Autor Tópico: A Arte do Fotografar ou a Arte do Photoshop?  (Lida 1343 vezes)

carlosandre

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 462
  • Sexo: Masculino
    • Portifólio
Online: 12 de Agosto de 2013, 10:08:13
A algum tempo tenho "lutado" para intender melhor isso,
a principio estudei a arte de fotografar, porém depois descobri
que as imagens mais "bonitas" são totalmente manipuladas.


Ai tinha a certeza que a pós é muito mais importante que a
arte fotográfica, a partir disso me dediquei totalmente a manipulação de imagem.
Após um período achei muito lamentável e dificultoso a pós, pois apesar de
conseguir chegar mais perto da "perfeição" as imagens se tornam artificiais  e não a reais.


Um dia desses me deparei com a frese de um usuário aqui do fórum,
"SOU FOTOGRAFO E NÃO PHOTOSHOPER".


Cheguei a conclusão que não é preciso uma edição
demoradíssima e cheia de retoques, é preciso uma foto bem feita
(uma falta mal feita não tem edição que de jeito) e uma edição básica.


Isso me deixou menos preguiçoso na hora de fotografar, pois me exige
que eu faça uma boa foto e não um ótimo photoshop, afinal as fotógrafos com câmeras analógicas
 fazem ótimas imagens sem pós.


Pois bem, como isso funciona com vocês?
Oque prevalece pra vocês é a arte fotográfica ou a arte do photoshop?


Roberto Dellano

  • Trade Count: (11)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.349
  • Sexo: Masculino
  • RTFM
    • Roberto Dellano Fotografia
Resposta #1 Online: 12 de Agosto de 2013, 10:53:47
Para mim é um equilíbrio das duas, não existe fotografia digital sem edição, e não da pra fazer boa edição em foto meia boca.


Alexandre Ricci

  • Trade Count: (31)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.070
    • Flickr Alexandre
Resposta #2 Online: 12 de Agosto de 2013, 11:21:39
Carlos, esse assunto é muito debatido aqui no fórum e não é pra menos né... A gente sempre fica com isso na cabeça. Acho que eu também abri um tópico com a mesma questão que você coloca.

Acho que não dá pra ser muito purista em relação a isto, pois a própria câmera digital já muda bastante a fotografia inclusive tem fervorosos debates sobre algo como "níveis" de raw, ou seja, há quem diga que  as câmeras já manipulam o o próprio raw para que a foto pareça melhor e que essa ou aquela marca faz isso de forma mais forte ou mais sutil, mas parece que o consenso é que todas fazem...

Mesmo na foto de filme, existe a dependência do laboratorista, a menos que o próprio fotógrafo faça toda a manipulação, também não pode dizer que a foto está 100% crua.

Mas voltando ao assunto, acho que vai de cada um. Seja por gosto próprio ou para atender a um determinado público, o que importa é o resultado ficar bom e agradável ao que se destina.

Já passei pelas duas fases, do purismo pessoal, ou seja, não mexer em nada nas minhas fotos, deixá-las do jeito que saíram da câmera. E também já pensei em fazer um curso mais avançado de edição pra tentar extrair o máximo que a foto permite, seja em que sentido for...

Hoje estou no meio termo. Procuro executar a foto da melhor maneira possível, seguindo todos os parâmetros adequados de composição e exposição e depois faço ajustes básicos de crop e exposição na pós. Como o meu objetivo por enquanto é hobby, acho que está bom assim.

 :ok:



Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.759
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #3 Online: 12 de Agosto de 2013, 11:57:54
Não tem nada melhor que uma foto bem feita e com um tratamento adequado.


AlexandreS

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.251
Resposta #4 Online: 12 de Agosto de 2013, 12:29:45
E a  própria questão de fazer a foto da melhor maneira possível é bastante relativa. Para um fotógrafo de evento que está fotografando em JPG ou mesmo em RAW, fazer a foto da melhor maneira possível pode significar controlar os parâmetros da câmera de forma que a foto saia o mais "pronta" possível, necessitando apenas de uma pequena intervenção na pós.

Já para um fotógrafo de paisagens que fotografa exclusivamente em RAW, e tem tempo para manipular a foto, fazer a foto da melhor maneira possível significa recolher a maior quantidade de informação que seja possível no sensor, mesmo que a foto inicialmente saia totalmente superexposta, sem contraste e com cores esmaecidas - ou até esverdeadas para quem usa UniWB. Mas isso vai garantir que após uma pós adequada, vai se ter uma foto com riqueza de detalhes que seria improvável se a foto fosse feita pensando-se no JPG, com uma fotometria correta e tudo o mais.

Enfim, vejo a obtenção da foto e o tratamento como coisas complementares, e não excludentes. E a própria maneira de obter a foto e fazer o tratamento depende da finalidade e do que o fotógrafo deseja.
« Última modificação: 12 de Agosto de 2013, 12:30:22 por AlexandreS »

Canon 60D - Canon 450D XSi
Tamron 17-50 f/2.8 VC - EF 50mm f/1.8 - EF 28-135 USM IS - EF-S 55-250 IS
SMC Takumar 50mm f/1.4 - S-M-C Takumar 135mm f/2.5 e mais alguns vidrinhos M42
Speedlite 430EX II - YongNuo YN460


carlosandre

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 462
  • Sexo: Masculino
    • Portifólio
Resposta #5 Online: 12 de Agosto de 2013, 12:33:58
Para mim é um equilíbrio das duas, não existe fotografia digital sem edição, e não da pra fazer boa edição em foto meia boca.


Sim concordo com você, tem que haver o equilíbrio entre as duas.


Carlos, esse assunto é muito debatido aqui no fórum e não é pra menos né... A gente sempre fica com isso na cabeça. Acho que eu também abri um tópico com a mesma questão que você coloca.

Acho que não dá pra ser muito purista em relação a isto, pois a própria câmera digital já muda bastante a fotografia inclusive tem fervorosos debates sobre algo como "níveis" de raw, ou seja, há quem diga que  as câmeras já manipulam o o próprio raw para que a foto pareça melhor e que essa ou aquela marca faz isso de forma mais forte ou mais sutil, mas parece que o consenso é que todas fazem...

Mesmo na foto de filme, existe a dependência do laboratorista, a menos que o próprio fotógrafo faça toda a manipulação, também não pode dizer que a foto está 100% crua.

Mas voltando ao assunto, acho que vai de cada um. Seja por gosto próprio ou para atender a um determinado público, o que importa é o resultado ficar bom e agradável ao que se destina.

Já passei pelas duas fases, do purismo pessoal, ou seja, não mexer em nada nas minhas fotos, deixá-las do jeito que saíram da câmera. E também já pensei em fazer um curso mais avançado de edição pra tentar extrair o máximo que a foto permite, seja em que sentido for...

Hoje estou no meio termo. Procuro executar a foto da melhor maneira possível, seguindo todos os parâmetros adequados de composição e exposição e depois faço ajustes básicos de crop e exposição na pós. Como o meu objetivo por enquanto é hobby, acho que está bom assim.

 :ok:




Estamos no mesmo barco, também estou no meio termo e por enquanto também é por hobby. Já conversei com alguns fotógrafos e uns fazem o pós básico e outros fazem o mesmo tratamento que revista. Acredito que seja conforme o que o pessoal procura. Claro que isso também varia o preço da foto pronta.
« Última modificação: 12 de Agosto de 2013, 12:35:27 por carlosandre »


carlosandre

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 462
  • Sexo: Masculino
    • Portifólio
Resposta #6 Online: 12 de Agosto de 2013, 12:44:13
Não tem nada melhor que uma foto bem feita e com um tratamento adequado.


Bom em primeiro lugar parabéns pelo teu trabalho, é uma fonte de inspiração e de belas imagens!


Nas fotos de "Rebeca e Pedro", o tratamento foi mais básico?  Pergunto pois a minha intenção é fotografia externa de pessoas.


carlosandre

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 462
  • Sexo: Masculino
    • Portifólio
Resposta #7 Online: 12 de Agosto de 2013, 12:49:01
E a  própria questão de fazer a foto da melhor maneira possível é bastante relativa. Para um fotógrafo de evento que está fotografando em JPG ou mesmo em RAW, fazer a foto da melhor maneira possível pode significar controlar os parâmetros da câmera de forma que a foto saia o mais "pronta" possível, necessitando apenas de uma pequena intervenção na pós.

Já para um fotógrafo de paisagens que fotografa exclusivamente em RAW, e tem tempo para manipular a foto, fazer a foto da melhor maneira possível significa recolher a maior quantidade de informação que seja possível no sensor, mesmo que a foto inicialmente saia totalmente superexposta, sem contraste e com cores esmaecidas - ou até esverdeadas para quem usa UniWB. Mas isso vai garantir que após uma pós adequada, vai se ter uma foto com riqueza de detalhes que seria improvável se a foto fosse feita pensando-se no JPG, com uma fotometria correta e tudo o mais.

Enfim, vejo a obtenção da foto e o tratamento como coisas complementares, e não excludentes. E a própria maneira de obter a foto e fazer o tratamento depende da finalidade e do que o fotógrafo deseja.


Entendi, as duas coisas são complementares, só a parte do excludente que não concordo, afinal minha pergunta era sobre qual prevalece, ou seja, qual é mais importante.


 :ok:



AlexandreS

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.251
Resposta #8 Online: 12 de Agosto de 2013, 13:00:53

Entendi, as duas coisas são complementares, só a parte do excludente que não concordo, afinal minha pergunta era sobre qual prevalece, ou seja, qual é mais importante.


 :ok:

A mais importante é a tomada da imagem, que deve ser feita sempre pensando-se em que tipo de pós será feita, ou até na ausência de pós.

Canon 60D - Canon 450D XSi
Tamron 17-50 f/2.8 VC - EF 50mm f/1.8 - EF 28-135 USM IS - EF-S 55-250 IS
SMC Takumar 50mm f/1.4 - S-M-C Takumar 135mm f/2.5 e mais alguns vidrinhos M42
Speedlite 430EX II - YongNuo YN460


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.759
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #9 Online: 12 de Agosto de 2013, 13:19:23
Bom em primeiro lugar parabéns pelo teu trabalho, é uma fonte de inspiração e de belas imagens!


Nas fotos de "Rebeca e Pedro", o tratamento foi mais básico?  Pergunto pois a minha intenção é fotografia externa de pessoas.

Obrigado por ver minhas fotos! Eu sigo sempre uma rotina meio parecida de tratamento para todos os eventos que faço. Quando eu falo de tratamento básico, quero dizer que regulo balanço de brancos, exposição, níveis, ruídos e nitidez. Crio um perfil de tratamento para cada evento, copio para todas as fotos desse evento e depois ajusto foto a foto. Não passo mais do que alguns segundos em cada foto. As que precisam de mais ajustes eu gasto pouco mais de 1 minuto.


cleriston

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 281
Resposta #10 Online: 12 de Agosto de 2013, 13:36:10
Puxa eu também passei por esse dilema até conhecer os softwares de tratamento de imagem. Eu utilizo o Darktable (LigthRoom para Linux). Percebi que estes softwares permite você alterar parâmetros que você poderia alterar na própria câmera.
Uma coisa que costumo utilizar no tratamento é o corte para dar enfase a imagem...
Recomendo ver este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=Z6GwxajFyYY&list=PLX5nKvA10bA3rjmDi6BfBqcPmNPwH3NCh&index=47
Veja também o link abaixo que fala sobre o recorte feito na famosa foto do Cartier Bresson
http://iconicphotos.wordpress.com/2009/07/26/derriere-la-gare-saint-lazare/

Depois de pesquisar um pouco sobre o assunto, vi que antigamente muitas fotos eram tratadas no laboratório de revelação com o negativo.


Mr. Hyde

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 16.575
  • Sexo: Masculino
    • Faceboock
Resposta #11 Online: 12 de Agosto de 2013, 18:22:14
Puxa eu também passei por esse dilema até conhecer os softwares de tratamento de imagem. Eu utilizo o Darktable (LigthRoom para Linux). Percebi que estes softwares permite você alterar parâmetros que você poderia alterar na própria câmera.
Uma coisa que costumo utilizar no tratamento é o corte para dar enfase a imagem...
Recomendo ver este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=Z6GwxajFyYY&list=PLX5nKvA10bA3rjmDi6BfBqcPmNPwH3NCh&index=47
Veja também o link abaixo que fala sobre o recorte feito na famosa foto do Cartier Bresson
http://iconicphotos.wordpress.com/2009/07/26/derriere-la-gare-saint-lazare/

Depois de pesquisar um pouco sobre o assunto, vi que antigamente muitas fotos eram tratadas no laboratório de revelação com o negativo.

Só um adendo que não tem muito a ver com o texto, mas passa tangencialmente...

Não só 'Gare Saint-Lazare' foi cropada. Outras tb o foram, especialmente as da cobertura da morte e cremação da Gandhi, por questões da dificuldade de obtenção do registros em meio à massa de pessoas que acorreram aos locais dos eventos citados.
Mas isso foi absolutamente exceção na obra do HCB. Como regra, ele não admitia que se cropasse nem 2-3mm das laterais (que é geralmente o que se usa para fixar o negativo no ampliador). A foto tinha que ser exatamente a que ele capturou.

Fecha o adendo.

____________________
"Deus perdoe o Mal que habita em mim" M. Nova


Portela 2011

  • Trade Count: (3)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 8.542
  • Sexo: Masculino
Resposta #12 Online: 12 de Agosto de 2013, 18:51:41
Não tem nada melhor que uma foto bem feita e com um tratamento adequado.

Pra mim isso resume bem.  :D :ok:

Nem fotos de película são isentas de pós produção, só que ao invés de photoshop, usa-se químicos. Ansel Adams é famoso por ser químico e fazer revelações como ninguém. Chegando ao ponto de ter fotos que parecem HDR, só que com uma chapa só, em película.  :ok:


Palmeida

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.552
Resposta #13 Online: 12 de Agosto de 2013, 18:56:38
Puxa eu também passei por esse dilema até conhecer os softwares de tratamento de imagem. Eu utilizo o Darktable (LigthRoom para Linux). Percebi que estes softwares permite você alterar parâmetros que você poderia alterar na própria câmera.
Uma coisa que costumo utilizar no tratamento é o corte para dar enfase a imagem...
Recomendo ver este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=Z6GwxajFyYY&list=PLX5nKvA10bA3rjmDi6BfBqcPmNPwH3NCh&index=47
Veja também o link abaixo que fala sobre o recorte feito na famosa foto do Cartier Bresson
http://iconicphotos.wordpress.com/2009/07/26/derriere-la-gare-saint-lazare/

Depois de pesquisar um pouco sobre o assunto, vi que antigamente muitas fotos eram tratadas no laboratório de revelação com o negativo.
Só um adendo que não tem muito a ver com o texto, mas passa tangencialmente...

Não só 'Gare Saint-Lazare' foi cropada. Outras tb o foram, especialmente as da cobertura da morte e cremação da Gandhi, por questões da dificuldade de obtenção do registros em meio à massa de pessoas que acorreram aos locais dos eventos citados.
Mas isso foi absolutamente exceção na obra do HCB. Como regra, ele não admitia que se cropasse nem 2-3mm das laterais (que é geralmente o que se usa para fixar o negativo no ampliador). A foto tinha que ser exatamente a que ele capturou.

Fecha o adendo.

Interessante! A busca pelo melhor quadro na hora da captura é mesmo fundamental para se manter a qualidade de imagem. Infelizmente ainda me pego cortando àreas de 30% em algumas fotos - (o mal das primes).

Qto ao tópico, concordo com os colegas. O meu tto é para deixar a foto mais parecida ao original: correção de cores, exposição, sharp etc... . No máximo, retiro algumas marcas temporárias como, por exemplo, uma acne.
Ttos mais agressivos... Qndo muito bem feito, tb curto. Mas aí são aquelas photoshopadas do nível do Pictus, ou seja, tem q ser mto bom mesmo.
O que eu amo: Deus, família, amigos, trabalho,fotografia, contabilidade, estudar e tecnologia!


btortelli

  • Trade Count: (4)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 852
  • Sexo: Masculino
Resposta #14 Online: 12 de Agosto de 2013, 19:01:39
pelicula tem pos edicao sim, e grandes mestres do filme usavam e abusavam disso pra realçar suas imagens, vi isso claramente num documentário sobre fotografia de guerra, em que o fotografo usa uma sala especial la, de um revelador pro tbm, pra deixar o centro da foto mais claro que o resto da foto, nao quer usar pós edição, tudo bem, porem tem gente que usa isso como se os deixasse num nivel acima, só por optar nao usar pos. e uma frase que li por aqui é, não há foto boa que a pós não possa melhorar.

eu achando o documentario eu posto aqui.
Canon 60d -- 10-18mm 4.5-5.6 IS -- 17-50mm 2.8 /  GoPro 3 Silver /
Rode Videomic Rycote
www.flickr.com/btortelli
www.500px.com/brunotortelli