Autor Tópico: O fim das cameras DSLR  (Lida 23976 vezes)

Lindsay

  • Trade Count: (19)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.834
  • Sexo: Masculino
Online: 13 de Dezembro de 2018, 11:55:42
Dito por muitos pensadores, o fim das DSLR em escala comercial está chegando. Alguns fabricantes já abandonaram o mercado já faz algum tempo, e as vendas de ML começando a incomodar.

Depois do que aconteceu em 2018, com os novos lançamentos ML, estariam Canon e Nikon decretando o fim desse mercado???

Pra começar a discussão, um vídeo com considerações do polêmico Junior.



Conhecimento importa mais que equipamento.


Thales Souto

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (29)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 15.220
  • Sexo: Masculino
  • "Fotografia é um hobby viciante"
Resposta #1 Online: 13 de Dezembro de 2018, 13:45:24
Isso é bem polêmico mas acho que desde quando Canikon entraram pesado e trouxeram algumas novidades o mercado realmente assumiu que ML estará, no mínimo, com o mesmo peso das DSLR.
Eu acho que ainda a lenha das DSLR tem bastante para queimar mas o gap entre os sistemas está ficando próximo visto que o fator ergonomia e usabilidade está nos mesmo níveis das DSLR.
Acho que o falta agora é ter um foco veloz e eficaz como os da DSLR.

Mas ver caras como o Armando ou o Jared Polin (que sempre foram pró DSLR) serem enfáticos nos últimos vídeos dizendo que as DSLR tem dias contados é porque o gap está diminuindo e as vantagens das ML está começando a ser um break even.

De tudo o que eu vi o que mais me agrada nas ML é ter pontos de foco por todo o quadro e com reconhecimento de face e ter o estabilizador de imagem. Esses features são muito bons para fotografar retratos e eventos.

Mas eu ainda vou ficar nas minhas DSLR por um bom tempo.
Sony A7III + Tamron 28-75 2.8 + Samyang 14 2.8 + Godox + tripé fuleiro de 35 dólares
"Polímeros, aulas, família e fotografia. Não necessariamente nessa mesma ordem...."
Meu canal no YouTube sobre fotografia: http://www.youtube.com/channel/UCCS35q7G_BRE6aVdXXEOKNg
Instagram: @souto_thales


Lindsay

  • Trade Count: (19)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.834
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 13 de Dezembro de 2018, 14:01:49
Isso é bem polêmico mas acho que desde quando Canikon entraram pesado e trouxeram algumas novidades o mercado realmente assumiu que ML estará, no mínimo, com o mesmo peso das DSLR.
Eu acho que ainda a lenha das DSLR tem bastante para queimar mas o gap entre os sistemas está ficando próximo visto que o fator ergonomia e usabilidade está nos mesmo níveis das DSLR.
Acho que o falta agora é ter um foco veloz e eficaz como os da DSLR.

Mas ver caras como o Armando ou o Jared Polin (que sempre foram pró DSLR) serem enfáticos nos últimos vídeos dizendo que as DSLR tem dias contados é porque o gap está diminuindo e as vantagens das ML está começando a ser um break even.

De tudo o que eu vi o que mais me agrada nas ML é ter pontos de foco por todo o quadro e com reconhecimento de face e ter o estabilizador de imagem. Esses features são muito bons para fotografar retratos e eventos.

Mas eu ainda vou ficar nas minhas DSLR por um bom tempo.
Oi Thales, por favor, se vc viu algum vídeo do Jarred falando sobre isso, poderia colocar aqui??? Grato
Conhecimento importa mais que equipamento.


Thales Souto

  • Moderador(a) Global
  • Trade Count: (29)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 15.220
  • Sexo: Masculino
  • "Fotografia é um hobby viciante"
Resposta #3 Online: 13 de Dezembro de 2018, 16:26:15
Eu acho que em um ou dois podcasts ele já falou.

Nesse vídeo aos 0:52. Depois aos 2:0. Aos 2:30 ele começa a falar das coisas que a Z6 oferece que a D760 (DSLR) não podem oferecer. Depos aos 3:45 e por aí vai.
https://youtu.be/zGNnRCvdiyA

A partir dos 47 minutos
https://youtu.be/C791UkqhBU8

Teve outros vídeos que ele comenta mas não vou ficar caçando....
Sony A7III + Tamron 28-75 2.8 + Samyang 14 2.8 + Godox + tripé fuleiro de 35 dólares
"Polímeros, aulas, família e fotografia. Não necessariamente nessa mesma ordem...."
Meu canal no YouTube sobre fotografia: http://www.youtube.com/channel/UCCS35q7G_BRE6aVdXXEOKNg
Instagram: @souto_thales


hribeiro

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.348
  • Sexo: Masculino
Resposta #4 Online: 13 de Dezembro de 2018, 16:28:30
O raciocínio do Armando é bem lógico.
Eu concordo e engrosso os que acham que as mless vão ocupar cada vez mais o mercado.
Quanto ao tempo, quando elas vão substituir as DSLR, só o mercado, os compradores, vão decidir.
É claro que na medida em que elas passem a ter a mesma qualidade de foco e outras features dos modelos com espelho, o interesse e a confiança vão aumentar. E as vendas também.

Helvio

Nikon D750, Nikon D3100, Nikkor 18-105mm, Nikkor 18-35mm, Nikkor 24mm f/2.8, Nikkor 50mm f/1.8G, Nikkor 24-120mm ED f/4,  Nikkor 80-200mm f/2.8D ED - Speedlight SB-700, Oloong SP660II manual, Flash Agfa.
Canon AE-1. Canon 50mm 1.8, Rolleiflex T K8
www.flickr.com/helviosilva   https://500px.com/helviosilva


Leonardo Tonin

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.254
  • Sexo: Masculino
Resposta #5 Online: 13 de Dezembro de 2018, 16:42:23
Irao continuar garantido compatbilidade com lentes dslr.


Di Torres

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.501
Resposta #6 Online: 13 de Dezembro de 2018, 17:10:43
As MLs finalmente vão conquistar o mercado profissional pois pararam de querer fazer algo compacto para focarem em fazer algo melhor.
Sony foi a primeira a perceber isso, e agora CaNikon está correndo atrás.

A migração para o modelo ML tem diversos benefícios para os fabricantes, não fica só nos custos mais baixos de fabricação.
O modelo ML bota as câmeras profissionais nos mesmos níveis de usabilidade que os smartphones. Qualquer pessoa que já usou um smartphone vai poder migrar para uma ML profissional sem tanta estranhesa, o processo de tirar fotos detectando rostos e olhos automaticamente vai garantir uma migração bem natural.
Fazer um produto que pareça que a pessoa já o usou é uma das regras primordiais do mercado.
Para a próxima geração operar uma DSLR será como operar uma câmera de filme hoje em dia, só que com um fator nostálgico bem inferior.

Irao continuar garantido compatbilidade com lentes dslr.

Só que não farão novas lentes DSLR.
« Última modificação: 13 de Dezembro de 2018, 17:11:58 por Di Torres »


Leonardo Tonin

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.254
  • Sexo: Masculino
Resposta #7 Online: 13 de Dezembro de 2018, 17:28:03
Mesma coisa... Em dois anos nem sera percebida a diferenca.
Pra mim é igual na real.

Uma caixa com lente.


Lindsay

  • Trade Count: (19)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.834
  • Sexo: Masculino
Resposta #8 Online: 13 de Dezembro de 2018, 17:38:38
As MLs finalmente vão conquistar o mercado profissional pois pararam de querer fazer algo compacto para focarem em fazer algo melhor.
Sony foi a primeira a perceber isso, e agora CaNikon está correndo atrás.

A migração para o modelo ML tem diversos benefícios para os fabricantes, não fica só nos custos mais baixos de fabricação.
O modelo ML bota as câmeras profissionais nos mesmos níveis de usabilidade que os smartphones. Qualquer pessoa que já usou um smartphone vai poder migrar para uma ML profissional sem tanta estranhesa, o processo de tirar fotos detectando rostos e olhos automaticamente vai garantir uma migração bem natural.
Fazer um produto que pareça que a pessoa já o usou é uma das regras primordiais do mercado.
Para a próxima geração operar uma DSLR será como operar uma câmera de filme hoje em dia, só que com um fator nostálgico bem inferior.

Só que não farão novas lentes DSLR.
Vc destacou um ponto interessante, essa questão do mercado, que no fundo é quem manda. Os dois principais fabricantes aguentaram até onde poderiam suportar, mas agora "partiu ML".

As poucas desvantagens que ainda existem não demorarão a ser resolvidas, e as possibilidades de embutir novas tecnologias no sistema agora são mais amplas. Vejam o nível que chegou as câmeras ML da Sony por exemplo, que não faziam nem cosquinha no mercado DSLR.

Eu acho que não passa de 10 anos para vermos o noticia da ultima DSLR saindo da linha de produção de uma dessas indústrias.
Conhecimento importa mais que equipamento.


Claudio Rombauer

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.806
  • Sexo: Masculino
Resposta #9 Online: 13 de Dezembro de 2018, 20:55:15
Seria muito, muito triste.
Espero que demore muito, ou aconteça quando eu já estiver morto.
Se eu perceber que vai acontecer mesmo, vou comprar umas 4 DSLR idênticas pra durarem até o fim da vida. Não que uma não dure, mas vai que falta peça depois.

Uma época falaram que os sintetizadores acabariam com contrabaixos e guitarras, até fiquei com medo, mas ainda bem que não aconteceu. Também seria bem triste.
« Última modificação: 13 de Dezembro de 2018, 20:56:17 por Claudio Rombauer »


Lindsay

  • Trade Count: (19)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.834
  • Sexo: Masculino
Resposta #10 Online: 13 de Dezembro de 2018, 21:01:48
Seria muito, muito triste.
Espero que demore muito, ou aconteça quando eu já estiver morto.
Se eu perceber que vai acontecer mesmo, vou comprar umas 4 DSLR idênticas pra durarem até o fim da vida. Não que uma não dure, mas vai que falta peça depois.

Uma época falaram que os sintetizadores acabariam com contrabaixos e guitarras, até fiquei com medo, mas ainda bem que não aconteceu. Também seria bem triste.
Na música é meio que diferente, apesar de ter muita banda tocando sem baixo, sem baterista, etc...

Obviamente que alguma coisa vai sobrar, porém conectado com os curiosos ou com o pessoal mais antigo.

Acho que as novas gerações vão querer usar a simulação de exposição, não vai fazer muito sentido para eles fotografar sem isso.
« Última modificação: 13 de Dezembro de 2018, 21:03:20 por Lindsay »
Conhecimento importa mais que equipamento.


Rick99

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.298
  • Sexo: Masculino
  • Amador
Resposta #11 Online: 13 de Dezembro de 2018, 22:09:38
[...]
As poucas desvantagens que ainda existem não demorarão a ser resolvidas, e as possibilidades de embutir novas tecnologias no sistema agora são mais amplas. Vejam o nível que chegou as câmeras ML da Sony por exemplo, que não faziam nem cosquinha no mercado DSLR.

Eu acho que não passa de 10 anos para vermos o noticia da ultima DSLR saindo da linha de produção de uma dessas indústrias.

Pois é.
Sempre fui fã das DSLR, mas as ML têm feito a minha cabeça nos últimos anos. E nas viagens internacionais, vejo cada vez mais pessoas usando as ML nos passeios. Para os "hobbystas" quase não faz mais sentido andar com um DSLR pendurada no pescoço ou fazendo volume na mala.
Sem falar que muitos profissionais já estão aderindo a esse sistema graças as novas tecnologias, então creio que lentamente as DSLR vão perder espaço.


Claudio Rombauer

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.806
  • Sexo: Masculino
Resposta #12 Online: 13 de Dezembro de 2018, 22:32:30
Na música é meio que diferente, apesar de ter muita banda tocando sem baixo, sem baterista, etc...

Obviamente que alguma coisa vai sobrar, porém conectado com os curiosos ou com o pessoal mais antigo.

Acho que as novas gerações vão querer usar a simulação de exposição, não vai fazer muito sentido para eles fotografar sem isso.

Triste. Talvez no futuro realmente não existam mais contrabaixos, guitarras, DSLR, carros de corrida de verdade (temos PS4 e automobilismo virtual afinal), etc.

O Cinema do futuro não precisará de atores. Vai ser tudo 3d.

Mas acho que a gente resolve isso comprando um estoque de DSLRs e guardando até o final da vida.
« Última modificação: 13 de Dezembro de 2018, 22:35:55 por Claudio Rombauer »


Claudio Rombauer

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.806
  • Sexo: Masculino
Resposta #13 Online: 13 de Dezembro de 2018, 22:37:13
Na música é meio que diferente, apesar de ter muita banda tocando sem baixo, sem baterista, etc...

Mas isso já está acontecendo sim. Hoje em dia pouquíssima gente tem algum interesse em ver uma banda ao vivo. O negócio é Youtube e música eletrônica.

Bandas serão coisa do passado. Nunca mais acontecerá algo como o Queen, por exemplo.


Lindsay

  • Trade Count: (19)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.834
  • Sexo: Masculino
Resposta #14 Online: 14 de Dezembro de 2018, 01:15:51
Tive que levar minhas filhinhas para assistir uma cantora inglesa que faz sucesso com a moçada... eu não conhecia e fiquei decepcionado com aquilo que vi. Cara eu toquei bateria por muitos anos em varias bandas underground aqui em Sampa, olha só e me diga se eu ia me satisfazer com uma banda como isso aqui, e depois imagine vc tocando baixo assim:

Charli XCX

« Última modificação: 14 de Dezembro de 2018, 01:17:20 por Lindsay »
Conhecimento importa mais que equipamento.