Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 4 ... 10
1
Lentes caríssimas.

Enviado de meu SM-N950F usando o Tapatalk

Realmente, não são nem um pouco baratas. Mas as específicas para digitais que tenho ou tive oportunidade de usar são fenomenais, a DA 35/2.8 Macro é tão absurdamente nítida que as vezes incomoda, assim como a DA 70mm 2.8.

As zooms categoria "kit" são melhores do que qualquer zoom já feita para Nikon ou Canon, chegando perto das Fujis.
O que eu não gosto em algumas é o sistema de motor no corpo, barulhento, mas pelo menos rápido.

Falando em Sigma, a 30mm F1.4 Art funciona muito bem na Pentax. Essa é uma das que valem a pena caçar.


2
Espaço Canon / Re:Canon 6D para fotos de famílias/amigos (hobby)?
« Última Mensagem: por cheferson Online Hoje às 02:04:58 »
Fechei a decisão e acabei comprando a 6D com a 40mm. Acabou de chegar. Obrigado a todos pela ajuda na compra :)
Notei algumas coisas legais nela e outras nem tanto.

O que gostei:
-Não tem flash embutido para esbarrar no botão e ele subir acidentalmente, ou quando entrego para alguém que não sabe fotografar em modo manual, coloco no automático e lá vai o flash disparar.
-Pegada bem gostosa, tem menos botões que as atuais e menos coisas para me atrapalhar. Parece mais bem construída que as Nikons que usei.
-40mm é muito nítida, pequena, leve e barata. Não há nenhuma lente Nikon que chegue nos pés dela nesse quesito de portabilidade e custo benefício nas full frames.

O que não gostei muito, porém não me incomoda tanto:
-Apenas um slot de cartão (nunca fui de usar segundo cartão para backup)
-11 pontos de foco agrupados no centro (costumo usar apenas um foco que seleciono pelo dial, então para mim costuma funcionar normalmente os 11 pontos - não fotografo ação nem esportes)
-20mp (não faço ampliação maior que A3 nem uso muito crop, acredito que não seja um problema)

Bom, no final das contas fiquei bem feliz. Ainda não usei ela muito, mas pelo jeito vou me dar bem com a marca e o modelo escolhido, para essa determinada função que quero.

Apesar da 6D ser grandinha, eu prefiro uma câmera mais robusta e que aguente o dia-a-dia sem maiores preocupações do que uma menor e mais frágil. Eu usava a EPL8 também da Olympus e apesar de nunca ter acontecido nada com ela, parecia que ela ia despedaçar só de você olhar feio para ela.



Cara parabéns pela aquisição e concordo sobre sua visão da 6D... como disse de vez em quando nas saídas fotográficas tive a oportunidade de pegar e fotografar com a 6D...

As Fullframe da Canon são feitas para serem mais simples, flash pop-up, nenhuma fullframe praticamente tem, pois entende-se que FF é para uso mais profissional digamos assim.

A 40MM 2.8 é uma ótima lente, apesar de achar a 24MM 2.8 ainda mais nítida. Mas foi uma sacada ótima, se pegarmos uma 24MM usando o fator de corte do sensor APSC da Canon em 1.6, teríamos o equivalente a uma 38MM no Fullframe. Se formos analisar, a 40MM no Fullframe vai dar um ângulo de visão parecido.

O que gostei na 6D é a qualidade de imagem, muito top. Não curti os pontos de foco, se focar e recompor usando o central vai de boas, mas os pontos laterais as vezes são bem ruins de funcionar. O ISO dela em 6400 é liso rs , ainda acho a 6D uma ótima câmera, mesmo com esses defeitinhos de foco, isso nunca impede ninguém de ter bons resultados com ela.
4
Câmeras Digitais SLR e Mirrorless / Re:Nova FF Sigma
« Última Mensagem: por Ernesto Online Hoje às 01:21:03 »
Muito bom  :clap:

É a grande chance da Sigma mostrar seu talento em fabricar lentes, de fato.  :ok:
5
Artigos, Tutoriais e Dicas de Fotografia / Re:[Artigo] Preconceitos fotográficos
« Última Mensagem: por cheferson Online Hoje às 00:35:15 »
Nós somos frutos dos nossos condicionamentos. A forma como agimos e pensamos está de acordo com aquilo que nos foi ensinado, com o que vimos nos outros como nossos modelos e com o que aprendemos na nossa história de vida. A partir daí, criamos nossas regras mentais sobre nós, sobre o mundo, sobre o certo e o errado. Quando isso acontece numa área mais específica da nossa atividade, como a fotografia, a rigidez fica mais evidente.

Basta pensar na etapa mais importante de qualquer criação fotográfica: aquilo que decidimos fotografar. É como se tivéssemos, nas nossas mentes, duas caixinhas: a do que é fotografável e o que não é. Como o texto diz, flores, faces e sorrisos são alvos fáceis. E, em tempos de redes sociais, pratos de comida e espelhos de academia também entram na lista. Existe apenas uma parcela de coisas e experiências que enxergamos como ‘fotografáveis’.


Foto de pawel szvmanski

Outra esfera das nossas preconcepções — ou preconceitos — fotográficas se refere a como fotografar. Seja utilizando uma câmera dedicada no modo manual, com lentes fixas ou o próprio celular, costumamos ter um modo de fazer as fotos. Posso apensas usar grandes aberturas para ter desfoque de fundo, ou inclinar o smartphone de uma certa forma para o melhor ângulo na selfie.

Tudo isso porque o nosso preconceito fotográfico estabelece que existe um modelo daquilo que é aceitável numa fotografia. O assunto, a forma e a estética esperada definem se a fotografia vai para a caixinha mental da aprovação, do bom, do certo ou da desaprovação, do ruim, do errado. Nós estamos o tempo todo julgando e classificando aquilo que vemos e fazemos, bem como aquilo que os outros são e fazem.

Como essas ideias são tão pessoais e rígidas, fica muito difícil apreciar quem faz algo diferente, seja no assunto, na forma ou na estética. Essa dicotomia na hora de ver torna isso praticamente impossível, pois é como se o fato de eu apreciar o diferente invalidasse aquilo que eu faço. Como geralmente só existem duas caixas, a do bom e a do ruim, se algo está numa caixa, o diferente daquilo obrigatoriamente teria que estar na outra. Daí a nossa incompreensão e intolerância.

É quase desnecessário dizer que é por isso que os bons fotógrafos — e os bons manuais de fotografia — insistem na experimentação, em sair da zona de conforto, em descondicionar o olhar. Só dessa forma será possível uma fotografia desinibida, sem medo e criativa. É claro, eu continuo achando que o sorriso do meu bebê de seis meses é a cena mais fotografável do mundo, mas se eu realmente quiser buscar uma fotografia expressiva, preciso perceber as minhas caixinhas mentais e fazer o máximo para ir além delas.

Original no Camera Obscura.
Ótima discussão!

Eu passo frequentemente por fases de questionamentos e críticas pessoais, silenciosas, que em alguns casos me incomodam muito.
O que fazer? Como fazer? Como mudar? Como inovar, deixar se ser tão repetitivo?

Já percebi claramente os meus condicionamentos e já arrisquei algumas mudanças, como testes, experimentos, mas não consigo muito achar que essa pequena mudança me trouxe algo melhor do que o usual.

Não engesso meu olhar para agradar aos outros, ao contrário, faço o que desejo fazer buscando em meu íntimo o que realmente valorizo como mensagem, mas essa mensagem tende a ser algo mais padrão mesmo, sem ser algo inusitado ou abstrato, conceitual.

Acredito que exista uma diferença entre o seu olhar fotográfico, a sua foto como arte, e aquilo que o mercado quer. Quando digo mercado me refiro aos clientes que te pagam para que você faça seu trabalho e dinheiro com fotografia.

Há, uma enorma diferença, entre esses dois mundos que podem em muitos casos ser compatíveis. Há também pessoas que só fotografam por hobby, algo bem terapêutico na verdade.

Vejo a fotografia de rua como um divisor de águas na minha vida. Por exemplo, se você sair com apenas uma lente fixa na rua e começar a fazer foto de rua, encontrará lugares, pessoas e momentos únicos que não se repetirão, além disso, você precisará pensar a composição, os elementos dentro da cena, a emoção que você quer registrar, etc. É um grande exercício pra sair desse "comodismo mental" .

Outra coisa que faz muito bem a quem fotografa é viajar. Viajar expande nossos horizontes, nos faz conhecer novas pessoas, novos lugares, e aumenta nossa percepção de mundo e, consequentemente, nossa fotografia melhora e se beneficia dessa nova interação social e cultural no qual os locais que viajamos nos fazem ter.
6
Acessórios e Iluminação / Re:Flash Yongnuo Yn 968ex Rt ???
« Última Mensagem: por Jeylasis Online Hoje às 00:14:17 »
It will be very good for you to give me an answer about it.
7
Câmeras de Filme / Re:Pentax k1000 Chinesa
« Última Mensagem: por Jeylasis Online Hoje às 00:10:09 »
I came to know this topic to apply it to the problems I've encountered.
8
Espaço Pentax / Samsung / Re:Pentax não terá mais produção de lentes pela Sigma
« Última Mensagem: por cfcsosa Online Ontem às 23:48:31 »
Pior que é verdade, mas o mercado de usadas é super disputado. Garanto. Talvez até pela oferta reduzida.

Venho acompanhando mercallivre, Olx e as que coloquei nos 'favoriros' nas últimas 2 semanas foram vendidas.

Sobram alguns bagaços. Vou esperar mais.
Lentes caríssimas.

Enviado de meu SM-N950F usando o Tapatalk

9
Classificados / Re:PROCURO Canon 6D mark II de segunda mão.
« Última Mensagem: por Helena Bsb Online Ontem às 23:44:54 »
última tentativa, entes de partir pro Naka.
10
Espaço Pentax / Samsung / Re:Pentax não terá mais produção de lentes pela Sigma
« Última Mensagem: por cxpostal Online Ontem às 23:41:43 »
<...>
A Pentax é aquela que todo mundo elogia mas ninguém compra
<...>

Pior que é verdade, mas o mercado de usadas é super disputado. Garanto. Talvez até pela oferta reduzida.

Venho acompanhando mercallivre, Olx e as que coloquei nos 'favoriros' nas últimas 2 semanas foram vendidas.

Sobram alguns bagaços. Vou esperar mais.





Páginas: [1] 2 3 4 ... 10