Autor Tópico: [ARTIGO] Filme X Digital - Uma Resposta Definitiva?  (Lida 41583 vezes)

TheRipper

  • Trade Count: (7)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 862
    • http://
Resposta #75 Online: 05 de Setembro de 2006, 12:01:23
Citar
Acho que realmente a única coisa que importa em relação ao filme é saber se ele vai continuar sendo acessível, principalmente em termos de acesso mesmo, de ser fácil de achar. Menos importante do que isso, um pouco, é a questão do preço.

Se um determinado fotógrafo usa filme para conseguir determinados resultados de maneira consistente, ele só deixará de usá-lo por dois motivos possíveis, até onde vejo:
1. O desaparecimento completo do filme no mercado.
2. A elevação dos preços de filme para níveis absolutamente proibitivos.

Não acontecendo nenhum dos dois, acredito que o filme terá longa vida.

Abraços!

 -- thiago
Concordo. Tenho um amigo que fotografa social há décadas com velhas câmeras mecânicas, e faz um trabalho excelente. Ele só pensa em trocar de equipamento por força do mercado, e exigência de alguns clientes ignorantes que querem digital, sem nem saber o que é isso.  
Fábio Garcia - Rio de Janeiro

Flickr


TheRipper

  • Trade Count: (7)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 862
    • http://
Resposta #76 Online: 05 de Setembro de 2006, 12:13:29
Citar
Imaginem só uma gravadora que ainda entregasse seus trabalhos em Fita K7. ;)
Hehehehe K7 é sacanagem, mas já ouviu falar em fita DAT? Isso sim, chuta o CD.

Agora, melhor que uma gravação de um ProTools HD em 192Khz 24 bits, acho que não existe :)


Voltando ao assunto do tópico:
Acho a imagem de filme mais bonita, mas é impossível não se render ao digital.  
Fábio Garcia - Rio de Janeiro

Flickr


Caetano Vidal

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 7
Resposta #77 Online: 14 de Outubro de 2006, 12:49:28
Citar
Citar
Imaginem só uma gravadora que ainda entregasse seus trabalhos em Fita K7. ;)
Hehehehe K7 é sacanagem, mas já ouviu falar em fita DAT? Isso sim, chuta o CD.

Agora, melhor que uma gravação de um ProTools HD em 192Khz 24 bits, acho que não existe :)


Voltando ao assunto do tópico:
Acho a imagem de filme mais bonita, mas é impossível não se render ao digital.
Mas que fique claro que o DAT (Digital Audio Tape) é só uma midia de armazenamento, e esse armazenamento é digital.
A vantagem do DAT é que tem muito espaço então pode guardar informação digital com grande "refreshrate" e definição.
O DAT é muito usado para backup e só, pq tem muito espaço, mas não tem acesso randomico, então não é nada pratico.

E como o que é gravado em DAT é informação digital, isso pode ser colocado em qualquer midia, vai depender apenas do espaço disponivel. Nada que um DVD  ou a memoria flash de um MPtreco da vida não resolva.

O problema do CD é que esta limitado ao sistema de leitura/reprodução dos aparelhos de som, que só reproduzem 44.1KHz a 16bits, ai em alguns casos muito extremos pode ser que um vinil tenha uma ligeira, mas muito pequena, vantagem.
Mas se vc for comparar um aquivo a 96KHz 24bits pode esquecer, não tem o que comparar.
Um sistema desses pode reproduzir com perfeição toda a faixa dinamica de qualquer midia analogica, o contrario não é verdadeiro.

Isso tecnicamente, gosto é gosto... tem gente que adora os estalo e do vinil e a compressão da faixa dinamica de altas frequencias de uma fita magnetica.
Mas isso é gosto. A questão é que tudo isso pode ser reptoduzido num bom sistema digital, mas um bom sistema analogico não consegue reproduzir um som completamente limpo como é possivel no digital.
Acho que a discussão da fotografia digital x filme é bastante analoga a essa discussão que também é uma digital X analogico.

[]s
« Última modificação: 14 de Outubro de 2006, 12:51:07 por Caetano Vidal »


Pablo Albino

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 531
  • Sexo: Masculino
Resposta #78 Online: 14 de Novembro de 2006, 14:57:27
Trazendo à tona.

Aqui um link da Arizona Highways Magazine justificando o fato de n aceitar, p/ publicação, fotos digitais. Eles argumentam:

"11-megapixel capture is not nearly large enough for the sharp, high-resolution full-page reproductions we strive for on the printed pages of Arizona Highways magazine at 300 dots per inch".

 :denken:
http://www.arizonahighways.com/page.cfm?na..._Talk803&page=1
« Última modificação: 14 de Novembro de 2006, 14:58:28 por mac-lister »
Rio do Sul - SC


Blog


Lucas Eduardo

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 272
    • http://
Resposta #79 Online: 14 de Novembro de 2006, 18:21:09
pura frescura...

a qualidade de impressão em revista não é tão boa quanto a qualidade de uma foto impressa num papel de filme...
é a mesma coisa no jornal... me pergunto o motivo de 16mp de resolução para imprimir uma foto de meio palmo em papel de jornal(que a impressão fica um lixo)...

fanatismo e purismo são complicados...
 
Sul Foto Clube


Caetano Vidal

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 7
Resposta #80 Online: 21 de Novembro de 2006, 11:48:10
Fora que eles estão comparando com cameras de outros formatos...  


Francis Sato

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 64
Resposta #81 Online: 21 de Novembro de 2006, 20:41:48
Citar
Citar
Acho que realmente a única coisa que importa em relação ao filme é saber se ele vai continuar sendo acessível, principalmente em termos de acesso mesmo, de ser fácil de achar. Menos importante do que isso, um pouco, é a questão do preço.

Se um determinado fotógrafo usa filme para conseguir determinados resultados de maneira consistente, ele só deixará de usá-lo por dois motivos possíveis, até onde vejo:
1. O desaparecimento completo do filme no mercado.
2. A elevação dos preços de filme para níveis absolutamente proibitivos.

Não acontecendo nenhum dos dois, acredito que o filme terá longa vida.

Abraços!

 -- thiago
Concordo. Tenho um amigo que fotografa social há décadas com velhas câmeras mecânicas, e faz um trabalho excelente. Ele só pensa em trocar de equipamento por força do mercado, e exigência de alguns clientes ignorantes que querem digital, sem nem saber o que é isso.
Concordo plenamente!
Francis Keniti Sato

São Gotardo/Patos de Minas


Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.550
Resposta #82 Online: 10 de Janeiro de 2007, 17:35:04
O mundo analógico, tanto no áudio quanto na imagem, eu arrisco dizer que é incomparável ao mundo digital.

Por exemplo, até hoje, equipamentos de áudio a válvula são usados pelas grandes estrelas do rock, blues, jazz, etc. Certamente não é porque as válvulas proporcionam um som mais bem definido do que o digital/transistor, mas sim porque produzem um som orgânico, com personalidade.

No filme é a mesma coisa. Fotografe com uma DSLR de 6MP e uma objetiva top à luz do sol. Faça o mesmo com filme 35mm. Faça ampliações em diversos tamanhos.

Em 10x15, a ampliação da foto digital mostrará uma imagem estéril, praticamente livre de ruído e com uma nitidez incrível. A ampliação do filme 10x15 do filme 35mm, por outro lado, pode apresentar sinais de granulação, dependendo das condições da revelação.

A seguir faça uma ampliação de 1m por 60cm com filme e com foto digital. Isso é simplesmente impraticável com o digital. O fotógrafo vai, necessariamente, ter que ficar aplicando técnicas de interpolação para buscar uma imagem mais "orgânica", ainda que pouco nítida, usando vários passos de bicubic e adicionando noise, por exemplo.

Com o filme, este aspecto é natural. A distribuição dos grãos naturalmente produzirá uma imagem pouco nítida, mas ainda assim "orgânica" e bem tolerada aos nossos olhos. O mesmo ocorreria para ampliações de uns 5 metros usando uma câmera de 15MP.

Enfim, o mundo digital high-end já possui mais fidelidade do que o analógico, mas nunca vai conseguir resultados orgânicos sem muito trabalho de edição. Por outro lado, o analógico não consegue resultados extremamente nítidos que o digital tem alcançado. Portanto, são linguagens diferentes e não deveriam estar disputando um único espaço, mas sim conviver lado a lado. Isto é o que eu gostaria que acontecesse, mas a exemplo do áudio, equipamentos valvulados hoje em dia são caríssimos e a grande maioria dos amadores e profissionais não tem acesso a este tipo de equipamento.
« Última modificação: 10 de Janeiro de 2007, 17:35:32 por Francisco »
Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


RFP

  • Colunista
  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • *****
  • Mensagens: 692
  • Sexo: Masculino
Resposta #83 Online: 10 de Janeiro de 2007, 18:14:12
Francisco, gostei muito do seu ponto. Acho que a questão é justamente essa. Nas comparações que suam gráficos e testes não entra essa questão da percepção, da nossa visão subjetiva e particular.
Ausente permanentemente


pauloh

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 211
  • Sexo: Masculino
Resposta #84 Online: 01 de Agosto de 2007, 00:56:52
Realmente eu não acredito que a resolução equivalente do filme seja inferior a uma câmera digital de 6MP. A pouco tempo eu soube de um estudo da Kodak que estimou a resolução equivalente de um cromo 35mm (36x24mm) em 36MP. Recentemente encontrei um site de fotografia que mostra vários filmes escaneados a 4000dpi, entre cromos e negativos. A definição da imagem é impressionante.Me surpreendi mais ainda quando vi um site comparando a definição do Velvia escaneado a 4000dpi e o mesmo detalhe da imagem vista por microscópio. A definição no microscópio é ainda maior, provando que 4000dpi ainda é pouco para se captar toda definição que o filme oferece. Veja a nitidez e a pouca granulação do Provia 100FVeja o filme Fuji PRO 160S escaneadoVeja detalhes do Velvia visto por microscópio


Leo Terra

  • SysOp
  • Trade Count: (27)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 13.766
  • Sexo: Masculino
  • “Deus disse: 'Haja luz'. E houve luz.” (Gen 1,3)
    • http://www.leoterra.com.br
Resposta #85 Online: 01 de Agosto de 2007, 08:55:03
Paulo acabei de ver os links não há absolutamente nada de especial neles além do tamanho da imagem, lamento mas lá não há nada de resolução que possa definir ele, na verdade se você ampliar a foto da Coolpix 5000 logo ao lado e aumentar o contraste (como ocorre no vélvia) verá que a diferença de resolução (os detalhes que são capturados) é de fato muito pequena e olha que estamos falando de uma compacta de 5MP de tecnologia muito antiga e lentes que podem não chegar nem aos pés das que foram usadas nos testes dos cromos. Na boa esse teste que você mostrou só indica que o resultado é muito parecido com o que obtive aqui. ;)
Leo Terra

CURSOS DE FOTOGRAFIA: www.teiadoconhecimento.com



ATENÇÃO: NÃO RESPONDO DÚVIDAS EM PRIVATIVO. USEM O ESPAÇO PÚBLICO PARA TAL.
PARA DÚVIDAS SOBRE O FÓRUM LEIA O FAQ.


Heber_Dm

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 660
  • Sexo: Masculino
Resposta #86 Online: 06 de Agosto de 2007, 18:44:26
Léo, ontem “perdi” um tempão lendo todo o tópico (que acabou de fazer seu 2º aniversário), pois ainda estou procurando uma resposta para esta questão. Muita coisa mudou nestes dois anos, e ainda não encontrei essa resposta, mesmo com a sua voluntariosa ajuda. Quando terminei de ler seu comparativo (e antes de ler todo o resto), confesso que fiquei surpreso, pois achei os resultados com a mídia digital superiores. Antes de continuar lendo, porém, me chamou a atenção o fato de você ter utilizado filme positivo, ao invés de negativo. Aí, por curiosidade, apanhei algumas fotos copiadas de negativos coloridos, tamanho 10x15, feitas por mim recentemente com filme ISO 100 (Fujicolor Quality II) e, analisando tudo, em minha opinião as minhas fotos seriam superiores em todos os quesitos, comparadas às que estão no seu teste, apesar do filme “pé-de-boi”.

Bem, antes que você ou mais alguém diga que essa comparação que fiz é “tosca”, eu mesmo digo, é tosca mesmo... Mas ela serve pra se questionar, pelo menos, sobre qual o melhor modo de se comparar as duas mídias. Eu li as várias opiniões a respeito no decorrer do tópico e, deixando de lado algumas apaixonadas (que não têm nenhuma serventia), considerei diversas delas como válidas. Pois eu concordo que o simples fato de se transferir a captura em filme (seja negativo, positivo ou em papel) para digital gera perdas já a partir do escaneamento. Eu mesmo tenho algumas boas fotos que digitalizei e que não ficaram tão agradáveis de se ver no monitor quanto o são no papel.

Concluí, então, que a melhor maneira de se comparar as duas mídias é realmente através da impressão. Ali, uma ao lado da outra, no maior tamanho possível que cada uma permite. Com isso, cada uma permaneceria em “sua praia” até a realização do produto final que, em princípio, é o destino das duas. Digo em princípio porque, com a facilidade que se tem na visualização da mídia digital diretamente no computador, a grande maioria das fotos obtidas com câmeras digitais nunca é impressa (considerando-se também que boa parte dessas fotos é feita com objetivo puramente digital, como são as destinadas a trabalhos que nunca sairão do computador, por ex. sites da Internet, etc.).

Já com o filme não tem jeito, ou você imprime ou projeta. E, como penso, fazer o filme cumprir uma escala no computador antes de ser impresso é concorrer para sua perda de qualidade. Para ampliações menores, tudo bem, acho que vale uma passagem pelo PS para dar uma melhorada geral, e o resultado até uns 24x30 (talvez) serão ainda aceitáveis. Maiores do que isso, penso que já não ficaria bom. Mas, para saber mesmo, só fazendo testes, imprimindo cada uma diretamente, ou seja, filme ==> papel, "zeros" e "uns" ==> papel.

A propósito, no início do tópico você disse que iria fazer um comparativo digital x negativo, depois não falou mais no assunto...

Abraços,
Heber.


 
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°
Heber DM - Lavras-MG
Pentax System - Canon PowerShot G6
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°

"Jovem é todo aquele que tem compromisso com o futuro" - Tristão de Ataíde


Leo Terra

  • SysOp
  • Trade Count: (27)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 13.766
  • Sexo: Masculino
  • “Deus disse: 'Haja luz'. E houve luz.” (Gen 1,3)
    • http://www.leoterra.com.br
Resposta #87 Online: 06 de Agosto de 2007, 19:08:23
Heber esse teste foi uma preliminar, na verdade o objetivo dele era levantar uma metodologia que permitisse uma avaliação dos conceitos isolados, isso é um procedimento comum em termos de metodologia, em muitos casos é necessário testar a metodologia para levantar pontos falhos e planejar novos testes, depois desse procedimento e de um tempo para cá eu cheguei a conclusão de que o melhor procedimento seria fotografar com o filme e o digital com a mesma lente e ampliar o filme em processo convencional e o digital em processo digital de alta resolução (fazendo com que não hava digitalização no filme) em seguida seria feita a digitalização tanto da ampliação digital como da de filme, fazendo com que ambos os formatos sofressem exatamente o mesmo processo, ampliação e digitalização. A partir dessa digitalização seriam rodados os testes de resolução para tirar a teima de qual teria o melhor desempenho no MTF.
A escolha do cromo para o teste foi porque o desempenho do cromo em termos de nitidez é bem maior do que o do negativo (que possui melhor performance em termos de latitude). Não fiz o teste até hoje porque não estou com uma câmera Nikon de filme para proceder o teste nas mesma condições e com a mesma lente. :/
Leo Terra

CURSOS DE FOTOGRAFIA: www.teiadoconhecimento.com



ATENÇÃO: NÃO RESPONDO DÚVIDAS EM PRIVATIVO. USEM O ESPAÇO PÚBLICO PARA TAL.
PARA DÚVIDAS SOBRE O FÓRUM LEIA O FAQ.


Heber_Dm

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 660
  • Sexo: Masculino
Resposta #88 Online: 06 de Agosto de 2007, 20:20:52
Léo, achei excelente essa proposição, pode resultar numa comparação bem mais plausível e confiável.

Particularmente, eu prefiro fotografar em filme, mas me pergunto às vezes se isso não se deve ao saudosismo. Como tudo na vida, tendemos a associar coisas à momentos felizes, e eu vivi muitos momentos felizes quando, ao comprar minha primeira SLR (a ME Super que tenho até hoje), batia no mínimo 1 rolo de filme por semana. Isso mesmo, por semana. E acho que deve ser asim com relação à outros saudosismos, como acontece com o vinil, por ex. Inconscientemente criamos uma "aura" em torno do que gostamos, e isso nos induz a interpretar como ruim qualquer coisa que ameace sua supremacia.

Entretanto, fotografo muito mais, hoje em dia, com equipamento digital. E compartilho da opinião de que o filme cederá mais e mais do pouco espaço que ainda lhe resta para o digital, que a cada dia evolui, como quase tudo nesse mundo. O que todo mundo DEVERIA compreender e aceitar é que isso é inevitável. Ou se pula dentro do barco ou se continua nadando, correndo o risco de se afogar...

Espero apenas que o filme não deixe de existir, pois vou querer continuar fotografando com eles enquanto puder!

Quanto ao novo teste, acho que alguém lhe deve uma visitinha desde 08 de agosto de 2006...!

 
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°
Heber DM - Lavras-MG
Pentax System - Canon PowerShot G6
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°

"Jovem é todo aquele que tem compromisso com o futuro" - Tristão de Ataíde


musashi

  • Trade Count: (1)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 94
  • Sexo: Masculino
  • ...algumas de minhas obras...
Resposta #89 Online: 07 de Agosto de 2007, 00:43:15
:denken: Leo Terra, o que vc me diz do artigo publicado pelo site ingles "800 pixels" - de Manchester - feito por engenheiros no qual eles demonstram, de forma técnicamente impecável e objetiva, que a imagem de uma câmera digital para equivaler à uma de 35mm deveria ter 25 megapixels? Neste mesmo artigo [que qualquer um pode acessar pela internet] eles afirmam que a mesma imagem digital para equivaler à uma de formato médio (6x4,5-6x7 ou 6x6) deveria ter 50 mp e à uma de grande formato (4x5-8x10) deveria ter 100mp..! Indico a todos uma visita/consulta a esse site para futura, senão imediata, reflexão...