Autor Tópico: O que está em alta hoje em dia?  (Lida 1229 vezes)

Leorreia

  • Trade Count: (3)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 243
  • Sexo: Masculino
  • Astrofotografia
    • Leonardo Froes Fotografia
Online: 07 de Janeiro de 2017, 12:50:22
Fala pessoal, tudo certo?

Então, a pergunta é simples.

O que está em alta hoje? Qual é a moda do momento? Não simplesmente com relação à fotografia, mas no geral.
Sabemos que a economia do Brasil não anda lá uma maravilha, mas tem bastante gente ganhando dinheiro por aí e eu gostaria de verdade de ser uma dessas pessoas  8-)

Qual é a ideia? Investimentos? Abrir um negócio próprio? Negócio físico ou não palpável?

Não há segredo para o sucesso, mas eu gostaria de ler as idéias que poderão surgir por aqui, sei lá.

Se você tivesse uns 300 mil na mão, por exemplo, o que você faria?
~ Know your limits, but never accept them ~


amador47sc

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (16)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.190
  • Sexo: Masculino
  • Aperfeiçoando o olhar em busca da melhor imagem
Resposta #1 Online: 07 de Janeiro de 2017, 13:24:02
uma boa pergunta, meu caro.

Tenho essa dúvida também. Mas se eu fosse abrir uma empresa hoje em dia, daria preferência para produtos de necessidade ao invés de desejo.
Ou seja, coisas que a maioria das pessoas precisam em algum momento e que não sejam "supérfulos".

Então, numa hereditariedade PRA MIM seria mais ou menos assim:
1 - Produtos necessários ao bem-estar das pessoas
1.a - Produtos que as pessoas sejam "obrigadas" a comprar (alimentos, roupas, calçados, etc etc)
1.b - Produtos que a maioria da população possa adquirir (que seja barato)
1.c - Produtos não perecíveis (para não ter problema de estragar na prateleira enquanto não vender)
1.d - Produtos que de preferência possam ser vendidos à vista, sem necessidade de parcelamento.
1.e - Estrutura mínima para reduzir despesas

Claro que o desejo de um pode ser o necessário para outro. Trazendo para o mundo do fórum: O desejo de um amante da fotografia em ter uma Canon 5D Mark III para registrar seus cotidiano pode ser o Necessário para um fotógrafo profissional substituir um equipamento danificado.

Citando apenas um exemplo: Aqui na minha cidade um dos caras mais ricos e que enriqueceu num período não muito longo foi um dos pioneiros das lojas de 1,99. Cartão de crédito? Nunca !!  Cheque?? Nem pensar... parcelamento?? Jamais... tudo dinheirinho à vista. As pessoas mais humildes em épocas como natal, páscoa, dia das crianças, etc superlotam as lojas dele.

« Última modificação: 07 de Janeiro de 2017, 13:25:10 por amador47sc »


Guto Marc

  • Trade Count: (14)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.616
    • http://www.gutomarcondes.com.br
Resposta #2 Online: 07 de Janeiro de 2017, 13:34:26
R$300 mil eu investiria em uma campanha para vereador.  Retorno garantido em apenas 10 meses. É brincadeira, mas ao mesmo tempo verdade.
Agora pensando em negócios que não seja política ou igreja, eu ficaria com segmento de alta renda. Veja: pior crise do setor automotivo. Quais carros que explodiram de vender? Todos acima de 70 mil. Quais encalharam? Todos os "populares e intermediários". Rico não tem crise, só classe média. E mesmo que o rico esteja enfrentando a crise, não pode perder a pose no meio que vive, então continua consumindo. Obviamente cada empresa é um caso e demanda uma análise mais criteriosa, inclusive swot, pesquisa de mercado, etc.
** NÃO TRABALHO MAIS COM SEGURO DE EQUIPAMENTOS **

Visitem meu blog sobre fotografia : https://www.gutomarcondes.com.br
E meu site sobre dicas de viagem :
https://www.reviewdeviagem.com.br


felipemendes

  • Trade Count: (9)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.441
  • Sexo: Masculino
  • Fotógrafo, não. Fotografador.
    • Meu Flickr
Resposta #3 Online: 07 de Janeiro de 2017, 15:42:06
Conheci um cara um dia desses que tá faturando uma grana fabricando máquinas pras pessoas trabalharem por si: máquina de fazer coxinha de galinha, máquina de imprimir em azulejo... Levando em conta a quantidade de pessoas que perderam emprego recentemente, é um filão.
« Última modificação: 07 de Janeiro de 2017, 15:44:07 por felipemendes »
Felipe


Danilo_cs

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.060
    • DCS
Resposta #4 Online: 07 de Janeiro de 2017, 16:52:37
Ouvi falar de uma pessoa que foi engraxate e agora ele é milhonario!

Ele juntou um dinheiro e comprou uma caixa de engraxate. Daí ele trabalhou muito e conseguiu ganhar muito e o dinheiro que ganhava, comprou outra caixa de engraxate e um ajudante. Daí dessas duas caixas, ele comprou outras duas e foi colocando mais ajudantes e mais ajudantes até que teve um dia que ele ganhou 2 milhões na loteria. 8-)

(brincaderinha só pra quebrar o gelo :) - Piada do Chaves)
Meu trabalho está aqui em http://www.dcsdesenvolvimento.com.br :)


spositom

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.464
Resposta #5 Online: 07 de Janeiro de 2017, 23:41:18
Algumas observações importantes, não sei se boas

- Não importa a qualidade do que vai fazer ou se realmente é relevante para alguma coisa, ponha em seu BP uma verba boa para MKT, isso sim é importante
- Fuja ao máximo produzir alguma coisa (pelo menos no Brasil), vc está num pais governado por idiotas(to sendo bonzinho), que gastam 80 milhões de reais por ano num TST e devolvem ao trabalhador 60.
Graças aos nossos impostos sobre os meios de produção, MO, energia elétrica e ainda tem um fiscal doido é quase impraticável  produzir qualquer coisa, mesmo assim se for um incompetente como eu (só sei fabricar coisas, mais de 25 anos só fazendo isso), procure algo que seja possível automatizar ou já automatizado, ter a menor MO possível.
- Um ramo promissor é o que o colega @felipemendes falou, vender sonhos: produtos que com um MKT bem feito mostra a possibilidade das pessoas se darem bem, vendem esperança. "Compre a minha maquina de coxinha, gaste R$ 0,25 e venda por R$1,50, coloque em letras garrafais, "600% de lucro". A parte sanitária, documentação junto a CETESB e outras coisas pertinentes ao ramo deixa que o cliente descobre sozinho. Ideal é importar as maquinas e quando acabar a leva, encerre as atividades ou vende a empresa.

Existem inúmeros casos semelhantes que deram certo, o FDP que vendia um produto que custava R$1.000 em qualquer loja, por R$ 250, prazo de entrega de 45 a 60 dias e aceitava cartão de crédito. Gastou um troco bom em mkt, anúncios em veículos confiáveis (tipo jornal Estadão), entregava os primeiros produtos, colocava depoimentos (isto aumenta a confiabilidade) e em determinado momento vc vai a falência, mas antes contrata um monte de empresas suas no nome de laranjas para palestras, assessorias comerciais, etc para justificar a saída do $$, senão vão em cima de seus bens.
Os clientes simplesmente acreditavam que o cara vendia um produto com valor menor que em qualquer lugar do planeta, inclusive o preço de venda do fabricante e não tomariam o balão

Se não tiver estomago pra isso tudo, invista no mercado financeiro, as taxas de juros altas favorecem e não à produzir algo , mas acho que vai precisar de um $$ a mais.

Vender serviços que sejam facilitadores não garantindo resultados também são uma boa pedida. Lembro que quando procurei emprego (muitos anos atrás), existiam empresas que vendiam vagas de entrevistas. Elas provaram para as empresas contratantes (não sei como) que seria apresentado o melhor candidato para uma determinada vaga sem cobrar pela assessoria , que ela seria paga com prazer pelo candidato. O cenário esta muito bom pra isso, as empresas sem grana e o fxxxxo tá precisando de emprego desesperadamente

Fora isso, qualquer coisa dentro do legal relacionada a sexo, isso nunca para  :wub:


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Resposta #6 Online: 08 de Janeiro de 2017, 01:18:57
Se você tiver um nível educacional razoável (boa graduação e/ou pós-gradução), uma língua estrangeira razoável e 300 mil, o melhor investimento é se mudar do Brasil. Ou você coloca esses 300 mil (93 mil dólares) num fundo de investimento e vê se dá pra tirar uma renda sem trabalhar muito, ou investe em num negócio num país mais estável e seguro, ou deixa esse dinheiro guardado pra uma emergência e arruma um emprego de classe média trabalhando em um escritório.


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Resposta #7 Online: 08 de Janeiro de 2017, 01:21:45
Ouvi falar de uma pessoa que foi engraxate e agora ele é milhonario!



Milhonário da indústria do milho sendo carregado por seus escravos brancos


sri_canesh

  • Trade Count: (11)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.644
  • Sexo: Masculino
Resposta #8 Online: 08 de Janeiro de 2017, 07:19:39
O que está na moda é não ter experiência nenhuma em determinado assunto e ser um baita de um enrolador e se vender como especialista.

Quer dois exemplos fáceis? Bel Pesce com seus currículos no mínimo duvidosos e aquele tal do Marcos do Val que não tem experiência alguma em atividades policiais (aquele lance de swat é só pra inglês ver) se vende como especialista em segurança e vive dando palestras por aí, inaugurando lojas de caça e pesca, etc

Infelizmente (ou melhor, felizmente) nem todo mundo tem a lábia deles e/ou ao mesmo tempo tem o mínimo de senso de ética para não fazer isso.

Falando em falta de ética, outro ramo que dá muito dinheiro é abrir um birosca neo-pentecostal e se intitular Pastor. Respeito as igrejas sérias e tradicionais, mas esses templos de fundo de quintal são apenas caça-niqueis.

Por outro lado, não comungo do pessimismo dos outros colegas. Estamos em uma fase difícil mas como sempre superamos. E temos que pensar que a culpa é nossa, nenhum dos caras que está lá não passou pelo voto.
Outros países também tem suas dificuldades e regulamentos. Tente, por exemplo, abrir uma empresa na altamente regulamentada Alemanha para ver o que é bom.
« Última modificação: 08 de Janeiro de 2017, 07:21:00 por sri_canesh »
Cássio R. Eskelsen - Blumenau/SC


Rick99

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.985
  • Sexo: Masculino
  • Amador
Resposta #9 Online: 08 de Janeiro de 2017, 10:38:23
O que está em alta hoje? Inovar e/ou agir com inteligência.

Se tem conhecimento sobre a bolsa de valores e economia, sabe que o cenário (de 2 anos pra cá) é favorável para investir e arriscar. Claro, isso pra quem tem noção de como isso funciona.
Se é bom em algo (ou sabe enganar bem), faça vídeos e palestras. No Youtube tem um monte de gente que faz isso, e ainda ganha dinheiro e "fama". Já tivemos um ex-presidente que dava palestras pra ensinar nada...:D

Com R$ 300k, dá pra arriscar com algo que vc saiba fazer bem, e na maioria dos casos, sem desembolsar tudo o que tem. No Brasil é fácil de fazer isso de começar algo.
Só não dá pra entrar de cabeça num negócio que aparenta ser bom, e que vc não tenha conhecimento algum sobre isso. A moda atualmente é montar "food trucks". Eu que não sei nem fritar um ovo, não investiria nisso...  :hysterical:


sri_canesh

  • Trade Count: (11)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.644
  • Sexo: Masculino
Resposta #10 Online: 08 de Janeiro de 2017, 14:31:06

Só não dá pra entrar de cabeça num negócio que aparenta ser bom, e que vc não tenha conhecimento algum sobre isso. A moda atualmente é montar "food trucks". Eu que não sei nem fritar um ovo, não investiria nisso...  :hysterical:

Isso não quer dizer nada. Tem monte de gente que compra uma câmera, faz uma página no facebook "Fulano Photographer"  e sai por ai vendendo serviço de fotografia  :hysterical: :hysterical:
Cássio R. Eskelsen - Blumenau/SC


Rick99

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.985
  • Sexo: Masculino
  • Amador
Resposta #11 Online: 08 de Janeiro de 2017, 15:46:12
Isso não quer dizer nada. Tem monte de gente que compra uma câmera, faz uma página no facebook "Fulano Photographer"  e sai por ai vendendo serviço de fotografia  :hysterical: :hysterical:

Sim, no Facebook está cheio desses tipos. Inclusive cresceu o número de "fotógrafos" no país: pessoas que perderam seus empregos anteriores, compraram uma câmera e entraram de cabeça nesse setor. Muitos fizeram dois meses de curso (ou nem isso), e já trabalham... :hysterical:

Agora, sem ironias ou gozações: muitos leigos encaram a fotografia como um trabalho que exige pouco investimento inicial, e curto período de tempo para aprender o ofício.  É espantoso ver quantas pessoas que entraram ramo em tão pouco tempo...:no:

 


Danilo_cs

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.060
    • DCS
Resposta #12 Online: 08 de Janeiro de 2017, 16:34:29
Eu fui um dos que fez isso  :aua: rssss

É que foi assim: Eu vi aquela camera D90 na vitrine de uma loja. Coisa mais linda. Na época eu tinha a Sony h50.
Eu ia pagar 3500 na camera. Eu pensei como vou comprar isso só para brincar?

Ai eu não me aguentei e comprei. Na época havia algumas promessas. Alguns conhecidos diziam que queriam fazer um album e tals...
Daí eu conclui: "Se todos fizer...pelo menos o valor da camera da pra recuperar".

Eu não fiz nenhum curso de foto. Mas como eu ja tinha um negócio freelancer de desenvolvimento gráfico e tinha noções básicas de fotografias eu tentei encarar. Eu aprendi a fotografar com um fotógrafo muito famoso que tem aqui na cidade. Eu ajudava ele no tratamento de fotos e foi assim que aprendi a fotografar. Ele me ensinou muitas coisas também. Digamos que as principais fontes de aprendizagem foi com ele e com o fórum aqui...!

Tive pouquissimo retorno e atualmente estou parado. Mas se fosse para recomeçar ou se alguem disser para mim que quer ser fotografo (sempre aparece), eu digo que antes de investir em camera, faça um curso de adminstração, faça o calculo dos gastos de divulgação e tals antes de começar pra valer. Acho que é o certo né?
Meu trabalho está aqui em http://www.dcsdesenvolvimento.com.br :)


Leorreia

  • Trade Count: (3)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 243
  • Sexo: Masculino
  • Astrofotografia
    • Leonardo Froes Fotografia
Resposta #13 Online: 08 de Janeiro de 2017, 17:39:16
O que está na moda é não ter experiência nenhuma em determinado assunto e ser um baita de um enrolador e se vender como especialista.

"Coach", um exemplo do momento. Cada dia surge um especialista novo em coaching no Facebook.

uma boa pergunta, meu caro.

Tenho essa dúvida também. Mas se eu fosse abrir uma empresa hoje em dia, daria preferência para produtos de necessidade ao invés de desejo.
Ou seja, coisas que a maioria das pessoas precisam em algum momento e que não sejam "supérfulos".

Então, numa hereditariedade PRA MIM seria mais ou menos assim:
1 - Produtos necessários ao bem-estar das pessoas
1.a - Produtos que as pessoas sejam "obrigadas" a comprar (alimentos, roupas, calçados, etc etc)
1.b - Produtos que a maioria da população possa adquirir (que seja barato)
1.c - Produtos não perecíveis (para não ter problema de estragar na prateleira enquanto não vender)
1.d - Produtos que de preferência possam ser vendidos à vista, sem necessidade de parcelamento.
1.e - Estrutura mínima para reduzir despesas

Partilho do mesmo pensamento que o seu, hoje em dia eu trabalho com o oposto à isso: ninguém precisa, a maioria não pode adquirir, produtos perecíveis e de manutenção cara, produtos que quase nunca são vendidos à vista e tabela de despesas fixas altas, além de tudo isso é um setor supérfluo. Sim, estou falando de Buffet Infantil.

Pode ser um sonho para alguns e, muitos aqui no forum aposto que adorariam a ideia, afinal, somos fotógrafos, não?
Estou com a faca e o queijo na mão, eu vendo a festa infantil e de combo já vendo o pacote fotográfico, fora os adicionais.

Porém, como dito anteriormente, a economia não anda nada boa (pior ainda para setores supérfluos) e a média de festas/mês só tem reduzido, se postasse aqui um gráfico de 2014 para hoje, seria uma bela de uma ladeira para um skatista descer. Mas ainda está pagando contas.

Por esses motivos (e principalmente outros particulares) estou tentando vender o Buffet.

Como dito antes por outro forista que food truck está na moda, eu creio que a moda já passou e quem está trabalhando com food truck hj em dia está na "cauda do cometa", pegando os resquícios ou um fraco movimento que se estabilizou. Meu vizinho tem um food truck. Aliás, eu sou cozinheiro por profissão e também formado nisso, já pensei em montar o próprio food truck mas para mim é mais complicado porque sou vegetariano e o público não é grande, então além do baixo movimento ainda pegaria uma minima porcentagem de vegetarianos.

To há 3 meses comprando revistas, pequenas empresa grandes negócios, você s/a, exame, etc.. Mas as idéias de negócio atuais, inclusive o que vem dando certo (Pets, por exemplo), não me agradam.

Area da alimentação, é isso que eu quero, mas existem tantas possibilidades...

O que você tem prazer de fazer na sua vida? o que você realmente tem prazer, faz de graça? Imagina receber por isso?

Eu, por exemplo, se fosse pago pra tirar fotos na floresta amazônica ou do céu noturno no Chile, acho que eu estaria no céu.

Cozinhar e observar a reação das pessoas também é bom, faço isso diariamente 2 vezes por dia já.
~ Know your limits, but never accept them ~


Nataniel

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 565
  • Sexo: Masculino
Resposta #14 Online: 08 de Janeiro de 2017, 23:55:07
Eu com R$ 300K, sairia do Brasil, empreenderia lá fora, mas, se fosse para ficar aqui, sem saber ao certo onde investir, avaliaria investir numa franquia, não que seja garantia de sucesso, mas ao menos o negócio já estaria formatado, com menor chance de fracasso, pois seria uma extensão do que já existe, e na devida avaliação, algo que esteja sendo rentável e com boas perspectivas de mercado.
Saudades eternas de nosso Snow. Felicidades diárias com nossa Alanis