Autor Tópico: Empreendedorismo na fotografia  (Lida 1234 vezes)

Gabriel Rigoni

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 237
  • Sexo: Masculino
Online: 27 de Junho de 2014, 21:15:47
Fala pessoal, eu não sou muito de postar aqui mas é uma dúvida que me atormenta. Desculpa também o titulo meio nada a ver.  :D

Bom, ano passado resolvi que teria a fotografia como meu ganha pão, então comecei a investir em estudo e equipamentos. Não sei se já tenho o suficiente, mas, com os mini trabalhos que tenho até que me saio bem. A questão é: como ainda não tenho que sustentar uma casa, não sei se essa incerteza de ter ou não trabalhos é uma coisa muito grave. Com o que tenho ganhado consigo investir em equipamentos, mas ainda não é nada considerável.

Gostaria de saber de vocês, como fotógrafos experientes têm um "plano B" e/ou alguma renda extra, ou se vivem somente de fotografia e conseguem viver com segurança assim. Acho também que esse tópico vai ajudar muita gente que tem essa mesma dúvida, pois sei que não sou o único. Agradeço desde já por qualquer explicação/conselho/dica.  :D :ok:


Rick99

  • Trade Count: (4)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.958
  • Sexo: Masculino
  • Amador
Resposta #1 Online: 29 de Junho de 2014, 17:20:36
Não sou profissional ou experiente no ramo, mas vamos lá:
Eu comecei a investir na fotografia (equipamentos e cursos) desde 2011. Tinha um planejamento de trabalhar paralelamente com a minha ocupação atual, mas após 3 anos, notei que PARA MIM, só seria possível trabalhar com fotografia como "freelancer".

Fiz um curso de empreendedorismo, fui ao SEBRAE, fiz pesquisa do mercado, pedi opiniões de alguns profissionais e cheguei à conclusão que não poderia me dedicar exclusivamente à fotografia. Hoje meu plano B seria a fotografia (caso eu fosse demitido e não conseguisse uma recolocarão no mercado de trabalho), mas não o contrário.

Mas, como eu disse, isso foi o meu caso. Algumas pessoas conseguem a independência financeira com a fotografia e conseguem viver decentemente. Por isso é necessário analisar todas as variáveis e "colocar tudo na balança".


Gabriel Rigoni

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 237
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 01 de Julho de 2014, 05:26:42

Não sou profissional ou experiente no ramo, mas vamos lá:
Eu comecei a investir na fotografia (equipamentos e cursos) desde 2011. Tinha um planejamento de trabalhar paralelamente com a minha ocupação atual, mas após 3 anos, notei que PARA MIM, só seria possível trabalhar com fotografia como "freelancer".

Fiz um curso de empreendedorismo, fui ao SEBRAE, fiz pesquisa do mercado, pedi opiniões de alguns profissionais e cheguei à conclusão que não poderia me dedicar exclusivamente à fotografia. Hoje meu plano B seria a fotografia (caso eu fosse demitido e não conseguisse uma recolocarão no mercado de trabalho), mas não o contrário.

Mas, como eu disse, isso foi o meu caso. Algumas pessoas conseguem a independência financeira com a fotografia e conseguem viver decentemente. Por isso é necessário analisar todas as variáveis e "colocar tudo na balança".

Extremamente válidas suas dicas. Acontece que talvez aqui eu consiga viver só de fotografia, só queria saber lidar mesmo com essa incerteza.

Mais alguém pra acrescentar? :D


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.587
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #3 Online: 01 de Julho de 2014, 09:28:37
Grigoni, eu sou formado em biologia, tenho mestrado e doutorado. A fotografia sempre foi pra mim um plano B, mas de uns anos pra cá a coisa se inverteu e agora a fotografia é meu ganha pão e a biologia é meu plano B, rsrs.

Acho importantíssimo ter um plano B, os trabalhos de fotógrafo são muito instáveis, não dá pra contar com o dinheiro certo entrando todo mês. Demora um pouco pra entrar no mercado e não é todo mundo que consegue atingir uma estabilidade. Eu mesmo ainda não atingi. Infelizmente não tem espaço para todos os que querem ser fotógrafos, assim como em diversas outras profissões, então sempre tem que ter uma alternativa na manga.

Mesmo dentro da fotografia é preciso ter um plano B. Atualmente eu trabalho como freelancer em um estúdio de e-commerce, e essa é a minha fonte de renda fixa mensal, aquela que não me deixa atrasar as contas. A maior parte da minha renda mesmo vem dos eventos, e minhas projeções são de que em breve poderei me sustentar só com os casamentos. Mas sei que, caso passe aperto com os casamentos, posso sempre buscar algum freela com e-commerce, onde a demanda de trabalhos é mais constante e regular.



Mike Castro

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.941
  • Sexo: Masculino
Resposta #4 Online: 01 de Julho de 2014, 09:37:32
Cara, eu trabalho com fotografia desde sempre, srsrsrsrsrsr

Com 17 anos, em 08/2001, entrei num foto da cidade, fiquei lá pouco mais de cinco anos. Saí de lá, em 10/2006 e fui pra um estúdio de moda, fiquei um ano lá. Não gostei dessa área.
Fiquei três meses parado, morcegando mesmo, vivendo de seguro desemprego.
Em janeiro de 208, entrei em um estúdio recém aberto na cidade, de um cara que era cinegrafista/editor, pra ajudar a impulsionar a parte fotográfica da coisa. Fiquei lá até 02/2012.
Desde então, sou autônomo.
Quando saí da empresa, o que me garantiu a "sobrevivencia" sem salário fixo foram os freelances e o tratamento e diagramação pra estúdios parceiros.
Houve um tempo em que eu tratava foto pra 8~10 empresas diferentes.
Fiquei mais de um ano nessa labuta, e ano passado, abri meu estúdio. Foi em julho.
Felizmente, tem entrado trampos suficientes pra manter as contas em ordem, passear com a patroa e o moleque, guardar um tiquinho, etc...

Só não consegui ainda tirar meu 208  zerinho, kkkkk
Mas até o ano que vem eu consigo. :D :D :D :D :D


Raphael Sombrio

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.897
  • O RAW é um diamante...bruto
Resposta #5 Online: 01 de Julho de 2014, 09:43:27
Acontece que talvez aqui eu consiga viver só de fotografia, só queria saber lidar mesmo com essa incerteza.

Esse negócio de saber lidar com a incerteza, como vc menciona aqui, é mais uma coisa pessoal, eu penso.
Tem gente que passa apuros e não esquenta, vai levando e correndo atras, e tem gente que ao menor sinal de uma queda na estabilidade, entra em parafuso.

Eu já passei por fases negras na minha vida, de mal ter dinheiro pro básico no fim do mês, mas com isso aprendi a me organizar para o tempo de "vacas magras".

Acho que isso tbm é de suma importância, independente de vc ter um ganho garantido ou de altos e baixos, sempre ter uma reserva prq a gente não sabe o dia de amanhã, e as coisas mudam muito.

Conversando com um fotógrafo profissional de natureza, o Zig Koch, ele comentou que se vc tem uma outra fonte de renda, tente ficar assim e fotografar como que por hobby, pois vc terá mais tempo
pra pensar e fazer algo de consistência, ou mais qualidade ( falando de projetos pessoais em fotografia ) sem as pressões que o fim do mês sempre nos traz.

Penso que o cara largar tudo pra querer ser profissional está arriscando por tudo à perder, dependendo do caso. Nem sempre "querer é poder"....Pra criar calo vc tem que caminhar muito!


Tupiniquim

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.253
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #6 Online: 01 de Julho de 2014, 21:25:11
Meu depoimento não será de muito valor, acho.
Sou servidor público, com cerca de 25 de carreira. Esse é meu ganha pão, não tenho expectativa de que algum dia a fotografia venha a corresponder sequer a 20% dos meus ganhos.
Tenho 51 anos, começo a me preparar para a aposentadoria: contrariamente ao que costumamos pensar, é um processo que deve ser madurado, planejado tanto quanto o ingresso na atividade profissional. Etapa importante é se manter produtivo.
Minha ideia é que a fotografia seja o caminho da atividade.
Mas é um hobby, apenas um hobby.
Se algum dia render algum, ótimo.
T3i + Sigma 10-20; Sigma 17-50 f 2.8; Canon 55-250; 50 F 1.8
5D Mark II + 24-105; YN 35; 85 F 1.8; 70-200 f4 USM
580EX II x 2


Raphael Sombrio

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.897
  • O RAW é um diamante...bruto
Resposta #7 Online: 01 de Julho de 2014, 22:09:45
Minha ideia é que a fotografia seja o caminho da atividade.
Mas é um hobby, apenas um hobby.
Se algum dia render algum, ótimo.

Existem casos e casos, mas isso que vc falou tem a ver com aquela máxima: o sucesso não deve ser um objetivo, mas sim uma consequência.
claro que quando o retorno financeiro é o alvo aí as coisas são diferentes, prq então vc está contando com essa  "resposta".

Mas aí a pressão é muito maior.


Gabriel Rigoni

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 237
  • Sexo: Masculino
Resposta #8 Online: 01 de Julho de 2014, 22:11:49
Com certeza todas as opiniões aqui foram válidas. E realmente, fotografia é ame-a ou deixe-a, e por amor, acho que vale a pena arriscar. Hahahaha agradeço a todos os amigos foristas que aqui comentaram e espero que esse tópico venha a ajudar outros que estão com a mesma dúvida que a minha. Mais uma vez, meu muito obrigado. :worship: :worship: :worship: