Autor Tópico: Flash em modo manual - como calcular??  (Lida 9376 vezes)

nandoespinosa

  • Solidário
  • Trade Count: (3)
  • Colaborador(a)
  • *
  • Mensagens: 2.585
  • Sexo: Masculino
    • Nando Espinosa Fotografia
Resposta #30 Online: 23 de Fevereiro de 2019, 14:02:44


cheferson

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.137
  • Sexo: Masculino
  • Uma Fotografia é o Registro Exato da História!
    • Curso Completo de Fotografias para Retratos, Viagens e Paisagens
Resposta #31 Online: 23 de Fevereiro de 2019, 22:40:21
kkkkkkkkkkkk escavação kkkkk

Sobre o flash em manual; eu o uso apenas como luz de preenchimento. Então eu faço o teste mesmo, um teste rápido com o-a modelo. Começo com potência 1-32 e se ficar muito forte, eu diminuo a potência, se ficar fraco, aumento a potência pra 1-16. Deixo sempre o flash a uma distância entre 1 a 2 metros do modelo. Meus acertos são na faixa de 90%. Mas num evento dai você precisará de mais treino, terá que tirar fotos em RAW e treinar bastante , mas eu penso que vale a pena fazer o mesmo, o assistente no máximo a 2 metros, entre 1 a 2 metros  e vai regulando a potência na mão, conforme vai mudando a iluminação, ou seja, aumenta um pouco a potência se o local escurecer e diminui se o local tiver mais luz.


Lúzio

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.783
Resposta #32 Online: 24 de Fevereiro de 2019, 09:02:46
Na época do filme, os flashes manuais vinham com uma tabela estampada com distância e iso e indicavam a abertura q deveria ser usada. Consultava rapidamente e conseguia bons resultados. Tinha também na cabeça, minha cabeça, a continha mais ou menos decorada q acabei abandonando..kkk Hoje faço como o colega acima e rapidamente vc pega o jeito e já começa ajustar por estimativa no automático. Variações de até um ponto nas cans atuais e fotografando em RAW vc tira de letra no pós. De qualquer forma raramente erro mais q um 1/3. Quando fico muito tempo sem fotografar e começo perder este automatismo cerebral/muscular, basta um curto período de tempo para me acertar, isso em eventos. Se for book , fica mamão com açúcar, pois faz uma foto de teste, avalua via tela ou histograma e faz a correção. Existe um medo cim relação ao uso do flash q julgo exagerado. Percebi q a grande maioria quer uma receita d bolo para decorar e não quer tentar raciocinar para entender o principio, fácil, da coisa. Entendendo a logica, vc faz tudo, desde eventos sociais e Books com tranquilidade. Até os erros podem levar a resultados artísticos interessantes e vc acaba descobrindo coisas legais q vão sendo armazenadas na caixola cerebral... Bem, para mim sempre foi relativamente muito fácil, descobri o basico com leituras também basicas e o resto foi só raciocinar e testar...O resto é criatividade...
« Última modificação: 24 de Fevereiro de 2019, 09:04:35 por Lúzio »
Lentes caras + câmeras caras + falta de talento é igual muito dinheiro jogado fora para mostrar status.


nandoespinosa

  • Solidário
  • Trade Count: (3)
  • Colaborador(a)
  • *
  • Mensagens: 2.585
  • Sexo: Masculino
    • Nando Espinosa Fotografia
Resposta #33 Online: 25 de Fevereiro de 2019, 09:55:08
Tem a regra do inverso quadrado.. Alguém aí usa?


Marcelo Sakamoto

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 121
  • Sexo: Masculino
Resposta #34 Online: 25 de Fevereiro de 2019, 23:55:49
O cálculo é feito baseado no número guia do flash e a distância, para conseguir a abertura, em uma tabela que cruzava a distancia e o ISO (ASA...kkkkkkkk).

Lembro-me dos fotografos que usavam aquele flash FRATA, com a tocha na mão e a bateria em uma bolsinha que carregavam do lado, medindo os passos.

Os flashs um pouco mais avançados tinham um modo de exposição automatico: escolhia-se uma abertura e o flash quantificava automaticamente a luz que retornava ao foto-sensor.

Ainda tenho um METZ de punho, com foto-celula, que uso ocasionalmente com minhas cameras de filme e com a Leica, em modo automático.


lopescardoso

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 713
Resposta #35 Online: 26 de Fevereiro de 2019, 08:00:56
Tem a regra do inverso quadrado.. Alguém aí usa?

Explica aí!


lasg

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 445
Resposta #36 Online: 26 de Fevereiro de 2019, 08:45:40
A lei do inverso do quadrado da distância é uma regra usada em iluminação, para determinar a intensidade com que uma fonte de luz ilumina um objeto, dependendo da distância em que se encontra este objeto com relação à fonte de luz.
Basicamente, esta lei diz que "a luz diminui sua intensidade na proporção inversa do quadrado da distância percorrida".
Essa é a teoria. Na prática isso significa que quanto mais perto está um objeto da fonte de luz, mais ele é iluminado.
A lei quantifica esta iluminação.
Por exemplo:
- um objeto que está localizado a 2 m de uma fonte de luz, recebe uma iluminação que corresponde a 1/(2x2) = 1/4 = 0,25 ou seja um quarto da iluminação que receberia se estivesse localizado a  apenas 1 m da fonte de luz
Outro exemplo:
- um objeto que está localizado a 3 m de uma fonte de luz, recebe uma iluminação que corresponde a 1/(3x3) = 1/9 = 0,11 ou seja só um pouco mais de um décimo da iluminação que receberia se estivesse localizado a  apenas 1 m da fonte de luz
E por aí vai...
A lei é utilizada para fazer a compensação da exposição quando variamos a distância entre o objeto e a fonte de luz (um flash, por exemplo).
Se escrevi alguma besteira, por favor, me corrijam...
LASG
Nikon D5300 & Nikon D90 & Sony ILCE-3000


galeno

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 185
  • Sexo: Masculino
Resposta #37 Online: 06 de Março de 2019, 16:23:48
O conceito importante aqui é o Número Guia(NG).
NG =f/distância.
Lembrando que o NG é sempre dado em uso 100.
Exemplo: um flash com NG 40, a 5 metros, daria o diafragma f 8.0, com uso 1
Mamiya 645 AFD, ZD Back, 80mm e 55-110mm, Nikon
D800,18-35mm, 50mm 1.8G, D5100 + 18-55mm


lopescardoso

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 713
Resposta #38 Online: 07 de Março de 2019, 09:10:41
O conceito importante aqui é o Número Guia(NG).
NG =f/distância.
Lembrando que o NG é sempre dado em uso 100.
Exemplo: um flash com NG 40, a 5 metros, daria o diafragma f 8.0, com uso 1

O problema vem qdo a "conta" é o contrário... Tu tem a abertura que quer usar (tu quer aquele fundo desfocadinho por exemplo), sabe qual velocidade quer usar, aí quer saber o ISO e a potência do flash.


galeno

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 185
  • Sexo: Masculino
Resposta #39 Online: 05 de Junho de 2019, 17:20:25
O problema vem qdo a "conta" é o contrário... Tu tem a abertura que quer usar (tu quer aquele fundo desfocadinho por exemplo), sabe qual velocidade quer usar, aí quer saber o ISO e a potência do flash.

O lance é juntar técnica com prática. Use o conceito matemático quando vc estiver treinando. Treine em casa, na rua, na namorada,em todo lugar . Com o flash direto, com o flash pra cima, de preferência vá anotando as configurações e conferindo os resultados com as anotações. Parece trabalhoso, mas é assim que se aprende. Eu msm tenho 22 anos de profissão, sempre testo meus equipamentos novos , ou técnicas novas.

Qdo se treina muito, na hora do vamos ver, vc tá pronto.
« Última modificação: 05 de Junho de 2019, 17:21:44 por galeno »
Mamiya 645 AFD, ZD Back, 80mm e 55-110mm, Nikon
D800,18-35mm, 50mm 1.8G, D5100 + 18-55mm


cheferson

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.137
  • Sexo: Masculino
  • Uma Fotografia é o Registro Exato da História!
    • Curso Completo de Fotografias para Retratos, Viagens e Paisagens
Resposta #40 Online: 08 de Junho de 2019, 03:09:36


Vamos lá caro amigo , seu problema tem solução mais simples do que imagina ...  :snack:

1. Nos papeis que acompanham seu flash , com certeza existem a informação do      NÚMERO GUIA .

2. Veja no telemetro da sua lente a distância do motivo a ser iluminado , arredondado para meio metro acima ou inteiro . Tipo , 2.8m = 3m .... 4,2m = 4m e assim em diante .

3. Com a formula  Ng = distância  x  f  .... onde Ng é o numero guia e  " f "  a abertura .

4. Exemplo simples ...
Ng = 33
Distancia = 3m
Calcule  f
Ng = D x f .... 33 = 3f .... f = 11

Com qualquer outra distancia haverá sempre uma resposta , faltando somente , se for o caso , um arredondamento sutil .

Essas contas terão pequena diferença se voce mudar a distancia focal , e foram feitas para uma lente de 50mm . Se usar uma tele curta ( até 200 mm ) a cena ficará mais escura e se usar uma grande angular , tenderá a ficar mais clara .

Faça uma tabelinha e deixe pronta , tipo ... 2m ... 2,5m ... 3m ... 3.5 ... 4 ... até um limite razoavel de 6m.

As contas foram baseadas na velocidade de 1/125 , e tem sutis modificações de 1/60 , mas não aceitará 1/250 . O ISO é de 100 , tambem havendo variações com a mudança deste valor .

Era desse geito que os velhinhos ( como eu ...  :hysterical: ) usavamos flash com filme.

Espero ter ajudado .
Um abraço.
Björn


Dica anotada amigo. Valeu!


cheferson

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.137
  • Sexo: Masculino
  • Uma Fotografia é o Registro Exato da História!
    • Curso Completo de Fotografias para Retratos, Viagens e Paisagens
Resposta #41 Online: 08 de Junho de 2019, 03:14:43
Amigo, vou te dizer uma coisa, te digo o que EU FAÇO e pode ser que sirva pra você ou não... segue aí o textão kkkkkk

Primeiro eu uso o flash apenas como luz de preenchimento em externa. Ele fica fora da cãmera com rádio flash ou disparo por foto célula.

Deixo o flash sempre há um metro, no máximo um metro e meio do(a) modelo. Eu deixo a foto levemente subexposta no fundo (fotometro o fundo, por exemplo, o céu pra ficar azul) , coloco ISO 800, velocidade 1-80 ou 1-125 e diafragma variável (geralmente 2.8 ) . As vezes a fotometria fica subexposta em -1, -2 ou até-2 e +1-3 .

Uso então o flash pra preencher a luz no rosto e corpo do modelo. A potência regulo 'na mão'. POr experiência própria começo em 1-32. Se a luz ficar muito forte, abaixo a potência pra 1-64, se ficar fraca subo pra 1-16, por exemplo. Você deixando fixa a distância entre flash fora da câmera e modelo, só precisará calcular a potência uma vez, e subindo o ISO você terá um equilibrio entre fundo e modelo. Não sei se fui claro, mas é isso rs


Mike Castro

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.027
  • Sexo: Masculino
Resposta #42 Online: 12 de Junho de 2019, 16:37:05
Amigo, vou te dizer uma coisa, te digo o que EU FAÇO e pode ser que sirva pra você ou não... segue aí o textão kkkkkk

Primeiro eu uso o flash apenas como luz de preenchimento em externa. Ele fica fora da cãmera com rádio flash ou disparo por foto célula.

Deixo o flash sempre há um metro, no máximo um metro e meio do(a) modelo. Eu deixo a foto levemente subexposta no fundo (fotometro o fundo, por exemplo, o céu pra ficar azul) , coloco ISO 800, velocidade 1-80 ou 1-125 e diafragma variável (geralmente 2.8 ) . As vezes a fotometria fica subexposta em -1, -2 ou até-2 e +1-3 .

Uso então o flash pra preencher a luz no rosto e corpo do modelo. A potência regulo 'na mão'. POr experiência própria começo em 1-32. Se a luz ficar muito forte, abaixo a potência pra 1-64, se ficar fraca subo pra 1-16, por exemplo. Você deixando fixa a distância entre flash fora da câmera e modelo, só precisará calcular a potência uma vez, e subindo o ISO você terá um equilibrio entre fundo e modelo. Não sei se fui claro, mas é isso rs

Dependendo do modelo de flash e rádio que se usa, dá pra usar a escala de distância do flash. É a linha inferior, com escala em metros ou pés.


Quando o flash está em TTL, essa escala mostra o "range" do TTL, (mais ou menos isso  :D )



Quando o flash está em Manual, aquela faixinha vira um tracinho apenas, e mostra a distância onde a carga do flash deixará a exposição boa.


Não achei foto com o modo M e a câmera embaixo, foi apenas para ilustrar.

Assim, se você deixa o fundo fotometradinho, tudo certo, e liga o flash, só toca no disparador pra fazer leitura, já vai mostrar a distancia que o flash iluminará, com aquela carga e configuração.
Aumentando a carga, a distancia aumenta, e vice-versa.
Dá pra ver o funcionamento a partir de 0:12 desse video:
O video tá um lixo, mas dá pra entender, rsrsrsrs


Espero ter ajudado, abraço!


cheferson

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.137
  • Sexo: Masculino
  • Uma Fotografia é o Registro Exato da História!
    • Curso Completo de Fotografias para Retratos, Viagens e Paisagens
Resposta #43 Online: 24 de Junho de 2019, 20:58:32
O problema vem qdo a "conta" é o contrário... Tu tem a abertura que quer usar (tu quer aquele fundo desfocadinho por exemplo), sabe qual velocidade quer usar, aí quer saber o ISO e a potência do flash.

Então o Flash é para iluminar o primeiro plano. Note que as fórmulas do inverso do quadrado da distância servem apenas para iluminar o primeiro plano, deixando o fundo escuro. Se você quiser ter uma combinação boa entre o primeiro plano e o fundo, precisará aumentar o ISO. As contas do Número Guia, consideram um ISO de 100. Se você aumentar o ISO para 800, 1600 (ou as variações de terços entre esses valores), já conseguirá iluminar o fundo porque o sensor da câmera, captará mais informação da luz ambiente. Isso é natural, visto que aumento de ISO faz com que o sensor seja mais "sensível" a luz.

A velocidade do obturador é independente no caso. Há casos de flashs que possuem o HSS (High Speed Sync) que permite que você configure velocidades maiores que a de sincronismo da câmera que geralmente giram em 1/200. Em outras palavras, se você quer apenas iluminar o primeiro plano precisará usar velocidades acima de 1/200 com um flash que tenha suporte para HSS. É muito comum usar esse recurso quando queremos adicionar pouca luz ao ambiente com o uso do flash.

Então vamos imaginar que há algumas variáveis no uso do flash:

1. A observação do ambiente - quais as condições de luz que você quer ou precisa. No caso se estamos fazendo um ensaio num ambiente interno, por exemplo, é possível modificarmos a luz, usando flashs, modificadores, LEDs usando uma combinação desses, conforme a criatividade do fotógrafo - infinitas possibilidades.

No caso de eventos, ai a coisa fica um pouco mais limitada: precisamos trabalhar com a luz daquele momento. Geralmente em eventos, a luz não é suficiente para tirarmos as melhores fotos e, portanto, o uso do flash é essencial.

2. Flash como luz principal ou de preenchimento: precisamos decidir, conforme a ambientação e iluminação, se iremos usar o flash apenas para preencher a luz que falta no ambiente ou se ela será a luz principal. No primeiro caso, faremos uma combinação da luz ambiente com a luz do flash. No segundo, o flash (ou uma combinação deles disparado fora da câmera) serve para fazermos as fotos, iluminando o ambiente para a fotografia.

3. Distância do flash para o objeto ou pessoa iluminada: podemos usar o flash fora da câmera ou em cima da mesma. Precisamos ter essa definição de que quanto maior for a distância do flash para o objeto ou pessoa, mais potência do flash será necessária, pela lei do inverso do quadrado da distância. Nesse caso o Número Guia (NG) define a potência do flash, baseado no uso do ISO 100. Por exemplo, um NG 50 , diz que o flash em potência máxima e ISO 100, terá um alcance de até 50 metros.

4. Precisamos então definir a abertura e ISO utilizados. Se você usar ISOs baixos , teremos iluminado apenas o primeiro plano da nossa fotografia com um fundo escuro. Se queremos um fundo mais claro ou equilibrado com o primeiro, precisamos necessariamente aumentar o ISO. Se seu flash tiver suporte a HSS, poderá usar velocidades acima do sincronismo da câmera, que geralmente é 1/200 ou 1/250. Nesse caso, o fundo tenderá também a ficar escuro.

5. Abertura: recomenda-se não usar aberturas muito fechadas, sendo que uma boa opção é trabalhar em -1 stop de luz de diafragma. Exemplo: lente com abertura máxima F4 , pode-se usar uma abertura F5.6 fixa. Recomenda-se nunca usar aberturas muito fechadas, como F8, F11, etc, pois o objetivo aqui é capturar o máximo de luz. Assim você ganha nitidez por trabalhar com 1 Ponto a menos de diafragma.

Lembrando que o flash sempre irá iluminar o primeiro plano. Portanto, se queremos ter um fundo mais equilibrado com a iluminação do primeiro plano, precisamos deixar o máximo de abertura possível no diafragma para permitir maior entrada de luz OU podemos subir o ISo também. Se a lente não tiver grandes aberturas, geralmente utiliza-se uma combinação de ambos: ISO e abertura para tornar o fundo mais claro e em condições de equilíbrio com a luz do flash, que irá iluminar o primeiro plano.

6. Potência do flash: a potência correta da iluminação em modo manual depende de alguns testes prévios. Pode ser feito "na raça, ou no teste-e-chute", mas sempre tenho em mente que ficar de 1 a 2 metros da pessoa ou grupo a ser fotografado, e começar com algum cálculo de potencia. Por exemplo: faça um teste se a luz do ambiente não mudar muito - comece com 1/8 de potência. Se a luz ficar muito forte, diminua a potência para 1/16 ou se ficar fraco aumente para 1/2.

O SEGREDO: em eventos trabalhar com abertura constante - não muito fechada - , ficar sempre entre 1 a 2 metros de distância da pessoa que você irá fotografar, aumentar o ISO para 800, 1600 ou superior para iluminar o fundo e usar no flash algum modificador de luz para deixar a sombra mais suave. Sempre fotografe em RAW pois eventuais estouros de luz ou falta de luz, poderão ser arrumados na pós. Não é o ideal, já que o legal é você entender o que está fazendo. Não é receita de bolo, mas funciona comigo.
« Última modificação: 24 de Junho de 2019, 21:06:51 por cheferson »


Antonio Miguel

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 297
  • Sexo: Masculino
    • amikep
Resposta #44 Online: 25 de Junho de 2019, 09:32:10
Bom dia:

Na realidade basta vc calcular a abertura do diafragma dividindo o número guia do flash pela distância que o flash está do sujeito. Assim, se o número guia do flash é 24 (para iso 100) e vc colocou o flash a 4 metros, vc faz 24/4=6.0 > sua abertura teria que ser f/6. Como vc pode não ter como colocar essa abertura diretamente, coloca f/5.6 e pronto.

Com o tempo vc vai "decorar" essa relação, e acaba fazendo tudo automaticamente. Quando eu fotografava casamentos, tinha de cabeça: "4m, 5.6" para o fratinha que eu usava. Daí era só adaptar. A três metros fechava um ponto, a 6m abria um ponto, a 8m dois pontos, etc.

O importante é, ao comprar o flash, fazer uns testes pra ver se o número guia informado é efetivamente o que foi entregue (é comum alguns fabricantes exagerarem o número guia). Também vale a pena testar o flash em diversas configurações do zoom dele, pois o número guia varia conforme a configuração do zoom.

Estabelecido o seu padrão pessoal para o seu flash, vc anota num cartãozinho e usa como "cola" até decorar. Normalmente numa sessão vc já desenrola.

Eu tenho vários flashes TTL (SB5000, SB600, YN968) mas como trabalho com até 5 flashes de uma vez só, termina que eu uso tudo em manual. Para certas situações só o modo manual vai te entregar a luz que vc precisa.
A camera teaches you how to see without a camera - Dorothea Lange.


www.amikep.com