Autor Tópico: [DÚVIDA] Sobre exposição e o cartão cinza 18%  (Lida 1360 vezes)

coneidus

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 20
    • flickr
Online: 04 de Novembro de 2014, 19:23:11
Salve colegas do fórum.

Estive lendo sobre o uso do cartão cinza 18% para o ajuste de exposição e resolvi fazer um teste com um cartão improvisado (de um post aqui do fórum) só pra ter uma idéia.

Coloquei um dado colorido de pelúcia do meu filho em cima do sofá, iluminado pela luz natural (não direta) da janela através de uma cortina.

Percebi que, no meu teste, usando a medição pontual, medindo sem o cartão e depois colocando-o para refazer a fotometragem, a diferença foi  muito pequena (1/60 sem cartão para 1/50 com cartão por exemplo sem mexer em mais nada).
Daí fiquei me perguntando: Será que eu usei o cartão de forma errada, os cartões improvisados não funcionam ou nem sempre o cartão será necessário?

Outra dúvida seria como usar o cartão para fotos de estúdio usando duas tochas (no meu caso uma tocha e um speedlight).

Desde já agradeço a quem puder colaborar.




Márcio A.A.

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 224
Resposta #1 Online: 04 de Novembro de 2014, 21:05:22
Se as cores do objeto fotografado forem (convertidas em tons de cinza) próximas do tal cartão cinza, não vai notar muita diferença mesmo. Agora tenta fazer a mesma comparação com um objeto preto ou branco e vai ver que muda muito.

E o tal cartão cinza 18%, ao que me parece, é um ideal que não existe exatamente assim na prática. Parece que essa reflectância não é padrão em todas as câmeras, variando um pouco. Até porque vai depender da tinta e do papel. Logo, cartão cinza genérico, não vai ser o mesmo que o usado pelo fabricante da câmera.
Canon EOS 70D
Canon Powershot SX50 HS


spositom

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.390
Resposta #2 Online: 05 de Novembro de 2014, 01:19:35
Sem P&B o cartão 18% não fica bom mas usando sempre o mesmo vc tem uma referencia.

Não sou fotógrafo mas em studio, onde fui produtor, nunca vi o pessoal usar o cartão. A teoria é que reduzindo a tons uniformes a maioria das cenas tem 18% de cinza


coneidus

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 20
    • flickr
Resposta #3 Online: 05 de Novembro de 2014, 03:03:34
Legal pessoal, obrigado pelas informações.

Confundi a exposição com o balanço de branco, depois de ver um artigo do nosso colega leonobox, aquele com a caneca da Adobe, onde ele fez várias fotos usando diferentes esquemas de iluminação para still e foi questionado sobre o uso do cartão, mas era pro balanço de branco e não pra exposição.

Voltei lá pra ler e percebi o vacilo. :aua:

Mais uma vez obrigado. :ok:


Luciano.Queiroz

  • Trade Count: (30)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.394
  • Sexo: Masculino
    • Luciano Queiroz
Resposta #4 Online: 05 de Novembro de 2014, 08:25:21
Legal pessoal, obrigado pelas informações.

Confundi a exposição com o balanço de branco, depois de ver um artigo do nosso colega leonobox, aquele com a caneca da Adobe, onde ele fez várias fotos usando diferentes esquemas de iluminação para still e foi questionado sobre o uso do cartão, mas era pro balanço de branco e não pra exposição.

Voltei lá pra ler e percebi o vacilo. :aua:

Mais uma vez obrigado. :ok:

eu até ia comentar isso.... uso o cartão somente quando preciso acertar balanço de branco mais fiel à cena..
Luciano Queiroz
www.lucianoqueiroz.com
Facebook: @caminhotracado - https://goo.gl/pNRgQX
Instagram: @caminhotrtacado - https://goo.gl/Gou1E2
Youtube: www.youtube.com/c/caminhotracado


Mr. Hyde

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 16.575
  • Sexo: Masculino
    • Faceboock
Resposta #5 Online: 05 de Novembro de 2014, 09:25:46
Mas o cartão cinza con refletância de 18% tem indicação para se determinar a melhor exposição também. Uma outra utilização dele é exatamente para aprimorar o balanço de branco, fidelizando as cores, ou já desde a tomada, ou no pós processamento.

Como coadjuvante na determinação da exposição, ele serve como referência para se zerar o fotômetro. A refletância do cartão é determinada pelo conjunto de refletância do preto (SALVO ENGANO, 3%) e do branco (90%). Zerando o fotômetro em uma cena sobre o cartão cinza 18%, se obterá informação (pouca) nas sombras e (um pouco mais) nos brancos, desconsiderando reflexos espectrais e pretos puros.

Em suma, reze o fotômetro sobre o cartão e obterá uma exposição de segurança. Variações para mais ou para menos na exposição será muito mais fácil de ser determinada a partir da média, segundo o gosto pessoal do fotógrafo.

http://en.wikipedia.org/wiki/Gray_card
http://www.the-digital-picture.com/Reviews/Gray-Card-Review.aspx

____________________
"Deus perdoe o Mal que habita em mim" M. Nova


spositom

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.390
Resposta #6 Online: 05 de Novembro de 2014, 10:45:09
O cartão cinza é utilizado originalmente como exposição, com filme, sem precisar "bater o branco" na época

Como minhas fotos não valem 1/2 pataca não vejo onde pode auxiliar na fotometragem


André Luis Jacob

  • Trade Count: (3)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.309
  • Sexo: Masculino
    • Jacob Fotografia Criativa
Resposta #7 Online: 07 de Novembro de 2014, 09:50:17
ja usei cartao cinza 18% para referencia do white balance no pós ou mesmo para criar um perfil de wb na própria camera.

Para exposição em estudio a melhor opçao é um fotometro de mão mesmo, você mede a luz exatamente onde é seu ponto principal


hribeiro

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.167
  • Sexo: Masculino
Resposta #8 Online: 08 de Novembro de 2014, 16:30:54
Concordo com o que foi postado pelo Mr Hyde.

O cartão cinza 18% é o padrão que a maioria das câmeras se baseia para executar a fotometragem.
Isso é mais importante em cenas com menor distribuição de tons claros e escuros, p ex: em cenas onde há predominância em brancos ou pretos, ou muito escuros e muito claros. A câmera (fotometro) não "enxerga" em cores, apenas a luminosidade, por isso o lance de usar o cartão que traz uma medição média dos claros/escuros.

Para checar a exposição em locais com demasiado contraste, o cartão cinza ajuda muito, mas se teve ficar atento a mudanças da luz natural devido à passagem de nuvens, que costuma dar uma boa diferença.
Por pura curiosidade, fiz medições com o cartão cinza e a fotometria da câmera e não há tanta diferença assim... Só há mais discordâncias nas cenas em contra-luz.
Para quem não quer levar um cartão cinza, lembro que li que fotometrar a palma da mão é praticamente a mesma coisa que o cartão cinza.
Fiz alguns testes com a mão x cartão e percebi que as diferenças são mesmo mínimas.

Para quem se referiu a balanço de branco, prefiro usar RAW e deixar para fazer a correção na edição.
Para quem gosta e usa jpeg com frequência, acho mais pratico "bater o branco" em um objeto branco(em cada local), fazendo a regulagem que a própria câmera traz, ou então usar aquelas conhecidas tampinhas de material leitoso translúcido e fazer a regulagem com ela. Funciona bem.
Helvio

Nikon D610, Nikon D3100, Nikkor 18-35mm, Nikkor 24mm 2.8, Nikkor 50mm 1.8G  Nikkor 80-200mm 2.8D ED - Speedlight SB-700, Oloong SP660II manual, Flash Agfa.
Canon AE-1. Canon 50mm 1.8, Rolleiflex T K8
www.flickr.com/helviosilva   https://500px.com/helviosilva


Márcio A.A.

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 224
Resposta #9 Online: 09 de Novembro de 2014, 21:48:50
O bom é treinar o olho para pensar a cena em tons de cinza. Não vai ter aquela precisão, mas pelo menos nas minhas tentativas tenho chegado bem próximo. Olhando pelo viewfinder, tento identificar os tons mais claros, mais escuros e os médios, como se fosse tudo em escala de cinza. Aí é possível testar a fotometria nas partes mais claras  e confirmar nos cinzas médios.

Eu já descobri, por exemplo, que a palma da minha mão é +1.
« Última modificação: 09 de Novembro de 2014, 21:49:49 por Márcio A.A. »
Canon EOS 70D
Canon Powershot SX50 HS


rodpp

  • Trade Count: (2)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 119
Resposta #10 Online: 12 de Novembro de 2014, 17:50:10
O bom é treinar o olho para pensar a cena em tons de cinza. Não vai ter aquela precisão, mas pelo menos nas minhas tentativas tenho chegado bem próximo. Olhando pelo viewfinder, tento identificar os tons mais claros, mais escuros e os médios, como se fosse tudo em escala de cinza. Aí é possível testar a fotometria nas partes mais claras  e confirmar nos cinzas médios.

Eu já descobri, por exemplo, que a palma da minha mão é +1.

Isto é mais ou menos a base do sistema de zonas do Ansel Adams. Tendo esta percepção você pode usar a medição em spot da câmera e fotometrar com bastante precisão mesmo cenas complicadas.