Autor Tópico: Seria a atual obsessão por nitidez uma estratégia de negócio das fabricantes?  (Lida 5742 vezes)

LeandroR

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.892
    • Dilone Fotografia
Há um tempo atrás, assisti esse vídeo sobre o mercado da música e o porquê das músicas atuais não serem tão boas tecnicamente quanto no passado. 

https://youtu.be/oVME_l4IwII



Basicamente, ele explica que as produtoras atuais se valem de algumas estratagemas para reduzir os riscos do investimento em uma nova banda, aumentando as chances de que essa banda de fato torne-se um sucesso. Entre outros, ele cita a produção de músicas muito parecidas uma com a outra (um som familiar ao ouvido é mais facilmente aceito), o aumento do "volume" da música, de modo que ela se sobressaia entre o que mais você estiver ouvindo, retirando as nuances dos instrumentos e sons neste processo, e mais.

Fiz um paralelo com a indústria de fotografia, estariam as marcas utilizando de estratégias similares para aumentar a chance de sucesso de um novo produto?

A primeira coisa que me veio a mente é a atual obsessão por nitidez das lentes. Seria esta obsessão uma ideia incutida pelas fabricantes (ou, no mínimo, exacerbada e corroborada por estas) para diminuir o risco do investimento em um novo projeto de lente?

Oras, se o fator determinante para avaliação de uma lente como sendo boa ou ruim for nitidez, tudo que a fabricante tem de fazer para garantir as vendas é certificar-se que sua lente seja, de fato, muito nítida (ou ao menos mais que a versão anterior ou que a concorrência). Nitidez de lente é algo mensurável e pouco subjetivo, para o fabricante é mais fácil que o objetivo seja produzir a lente mais nítida do que produzir a lente que entregue cores bonitas, ou que tenha melhor ergonomia e usabilidade.

Vejo uma tendência onde os reviews de produtos e as discussões sobre novos equipamentos acabam focados neste pontos mais objetivos e mensuráveis: nitidez, número de pontos de foco, desempenho ISO. Inclusive, são muito populares os gráficos que mostram em números absolutos a performance de um dito equipamento (o que na minha modesta opinião não poderia ser mais distante da realidade da fotografia na prática).

Seria esta tendência uma estratégia das marcas para reduzir o risco de seus investimentos em novos produtos?
« Última modificação: 27 de Dezembro de 2018, 14:10:27 por cfcsosa »


cfcsosa

  • Trade Count: (3)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 9.873
  • Sexo: Masculino
Há um tempo atrás, assisti esse vídeo sobre o mercado da música e o porquê das músicas atuais não serem tão boas tecnicamente quanto no passado. 




Basicamente, ele explica que as produtoras atuais se valem de algumas estratagemas para reduzir os riscos do investimento em uma nova banda, aumentando as chances de que essa banda de fato torne-se um sucesso. Entre outros, ele cita a produção de músicas muito parecidas uma com a outra (um som familiar ao ouvido é mais facilmente aceito), o aumento do "volume" da música, de modo que ela se sobressaia entre o que mais você estiver ouvindo, retirando as nuances dos instrumentos e sons neste processo, e mais.

Fiz um paralelo com a indústria de fotografia, estariam as marcas utilizando de estratégias similares para aumentar a chance de sucesso de um novo produto?

A primeira coisa que me veio a mente é a atual obsessão por nitidez das lentes. Seria esta obsessão uma ideia incutida pelas fabricantes (ou, no mínimo, exacerbada e corroborada por estas) para diminuir o risco do investimento em um novo projeto de lente?

Oras, se o fator determinante para avaliação de uma lente como sendo boa ou ruim for nitidez, tudo que a fabricante tem de fazer para garantir as vendas é certificar-se que sua lente seja, de fato, muito nítida (ou ao menos mais que a versão anterior ou que a concorrência). Nitidez de lente é algo mensurável e pouco subjetivo, para o fabricante é mais fácil que o objetivo seja produzir a lente mais nítida do que produzir a lente que entregue cores bonitas, ou que tenha melhor ergonomia e usabilidade.

Vejo uma tendência onde os reviews de produtos e as discussões sobre novos equipamentos acabam focados neste pontos mais objetivos e mensuráveis: nitidez, número de pontos de foco, desempenho ISO. Inclusive, são muito populares os gráficos que mostram em números absolutos a performance de um dito equipamento (o que na minha modesta opinião não poderia ser mais distante da realidade da fotografia na prática).

Seria esta tendência uma estratégia das marcas para reduzir o risco de seus investimentos em novos produtos?
É aí que separamos os meninos dos homens.

Meninos só pensam em nitidez e bokeh, mas existem outras boas características de construção que uma lente deve ter, como por exemplo, baixa aberração cromática e um ótimo controle de flare.

É claro que simplifiquei aqui, mas por vezes não se entende porque uma lente Leica pode custar 3.600 usd contra menos de 900 de uma sigma.


Claudio Rombauer

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.643
  • Sexo: Masculino
O que mais importa pra mim em uma objetiva é a construção, durabilidade e operação.

Gosto de objetivas, por exemplo, com foco mecânico, abomino aquele sistema de motor, tipo o da 85mm 1.2 Canon, por exemplo. Pra quem gosta de foco manual, nada melhor do que foco mecânico.

Cores, aberrações, também julgo importantíssimas.

Agora nitidez, sinceramente, muitas objetivas já são nítidas demais até.


LeandroR

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.892
    • Dilone Fotografia
O que mais importa pra mim em uma objetiva é a construção, durabilidade e operação.

Gosto de objetivas, por exemplo, com foco mecânico, abomino aquele sistema de motor, tipo o da 85mm 1.2 Canon, por exemplo. Pra quem gosta de foco manual, nada melhor do que foco mecânico.

Cores, aberrações, também julgo importantíssimas.

Agora nitidez, sinceramente, muitas objetivas já são nítidas demais até.

Também acho que algumas objetivas hoje em dia sejam nítidas até demais. Na verdade esse minha teoria sobre a obsessão por nitidez como algo incentivado pela própria indústria, me ocorreu justamente após perceber que 99% (sendo bem conservador) das lentes atuais entregam nitidez suficiente, a ponto que qualquer nitidez além deste ponto não traga benefícios em si para a fotografia (a fotografia não vai ser melhor por esse extra de nitidez), mas ainda assim o que mais se vê é tópicos comparando gráficos de nítidez, fotos em 200% de parede de tijolos, etc...


LeandroR

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.892
    • Dilone Fotografia
No meu trabalho, o foco preciso e a fotometria correta são inegociáveis.



É estranho, isso era tão básico antigamente que nem se comentava...

Mas hoje, virou luxo...



Sent from my Hasselblad using Tapatalk

Ernesto, não entendi onde seu comentário tem relação com o assunto que abordei no primeiro post.  :ponder:

Estou falando sobre obsessão por nitidez, comparar gráficos MTF etc, e que isso possa ser uma ideia que as próprias fabricantes "vendem" para o consumidr como uma estratégia para minizar os riscos de investimento em novas lentes.

Concordo com você que uma foto com foco correto e bem exposta foi e continua sendo inegociável, mas este é outro assunto.


LeandroR

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.892
    • Dilone Fotografia
puxa... quando disse: foco e fotometria são inegociáveis, entendi que estava subentendido que estão acima da Nitidez e que, portanto, eu estava concordando com a sua opinião, onde a Nitidez não e o mais importante e, portanto, eu estaria e perfeitamente dentro do tópico


Mas posso mudar para:

Existem coisas inegociáveis que são mais importantes que nitidez mas, que não podem ser citadas neste tópico, pois, o tópico não pergunta quais são elas e apenas pergunta se existe algo mais importante.  :D



Sent from my Hasselblad using Tapatalk

Perdão, de fato interpretei sua mensagem de maneira errada.  :ok:

Realmente, também considero o foco muito mais importante que a nitidez, um dos motivos que me fizeram escolher a Nikkor 17-55mm em vez da sigma 18-35mm ...
Entre outros motivos que não vou citar pois o OP chato não permite desviar minimamente do assunto principal do tópico :assobi:





Claudio Rombauer

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.643
  • Sexo: Masculino
No meu trabalho, o foco preciso e a fotometria correta são inegociáveis.

Fotometria está morrendo com o EVF.
A maioria dos usuários de ML nem saber o que é fotometria e usa a técnica de TEE.


Claudio Rombauer

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.643
  • Sexo: Masculino
o q é TEE ?


Sent from my Hasselblad using Tapatalk

Tentativa e erro.

 :D

Pode fazer uma enquete com a turma que tem EVF. Poucos devem usar fotometria por zonas, substituição pontual, etc. A maioria vai mesmo no zôio bão. Sem querer desmerecer, obviamente. A tecnologia está aí pra ser usada.
« Última modificação: 27 de Dezembro de 2018, 16:47:24 por Claudio Rombauer »


bjorn

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.039
  • Sexo: Masculino
O que mais importa pra mim em uma objetiva é a construção, durabilidade e operação.
Gosto de objetivas, por exemplo, com foco mecânico, abomino aquele sistema de motor, tipo o da 85mm 1.2 Canon, por exemplo. Pra quem gosta de foco manual, nada melhor do que foco mecânico.Cores, aberrações, também julgo importantíssimas.
....

2x
A P O S E N T A D O  ... fotografia agora SÓ por puro prazer ... !


bjorn

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 1.039
  • Sexo: Masculino

Em qualquer profissão existem .... os profissionais ... e ... OS PROFISSIONAIS .

Enquanto houverem aqueles dispostos a pagarem pequenas fortunas na obsessão de melhorarem profissionalmente 0,0000001% dos seus serviços , haverão tambem os fabricantes havidos por dinheiro , que NÃO NECESSARIAMENTE aumentarão absolutamente nada nesses resultados .

Sem estudo , sem treinamento , sem aprendizado , nenhum equipamento no mundo dará excepcionais e desejados resultados , por mais modernos , desenvolvidos e absurdamente caros que possam ser .

Muitos são movidos pelos resultados que nunca conseguiram e jamais conseguirão , se não se desvirtuarem da necessidade exdruxula de ver os equipamentos como o causador dos resultados , e não o simples sujeito que está por trás dele .
A P O S E N T A D O  ... fotografia agora SÓ por puro prazer ... !


Leonardo Tonin

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.545
  • Sexo: Masculino
Resposta #10 Online: 27 de Dezembro de 2018, 17:27:40
Video.


Marcelo Sakamoto

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 140
  • Sexo: Masculino
Resposta #11 Online: 27 de Dezembro de 2018, 17:33:38
Minha opinião PESSOAL:

Acredito que equipamentos, tecnologia, métodos e técnicas passem por periodos de desenvolvimento e evolução.

No início, enquanto há um amadurecimento e desenvolvimento, há sim, grande diferenças entre marcas (pela tecnologia empregada, pelo desenvolvimento de materiais e pesquisa).

Com o passar do tempo, começa a acontecer uma espécie de "seleção natural" e a incorporação generalizada de alguns recursos/técnicas "consagradas".

Depois de um tempo, as diferenças entre as diferentes marcas e modelos começa a se reduzir bastante.

E creio que NESSE MOMENTO, a sua idéia encaixe bem: em um momento em que a tecnologia incorporada está madura, e está próximo do "ápice".

COMO eu convenço uma pessoa a adquirir algo que ela JÁ TEM?????

Talvez eu induza uma necessidade que ela NÃO TEM.


Lucas M. Dias

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.217
  • Sexo: Masculino
    • Site
Resposta #12 Online: 27 de Dezembro de 2018, 20:44:31
Tentativa e erro.

 :D

Pode fazer uma enquete com a turma que tem EVF. Poucos devem usar fotometria por zonas, substituição pontual, etc. A maioria vai mesmo no zôio bão. Sem querer desmerecer, obviamente. A tecnologia está aí pra ser usada.

O próprio EVF com preview de exposição ativo não seria uma ferramenta de fotometria? :ponder:
A única coisa que realmente se perdeu nessa evolução para o EVF foi a utilidade da barrinha de fotometria para quem utiliza o preview de exposição, eu mesmo não uso, prefiro olhar o histograma. Em situações que o preview atrapalha, como eventos a noite em que se joga a exposição um pouco pra baixo para compensar com o flash, não tem jeito, tem que usar a barra ou o histograma e selecionar o melhor modo de fotometria para o momento.
O modo de fotometria considero algo meio pessoal, depende muito da maneira da pessoa fotografar, tem situações que utilizar fotometria pontual ajuda muito, mas ela não é essencial se você tiver conhecimento de como o restante da cena irá influenciar na fotometria de área maior.
Com EVF ainda vieram os modos de detecção de face, que querendo ou não tornam a fotometria por zona bem precisa se souber utilizar, ainda mais se estiver utilizando um flash TTL.
Enfim, ferramentas novas são sempre bem vindas e se isso torna o povo preguiçoso é pq está funcionando bem. Claro que tudo pode melhorar ainda mais


Quanto a questão do tópico, a nitidez está muito relacionada a resolução dos sensores, quanto mais as pessoas tiverem opção de cropar uma imagem, mais elas vão querer nitidez para que o crop saia com boa qualidade.


Lúzio

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.775
Resposta #13 Online: 27 de Dezembro de 2018, 22:45:00
Engraçado, acompanho um fórum espanhol e vi muitas vezes fotógrafos de pessoas reclamando do excesso de nitidez em certas lentes. Muitos não gostava de muita nitidez para retratos. De qualquer forma um q a mais de nitidez, dentro de um contexto razoável de custo e uso, é sempre bem vindo.  Só não é normal nem sensato quando começa a masturbação Nerd por gráficos de laboratórios. Conheço pessoas q não postam as foto e nem imprimem e nem mostram a ninguém e ficam nessa fissura por testes de resolução. Tem outros q são tão ruins como fotógrafos e/ou péssimos em edição (fundamental na fotografia desde os primórdios) q o q menos faz sentido é eles buscarem mais nitidez. Tem também a turma do status...
Se alguém quiser ver algum puta álbum de casamento ou aniversário feito com uma Nikon D70 ou uma D300 e lente 18-70 eu mostro e tenho certeza q não irão acreditar q fora feitos com tais equipamentos. Posso também mostrar uma foto emoldurada de 1,20 m x 80 cm feita com a D70 e a 18-70 q também não vão acreditar...  Na esmagadora maioria das vezes e para a maioria esmagadora dos fotógrafos q conheço o q menos faz falta para melhorarem suas fotos e trabalhos é Nitidez... Agora, sempre falo isso,  tem questões específicas e objetivas ou subjetivas como um prazer de se ter alguma coisa extra classe, ainda q não vá fazer diferença prática real, e não vejo problema com isso, afinal trabalhamos e por vezes queremos alguns mimos. Não se pode é vir num fórum e falar q o cara para fazer um ótimo trabalho e ótimas fotos tem q ter a puta extra fodona e caríssima lente top das galáxias, mentira...  Em tempo: Tem outras coisas q lentes mais caras (e q trazem mais nitidez) podem oferecer q são bem bacanas para ser ter a mais: Cores e contrastes.
« Última modificação: 27 de Dezembro de 2018, 22:45:29 por Lúzio »
Lentes caras + câmeras caras + falta de talento é igual muito dinheiro jogado fora para mostrar status.


Lúzio

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.775
Resposta #14 Online: 27 de Dezembro de 2018, 23:07:27
Rapidamente: sai semana passada por 4 dias para resolver umas coisas em outro estado e levei uma D7200 e uma Nikon 18-140 e o q não me fez falta alguma em todas fotos q fiz foi mais Nitidez.  Assuntos q não não precisavam de nitidez extrema, Luz dessa época do ano uma porcaria q deixa tudo chapado, sem volume... Uma lente top e muito cara e pesada não teria feito nada de mais nessas circunstâncias e se tudo  fosse favorável, uma cena fantástica, uma lente cara e pesada e super nítida não mudaria muito, pois uma muito boa e bonita foto pode superar tais detalhes. Mas se me perguntarem se tenho prazer em ter boas lentes eu respondo sem nenhum pudor: Sim. Mas é fundamental para eu fazer ótimas e bonitas fotos ? Não..
Lentes caras + câmeras caras + falta de talento é igual muito dinheiro jogado fora para mostrar status.