Autor Tópico: Profissão: Fotógrafo!  (Lida 792 vezes)

kefas

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
    • http://
Online: 16 de Janeiro de 2007, 20:50:30
Olá Pessoal!

Depois de muito brincar com a fotografia, começamos (eu e um amigo) a fazer alguns trabalhos profissionais.
Mas a demanda está aumentando muito, porque realmente estamos fazendo um bom trabalho. Temos feito vários cursos de fotografia, Photoshop e mantemo-nos ligados no assunto, lemos muitos livros, assinamos várias revistas espcializadas, acompanhamos alguns fóruns e navegamos muito em sites de fotografia, tanto no Brasil como no resto do mundo. Buscamos novidades em álbuns, equipamentos, etc... E o Mundo Fotográfico tem nos ajudado muito. É uma verdadeira fonte de conhecimento...
Não somos perfeitos, nem seremos, mas buscamos a excelência. Somos obstinados neste sentido...
Acontece que, devido à nossa aplicação, começamos a "roubar" trabalhos de alguns profissionais na cidade (interior de São Paulo). Não queremos tirar o pão da boca de ninguém, mas também gostaríamos de ganhar o nosso, fazendo aquilo que amamos...
Mas isso tem nos preocupado um pouco... Temos um certo receio de sermos delatados...

Bem, depois de muito rodeio, vamos ao centro de questão: não queremos trabalhar ilegalmente. Queremos estar em acordo com toda a legislação ou regulamentação da profissão. Gostaríamos de obter orientações para trabalharmos na forma da lei, por exemplo:

- Que tipo de registro um fotógrafo deve ter?? Em quais órgãos (federais, estaduais ou municipais)?

- Que taxas, tributos ou impostos deve recolher??

- É obrigatório a associar-se a algum Sindicato ou Associação??

- É necessário abrir empresa??

Já me informaram que devemos pesquisar no site da Receita Federal, mas "apanhamos" um pouco. Gostaríamos de informações mais objetivas e práticas.
Algum forista do MF poderia contar sua experiência?


Um abraço a todos!

Kefas

 


Bruno Lourenço

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 301
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #1 Online: 17 de Janeiro de 2007, 10:53:30
Kefas eu tenho as mesmas perguntas.
Hoje tenho um curso de fotojornalismo e vou perguntar para o professor. Assim que souber complemento as respostas dos outros membros do forum.

 


FêAznar

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 25
    • : ·  c r o q u i · d e · l u z  · :
Resposta #2 Online: 17 de Janeiro de 2007, 11:04:45
Citar
Olá Pessoal!
Depois de muito brincar com a fotografia, começamos (eu e um amigo) a fazer alguns trabalhos profissionais.
Mas a demanda está aumentando muito, porque realmente estamos fazendo um bom trabalho. Temos feito vários cursos de fotografia, Photoshop e mantemo-nos ligados no assunto, lemos muitos livros, assinamos várias revistas espcializadas, acompanhamos alguns fóruns e navegamos muito em sites de fotografia, tanto no Brasil como no resto do mundo. Buscamos novidades em álbuns, equipamentos, etc... E o Mundo Fotográfico tem nos ajudado muito. É uma verdadeira fonte de conhecimento...
Não somos perfeitos, nem seremos, mas buscamos a excelência. Somos obstinados neste sentido...
Acontece que, devido à nossa aplicação, começamos a "roubar" trabalhos de alguns profissionais na cidade (interior de São Paulo). Não queremos tirar o pão da boca de ninguém, mas também gostaríamos de ganhar o nosso, fazendo aquilo que amamos...
Mas isso tem nos preocupado um pouco... Temos um certo receio de sermos delatados...
Bem, depois de muito rodeio, vamos ao centro de questão: não queremos trabalhar ilegalmente. Queremos estar em acordo com toda a legislação ou regulamentação da profissão. Gostaríamos de obter orientações para trabalharmos na forma da lei, por exemplo:
- Que tipo de registro um fotógrafo deve ter?? Em quais órgãos (federais, estaduais ou municipais)?
- Que taxas, tributos ou impostos deve recolher??
- É obrigatório a associar-se a algum Sindicato ou Associação??
- É necessário abrir empresa??
Já me informaram que devemos pesquisar no site da Receita Federal, mas "apanhamos" um pouco. Gostaríamos de informações mais objetivas e práticas.
Algum forista do MF poderia contar sua experiência?
Um abraço a todos!
Kefas
Pela legislação atual, e isso não mudará neste século, o fotógrafo é um operador de câmera, não tem profissão regulamentada; isto vale inclusive para os de publicidade: são executores de layouts. Assim, *se lhes for conveniente* (por exigência de seus clentes) tome as providências para abrir uma firma de prestação de serviços.


volula

  • Trade Count: (5)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 112
Resposta #3 Online: 17 de Janeiro de 2007, 16:52:03
Caro Kefas,

Vou tentar te ajudar na parte de impostos.

O trabalho do fotógrafo está sujeito ao pagamento do Imposto de Serviços, ISS ou ISSQN. Este imposto é municipal. Por isso vai depender muito da cidade onde vc está.
Vc vai precisar ir até a prefeitura fazer a sua inscrição como contribuinte. Como autônomo, normalmente é cobrada uma importância anual. Se vc preferir abrir uma empresa a forma de pagamento provavelmente será mensal. Talvez seja mais barato.

Dê uma pesquisada no site da sua prefeitura, ou vá até lá e pergunte.
Depois, consulte também um contador. Ele vai poder te orientar na abertura ou não da empresa, valores, obrigações, etc.

Se puder te ajudar em mais alguma coisa avise.


kefas

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
    • http://
Resposta #4 Online: 18 de Janeiro de 2007, 18:54:41
Valeu até agora, colegas!
Vou pesquisar mais e, obtendo mais informações, faço o post aqui...
Se alguém tiver outras informações, por favor, repasse-nos. Será útil para muita gente...
Acho que tem muitos interessados no assunto...

Um abraço,


ELIAS

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 948
Resposta #5 Online: 18 de Janeiro de 2007, 20:04:20
Olá Kefas,

Só faltou você dizer em que área está trabalhando.

Eu trabalho com eventos sociais. E no primeiro serviço que fui fazer, em uma festa junina (eu ainda com 14 anos de idade); por cobrar um pouco mais em conta do que a fotógrafa que fazia na escola, veio me ameaçar de denunciar pois não pagava imposto.... Como era isso que eu queria, tive que correr atrás de legalizar.

No meu caso, fui com a carteira profissional nos correios, onde fizeram minha inscrição no INSS como fotógrafo autônomo; e na prefeitura, fiz minha Inscrição Municipal, pegando o Alvara.
Pago um carnê anual, e posso até emitir Nota Fiscal. E o imposto que pago é só aquele fixo do carnê.
Mas isso é um pouco estranho... a NF é de prestação de serviços... então não entra materiais. (é como se vc, como prestador de serviços tivesse entrando só com sua mão de obra.)

Agora tem que ver se no seu caso, seria vantagem abrir firma; se as vantagens superam os gastos... pra isso é bom bater um papo com um contador.

Abraços

ELIAS
Elias Vieira dos Santos
Jaú - SP

www.eliaseelizeufotoevideo.com


kefas

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
    • http://
Resposta #6 Online: 18 de Janeiro de 2007, 23:25:13
Citar
Olá Kefas,

Só faltou você dizer em que área está trabalhando.

Eu trabalho com eventos sociais. E no primeiro serviço que fui fazer, em uma festa junina (eu ainda com 14 anos de idade); por cobrar um pouco mais em conta do que a fotógrafa que fazia na escola, veio me ameaçar de denunciar pois não pagava imposto.... Como era isso que eu queria, tive que correr atrás de legalizar.

No meu caso, fui com a carteira profissional nos correios, onde fizeram minha inscrição no INSS como fotógrafo autônomo; e na prefeitura, fiz minha Inscrição Municipal, pegando o Alvara.
Pago um carnê anual, e posso até emitir Nota Fiscal. E o imposto que pago é só aquele fixo do carnê.
Mas isso é um pouco estranho... a NF é de prestação de serviços... então não entra materiais. (é como se vc, como prestador de serviços tivesse entrando só com sua mão de obra.)

Agora tem que ver se no seu caso, seria vantagem abrir firma; se as vantagens superam os gastos... pra isso é bom bater um papo com um contador.

Abraços

ELIAS
Olá Elias!

O seu relato foi muito esclarecedor e é exatamente o nosso caso.
Eu e meu "sócio" trabalhamos em eventos sociais, principalmente casamentos, 15 anos e batizados. Além disso, fazemos alguma arte digital, como convites fotográficos, lembranças e, raramente, restaurações. Também já pintou fotos de arquitetura.

Agradeço sua contribuição, foi muito objetiva e vai ser muito útil para os foristas do MF que lerem estes tópicos. Acho que o caminho é mesmo buscar a legalização, para evitar os percalços como este que você citou. Creio que são casos muitos comuns.
Certa vez presenciei, como convidado num casamento, o fotógrafo oficial perder a compostura. Saiu do altar e foi "meter o dedo no nariz" de um outro convidado com uma câmara , no meio da Igreja... Armou o maior barraco e roubou a cena, muito mais que a noiva, dizendo que aquele evento era só dele... Eu, particularmente, acho que o fotógrafo oficial não deve se preocupar com os amadores, principalmente agora, com a febre das saboneteiras digitais...
Mas, para evitar qualquer pressão, o oficial deve estar devidamente legalizado.  E é exatamente isso que buscamos. Só preciso saber se os impostos não vão nos comer uma perna...
Vou procurar um contador, com certeza...

Um abração,
Kefas.

 


Lucas Eduardo

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 272
    • http://
Resposta #7 Online: 19 de Janeiro de 2007, 02:48:12
como o kefas disse, isso ajuda outros foristas como eu... eu e um amigo estamos na mesma situação do kefas...
obrigado a todos que colaboraram :)
Sul Foto Clube