Autor Tópico: Você compraria uma cêmera digital que finge ser de filme?  (Lida 2045 vezes)

RFP

  • Colunista
  • Membro Ativo
  • *****
  • Mensagens: 558
  • Sexo: Masculino
    • Câmara Obscura
Resposta #11 Online: 12 de Outubro de 2017, 11:42:50
Eles obviamente não estão fazendo essa câmera pra quem gosta de ficar debatendo qualidade de lente e sensor e tirando foto inane como desculpa para pixel peeping. Eles fizeram essa câmera pra quem gosta de fotografia, se sair para tirar fotos no mundo real e fazer fotos com significado.

Você não acha que quem tem essa mentalidade só pega qualquer câmera e pronto?


Bucephalus

  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.950
  • Sexo: Masculino
Resposta #12 Online: 12 de Outubro de 2017, 17:49:28
Você não acha que quem tem essa mentalidade só pega qualquer câmera e pronto?

Sim, mas com certeza existe um subgrupo que quer ter uma experiência pseudo-analógica. Só ver o quanto de dinheiro eles arrecadaram; com certeza não foi de "fotógrafos" que só compram equipamentos tecnicamente bons.


Bucephalus

  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.950
  • Sexo: Masculino
Resposta #13 Online: 12 de Outubro de 2017, 18:04:07
Mas pra tirar fotos com significado não precisa dessa afetação toda, de ficar trocando (e comprando?) filme de brinquedo... Isso inclusive é algo que causa mais transtorno do que diversão, já que os efeitos na imagem são somente emulados, então não há ganho real em nada, nem na experiência.

Não precisa, e eu não disse que precisa. Essa foi justamente a minha crítica em relação a câmera, toda essa falsidade.


Citar
Quer a experiência de fotografar em filme? Fotografe em filme então! Não use uma câmera com filmes de brinquedo e um sensor ridículo de celular...

Pra mim essa câmera é uma piada hipster de péssimo gosto.

Obviamente, "vá usar uma câmera de filme ao invés dessa" não é uma proposta realista para esse público. Filme vai ser bem mais caro, menos prático de transportar da película para um arquivo digital, e boa parte do público desse produto nem deve saber como usar filme.

Tirando toda essa experiência falsa, até que essa câmera tem o seu valor. Não acho que seja um produto de péssimo gosto. De certa forma, tem mais valor do que uma nova DLSR ou mirrorless que é idêntica a todas as outras DSLRs e mirrorless no mercado e não traz nada de novo.

Acho que péssimo gosto é uma fabricante lançar uma nova lente cuja única razão de existir é estar no top do rank da DxO. Ou uma nova câmera que tem um incremento de 0,1% no DR ou alto ISO. Pra quê? Quem vai precisar de um equipamento que é 1% melhor no papel e imperceptível na vida real? Pra tirar fotos de flores, de paisagens insossas? Do por-do-sol, de um arco-íris, igual a todas as outras 300 milhões de fotos no Flickr?


davi_ssilva

  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 223
Resposta #14 Online: 12 de Outubro de 2017, 18:23:23
Não precisa, e eu não disse que precisa. Essa foi justamente a minha crítica em relação a câmera, toda essa falsidade.


Obviamente, "vá usar uma câmera de filme ao invés dessa" não é uma proposta realista para esse público. Filme vai ser bem mais caro, menos prático de transportar da película para um arquivo digital, e boa parte do público desse produto nem deve saber como usar filme.

Tirando toda essa experiência falsa, até que essa câmera tem o seu valor. Não acho que seja um produto de péssimo gosto. De certa forma, tem mais valor do que uma nova DLSR ou mirrorless que é idêntica a todas as outras DSLRs e mirrorless no mercado e não traz nada de novo.

Acho que péssimo gosto é uma fabricante lançar uma nova lente cuja única razão de existir é estar no top do rank da DxO. Ou uma nova câmera que tem um incremento de 0,1% no DR ou alto ISO. Pra quê? Quem vai precisar de um equipamento que é 1% melhor no papel e imperceptível na vida real? Pra tirar fotos de flores, de paisagens insossas? Do por-do-sol, de um arco-íris, igual a todas as outras 300 milhões de fotos no Flickr?
Eu entendo o que vc quis dizer, mas a minha bronca é que essa câmera tira artificialmente uma das principais coisas do filme, que é o limite de número de fotos que se pode tirar. Esse limite é uma parte fundamental da experiência de se usar filme, pois demandava um raciocínio, sensibilidade e julgamento que não existem tanto mais ao usar uma câmera digital...

Ela também te obriga a comprar filmes de brinquedo pra se fazer ajustes básicos de grão, cor ou ISO, mas te deixa de fora da vivência da câmara escura... Ou seja, coloca trabalho em um lugar e tira de outro. Não entendo exatamente qual o ganho que alguém vai ter ao se utilizar uma câmera dessas, em termos de diversão ou experiência. E também não vai ser nada que te obrigue a aprender algo novo... Vai ser simplesmente uma modinha...
« Última modificação: 12 de Outubro de 2017, 18:24:15 por davi_ssilva »


ArmandoFerreira

  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.044
  • Sexo: Masculino
Resposta #15 Online: 12 de Outubro de 2017, 18:42:09
Mas vamos pensar... Uma Nikon DF, a maioria das mirroless e seus botões analógicos para velocidade, ISO etc, não é uma forma de saudosismo do filme?

Não vai atingir este mesmo público saudosista/retrô/cult/whatever?



Bucephalus

  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.950
  • Sexo: Masculino
Resposta #16 Online: 12 de Outubro de 2017, 20:32:23
Mas vamos pensar... Uma Nikon DF, a maioria das mirroless e seus botões analógicos para velocidade, ISO etc, não é uma forma de saudosismo do filme?

Não vai atingir este mesmo público saudosista/retrô/cult/whatever?

Exato. Acho uma Fuji quase tão falsa quanto essa câmera, pelo menos no aspecto visual. O que salva é que as Fuji não tem uma falsa alavanca de avanço de filme, ou rolos de filmes falsos.

Tenho uma Fuji X70, e esse é o visual dela:



Já tive pessoas na rua me perguntando sobre a câmera, e quando mostrei ela em detalhes eles falaram "ah, é digital", com um ar de desapontamento.

Eu adoro a X70, ela é fantástica. Mas se ela fosse uma câmera 100% honesta, ela teria esse visual:





Funcional, moderno, sem tentar se passar por uma rangefinder de filme da década de 60.


AFShalders

  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.361
  • Sexo: Masculino
  • "Bela câmera, mas mostre as fotos..."
    • Old Good Light
Resposta #17 Online: 12 de Outubro de 2017, 22:28:57
Mas vamos pensar... Uma Nikon DF, a maioria das mirroless e seus botões analógicos para velocidade, ISO etc, não é uma forma de saudosismo do filme?

Não vai atingir este mesmo público saudosista/retrô/cult/whatever?


Não acho não. Para mim os controles todos a mão, diretos, sem ter que entrar em menus e ficar vendo LCD são tudo de bom.
Acho a usabilidade da Fuji X-t1 e X-t2 sensacionais.


« Última modificação: 12 de Outubro de 2017, 22:30:29 por AFShalders »
Ética não é negociável.

Viciado em Fotografia desde 1980
www.oldgoodlight.blogspot.com
www.flickr.com/groorj


davi_ssilva

  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 223
Resposta #18 Online: 13 de Outubro de 2017, 00:52:10
Mas vamos pensar... Uma Nikon DF, a maioria das mirroless e seus botões analógicos para velocidade, ISO etc, não é uma forma de saudosismo do filme?

Não vai atingir este mesmo público saudosista/retrô/cult/whatever?
Exato. Acho uma Fuji quase tão falsa quanto essa câmera, pelo menos no aspecto visual. O que salva é que as Fuji não tem uma falsa alavanca de avanço de filme, ou rolos de filmes falsos.

Tenho uma Fuji X70, e esse é o visual dela:



Já tive pessoas na rua me perguntando sobre a câmera, e quando mostrei ela em detalhes eles falaram "ah, é digital", com um ar de desapontamento.

Eu adoro a X70, ela é fantástica. Mas se ela fosse uma câmera 100% honesta, ela teria esse visual:





Funcional, moderno, sem tentar se passar por uma rangefinder de filme da década de 60.

Não acho não. Para mim os controles todos a mão, diretos, sem ter que entrar em menus e ficar vendo LCD são tudo de bom.
Acho a usabilidade da Fuji X-t1 e X-t2 sensacionais.
Concordo com o AFShalders...

No caso das Fuji eu acho que o estilo retrô não é só estético, existe também uma "filosofia" de ergonomia e usabilidade envolvida... E, no final das coisas, são fatores que realmente funcionam e agregam no uso da câmera, e só funcionam direito se vc souber usar.

Já nessa Yashica, as coisas não têm uma real razão de ser. Pra quê um filme de mentira? Pra que uma alavanca de avanço de filme de mentira?

É como aqueles carrinhos de criança que têm um volante que não gira as rodas... É só pra ficar bonitinho.


ArmandoFerreira

  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.044
  • Sexo: Masculino
Resposta #19 Online: 13 de Outubro de 2017, 01:03:59
Eu ainda acho que uma DSLR moderna tem tudo na mão também, por que a velocidade do obturador ou ISO precisam estar em um dial que parece analógico?  :ponder:

Eu também fotografo com minha DSLR sem tirar o olho do visor  ;)

Sem desmerecer o sistema, longe de mim, mas para mim estes recursos são um apelo às câmeras de filme, nada contra e nem é uma comparação direta com este projeto da Yashica.

Mas que o mercado e as empresas se aproveitam da filosofia/nicho deste estilo retrô, certamente, e tem um público para isso.

Eu já gostaria de uma Fuji com visual mais clean e moderno, acho que aqui vai do gosto do freguês.



Acho super normal as empresas apelarem um pouco para este estilo em um mercado tão acirrado e com necessidade de se destacarem dos modelos DSLR tradicionais.
« Última modificação: 13 de Outubro de 2017, 01:09:47 por ArmandoFerreira »


AFShalders

  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.361
  • Sexo: Masculino
  • "Bela câmera, mas mostre as fotos..."
    • Old Good Light
Resposta #20 Online: 13 de Outubro de 2017, 11:02:48
Eu ainda acho que uma DSLR moderna tem tudo na mão também, por que a velocidade do obturador ou ISO precisam estar em um dial que parece analógico?  :ponder:

Eu também fotografo com minha DSLR sem tirar o olho do visor  ;)



Sem desmerecer a Olympus, que é capaz de produzir ótimas imagens (tive uma e ainda tenho uma E-M10) acho a usabilidade dela simplesmente horrorosa. Todas as vezes que uso me dá vontade de meter a marreta nela, nem o sistema de toque dela presta, tem etapas desnecessárias, as vezes, com 2,3 ou mesmo 4 passos para achar e ativar ou modificar o que precisa. Esse é o problema com menus e controles universais que podem ter a função modificada conforme o contexto.

Para mim, um controle dedicado que muda direto velocidade/abertura/iso/compensação é muito, muito mais confortável e não é irritante. Fora a Fuji, os sistemas de menus da Panasonic, Canon e Pentax são bem feitos e muito diretos, mas mesmo assim são menus com várias etapas (muito mais diretos e consistentes que os da Olympus, por exemplo).

Eu entendi o porque do falso filme da Yashica. É porque a câmera não tem controles, só o disparador. Mas acho que essa papagaiada poderia ter sido trocada por uma chave com 3 ou 4 posições para selecionar o tipo de foto. Na verdade, são simplesmente custom modes.
Ética não é negociável.

Viciado em Fotografia desde 1980
www.oldgoodlight.blogspot.com
www.flickr.com/groorj


davi_ssilva

  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 223
Resposta #21 Online: 13 de Outubro de 2017, 12:30:36
Eu ainda acho que uma DSLR moderna tem tudo na mão também, por que a velocidade do obturador ou ISO precisam estar em um dial que parece analógico?  :ponder:

Porque mudar um ajuste num dial dedicado é muito mais rápido do que ter que entrar em um menu pra ajustar. Mesmo em relação aos botões dedicados, o dial tem vantagem porque nos botões são precisos vários cliques pra se chegar no ajustes necessário, enquanto que no dial vc simplesmente roda até onde vc quer de uma vez.

Eu entendi o porque do falso filme da Yashica. É porque a câmera não tem controles, só o disparador. Mas acho que essa papagaiada poderia ter sido trocada por uma chave com 3 ou 4 posições para selecionar o tipo de foto. Na verdade, são simplesmente custom modes.

Sim, a câmera não tem controles. Só que quando vc a compra, ela só acompanha um filme. Ou seja, se vc quiser outro custom mode, vai ter que pagar a mais por isso... O que eu acho um belo de um absurdo...
« Última modificação: 13 de Outubro de 2017, 12:34:39 por davi_ssilva »