Autor Tópico: [ARTIGO] Olympus OM-1 : A lendária japonesa  (Lida 39498 vezes)

GutoVilaça

  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
Online: 05 de Agosto de 2009, 22:18:37


A Olympus OM-1 estabeleceu novos padrões para a indústria das câmeras SLRs na época em que foi lançada (1972-1973) e até hoje é considerada uma jóia rara entre os colecionadores e entusiastas das analógicas. Muitos afirmam que é a SLR mecânica com o melhor desempenho já criada e foi através dela que a empresa Olympus Optical Co. ganhou respeito ao lado das grandes marcas japonesas. Por trás deste sucesso existe um nome: Yoshihisa Maitani. Maitani, ainda jovem, foi um habilidoso fotógrafo de certo destaque. Chegou a ganhar alguns prêmios por conta de suas fotografias. Formou-se em engenharia mecânica e entrou para a Olympus para trabalhar como engenheiro designer. Seu primeiro grande projeto foi a Olympus Pen. Esta "pequena" câmera foi um sucesso de vendas na época.



Em meados da década de sessenta, Maitani aceitou o desafio de projetar uma SLR que fosse totalmente inovadora. Desejava criar uma câmera de qualidade e que tivesse portabilidade. Imaginou uma câmera que tivesse o conceito de uma rangefinder no corpo de uma SLR 35mm. Ele não aceitava a idéia de criar mais uma SLR grande, pesada e barulhenta. Queria criar uma câmera versátil que somado a um conjunto de boas lentes e acessórios pudesse ser usada desde a fotografia microscópica até a fotografia astronômica.



Seguindo essa linha de pensamento, Maitani decidiu que iria projetar uma SLR de tamanho reduzido como a Leica IIIf. Queria um obturador preciso como o de uma Leica série M. O movimento do espelho teria que ser o mais silencioso possível. A rangefinder da alemã Leica sempre foi uma "câmera referência" para o Sr. Maitani.



O desenvolvimento da Olympus OM-1 foi proposto em janeiro de 1967 e aprovado um ano depois. Maitani pediu cinco anos para conceber o sistema OM. Muitos acreditavam que seria impossível criar uma SLR menor e funcional mas Maitani e sua equipe decidiram começar do zero, deixando de lado o conceito pré-estabelecido na construção de uma câmera. Reprojetou cada elemento estrutural da OM-1 separadamente, criando uma SLR inovadora. Para tanto, usou avançados conceitos de engenharia.



O ponto de partida foi utilizar melhor o aproveitamento do espaço físico no corpo da câmera, reduzindo assim o seu tamanho. Tudo foi pensado minuciosamente. Para resolver a questão da ergonomia, utilizaram dados obtidos através da medição do tamanho de milhares de mãos em todo o mundo.

Mesmo sendo uma SLR mais compacta, a OM-1 foi projetada para ser durável (coisa rara hoje em dia) e bastante resistente ao desgaste natural. A meta era criar um obturador três vezes mais resistente que as outras SLRs japonesas da época e isto foi feito. Foram usados tratamentos térmicos dos metais empregados na fabricação do corpo e de todas as peças. Os parafusos usados também foram estudados detalhadamente e contribuíram com a redução do peso. A precisão mecânica foi um cuidado especial que tiveram na sua fabricação. Até o sistema de lubrificação foi diferenciado. Utilizaram alternativas ao óleo de lubrificante da graxa que era normalmente usado. Maitani estudou e analisou todas as causas possíveis dos ruídos excessivos numa câmera SLR e reduziu ou eliminou um por um.



Finalmente, em 1972, a Olympus OM-1 (primeiramente denominada M-1) foi lançada durante a Photokina. Em 1973, começou a ser comercializada. Com sua tecnologia inovadora, o sistema ganhou respeito rapidamente e também despertou certa rivalidade entre os fabricantes. A própria Leitz (Leica) protestou, alegando que já utilizava a letra M em suas máquinas. Para evitar possíveis conflitos, a Olympus mudou o nome da sua SLR para OM-1. Poucas unidades com o antigo nome foram fabricadas e hoje são peças valiosas, cobiçadas entre os colecionadores.

Maitani também fez questão de usar lentes de qualidade no seu equipamento. Segundo ele, de nada adiantava uma máquina inovadora sem uma ótica à altura. Para compor o conjunto, o sistema OM foi equipado com as lentes Zuiko que tem uma ótica primorosa. Maitani queria lentes na sua OM-1 nos mesmos padrões de qualidade da Zeiss e da Leitz.

Mais de trinta anos se passaram e a Olympus OM-1 ainda mantém admiradores no mundo todo (eu, inclusive...rs). O Sr. Maitani tornou-se um dos nomes mais respeitados na sua área e sua obra-prima ainda consegue manter o título de uma das câmeras fotográficas mais bonitas e eficientes já construídas até hoje.

Texto: Guto Vilaça

Esse texto está no meu Blog. Por falta de tempo não coloquei nada interessante nele esse ano ainda mas vou atualizá-lo assim que for possível.
De qualquer forma fica o endereço: http://muralfotografico.blogspot.com/

Tenho dois corpos da Olympus OM-1 e um set legal de lentes. Das lentes que tenho, as que mais curto são a Zuiko 28mm f/2.8 e Zuiko 50mm f/1.4 por serem bem claras e entregarem imagens cortantes (nítidas) e bem contrastadas.









Para quem gosta de Olympus:

Manual da Oly OM-1: http://www.mir.com.my/rb/photography/hardwares/classics/olympusom1n2/om1/om1manual/index.htm

Papeis de parede: http://www.olympus.co.jp/jp/fun/wallpaper/camera/

Para quem não tem uma OM-1, pode montar a sua (de papel): http://www.olympus-global.com/en/fun/wallpaper/camera/index.cfm?t=pc

Mais sobre Maitani: http://www.geocities.com/maitani_fan/home.html

 :ok: :ok: :ok:




« Última modificação: 27 de Fevereiro de 2011, 16:10:11 por pedro_raythz »
VAMOS ESTUDAR MAIS FOTOGRAFIA ANTES DE CRITICAR UMA FOTO ALHEIA. VAMOS CRITICAR SE O AUTOR PEDIR. SE VAMOS CRITICAR E COMENTAR, VAMOS FAZER COM SABEDORIA, COM EMBASAMENTO E DE MODO QUE SEJA ALGO CONSTRUTIVO. NÃO APELE SE O AUTOR DAS FOTOS REBATER ÀS CRÍTICAS AFINAL ISSO É DIREITO DELE. VAMOS DÁ BONS EXEMPLOS COM NOSSAS FOTOS POIS SÓ FICAR CRITICANDO FOTOS DOS OUTROS NÃO FAZ DA GENTE UM BOM FOTÓGRAFO.  VAMOS FOTOGRAFAR MAIS E CORNETAR MENOS!!!


marcospr

  • Trade Count: (1)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 180
  • Sexo: Masculino
Resposta #1 Online: 05 de Agosto de 2009, 23:37:01
Bom demais o texto! A máquina também, claro.


albertgr

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.038
    • http://www.flickr.com/photos/alberto_gr
Resposta #2 Online: 06 de Agosto de 2009, 00:06:23
Uau, belo texto Guto! :ok:
Me deixou caidinho pela OM1! Até procurei umas no Ebay, quem sabe... :ponder: :ponder:
Abraços, e parabéns peo texto! Show!
Alberto
"Film is not dead, it just smells funny."



Rostev

  • Trade Count: (13)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 166
  • Sexo: Masculino
    • Rostev.com
Resposta #3 Online: 06 de Agosto de 2009, 10:13:31
Um texto muito bacana.
Gosto demais de ler histórias das câmeras que revolucionaram o mundo.
Essa OM-1 é uma maravilha. Forte, resistente, pegada incrível e o sistema de lentes Zuiko sempre foi muito elogiado.

Como nem tudo nessa vida pode ser perfeito, o maior problema das OM-1 é em relação as baterias de mercúrio para alimentação do fotômetro. São bem difíceis de achar e quando não se consegue, precisa fazer adaptações (1,35 para 1,5) e ainda compensações de pelo menos 1 ponto a mais na exposição por conta desta variação.
[rostev.com] • [blog] • [35mm] • [flickr] • [twitter]


Elmo

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.458
Resposta #4 Online: 06 de Agosto de 2009, 10:21:00
Muito bom,Guto.

Acaso essa paixão sua com a OM-1 começou aqui em casa? Se for quero ser o padrinho.  :ok:


GutoVilaça

  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
Resposta #5 Online: 06 de Agosto de 2009, 13:08:54
Valeu, pessoal. Pesquisei muita coisa na net e em revistas sobre essa belezinha e resolvi escrever um resumão da história da OM-1 e compartilhar.

Um texto muito bacana.
Gosto demais de ler histórias das câmeras que revolucionaram o mundo.
Essa OM-1 é uma maravilha. Forte, resistente, pegada incrível e o sistema de lentes Zuiko sempre foi muito elogiado.

Como nem tudo nessa vida pode ser perfeito, o maior problema das OM-1 é em relação as baterias de mercúrio para alimentação do fotômetro. São bem difíceis de achar e quando não se consegue, precisa fazer adaptações (1,35 para 1,5) e ainda compensações de pelo menos 1 ponto a mais na exposição por conta desta variação.
O problema da bateria não é exclusividade da OM-1. Quase todas as máquinas dá década de 60 e 70 usavam essas baterias de mercúrio para alimentar seus fotômetros. Fazer o que.
Mas isso não é problema.

Uau, belo texto Guto! :ok:
Me deixou caidinho pela OM1! Até procurei umas no Ebay, quem sabe... :ponder: :ponder:
Abraços, e parabéns peo texto! Show!
Alberto
Não vai se arrepender. É uma bela câmera analógica.

Muito bom,Guto. Acaso essa paixão sua com a OM-1 começou aqui em casa? Se for quero ser o padrinho.  :ok:
Quando bateu aquela vontade de fotografar com filmes, eu queria uma Canonet. Entrei em contato com o Severo e como ele não tinha nenhuma disponível, enviou-me a Oly OM-1 para eu dá uma olhada. A câmera foi para a casa do Elmo e fui buscá-la. Acabei que fiquei com ela e uma outra da Canon (Canon FX).
De lá pra cá, não largo ela pra nada. Comprei até um outro corpo bem novinho e montei um set de lentes para equipá-la.
Sim, Elmo. Virou paixão e você é o padrinho...hehehe.
Aliás, o Elmo é um dos grandes incentivadores. Gosto muito de conversar com ele sobre fotografia analógica. Sempre que vou na casa desse cara, fico conhecendo um pouco mais de fotografia. Muitas câmeras para mostrar e idéias para trocar.
 :ok:





« Última modificação: 06 de Agosto de 2009, 13:13:58 por GutoVilaça »
VAMOS ESTUDAR MAIS FOTOGRAFIA ANTES DE CRITICAR UMA FOTO ALHEIA. VAMOS CRITICAR SE O AUTOR PEDIR. SE VAMOS CRITICAR E COMENTAR, VAMOS FAZER COM SABEDORIA, COM EMBASAMENTO E DE MODO QUE SEJA ALGO CONSTRUTIVO. NÃO APELE SE O AUTOR DAS FOTOS REBATER ÀS CRÍTICAS AFINAL ISSO É DIREITO DELE. VAMOS DÁ BONS EXEMPLOS COM NOSSAS FOTOS POIS SÓ FICAR CRITICANDO FOTOS DOS OUTROS NÃO FAZ DA GENTE UM BOM FOTÓGRAFO.  VAMOS FOTOGRAFAR MAIS E CORNETAR MENOS!!!


Rostev

  • Trade Count: (13)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 166
  • Sexo: Masculino
    • Rostev.com
Resposta #6 Online: 06 de Agosto de 2009, 15:33:52
GutoVilaça,
Eu sei que esse lance das baterias de mercúrio não são uma exclusividade da Olympus.
Agora se não dá mais para encontrar essas baterias para comprar, é necessário adaptações ou compensações para fazer o fotômetro operar bem; e isso é sim um problema.

Dá pra fotografar com ela adaptada?
Dá, mas não é como colocar uma bateria de mercúrio e sair nos clicks.

Sem querer comparar câmeras (afinal a OM-1 é um espetáculo), as Nikons da serie FM são de tirar o chapéu. Sempre usaram duas pilhas pastilhas de óxido de prata (1,5v cada). Essas baterias são encontradas em qualquer relojoeiro ou camelô, a preço de banana (ou melhor, mais barato que banana.. eheheheh). :ok:


Detalhe: No ebay ainda encontram-se destas baterias da OM-1 para vender.
Sai barato e compensa já mandar trazer um monte. ;)
[rostev.com] • [blog] • [35mm] • [flickr] • [twitter]