Autor Tópico: Como fazer uma foto e entrar pra história  (Lida 495 vezes)

Bantunes

  • Trade Count: (10)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 156
    • bsimba
Online: 23 de Agosto de 2016, 20:47:57

Muito legal essa história que conta os bastidores da talvez a foto mais famosa da Rio 2016, aquela do Bolt sorrindo.


http://www.publish.com.br/tecnologia/como-fazer-uma-foto-e-entrar-pra-historia/

"A HISTÓRIA DA FOTOGRAFIA ÍCONE DA RIO 2016

A imagem considerada mais simbólica da Rio 2016 foi resultado de risco calculado. Isso porque o australiano Cameron Spencer, autor da fotografia, não tinha sido escalado por sua agência Getty Images para cobrir a final dos 100 metros rasos. Para cumprir a tarefa, onze colegas dele e suas câmeras com disparo remoto estavam no Estádio Nilton Santos, o Engenhão.

Spencer estava no gramado fotografando as provas de salto com vara, lançamentos de disco e peso. Pouco antes do inicio da final dos 100 metros, Spencer abandonou sua missão por quatro minutos. Foi posicionar-se junto a linha de chegada. Escolheu uma objetiva zoom de 80 à 200m milímetros e girou o anel na posição de 135 milímetros. Sabendo que a sua turma, entre os 600 fotógrafos presentes, garantiriam as imagens clássicas, decidiu por uma temeridade. Escolheu a velocidade baixíssima de 1/40 segundos na sua Canon 1DX para captar o homem mais rápido do mundo. Nestes casos, a chance de registrar uma mancha colorida é grande. Se Spencer estivesse sozinho para cobrir a prova, talvez não ousasse tanto.

Em seguida, Spencer fez uma aposta mais tranquila, mas também arriscada. Cravou o foco na raia 6, o caminho de Bolt. De novo, o vencedor poderia ser outro, e a fotografia de Spencer iria para a lata de lixo. Por mais das vezes, as fotografias marcantes de esporte, devido a natureza veloz da ação, são preparadas. A prova dos 100 metros é tão rápida que se o fotógrafo desviar o olho do visor, perde o momento decisivo. Quando Bolt passou por Spencer, o fotografo reteve a respiração para não tremer. Disparou várias vezes com a câmera acompanhando o movimento do corredor jamaicano. Ou seja, da direita para à esquerda. Isso possibilitou o efeito borrado das pernas em movimento mais rápido que o resto do corpo. A cabeça de Bolt ficou imóvel por estar sendo seguida pela objetiva. O Raio abriu um sorriso. Sorte. Sem o sorriso seria apenas uma boa fotografia.

Os fotógrafos da Getty fizeram 21 mil fotografias dos 100 metros. Entre elas, 876 foram editadas e enviadas, via conexão ethernet, à Londres em apenas 59 segundos após do fim da prova. Levaram 1 minuto e 20 segundos para percorrer mais de 9 mil quilômetros até a sede da agência. Um recorde em coberturas olímpicas. Mais uma história curiosa para o almanaque da fotografia cuja invenção por Niepce completou 190 anos na semana da prova de maior audiência da Rio 2016."
                                                                     
                                                                                        Antonio Ribeiro



Raphael Sombrio

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.904
  • O RAW é um diamante...bruto
Resposta #1 Online: 23 de Agosto de 2016, 21:40:21
É a famosa "espere o inesperado" de Gallen Rowel, imaginar, acreditar, preparar e esperar.

O não vc já tem...


Tupiniquim

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.256
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #2 Online: 24 de Agosto de 2016, 02:17:14
Foto e narrativa sensacionais!
Fico imaginando: se essa foto aparecesse na Galeria ou, pior, no Corredor Polonês, que comentários mereceria? "O foco não está cravado no olho"; "o Bolt está apertado no frase"...
T3i + Sigma 10-20; Sigma 17-50 f 2.8; Canon 55-250; 50 F 1.8
5D Mark II + 24-105; YN 35; 85 F 1.8; 70-200 f4 USM
580EX II x 2


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.069
  • Sexo: Masculino
Resposta #3 Online: 24 de Agosto de 2016, 02:51:04
Foto e narrativa sensacionais!
Fico imaginando: se essa foto aparecesse na Galeria ou, pior, no Corredor Polonês, que comentários mereceria? "O foco não está cravado no olho"; "o Bolt está apertado no frase"...

Bom, qualquer um pode ter uma opinião sobre a foto, seja ela positiva ou negativa. Eu pessoalmente considero ela boa, mas não sei se pagaria tanto pau assim como estão pagando. Ela com certeza é melhorada pelo fato ser uma foto do Usain Bolt, porque se fosse de outro atleta a galera não estaria papagaiando a imagem tanto assim. Então somente uma parte do mérito pela foto pertence à visão e à habilidade do fotógrafo, e o resto do mérito pertence ao assunto fotografado.

Mas o que eu aposto que aconteceria aqui no fórum seria o problema da inconsistência. Poste essa foto no Corredor Polonês e alguém vai dizer que a foto é ruim; posta essa foto aqui sendo reconhecida mundialmente como a melhor foto dos Jogos Olímpicos e esse mesmo alguém diria que a foto é incrível. Já cansei de ver aqui no fórum como uma boa parte dos usuários é facilmente influenciada pela opinião dos outros.


Tupiniquim

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.256
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #4 Online: 24 de Agosto de 2016, 02:55:08
Sem reparos a seu texto, que ficou bastante próximo do que eu penso.
T3i + Sigma 10-20; Sigma 17-50 f 2.8; Canon 55-250; 50 F 1.8
5D Mark II + 24-105; YN 35; 85 F 1.8; 70-200 f4 USM
580EX II x 2


Bantunes

  • Trade Count: (10)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 156
    • bsimba
Resposta #5 Online: 24 de Agosto de 2016, 11:53:08
Eu discordo. Do jeito que você fala parece que o maior mérito da foto é o Usain Bolt e não o fotógrafo. Existem milhares de fotos do Bolt na internet e são banais. Lá mesmo na corrida, um batalhão de fotográfos foram escalados para cobrir a corrida mas a que foi escolhida foi essa. Pq? Porque além de esteticamente transmitir a velocidade da prova em um quadro também capta a personalidade de Bolt, com aquele sorriso.

É uma foto inusitada. Não é comum numa prova de 100, 200 metros ver esse tipo de  foto com um borrão ao fundo. Porque é muito arriscado. O fotografo só tem um chance. Se erra perdeu a foto. Lógico que contribui o fato de ele não ter sido escalado e pode ficar mais à vontade para arriscar. Geralmente vemos esse tipo de foto mais em formula 1, onde os carros passam varias vezes pelo mesmo lugar. E mesmo assim é preciso destreza para fazer esse borrão. Além disso a foto foi agraciada pelo sorriso do Bolt. Porque uma boa foto tem disso..de sorte, do inusitado, de algo que você não pode controlar. E isso não tira o mérito do fotógrafo. Ao contrário, um de seus méritos é estar no lugar certo e na hora certa.

Se não fosse  o Bolt retratado essa foto correria o mundo? Provavelmente não. Mas ainda sim seria um fotão. Seria uma excelente foto de corrida de 100 metros. Mas perceba que o fato de ser o Bolt não diminui o mérito do fotógrafo mas contribui para a fotografia ser o que ela é: uma foto histórica. Grandes personagens e momentos da história merecem grandes fotos. É como se você dissesse que se não fosse o médici retratado na foto do Evandro Teixeira, se fosse uma autoridade desconhecida, não teria tanto valor. Se a foto icônica de Rober Capa na segunda guerra não teria valor se fosse feita no quintal dele. Provavelmente não teriam tanto valor histórico, mas não faz sentido essas questões.

Francamente não faz sentido.


Mestaky

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 725
  • Sexo: Masculino
Resposta #6 Online: 24 de Agosto de 2016, 15:02:28
Belo exemplo de como a importância da narrativa supera o rigor técnico em grandes fotos.
 
Não é uma foto tecnicamente perfeita, passa longe de ser o melhor exemplo de execução de um panning, mas foi de extrema felicidade a percepção do fotógrafo de fugir do "feijão com arroz" e ter tido a sorte do atleta olhar para trás com aquele sorriso, mereceu ser coroado!

O Raphael fez uma ótima menção ao saudoso Galen Rowell, que deixou inúmeras grandes lições. Se não me engano, essa passagem é do livro "Inner game of outdoor photography". 

Abs.,
Marcelo.
Whatsapp / Telegram: 21 98799 7105
mestaky@gmail.com


Bretas

  • Mecenas
  • Trade Count: (5)
  • Colaborador(a)
  • *****
  • Mensagens: 4.519
  • Sexo: Masculino
Resposta #7 Online: 24 de Agosto de 2016, 17:17:05
Que legal...  :ok: :ok: :ok:


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.069
  • Sexo: Masculino
Resposta #8 Online: 24 de Agosto de 2016, 18:28:40
Francamente não faz sentido.

É uma falta de sentido alguém com uma opinião diferente.


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.069
  • Sexo: Masculino
Resposta #9 Online: 24 de Agosto de 2016, 19:19:38
A foto aparentemente não é tão única assim. Um outro fotógrafo, no mesmo lugar, praticamente no mesmo momento, tirou uma foto executada exatamente da mesma forma:




https://www.dpreview.com/news/4355334799/two-rio-photographers-captured-almost-exactly-the-same-usain-bolt-photo-and-both-went-viral


banzai

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 829
  • Tentando capturar o mundo de uma forma diferente
Resposta #10 Online: 24 de Agosto de 2016, 23:21:11
Milhares de fotógrafos lá, e só ele tiraria foto desse momento da prova? Acho que deve ter pelo menos mais umas 30 fotos iguais por ai...