Autor Tópico: Melhor impossível?  (Lida 564 vezes)

robertostrabelli

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 162
  • Sexo: Masculino
  • Papógrafo Profissional
    • Blog
Online: 24 de Setembro de 2016, 21:59:50
Bom,

revisei geral a Zenit EM,
limpei os vrido da lente :D,
pus um filme barato,
bati as foto usando o máximo da minha tênica :D, seguindo o fotômetro que aparentemente estava ok,
revelei no último e recôndito local que faz tal mágica aqui na roça,
digitalizei com carinho
Processei no camera raw puxando tudo no talo e ufa!

MAAS não gostei do resultado. Parece tudo meio blé, fora de foco, cores lavadas. Estou mal acostumado com o digital ou tem algo errado comigo ou no processo todo?

Filme: Kodak Colorplus 200
Scanner: HP Scanjet 4890 (anterior ao G4050) com vuescan configurado pra 4800, raw, filme colorido default

Relevem as manchas, o negativo acabou riscando.

Acho que o fato de a camera praticamente pular na hora do tiro talvez prejudique um pouco mas também pode ser que eu tenha perdido toda a agudeza no scanner, não sei. O que vocês acham?

Dia, na sombra, foco nas pétalas da frente, abertura média provavelmente, velocidade uns 150


Idem mas com abertura máxima


Dia de sol, foco não lembro onde, abertura mínima/média provavelmente, velocidade só deus sabe, talvez 250


Idem, foco no meio da extensão da parede


Sol fraco, foco no casal, abertura mínima possível com velocidade de 250 ou 500


Penumbra, foco na banana, abertura máxima, velocidade deve ter sido 60





"A liberdade, Sancho, não é um pedaço de pão."


DMZamora

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • *****
  • Mensagens: 3.301
  • Sexo: Masculino
Resposta #1 Online: 24 de Setembro de 2016, 22:32:01
Aqui vai mera especulação. O 4890 é um scanner flatbed genérico, não específico para digitalização de filmes. Para digitalizar as películas com esse scanner, é necessário montá-las nos suportes que o acompanham. Ocorre que isso é um "quebra galho de fábrica", e tais suportes fazem com que a película fique levemente afastada do vidro, que é o "plano focal" do scanner. Isso explicaria por que, na segunda foto, um fiapo de poeira está nítido (estava depositado diretamente sobre o vidro), enquanto a flor retratada não (o filme estava levemente acima do vidro, e portanto atrás do plano focal).

Nunca consegui resultados satisfatórios com scanners não específicos para digitalização de filmes, pois os dedicados, quando de boa qualidade, possuem capacidade de ajuste de foco, manual e automático, o que garante que a nitidez da digitalização será a melhor possível.

« Última modificação: 25 de Setembro de 2016, 04:16:54 por DMZamora »
Daniel Zamora - Brasília/DF
Canon 7D Mark II/ EF-S 10-18 IS STM / EF-S 18-55mm IS / EF 24-105mm L IS USM / EF-S 55-250mm IS / EF 50mm f/1.8 II / YongNuo Speedlite YN-565EX x2 / YN-622C x3
Olympus OM-1 MD / Zuiko 50mm f/1.4 / Soligor 28mm f/2.8


RTFM!


bruno_sfc

  • Trade Count: (13)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 942
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 24 de Setembro de 2016, 23:42:24
Bom,

revisei geral a Zenit EM,
limpei os vrido da lente :D,
pus um filme barato,
bati as foto usando o máximo da minha tênica :D, seguindo o fotômetro que aparentemente estava ok,
revelei no último e recôndito local que faz tal mágica aqui na roça,
digitalizei com carinho
Processei no camera raw puxando tudo no talo e ufa!

MAAS não gostei do resultado. Parece tudo meio blé, fora de foco, cores lavadas. Estou mal acostumado com o digital ou tem algo errado comigo ou no processo todo?

Filme: Kodak Colorplus 200
Scanner: HP Scanjet 4890 (anterior ao G4050) com vuescan configurado pra 4800, raw, filme colorido default

Relevem as manchas, o negativo acabou riscando.

Acho que o fato de a camera praticamente pular na hora do tiro talvez prejudique um pouco mas também pode ser que eu tenha perdido toda a agudeza no scanner, não sei. O que vocês acham?

Tenho pesquisado bastante o processo analógico 35mm. Ainda não cheguei num workflow ideal, mas tenho melhorado muito e estou muito mais satisfeitos com meus resultados hoje do que minhas tentativas passadas. Veja este tópico em que comparei uma digitalização com um scanner flatbed e outro com scanner um dedicado: http://forum.mundofotografico.com.br/index.php?topic=122978.0

Colorido é um pouco diferente, mas acho que funcionaria pra você: VueScan (parâmetro linear em negativo — consulte o manual disponível na internet), abrir no Photoshop e converter pra positivo com o ColorPerfect.


robertostrabelli

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 162
  • Sexo: Masculino
  • Papógrafo Profissional
    • Blog
Resposta #3 Online: 25 de Setembro de 2016, 18:12:18
Aqui vai mera especulação. O 4890 é um scanner flatbed genérico, não específico para digitalização de filmes. Para digitalizar as películas com esse scanner, é necessário montá-las nos suportes que o acompanham. Ocorre que isso é um "quebra galho de fábrica", e tais suportes fazem com que a película fique levemente afastada do vidro, que é o "plano focal" do scanner. Isso explicaria por que, na segunda foto, um fiapo de poeira está nítido (estava depositado diretamente sobre o vidro), enquanto a flor retratada não (o filme estava levemente acima do vidro, e portanto atrás do plano focal).

Nunca consegui resultados satisfatórios com scanners não específicos para digitalização de filmes, pois os dedicados, quando de boa qualidade, possuem capacidade de ajuste de foco, manual e automático, o que garante que a nitidez da digitalização será a melhor possível.

Eu coloquei o negativo direto no vidro, com um vidro antireflexivo em cima. Mas realmente é quase impossível não deixar alguma sujeira, mesmo passando um pincel e examinando bem. Pelo que andei lendo, o foco desse modelo de scanner acaba ficando abaixo da altura do vidro e pra complicar varia conforme a temperatura :shock:

"A liberdade, Sancho, não é um pedaço de pão."


robertostrabelli

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 162
  • Sexo: Masculino
  • Papógrafo Profissional
    • Blog
Resposta #4 Online: 25 de Setembro de 2016, 18:20:43
Tenho pesquisado bastante o processo analógico 35mm. Ainda não cheguei num workflow ideal, mas tenho melhorado muito e estou muito mais satisfeitos com meus resultados hoje do que minhas tentativas passadas. Veja este tópico em que comparei uma digitalização com um scanner flatbed e outro com scanner um dedicado: http://forum.mundofotografico.com.br/index.php?topic=122978.0

Colorido é um pouco diferente, mas acho que funcionaria pra você: VueScan (parâmetro linear em negativo — consulte o manual disponível na internet), abrir no Photoshop e converter pra positivo com o ColorPerfect.

Eu vi seu tópico. Realmente você está tendo resultados muito bons! :clap:

Depois que subi as fotos, fiz mais uma bateria de testes. Disfarça que eu calibrei muito mal as cores :assobi:, simplesmente não anulei a cor base do filme. Segui esse guia aqui e as cores ficaram bem melhores: http://www.frogymandias.org/imagery/camera-scanning-acr-photoshop.html#SetColorSpaceinACR

Mas de qualquer forma isso não resolve muito a nitidez. Eu testei o método alternativo usando minha T5 e no final ficou bem melhor que o scanner!
Acho que vou seguir esse caminho, fazer uma mesinha de luz e tal.


"A liberdade, Sancho, não é um pedaço de pão."


AFShalders

  • Trade Count: (27)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.029
  • Sexo: Masculino
  • "Bela câmera, mas mostre as fotos..."
    • Old Good Light
Resposta #5 Online: 25 de Setembro de 2016, 19:08:12
Meus dois tostões:

O problema, aparentemente não foi no filme, e sim no processo de digitalização.
Esses scanners da HP não são bons. Ponto. Aliás, nenhum scanner de mesa é bom para filme de 35mm ou menor.
4800 dpi em um scanner de mesa é ficção. Embora o ccd do scanner tenha esta real capacidade, a mecânica não tem precisão suficiente. Mesmo o Epson V700/V750 tem o pico de nitidez em 2200-2400 dpi (tenho um V700 e um Minolta Scan Dual IV)

Tente escanear em 2400 dpi, com todos os ajustes tipo nitidez, contraste, etc. zerados, e depois trabalhe no programa de sua preferencia, aí sim ajuste as curvas e brinque com nitidez. Recomendo usar o filtro passa-alta (high pass) em vez do unsharp mask. Nessas fotos dá para ver que o shrpen foi pesado, pois tem halos na borda da flor.

No Vuescan, ponha em auto levels e o multisampling em 2 vezes. Vai melhorar o DR.


aqui tem outras referencias:

http://www.colorperfect.com/scanning-slides-and-negatives/scans/Hamrick-Software/VueScan/
http://benneh.net/techshit/vuescan-colorperfect-a-guide/?goal=yes
https://www.hamrick.com/vuescan/html/vuesc21.htm
https://www.gasfoodnolodging.com/2010/01/scanning-color-negatives/


Eu uso outro método, mas não sei se dá para rodar no Windows.
Se quiser dar uma olhada: http://oldgoodlight.blogspot.com.br/p/scanning-negatives-in-raw.html
« Última modificação: 25 de Setembro de 2016, 19:10:24 por AFShalders »
Ética não é negociável.

Viciado em Fotografia desde 1980
www.oldgoodlight.blogspot.com
www.flickr.com/groorj


robertostrabelli

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 162
  • Sexo: Masculino
  • Papógrafo Profissional
    • Blog
Resposta #6 Online: 25 de Setembro de 2016, 22:31:44
Tente escanear em 2400 dpi, com todos os ajustes tipo nitidez, contraste, etc. zerados, e depois trabalhe no programa de sua preferencia, aí sim ajuste as curvas e brinque com nitidez. Recomendo usar o filtro passa-alta (high pass) em vez do unsharp mask. Nessas fotos dá para ver que o shrpen foi pesado, pois tem halos na borda da flor.

No Vuescan, ponha em auto levels e o multisampling em 2 vezes. Vai melhorar o DR.


Essas fotos que eu postei foram muito puxadas por que as cores originais estavam lavadas demais, mas eu estraguei tudo porque descuidei do equilibrio do branco :aua:.

2400 tem perda significativa, 4800 sai um pouquinho melhor. Não dá pra passar mais que uma vez, a imagem borra visivelmente, acho que o carrinho do sensor vibra.

Cansei de testar. Mexe pra lá, mexe pra cá e não adianta. É o tipo de coisa que deixa o caboclo maluco. Andei lendo que nessa de procurar a perfeição em digitalizar tem gente que faz um tal de fluid mount, o negativo mergulhado em óleo mineral. :eek:

Num teste rápido consegui um resultado com mais nitidez e boas cores simplesmente fotografando o negativo na frente de uma lâmpada. Vou experimentar esse caminho e talvez vender o scanner já que ele cumpriu seu papel de digitalizar algumas fotos antigas. Apesar de tudo, acho que é um scanner bastante bom por causa da luz enorme na tampa. Penso que pra médio formato deve ser útil. :ponder:

"A liberdade, Sancho, não é um pedaço de pão."