
Speedlite 430EX II - YongNuo YN460


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #42 Online: 06 de Outubro de 2017, 18:05:12
Pessoal, como fica a questão da tributação ?

Eu pessoalmente não posso te informar sobre isso, pois moro fora do Brasil.


Citar
Outra coisa que já foi discutido por aqui em relação ao Blurb. Na época, as rotinas de resizing que eles usavam eram terríveis. Se vc mandasse uma foto em tamanho grande para ser impressa em tamanho normal, ao redimensionar as fotos ficavam cheias de artefatos e retículas.

Para sair com boa qualidade, eu calculei o tamanho em pixels das fotos para impressão em 300dpi, fiz o resizing das fotos para o tamanho correto e depois incorporei no álbum. Ficou perfeito.

Qual o método utilizado na época em que esses problemas aconteciam? Eu li algo sobre algumas pessoas importando fotos para PDFs, o que me parece insano.

Eu usei o "Bookwright", que é o software deles. Redimensionei o tamanho de várias fotos, muitas abaixo de 100% e algumas eu ampliei acima de 100%. Não vi problema nenhum.


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #43 Online: 31 de Outubro de 2017, 01:12:11
Aqui estão imagens do meu segundo livro, de fotografias em P&B.

Primeiramente, eu fiz duas versões de capas: uma de capa dura e a outra de capa mole. A capa dura desse livro é diferente do meu livro em cores. Essa nova versão usa uma dustjacket, que é aquela folha que vai em volta da capa dura.

Eu também imprimi duas versões diferentes: uma é impressão em jato de tinta e em um papel de menor gramatura. Essa combinação de papel e impressão é bem barato. A outra versão usa o mesmo tipo de papel, mais pesado, e o mesmo processo de impressão (HP Indigo), que o meu livro de fotografias em cores.

Antes de tudo, ignorem a tonalidade azul das imagens. Eu estava fotografando em condições de luz ruim e o balanço de branco não é real. As fotografias saíram com uma boa tonalidade neutra, não existe essa cor azulada.

A diferença entre as capas (capa mole em cima, capa dura abaixo):



Aqui a capa dura com a dustjacket:



A capa dura é de tecido, cor cinza (não dá pra escolher outra cor):



Aqui a capa mole:




As fotos em si agora. Primeiro, a impressão HP Indigo:







Novamente, ignore o tom azulado, ele não existe nas fotos impressas.

Aqui está uma foto do outro método de impressão mais barato, a jato de tinta:





Uma comparação entre a impressão mais cara (HP Indigo, acima), e a mais barata (jato de tinta, abaixo):



(acho que o papel/impressão mais caros refletem a luz de uma forma diferente, por isso ela parece ser mais azul que a outra impressão na imagem acima. Na realidade o tom de branco é bem neutro nas duas)

Como dá pra ver, a qualidade é bem inferior. O contraste é menor, e os tons de preto são mais fracos. Mas até que eu desse aspecto de baixa qualidade, em especial porque elas deixam o papel com acabamento áspero e dá um efeito geral mais rústico. E o processo todo é muito barato; o livro de 122 páginas, em capa mole, ficou com um preço final de 8 dólares!



Porém, esse método de impressão barato tem um problema bem grande. Dá pra ver nas imagens algumas linhas verticais que aparecem nas fotos impressas. Falei com um representante da Blurb, e ele me disse que na impressão a jato de tinta isso é inevitável. Isso é uma pena, pois eu até que gostei da qualidade e aspecto da impressão mais barata.

Aqui uma diferença na gramatura do papel. Ambos livros tem a mesma capa e o mesmo número de páginas, mas dá pra ver que o papel mais caro é mais grosso e deixa o livro com um volume maior:


(esquerda papel mais caro, direita papel mais barato)

Aqui um close-up da falha de impressão na jato de tinta:



E a mesma foto na impressão mais cara:




Enfim, estou muito satisfeito, novamente, com a Blurb. Só gostaria que a impressão a jato de tinta tivesse menos falhas de linhas verticais.

Aqui está o livro de capa dura, com impressão perfeita e de melhor qualidade: http://www.blurb.com/b/8225024-speargun-hardcover-version


sulleiman

  • Trade Count: (4)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 241
  • Sexo: Masculino
  • Acredite!! NELE você pode!
Resposta #44 Online: 05 de Dezembro de 2017, 09:12:17
Aqui estão imagens do meu segundo livro, de fotografias em P&B.




Pela fotos.. achei bem bacana o acabamento e qualidade do livro, Aqui no brasil é um bombardeio de fotolivro capa dura abertura 180 e blá,blá... a blurb tem esse charme diferenciado. Vlew por compartilhar sua experiencia,