Autor Tópico: Scannear negativo  (Lida 4256 vezes)

neocosmo

  • Trade Count: (10)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.055
    • http://neocosmo.deviantart.com/
Resposta #15 Online: 03 de Maio de 2007, 02:49:32
Citar
Legal, Renato.

Dei um tapinha rápido no Photoshop nas suas imagens e já mandei-as de volta, pra você ter uma idéia do que pode ser feito.

Abraço,

José Azevedo

Legal...!
Mas então, te mandei as fotos "cruas e nuas" do jeito que recebi do lab, para você ter uma idéia...

Todo o caso, valeu, vou lá dar uma conferida na sua arte...
hehehe, num sabia que vc dormia tarde (rs)

Grande abraço,

Renato
Renato Ventura - Mococa e Ribeirão Preto/SP[/size]
email: renatoventura@uol.com.br



Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.550
Resposta #16 Online: 08 de Maio de 2007, 16:47:27
Eu optei pelo scanner para ter controle total sobre a digitalização. Os operadores de minilabs são uns açougueiros (a grande maioria), sem falar que a maioria dos laboratórios entrega negativos cheios de arranhões. Para falar a verdade, não encontrei um lab onde eu não precisasse passar o Digital ICE (removedor de falhas) nos meus negativos. Alguns negativos vêm tão arranhados que a nitidez da foto fica bastante comprometida.

Estou começando a experimentar o P&B (comprando filmes rebobinados e mandando revelar). O custo de um TriX 400 + revelação do negativo sai por R$23,00. Como o digital ICE não funciona com filme P&B (exceto os feitos para processo C41, se não me engano), o laboratório é obrigado a fazer uma revelação decente para que o cliente não peça o dinheiro de volta.

Se tudo der certo, eu mesmo pretendo revelar meus filmes no futuro. Gosto bastante de fotos coloridas, mas a possibilidade de eu ter o controle total sobre o processo fotográfico me atrai.
« Última modificação: 08 de Maio de 2007, 16:47:58 por Francisco »
Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


Braga.SP

  • Trade Count: (14)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.858
  • Sexo: Masculino
Resposta #17 Online: 08 de Maio de 2007, 17:29:00
Citar
"Eu optei pelo scanner..."
Por onde andaste, caro amigo, Francisco? Você fez falta por aqui.
-22.352971,-48.775582


Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.550
Resposta #18 Online: 08 de Maio de 2007, 17:41:11
Olá, Braga, tudo bem?

De tempos em tempos, acabo me ausentando do fórum porque fico envolvido em outros projetos, como música e computação. É cíclico. Às vezes preciso sumir um pouco para ter novas idéias :P

Abraço.
Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


joseazevedo

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 588
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/jerazevedo/
Resposta #19 Online: 08 de Maio de 2007, 20:40:45
Citar
Como o digital ICE não funciona com filme P&B (exceto os feitos para processo C41, se não me engano).

Se tudo der certo, eu mesmo pretendo revelar meus filmes no futuro.
Oi Francisco,

realmente o ICE, oficialmente, não funciona em filmes à base de prata, só nos feitos com corantes. Entre os dois PBs do mercado, o da Kodak - 400CN - é muito bom, mas o da Ilford - XP2 - tem mais cara de PB, parece até que tem um grãozinho...

Como a latitude de exposição deles é igual a dos filmes a cores - enorme - você pode variar a ASA no meio do rolo. Recentemente, para testar uma câmera e uma lente recém compradas (mas antigas), aproveitei para fazer esse teste também. Variei a ASA de 200 a 600 e não é que funciona! E o filme era um Ilford XP2 que estava na geladeira há mais de 10 anos.

O da Kodak tem menos contraste, mais passagens de tom e é praticamente livre de grãos. Ex:

http://www.usefilm.com/image/758152.html

O XP2 tem mais contraste e e parece ter um grãozinho, que deve ser proposital mesmo. Ex:

http://www.usefilm.com/image/1301933.html
http://www.usefilm.com/image/443404.html

Como você tem scanner de filme, pode apenas revelá-lo e deixar para conferir as imagens em casa no scanner. Até porque, os minilabs geralmente tendem a puxar para alguma cor na ampliação, o que deixa as provas meio bizarras ou não, dependendo da sua sorte naquele dia. Hoje em dia eu só revelo, peço para nem cortarem o negativo.

Eu escaneio em RGB e depois transformo para PB no Photoshop usando o Channel Mixer. Ainda não ampliei nenhuma PB por isso não sei se é melhor enviar o arquivo em grayscale ou RGB mesmo.

Outro dia fui ao centro onde estão as lojas de fotografia aqui em São Paulo. Minha idéia era fazer um levantamento de preços do material para voltar a revelar meus filmes PB - tenho um monte na geladeira. Não está valendo muito a pena... A magnânima Kodak não está mais trazendo reveladores para um litro, apenas para 3,8 litros!! É só pra f.... acilitar a nossa vida mesmo. Tem que fazer 3,8 litros de uma vez, arrumar lugar pra estocar e rezar pra não estragar antes de revelar. Sacanagem. Parei para repensar isso...

Talvez seja melhor fotografar e guardar o filme na geladeira novamente e deixar para revelar um monte de baciada.

Abraços,

José Azevedo


Paulo Machado

  • Trade Count: (6)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.015
  • Sexo: Masculino
Resposta #20 Online: 08 de Maio de 2007, 20:54:24
Jóse Azevedo, gostei das fotos. Eu gosto destes filmes PB C41, especialmente o Kodak, que realmente vem do lab com pouco contraste, mas com a digitalização fica fácil mudar no PS. E já imprimi em 30x40cm em excelente qualidade sem aqueles desvios de cor.
Acho que além do grão muito fino o Kodak tem uma defenição muito boa, melhor do que negativo. Só tem 1 problema. É caro e raro.
When words become unclear, I shall focus with photographs. When images become inadequate, I shall be content with silent.  - Ansel Adams


joseazevedo

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 588
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/jerazevedo/
Resposta #21 Online: 08 de Maio de 2007, 21:35:48
Oi Paulo,

obrigado. Acho que até pela facilidade que eles representam cada vez usarei mais eles do que os de prata. Bom saber que ele aguenta bem ampliações. Esse arquivo que você ampliou era RGB ou grayscale?

Morei no Rio até 1980. Na época, era mais fácil achar material fotográfico aí do que aqui em São Paulo. Infelizmente o Rio se esvaziou muito em relação a fotografia. As últimas vezes que fui aí foi realmente difícil achar até cromo. Aqui é mais fácil. Se você precisar de alguma coisa muito específica e eu puder ajudar, fique à vontade para pedir auxílio.

Abraço,

José Azevedo


Paulo Machado

  • Trade Count: (6)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.015
  • Sexo: Masculino
Resposta #22 Online: 09 de Maio de 2007, 08:46:24
José Azevedo, se eu não me engano converti para grayscale antes de mandar ampliar. Fiz na Fotolab pela internet.

 
When words become unclear, I shall focus with photographs. When images become inadequate, I shall be content with silent.  - Ansel Adams