Autor Tópico: Aparados da Serra: em busca de sua identidade.  (Lida 509 vezes)

Raphael Sombrio

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.150
  • O RAW é um diamante...bruto
Resposta #15 Online: 24 de Agosto de 2020, 09:53:12
Raphael, show de bola todas as imagens.

Conheço São José dos Ausentes, porém todas as vezes que cheguei aos Aparados (e foram muitas), o tempo estava fechado.

Como é para acampar nas áreas e fazer travessias? Pediu permissão antecipada aos fazendeiros?

Obrigado!  :)

Realmente o clima, ou melhor, o microclima dos Aparados, pode ser complicado. Em dias de ar frio e seco, predominantemente no inverno, é mais garantido conseguir ver a paisagem.

Respondendo a tua questão, sim, em todas as incursões nós solicitamos autorização do proprietário ou responsável pelos locais, e sendo uma travessia, onde passaremos por mais de uma propriedade, pegamos autorização com o proprietário de alguma das terras por onde passaremos, quando o mesmo meio que se responsabiliza pelo nosso acesso as demais, ou se encarrega de informar aos outros a nossa entrada.

Na nossa mais recente exploração, por exemplo, no cânion Tabuleiro, como passaríamos por várias áreas de donos diferentes, muitos que nem moram aqui no sul, o guia autorizado pelas travessias nessa região ficou responsável pelo nosso acesso, inclusive nos dando permissão para irmos sem ele, uma vez que ele conhece nossa histórico e portanto sabe que pode confiar. Mas é complicado tanto para quem vai, como para quem permite, pois se algo errado acontecer ( alguém morrer em uma queda, ficar preso em algum ponto - por ferimento, acidente com ofídios/javalis/búfalos, ou mesmo uma forte viração - acabar provocando um incêndio, deixar animais se desgarrarem por uma porteira esquecida aberta ) a incomodação está garantida.

Além disso, no nosso caso específico, por se tratar de um projeto oficial, temos de ter autorização de acesso, captura de imagens e uso delas, só por garantia. Então não é o caso de chegar lá e entrar, mesmo sem ninguém saber.

Optamos sempre por conseguir as autorizações antecipadamente, contactando os responsáveis via internet ou telefone, mas já aconteceu de irmos e acertarmos tudo na hora, pessoalmente.

No caso das áreas dos Parques, aí a burocracia é um pouco maior, mas sempre tivemos o apoio do pessoal do ICMBio.