Autor Tópico: O motivo da fotografia ter acabado hoje em dia.  (Lida 7564 vezes)

C R O I X

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.925
  • Sexo: Masculino
  • Fotografo Multiformato
    • Marcio Faustino
Online: 24 de Outubro de 2017, 20:21:08
Fotografia eh algo do passado. Nao eh apenas o significado da imagem que mudou, o ato de olhar tambem ja nao tem o mesmo significado. Hoje em dia eh sobre mostrar, enviar e talvez lembrar. Nao eh mais essencialmente sobre a imagem em si.
A imagem antigamente estava sempre associada a ideia de algo unico, para um enquadramento e composicao. Vc produzia algo que era, nela mesma, um momento singular. Desta forma, ela tinha algo de sagrado. Toda essa nocao hoje em dia, ja se foi ha muito tempo.

A cultura mudou, a fotografia do passado ja nao existe hoje. Eu realmente nao sei o pq nos mantemos ainda a palavra "fotografia". Deveria haver um termo diferente, mas ninguem se importa em descobrir esse novo termo.

Palavras de Wim Wenders.

Tudo isso pode soar saudosismo, mas eu penso que nao tem nada a ver com saudosismo. Eu acredito que ele tem razao. O ato de olhar e de fotografar hoje em dia eh completamente diferente da epoca pre-digital e pre-internet. Em outras palavras, sao dois atos, exercicios ou expressoes distintas, nao tendo nada a ver uma com a outra, mas levam o mesmo termo como se fosse a mesma coisa.

Eu nao sei se todos conceguem ver isso de forma tao clara e obvia quanto eu vejo e quanto Wim Wenders obviamente ve. Mas eh bom lembrar que tal mudanca eh obviamente experada tambem. Pq nao tem como tecnologias mudar sem mudar a forma com que as pessoas interpretam o mundo, veem o mundo e interagem com o mundo e a sua realidade. Da mesma forma que o Jornalismo que antes era analitico, passou a ser primordialmente factual apos o surgimento do codigo Morse. A politica que antes era mais engajadora a dialetica, apos a televisao passou a ser mais mais publicitaria, e hoje com a internet se torna mais entretendedora.

E penso que compreender tal diferenca de expressao, ou seja, de como olhar e de como fotografar, que em outras palavras tambem podemos chamar de "interagir com o mundo", eh essencial para identificar e compreender fotografos que buscam expressar essa linguagem passada. Nao por saudosismo, mas simplesmente pq eh uma outra linguage que remete algo que ja nao se ve mais ser expressado hoje em dia.

Tecnologias mudam experiencias e linguagens. Linguagens influenciam a maneira que as pessoas pensam e consequentimente a maneira que se relacionam e se expressam com as coisas e com o mundo.

https://www.theguardian.com/artanddesign/2017/oct/12/wim-wenders-interview-polaroids-instant-stories-photographers-gallery
« Última modificação: 24 de Outubro de 2017, 20:26:52 por C R O I X »


bjorn

  • Trade Count: (1)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 635
  • Sexo: Masculino
Resposta #1 Online: 25 de Outubro de 2017, 00:37:41

Fotografia eh algo do passado. Nao eh apenas o significado da imagem que mudou, o ato de olhar tambem ja nao tem o mesmo significado. Hoje em dia eh sobre mostrar, enviar e talvez lembrar. Nao eh mais essencialmente sobre a imagem em si........  :clap:

PERFEITO ... e acredito que este seja o motivo primordial para ela ( a fotografia como arte ) ter perdido em muito a sua graça e o seu valor como expressão

A imagem antigamente estava sempre associada a ideia de algo unico, para um enquadramento e composicao. Vc produzia algo que era, nela mesma, um momento singular. Desta forma, ela tinha algo de sagrado. Toda essa nocao hoje em dia, ja se foi ha muito tempo.....  >:(

A esmagadora maioria das fotos produzidas hoje sao uma maquiagem , perderam parte da espontaneidade , tanto uma maquiagem do fotografo quanto do software das cameras . Com certeza existem muitas exceções , mas o proprio mercado faz com que percam parte de seu valor

Tecnologias mudam experiencias e linguagens. Linguagens influenciam a maneira que as pessoas pensam e consequentimente a maneira que se relacionam e se expressam com as coisas e com o mundo.....  >:(

A tecnologia , do modo como ela está sendo desenvolvida hoje em dia , visa unica e exclusivamente a substituir o homem , quando deveria ser desenvolvida para auxilia - lo . Em breve teremos maquinas desenvolvendo maquinas ( existem mas AINDA interferimos no processo ) , maquinas consertando maquinas e com certeza se não abrirmos o olho seremos completamente substituidos .

Para alguns que pensam que exagero nos meus conceitos , já temos ... soldadores na industria automobilistica e siderurgica , pintores na industria , pilotos de aeronaves ( e não me refiro ao piloto automatico , nem aos drones ) , fotografos ( uma enorme rapaziada que apenas aperta o disparador sem saber porque ) e por ai vai , num sem numero de outras atividades .Nós estamos sendo completamente ignorantes , pois a nossa atualidade está criando os nossos futuros substitutos , e eles não comem , não dormem , não fazem greve , não tem problemas sociais e muito menos recebem salarios .


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 25 de Outubro de 2017, 02:36:32
Eu nunca vi a fotografia sendo isso que o Wim Wenders colocou. A fotografia nunca foi algo sagrado; desde o início ela sempre foi o produto de uma máquina (mais ou menos automatizada) e sempre motivada pelo capitalismo.

Essa parte sobre a fotografia ser um resultado do capitalismo corporativista é algo que a própria Susan Sontag disse, só que com um viés muito mais negativo. Volta lá nos anos 50, 60 ou 70, muito antes da fotografia digital e internet. A maioria esmagadora das pessoas que tiravam fotos eram turistas, pessoas tirando fotos da família. E essas fotos existiam, indiretamente, por conta das empresas que vendiam câmeras e filmes querendo lucrar em cima do ato de produzir fotos em massa.

Não existia internet, mas existia revista e jornal, onde boa parte das fotografias estavam presentes em anúncios publicitários. Existiam imagens presentes em outdoors, em posteres, em cartazes, nas embalagens dos produtos no supermercado. Ninguém olhando essas imagens olhava para elas de forma profunda, assim como ninguém olha hoje para os montes de fotos na internet da mesma maneira.

A fotografia sempre foi vulgarizada. A internet e a fotografia digital exacerbaram essa vulgarização? Sim, mas ela não inventaram essas tendências, elas sempre existiram. Só um pequeno grupo de pessoas faz fotografias com significado (e as consome da mesma forma). Sempre foi assim no passado e é assim hoje: uma pequena parte produzindo e consumindo fotografia com significado; a vasta maioria sempre produz e ainda hoje produz fotografia descartável.

O lance é que o tempo passa, e nós olhamos para as décadas passadas e só lembramos das fotos memoráveis. Isso cria uma distorção da história da fotografia e do momento atual.


Bucephalus

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.059
  • Sexo: Masculino
Resposta #3 Online: 25 de Outubro de 2017, 02:52:59
Ok, aqui vai uma hipótese: fotografia é equivalente à escrita.

A escrita não foi inventada para criar trabalhos de arte como romances ou poesias. Humanos inventaram e sempre usaram a escrita para coisas muito mais cotidianas e humildes, tipo escrever leis e administrar governos e outras empreitadas políticas, comerciais e financeiras.

Em algum ponto da história, alguém "distorceu" o uso original da escrita, e usou ela como ferramenta para criar arte (poesia e literatura). Ainda assim, desde sempre e até os dias de hoje, essas pessoas que usam a escrita como arte são uma minoria.

Parece familiar com a fotografia? Pois é, substitui "palavra" por "fotografia" nos parágrafos acima e você vai ver que a natureza da fotografia é a mesma. Ela é só uma ferramenta, fotografia nunca foi arte pura, a maioria sempre olhou e produziu fotos sem nenhuma motivação artística.


Elder Walker

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (8)
  • Colaborador(a)
  • *****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #4 Online: 25 de Outubro de 2017, 08:20:32
Ok, aqui vai uma hipótese: fotografia é equivalente à escrita.

A escrita não foi inventada para criar trabalhos de arte como romances ou poesias. Humanos inventaram e sempre usaram a escrita para coisas muito mais cotidianas e humildes, tipo escrever leis e administrar governos e outras empreitadas políticas, comerciais e financeiras.

Em algum ponto da história, alguém "distorceu" o uso original da escrita, e usou ela como ferramenta para criar arte (poesia e literatura). Ainda assim, desde sempre e até os dias de hoje, essas pessoas que usam a escrita como arte são uma minoria.

Parece familiar com a fotografia? Pois é, substitui "palavra" por "fotografia" nos parágrafos acima e você vai ver que a natureza da fotografia é a mesma. Ela é só uma ferramenta, fotografia nunca foi arte pura, a maioria sempre olhou e produziu fotos sem nenhuma motivação artística.

Ponto de vista muito interessante. Pra mim faz todo o sentido, especialmente pensando de forma mais abrangente a todos os fins da fotografia.
Canon 5D + EF 17-40mm f/4 L + EF 50mm f/1.8 STM + EF 85mm f/1.8 USM + Yongnuo 565EX + YN-622C


C R O I X

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.925
  • Sexo: Masculino
  • Fotografo Multiformato
    • Marcio Faustino
Resposta #5 Online: 25 de Outubro de 2017, 09:06:59
Eu nunca vi a fotografia sendo isso que o Wim Wenders colocou. A fotografia nunca foi algo sagrado; desde o início ela sempre foi o produto de uma máquina (mais ou menos automatizada) e sempre motivada pelo capitalismo.

Essa parte sobre a fotografia ser um resultado do capitalismo corporativista é algo que a própria Susan Sontag disse, só que com um viés muito mais negativo. Volta lá nos anos 50, 60 ou 70, muito antes da fotografia digital e internet. A maioria esmagadora das pessoas que tiravam fotos eram turistas, pessoas tirando fotos da família. E essas fotos existiam, indiretamente, por conta das empresas que vendiam câmeras e filmes querendo lucrar em cima do ato de produzir fotos em massa.

Não existia internet, mas existia revista e jornal, onde boa parte das fotografias estavam presentes em anúncios publicitários. Existiam imagens presentes em outdoors, em posteres, em cartazes, nas embalagens dos produtos no supermercado. Ninguém olhando essas imagens olhava para elas de forma profunda, assim como ninguém olha hoje para os montes de fotos na internet da mesma maneira.

A fotografia sempre foi vulgarizada. A internet e a fotografia digital exacerbaram essa vulgarização? Sim, mas ela não inventaram essas tendências, elas sempre existiram. Só um pequeno grupo de pessoas faz fotografias com significado (e as consome da mesma forma). Sempre foi assim no passado e é assim hoje: uma pequena parte produzindo e consumindo fotografia com significado; a vasta maioria sempre produz e ainda hoje produz fotografia descartável.

O lance é que o tempo passa, e nós olhamos para as décadas passadas e só lembramos das fotos memoráveis. Isso cria uma distorção da história da fotografia e do momento atual.

A respeito do que vc diz, sobre o que a fotografia sempre foi uma criacao "mecanica" na era moderna, e tambem da questao da fotografia com fim artistico vs outros fins, eu concordo plenamente. Mas essas nao sao as questao que Wenders se refere e que eu trato aqui no topico.

Na materia no link vc vai ler que Wenders nunca se se intitulou como fotografo e mesmo jamais pensou a respeito de tal titulo, ele era cinematografo. Tudo que ele fazia em se tratando de fotografia era snapshots atoas de seus passeios e dia a dia com uma polaroid, sem qualquer pretencao artistica, conceptual, historica, documental, jornalistica, cultural ou o que for. Logo, ele nao se refere a essa questao de foto artistica vc o resto. Ele nao se refere a fotografia como ferrameta tal como vc trata.

Ele fala do impulso que leva as pessoas a fotografarem, o olhar que as pessoas tem sobre a foto e consequentemente a relacao das pessoas com a fotografia. E muito lucidamente ele enxerga que essas relacoes que criavam fotografias antes ja nao existem mais hoje, e por isso o que eh feito hoje eh aögo completamente diferente.

O sagrado que ele se refere nao eh sobre o status da fotografia como valor de importancia social, artistica, etc, mas sim a relacao individual que havia na fotografia no passado. Hoje essa relacao individual nao existe, ela eh social e mais do que frequente virtual.

Isso nao eh um fenomeno unico da fotografia. A maneira que as pessoas viam, se relacionavam, e criavam pinturas e esculturas no passado eh completamente diferente da de hoje e nao existe mais hoje. A maneira que vemos aspinturas medievais e renascentistas hoje eh unica de nosso tempo, vemos de forma que nunca foi visto em suas epocas. E essa mudanca em especto as pinturas surgiu primeiro com museus e depois com a impressora ou maquinas de reproducao de imagens, fazendo com que pinturas que antes eram parte incintrica a o local em que ela se encontrava, tal como os pilares, lustres e paredes de uma casa, passou a ser apenas imagens avulsas com relacao somente a uma epoca e estilo. E principalmente pq antes para ver uma pintura vc tinha que ir ate a casa dela, e depois vc apenas ia ate o museus e tudo estava la, e mais tarde as pinturas eh que vinham ate a vc, pelos livros, depois publicidade e mais trade as telas.

Pense quantas pessoas continuariam fotografando caso elas nao tivessem como colocar a imagem online, receber comentarios, contabilizar numero de vizualizacoes e likes. E quantos fotografos hoje pegam uma foto e simplesmente ficam olhando fixamente para ela, nao pq ela eh arte, especial ou tem alguma mensagem, mas simplesmente pq quando fotogrando nao estava vizualizando na mente a impressao que ela faria as pessoas que a vissem, a impressao que ele passaria de si mesmo as pessoas com a imagem que ele fotografou, mas sim isolado no ato de simplesmente na experiencia da manipulacao da ferramenta e na apreciacao da propria imagem, e que agora esta la jogada em uma gaveta atoa, um mero snapshot mas que te faz apreciar como uma unicacidade nela mesma, e nao como uma experiencia social, ou vizualizacao social, ou reacao social.

Em outras palavras, hoje temos uma linguagem e consequentemente expressao de mundo diferente da epoca pre-90's. Ou podemos resumur, do seculo 20. E isso nao se percebe apenas na fotografia mas tambem no cinema, na musica, literatura, politica, entretenimento, educacao, etc.
« Última modificação: 25 de Outubro de 2017, 09:16:32 por C R O I X »


GBJ

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 29
  • Sexo: Masculino
Resposta #6 Online: 25 de Outubro de 2017, 10:53:34
A escrita não foi inventada para criar trabalhos de arte como romances ou poesias. Humanos inventaram e sempre usaram a escrita para coisas muito mais cotidianas e humildes, tipo escrever leis e administrar governos e outras empreitadas políticas, comerciais e financeiras.

Meus 2 cents.

Concordo, acho que a analogia é muito boa e expando: isso vale para muitas outras áreas. Escrita, pintura, fotografia, música, culinária, marcenaria, desenho etc.
 
Dar a essas atividades uma aura sacra/romântica/transcendente é o que fazem os apaixonados pelas respectivas.

Aproveitando o exemplo da escrita: até hoje ainda troco cartas com algumas pessoas. Compro o papel, o envelope, selos, uma boa caneta e reservo um tempo no qual vou exclusivamente ler a carta que recebi e escrever (ou começar a escrever) a resposta. Isso sem contar, claro, o tempo para ir aos Correios.

Eu poderia escrever um e-mail, mas tenho minhas razões para optar pelo método antigo. Tenho impressão que muito pouca gente (proporcionalmente ao número de pessoas que escreve e-mails, por exemplo) mantém esta prática.

O fato de a razão (no sentido matemático) ter se modificado não pode significar que a prática tenha deixado de existir, ou que tenha perdido sua importância.

Não sou artista, tampouco me considero fotógrafo. Tiro fotos (ou faço imagens, como queiram) algumas vezes com a intenção de mostrar para outros, mas também tiro fotos para poucos verem, e para que sejam recordações de situações/momentos que julguei importantes para a minha vida. Essas, eu "revelo" e coloco em um álbum pois acredito que foto no computador não tem vida.

Concordo que muita gente pararia de fotografar se não pudesse colocar isso nas redes sociais, mas ao mesmo tempo penso que muita gente passou a fotografar (e até com algum sentido, ainda que apenas para si) por conta da facilidade que os tempos modernos trouxeram. E justamente por fotografarem apenas para si, e não para o mundo, não sabemos quem, e nem quantos são. 
« Última modificação: 25 de Outubro de 2017, 10:57:22 por GBJ »


nandoespinosa

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.934
  • Sexo: Masculino
    • Nando Espinosa Fotografia
Resposta #7 Online: 25 de Outubro de 2017, 11:37:16
E lá vamos nóoooossss....  :assobi:


Claudio Barros

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 918
  • Sexo: Masculino
  • Sempre aprendendo
    • Meu Flickr
Resposta #8 Online: 25 de Outubro de 2017, 11:55:24
Ok, aqui vai uma hipótese: fotografia é equivalente à escrita.

A escrita não foi inventada para criar trabalhos de arte como romances ou poesias. Humanos inventaram e sempre usaram a escrita para coisas muito mais cotidianas e humildes, tipo escrever leis e administrar governos e outras empreitadas políticas, comerciais e financeiras.

Em algum ponto da história, alguém "distorceu" o uso original da escrita, e usou ela como ferramenta para criar arte (poesia e literatura). Ainda assim, desde sempre e até os dias de hoje, essas pessoas que usam a escrita como arte são uma minoria.

Parece familiar com a fotografia? Pois é, substitui "palavra" por "fotografia" nos parágrafos acima e você vai ver que a natureza da fotografia é a mesma. Ela é só uma ferramenta, fotografia nunca foi arte pura, a maioria sempre olhou e produziu fotos sem nenhuma motivação artística.

Me perdoe o trocadilho, mas esse assunto me parece mais um caso de semântica e não de sintaxe.

Acho que sua colocação é bem interessante. Quando se estuda a história da fotografia, vemos que ela demorou muito tempo para ser considerada como arte. Sem dúvida, algumas fotos por ai expressam algum tipo de arte mas a grande e esmagadora quantidade de fotos existentes hoje em dia são desprovidas de qualquer dom artístico.
Assim como acontece com as artes, se você quer ver um bom quadro, ler um bom livro e assim por diante, você opta por adquirir os reais artistas e em suas exposições.

Sua afirmação sobre o mercado fotográfico se importar realmente com venda de produtos, acho que você também tem razão. Todas as grandes marcas de máquinas fotográficas tem visto uma vertiginosa queda nas vendas e fez algumas marcas parassem de vender  seus produtos. Curiosamente os únicos que não estão provando esse gosto amargo são a Canon e a Nikon, que na contramão do restante do mercado, têm visto suas vendas aumentarem.

Voltando a semântica da coisa, acredito que para alguém conseguir hoje produzir fotos como arte, ele tem que ser alguém muito acima da média para conseguir um lugar ao sol. Ou encontrar alguém famoso que assuma sua foto como arte e divulgue elas e pague bem por elas.

Na minha opinião, isso esta cada vez mais difícil de ser alcançado. O que vale hoje em dia é ter uma imagem que se faça vender e assim ter algum lucro com isso.
« Última modificação: 25 de Outubro de 2017, 11:58:06 por Claudio Barros »


C R O I X

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.925
  • Sexo: Masculino
  • Fotografo Multiformato
    • Marcio Faustino
Resposta #9 Online: 25 de Outubro de 2017, 11:58:14
Meus 2 cents.

Concordo, acho que a analogia é muito boa e expando: isso vale para muitas outras áreas. Escrita, pintura, fotografia, música, culinária, marcenaria, desenho etc.
 
Dar a essas atividades uma aura sacra/romântica/transcendente é o que fazem os apaixonados pelas respectivas.

Aproveitando o exemplo da escrita: até hoje ainda troco cartas com algumas pessoas. Compro o papel, o envelope, selos, uma boa caneta e reservo um tempo no qual vou exclusivamente ler a carta que recebi e escrever (ou começar a escrever) a resposta. Isso sem contar, claro, o tempo para ir aos Correios.

Eu poderia escrever um e-mail, mas tenho minhas razões para optar pelo método antigo. Tenho impressão que muito pouca gente (proporcionalmente ao número de pessoas que escreve e-mails, por exemplo) mantém esta prática.

O fato de a razão (no sentido matemático) ter se modificado não pode significar que a prática tenha deixado de existir, ou que tenha perdido sua importância.

Não sou artista, tampouco me considero fotógrafo. Tiro fotos (ou faço imagens, como queiram) algumas vezes com a intenção de mostrar para outros, mas também tiro fotos para poucos verem, e para que sejam recordações de situações/momentos que julguei importantes para a minha vida. Essas, eu "revelo" e coloco em um álbum pois acredito que foto no computador não tem vida.

Concordo que muita gente pararia de fotografar se não pudesse colocar isso nas redes sociais, mas ao mesmo tempo penso que muita gente passou a fotografar (e até com algum sentido, ainda que apenas para si) por conta da facilidade que os tempos modernos trouxeram. E justamente por fotografarem apenas para si, e não para o mundo, não sabemos quem, e nem quantos são.

Vou aproveitar o seu exemplo da carta. Gracas a tecnologia (computadores) muita gente passou a ter acesso a informacao, educacao, questoes politicas, etc. No entanto, essa "informacao" de hoje, atravez da internet/computador, eh bem diferente da informacao da epoca antes de tal tecnologia, pq a linguagem da tela eh diferente da linguem do papel, nao so por cauda da maneira que experienciamos o conteudo de acordo com diferentes ferramentas, mas tambem pq a ferramenta influencia na maneira que conteudos sao produzidos. Essa informacao a respeito da educacao, politica, etc segue uma visao e experiencia de mundo mais entretendedora. Se a politica apos a Televisao virou publicidade, ela apos o computador e internet virou entretenimento. O mesmo podemos falar da educacao.

Pessoalmente, quando eu escrevo aqui no forum via celular a maneira que penso que transmito minhas ideias acabam sendo diferente de quando escrevo no forum usando o computador. Pq a experiencia da producao e relacao com a ferramenta e o que ela produz eh outra. E o mesmo eu percebo entre mandar carta e mandar e-mail, ate de forma mais clara.

Entao sim, gracas a tecnologia muita gente tem mais acesso e oportunidade em fotografar. Mas eh outra forma de fotografia que nao tem muita relacao com a fotografia antes da tecnologia digital. Assim como carta e email.

A relacao que as pessoas tem com a fotografia hoje em dia eh em geral como criadoras de conteudo, assim como eh com videos, textos, etc. Tal relacao nao existia no passado. O que criou essa relacao foi a internet que permite que todos possam ter visualidade e o que vc produz pode viajar sem fronteiras.
« Última modificação: 25 de Outubro de 2017, 12:09:57 por C R O I X »


GBJ

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 29
  • Sexo: Masculino
Resposta #10 Online: 25 de Outubro de 2017, 12:55:24
(...)
Entao sim, gracas a tecnologia muita gente tem mais acesso e oportunidade em fotografar. Mas eh outra forma de fotografia que nao tem muita relacao com a fotografia antes da tecnologia digital. Assim como carta e email.
(...)

Acho que compreendo seu ponto. "Para ver a fazenda, é preciso sair da fazenda". Não se pode falar do passado até que ele deixe de ser o presente.

Se alguém nasce dentro de um determinado contexto (tecnológico, político, social etc.), a versão de mundo dessa pessoa muito provavelmente refletirá os valores desse mesmo contexto.

Então, a partir desse ponto de vista, concordo que (uma) fotografia (de uma época) pode ter morrido, já que o mundo agora é outro.

Mas penso que algumas características são atemporais e intrínsecas ao ser humano, e assim, desejos e necessidades que nortearam a fotografia de outras épocas, continuam norteando a de hoje, só que com ferramentas e linguagens diferentes, como você disse.

No fim, a fotografia morreu ou se metamorfoseou?


ArmandoFerreira

  • Trade Count: (10)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.100
  • Sexo: Masculino
Resposta #11 Online: 25 de Outubro de 2017, 13:23:06
A arte ou falta dela evolui/involui no decorrer do tempo, em todos os segmentos, get over it!
Canon 80D | Sigma 17-70


fabianob

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.142
  • Sexo: Masculino
Resposta #12 Online: 25 de Outubro de 2017, 13:25:39
« Última modificação: 25 de Outubro de 2017, 13:25:52 por fabianob »
Df, D750, D5300, YN565EX x2, YN622N, Alguns Kg de Vidro, e muitas histórias.


Jr_Perinotto

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 298
  • Sexo: Masculino
  • Fotógrafo/Cinegrafista
Resposta #13 Online: 25 de Outubro de 2017, 14:34:03
Antigamente a fotografia não era instantânea... a complexidade do processo criava a expectativa e a paixão.
Por isso eu acredito que o romance com essa arte acabou.

Homens e mulheres antigamente tinham um romance bem diferente do que vemos no namoro de hoje.
Chegar ao sexo era tão trabalhoso como chegar na ampliação de uma foto.
Hoje o sexo e a fotografia tornaram-se algo muito comum... Não existe nenhuma expectativa, não existe romance, não existe espera, não existe mais aquele trabalho artesanal... então como esperar que tenha o mesmo valor (conceito) de antigamente?



Fotógrafo e Cinegrafista Freelancer


C R O I X

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.925
  • Sexo: Masculino
  • Fotografo Multiformato
    • Marcio Faustino
Resposta #14 Online: 25 de Outubro de 2017, 16:17:39
Acho que compreendo seu ponto. "Para ver a fazenda, é preciso sair da fazenda". Não se pode falar do passado até que ele deixe de ser o presente.

Se alguém nasce dentro de um determinado contexto (tecnológico, político, social etc.), a versão de mundo dessa pessoa muito provavelmente refletirá os valores desse mesmo contexto.

Então, a partir desse ponto de vista, concordo que (uma) fotografia (de uma época) pode ter morrido, já que o mundo agora é outro.

Mas penso que algumas características são atemporais e intrínsecas ao ser humano, e assim, desejos e necessidades que nortearam a fotografia de outras épocas, continuam norteando a de hoje, só que com ferramentas e linguagens diferentes, como você disse.

No fim, a fotografia morreu ou se metamorfoseou?

Pessoalmente eu acredito que morreu mesmo e veio outra coisa com outra ferramenta, pq acabam de certa forma sendo atividades diferentes. Tal como o jornalismo pre codigo morse morreu e com o codigo morse surgio outra coisa, que continuou sendo chamado de jornalismo mas a atividade era outra. O mesmo para a pintura pre fotografia (reproducao mecanica) e pos fotografia passou a ser outra (pintura abistrata, impressioismo, cubismo, etc). Ate mesmo para a religiao pre impressora era outra.

Eu concordo que o a forma que se fotografa hoje demanda um outro termo, nao precisa ser necessariamente outro nome que subistitua a fotografia, pq ainda eh registro da luz. Mas sao dua formas de atividades ou relacao com a fotografia distinta.