Autor Tópico: Fuji Finepix s7000  (Lida 5875 vezes)

Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Online: 23 de Abril de 2005, 20:59:33
A S7000

Fui dono  por um ano de uma s5000, comprada apesar das ácidas críticas nas listas de discussão em que estava, e agora tenho uma s7000.

Digo isso porque desde logo ficará claro tratar-se de uma crítica favorável, e mais que isso, uma crítica de quem não apenas não se arrependeu da compra de uma câmera como a repetiu quando mudou de equipamento, naturalmente repetição em termos, pois não são câmeras da mesma categoria, mas evidentemente quis manter a mesma tecnologia.

Ao decidir pela compra da s7000 foram mais ou menos os mesmos fatores que influenciaram: o SuperCCD cuja tecnologia me agrada e em ralação ao qual desenvolvi diversas estratégias para dele obter o que tem de melhor e minimizar o que tem de pior, a configuração geral da câmera, sistema de menus, fotometria, etc, o qual é bastante parecido com os da S5000, o fato de dispor do modo RAW (natural numa prosumer) que uso quase com exclusividade, e finalmente o preço.

O que procurava? Ema câmera com a experiência fotográfica semelhante à conseguida com a s5000 com melhor resolução e melhor ótica. A s7000 é efetivamente esta câmera.

Quanto à ótica, ela é muito melhor que a da s5000/5100, inclusive porque não tenta o mesmo compromisso de superzoom. Sua lente varia de 35mm equivalentes a 210mm equivalentes, isto é: 6 vezes. Isso me atende perfeitamente, pois minhas fotos ambientais são em geral em grande angular e os retratos em teles não extremas. A lente é boa, maior diâmetro e melhor que a da s5000, resolvendo detalhes finos.

Quanto à resolução, ela é absolutamente surpreendente. De acordo com minhas últimas avaliações e comparações, inclusive com ampliações dos resolution charts dos testes do dpreview, ela ultrapassa as 8mp com sensor muito maior. A tecnologia do SuperCCD mostra nela mais rendimento que mostrava na s5000, talvez porque ajudada pela lente.

Habitualmente faço fotos em RAW convertendo para tiff 16bits em 12mp. Esta é a recomendação Fuji e é a recomendação para o uso do Adobe RAW Converter quando se trabalha com RAWs de sensores cujos pixels não são quadrados (ver ebook do Bruce Fraser). Assim não sofreo dos efeitos do JPEG muito comprimido da Fuji, embora o 12mp Fine seja muito usável para quem gosta de JPEG.

O resultado da conversão do RAW tem sido uma imagem pronta para impressão no formato de saída, 25X33, de excelente qualidade. Já fiz conversões para o máximo formado permitido pelo ARC, isto é, 28mp, e a imagem ficou bastante boa. Já fiz cópias até agora no tamanho máximo de cerca de 29 cm na maior dimensão, com um resultado maravilhoso.

Até o formato de conversão em 12mp, o ruído aparece em 100% mas não aparece na cópia. Além desse formato pode aparecer ou não, dependendo da técnica de exposição e das correções de contraste feitas. Ainda não fiz, mas me sinto seguro para fazer, de fotos bem expostas, cópias em 30X40.

Ela seguramente tem um headroom de pelo menos 1 ponto recuperável nas altas luzes através da conversão de RAW. Normalmente superexponho minhas fotos para ter menos ruído, e a regulagem do slider Exposure no Adobe RAW Converter resolve isso com -1. Essa estratégia é recomendada, inclusive na literatura, para se ter mais latitude e imagens mais limpas. Esse ponto a mais é perdido em JPEG pela aplicação do gamma, sendo um dos motivos pelos quais só fotografo em RAW.

A câmera tem uma magnífica relação custo-benefício. Custa 2/3 das demais prosumers dotadas de sensores de 8mp, mas seu desempenho é muito próximo dessas e em alguns itens superior. Um item inferior evidente é ter menor capacidade de desfoque do fundo devido ao seu sensor pequeno. Prevejo pelo menos um ano de uso dela, e se possível pretendo mantê-la se depois disso comprar uma DSLR.

É muito bem construída, ergonômica, fácil de usar, sólida, etc. Requer para uso diário que se compre o adaptador de filtros e lentes, pois protege o barril. Eu o uso sempre.

Gata um pouco mais de baterias que a s5000 que era muito econômica, provavelmente devido ao uso do microdrive Compact Flash. mesmo assim me viro bem com dois conjuntos de pilhas recarregáveis, e julgo que essa opção gera cãmeras mais pesadas, mas mais facilmente carregáveis de energia, sendo globalmente melhor. Ela é mais pesada que a s5000, inicialmente menos jeitosa na não (demorei um mês para me acostumar, pois a s5000 era maravilhosa em ergonomia). Contudo ela é muito boa nesse aspecto, e atribuo meu estranahmanto inicial ao costume com a outra câmera.

Possui todas as funções que se pode esperar desse tipo de câmera, como braketing (em JPEG) modos de esposição, etc, embora eu não use nada disso. O fotômetro de barrinha permite muita precisão na análise da fotometria, necessária para praticar essa superexposição relativa. O anel de regulagem do zoom não é mecânico, mas by wire, de modo que termino usando a botoeira. O foco manual com amplificação do centro tem boa utilização, dando para realmente distinguir onde está focando.

O view finder é excelente, com 235.000 pontos. É claro que não se iguala ao VGA Minolta, mas é muito bom e não causa estranhamento. As cores no viewfinder são um pouco saturadas em demasia.

O Histograma não me é muito útil, pois prefiro fotometrar para superexposição, e o histograma somente mostra uma correspondência com exposição automática. Mas existe em disparo e review.

É um pouco lenta entre uma foto e outra em RAW. Observa-se que o CF trabalha durante um bom tempo até liberar a câmera. Dá para tirar duas seguidas, mas a terceira já é problema (em RAW).

O ISO 800 em 3mp JPEG é extremamente usável, embora possa ser feito o mesmo serviço através de subexposição e levantar no conversor, reduzindo e diminuindo o ruído. Basta suberxpor 1 ponto em ISO 400. O ISO 400 como não reduz resolução, me parece ruidoso em demasia e nunca o uso.

Tranquilamente repetiria a compra hoje, três meses depois de recebê-la. Para uma câmera de 500 dólares, é excelente, e rivaliza com as de 750.
 


ziggy

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 1
Resposta #1 Online: 18 de Julho de 2005, 04:38:09
Ivan,

Não entendi metade do que você escreveu mas fiquei feliz de seus elogios. Afinal se eu não entendi deve ser coisa muito avançada para mim, um leigo recém-comprador dessa câmera.

Utilizava uma Sony Cybershot P7, com a qual comecei a me apaixonar por fotografia. Com a necessidade de ampliar mais os horizontes fotográficos (bonito isso hein) eu resolvi adquirir uma câmera que me desse esse suporte. Saindo de uma câmera de mão para uma semi-profissional, somente agora estou começando a me adaptar a termos como "obturador", "abertura da lente",  "exposição" e etc. Enfim, estou começando a desvendar esse mundo que tantos já adentraram.

Minha opinião de leigo: uma ótima máquina, com a qual você terá menos restrições para fazer aquela foto que você quer.

Não vou entrar em aspectos técnicos porque ainda não tenho esse poder, mas estou bem animado para descobrir ainda mais sobre tudo isso.

Abraço

ps: "Requer para uso diário que se compre o adaptador de filtros e lentes, pois protege o barril. Eu o uso sempre."

estou que nem louco atrás desse adaptador. onde eu o acho por um bom preço? obrigado!


CrazyBob

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 39
Resposta #2 Online: 23 de Julho de 2005, 17:55:04
Otimo review!

Precisamos de mais reviews assim na internet.. : )

Até Mais.

MLN.

 


Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Resposta #3 Online: 31 de Julho de 2005, 21:09:06
Origado MLN

Ziggy:
Meu adaptador foi trazido por um amigo que o comprou em NY, e não é barato mesmo lá (custa cerca de 40 dólares e é um mero caninho de alumínio). Mas isso depende de oportunidade, de ter alguém com paciência para comprá-lo e trazê-lo.

Sugiro a voc~e comprar no eBay um adaptador para ela fabricado por terceiros. A diferença é que são de plástico, acho, como era o da s5000 original, mas servem da mesma maneira.

O importante para comprá-lo é que tenha rosca de 55mm para filtros. Há alguns dapatadores com rosca de 52mm mas provocam vinheta com conversores de grande angular. Custa barato, coisa de 10 ou 12 dólares, e em alguns vem inclusive um Lens Hood em pétalas, coisa útil para evitar luz direta na lente.


Eliane

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 6
Resposta #4 Online: 25 de Agosto de 2005, 17:19:28
:photo: Fiquei muito feliz com as considerações sobre a S 7000, estou pesquisando uma máquina para comprar e uma dúvida cruel sobre a Fuji. Tenho uma NIKON 80. Estou me sentindo um pouco mais segura para a mudança. Obrigada.
Eliane Miranda
Equipamentos :
Nikon N80, lente Nikor 35 - 70 mm
Filtros close-up +1 +2 +3, filtros Uv, polarizador e mais...
Flash Nikon SB 28 - Fuji Finepix S 7000 - Recém comprada
e.mail: eliane.miranda@interair.com.br


ronaldoas

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 8
    • http://ronaldoas.multiply.com
Resposta #5 Online: 26 de Agosto de 2005, 00:06:14
Ivan,

Parabéns pelo Review.

Foi o melhor que lí até hoje.

Parabéns...

Ronaldo Assim
http://ronaldoas.multiply.com
Fujifilm S7000
--------------------
Ronaldo Assim
Canon EOS 300D - I'm Rebel
18-55mm - 75-300mm
http://ronaldoas.multiply.com/


*** Imagem removida: regra de utilização 5.2 ***


Eliane

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 6
Resposta #6 Online: 28 de Agosto de 2005, 12:51:51
Citar
A S7000

Fui dono  por um ano de uma s5000, comprada apesar das ácidas críticas nas listas de discussão em que estava, e agora tenho uma s7000.

Digo isso porque desde logo ficará claro tratar-se de uma crítica favorável, e mais que isso, uma crítica de quem não apenas não se arrependeu da compra de uma câmera como a repetiu quando mudou de equipamento, naturalmente repetição em termos, pois não são câmeras da mesma categoria, mas evidentemente quis manter a mesma tecnologia.

Ao decidir pela compra da s7000 foram mais ou menos os mesmos fatores que influenciaram: o SuperCCD cuja tecnologia me agrada e em ralação ao qual desenvolvi diversas estratégias para dele obter o que tem de melhor e minimizar o que tem de pior, a configuração geral da câmera, sistema de menus, fotometria, etc, o qual é bastante parecido com os da S5000, o fato de dispor do modo RAW (natural numa prosumer) que uso quase com exclusividade, e finalmente o preço.

O que procurava? Ema câmera com a experiência fotográfica semelhante à conseguida com a s5000 com melhor resolução e melhor ótica. A s7000 é efetivamente esta câmera.

Quanto à ótica, ela é muito melhor que a da s5000/5100, inclusive porque não tenta o mesmo compromisso de superzoom. Sua lente varia de 35mm equivalentes a 210mm equivalentes, isto é: 6 vezes. Isso me atende perfeitamente, pois minhas fotos ambientais são em geral em grande angular e os retratos em teles não extremas. A lente é boa, maior diâmetro e melhor que a da s5000, resolvendo detalhes finos.

Quanto à resolução, ela é absolutamente surpreendente. De acordo com minhas últimas avaliações e comparações, inclusive com ampliações dos resolution charts dos testes do dpreview, ela ultrapassa as 8mp com sensor muito maior. A tecnologia do SuperCCD mostra nela mais rendimento que mostrava na s5000, talvez porque ajudada pela lente.

Habitualmente faço fotos em RAW convertendo para tiff 16bits em 12mp. Esta é a recomendação Fuji e é a recomendação para o uso do Adobe RAW Converter quando se trabalha com RAWs de sensores cujos pixels não são quadrados (ver ebook do Bruce Fraser). Assim não sofreo dos efeitos do JPEG muito comprimido da Fuji, embora o 12mp Fine seja muito usável para quem gosta de JPEG.

O resultado da conversão do RAW tem sido uma imagem pronta para impressão no formato de saída, 25X33, de excelente qualidade. Já fiz conversões para o máximo formado permitido pelo ARC, isto é, 28mp, e a imagem ficou bastante boa. Já fiz cópias até agora no tamanho máximo de cerca de 29 cm na maior dimensão, com um resultado maravilhoso.

Até o formato de conversão em 12mp, o ruído aparece em 100% mas não aparece na cópia. Além desse formato pode aparecer ou não, dependendo da técnica de exposição e das correções de contraste feitas. Ainda não fiz, mas me sinto seguro para fazer, de fotos bem expostas, cópias em 30X40.

Ela seguramente tem um headroom de pelo menos 1 ponto recuperável nas altas luzes através da conversão de RAW. Normalmente superexponho minhas fotos para ter menos ruído, e a regulagem do slider Exposure no Adobe RAW Converter resolve isso com -1. Essa estratégia é recomendada, inclusive na literatura, para se ter mais latitude e imagens mais limpas. Esse ponto a mais é perdido em JPEG pela aplicação do gamma, sendo um dos motivos pelos quais só fotografo em RAW.

A câmera tem uma magnífica relação custo-benefício. Custa 2/3 das demais prosumers dotadas de sensores de 8mp, mas seu desempenho é muito próximo dessas e em alguns itens superior. Um item inferior evidente é ter menor capacidade de desfoque do fundo devido ao seu sensor pequeno. Prevejo pelo menos um ano de uso dela, e se possível pretendo mantê-la se depois disso comprar uma DSLR.

É muito bem construída, ergonômica, fácil de usar, sólida, etc. Requer para uso diário que se compre o adaptador de filtros e lentes, pois protege o barril. Eu o uso sempre.

Gata um pouco mais de baterias que a s5000 que era muito econômica, provavelmente devido ao uso do microdrive Compact Flash. mesmo assim me viro bem com dois conjuntos de pilhas recarregáveis, e julgo que essa opção gera cãmeras mais pesadas, mas mais facilmente carregáveis de energia, sendo globalmente melhor. Ela é mais pesada que a s5000, inicialmente menos jeitosa na não (demorei um mês para me acostumar, pois a s5000 era maravilhosa em ergonomia). Contudo ela é muito boa nesse aspecto, e atribuo meu estranahmanto inicial ao costume com a outra câmera.

Possui todas as funções que se pode esperar desse tipo de câmera, como braketing (em JPEG) modos de esposição, etc, embora eu não use nada disso. O fotômetro de barrinha permite muita precisão na análise da fotometria, necessária para praticar essa superexposição relativa. O anel de regulagem do zoom não é mecânico, mas by wire, de modo que termino usando a botoeira. O foco manual com amplificação do centro tem boa utilização, dando para realmente distinguir onde está focando.

O view finder é excelente, com 235.000 pontos. É claro que não se iguala ao VGA Minolta, mas é muito bom e não causa estranhamento. As cores no viewfinder são um pouco saturadas em demasia.

O Histograma não me é muito útil, pois prefiro fotometrar para superexposição, e o histograma somente mostra uma correspondência com exposição automática. Mas existe em disparo e review.

É um pouco lenta entre uma foto e outra em RAW. Observa-se que o CF trabalha durante um bom tempo até liberar a câmera. Dá para tirar duas seguidas, mas a terceira já é problema (em RAW).

O ISO 800 em 3mp JPEG é extremamente usável, embora possa ser feito o mesmo serviço através de subexposição e levantar no conversor, reduzindo e diminuindo o ruído. Basta suberxpor 1 ponto em ISO 400. O ISO 400 como não reduz resolução, me parece ruidoso em demasia e nunca o uso.

Tranquilamente repetiria a compra hoje, três meses depois de recebê-la. Para uma câmera de 500 dólares, é excelente, e rivaliza com as de 750.
IVAN,
Como você considera a S 7000 para retratos? Atinge um resultado satisfatório?
Abraços!  
Eliane Miranda
Equipamentos :
Nikon N80, lente Nikor 35 - 70 mm
Filtros close-up +1 +2 +3, filtros Uv, polarizador e mais...
Flash Nikon SB 28 - Fuji Finepix S 7000 - Recém comprada
e.mail: eliane.miranda@interair.com.br


Xiru

  • Trade Count: (8)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.402
    • Flickr
Resposta #7 Online: 05 de Outubro de 2005, 00:57:52
Ivan

Passei uns 10 dias com uma S7000 emprestada. Tive pouco tempo pra testá-la. Mas não me dei muito bem com a imagem dela, talvez seja apenas uma questão de "se acostumar" (eu passei 8 meses com uma F717). Até porque eu tava acostumado com a maneira que a F717 apresentava a fotometria: conforme eu mexia no dial pra aumentar a velocidade, por exemplo, a imagem nos visores LCD e EVF já ia escurecendo ou clareando. já nas da série S da Fuji é por "barrinha". (Aliés, como se chama quando é por barrinha? E quando é já mostrada na imagem gerada pelos visores?)

Mas vamos lá:

Por agora, vou deixar o RAW de lado, pq foi minha primeira experiência com RAW e não pude me aprofundar, apesar de já ter gostadodemais dele. O que eu disser é valido pro JPG.

O WB achei um tanto dificil. Antes em uma ou duas tentatives eu fazia do WB direitinho. Mas em locais onde muitas e muitas vezes fiz WB com a F717 sem problemas, com a s7000 tive muitas dificuldades, precisava de varias tentativas até ficar no ponto que eu queria. Isso que era condições já bastante familiares pra mim, "quase" mesmas luzes e mesmos locais onde mirava a camera pra balancear. os resultados era muito "radicais". Ou ficava um muito avermelhado, ou muito azulado, etc. Não conseguia fazer, com sempre fiz, apenas uma "esquentada de leve na temperatura da luz".
Tu tem essa dificuldade também? Ou é um problema  de BIOS em mim?

Também acho estranho é que algumas vezes já li belos elogios sobre as cores das fotos das Fuji. Mas, no JPG, não gostei mesmo. Muitos casos provavelmente já vêm do problema que tive com o WB. Mas alguns creio que não. Mesmo usando o sharp em "standard", achei as fotos com pouca definição nos detalhes, como folhas, pele, etc. Isso em diversos casos.

Outro probleminha, complatemante vazio da base "cientifica", é que eu senti as fotos dela muito sensíveis a mudanças no photoshop. O minimo que eu mudava nos níveis de cores, saturação, contraste e curvas já estourava diversas cores.

Mas bem.. isso tudo pode ser só besteira minha, apenas mesmo yuma questão de compreender uma camera diferente e suas respectivas fotos.   :heat:

O que eu queria mesmo saber é o que que tu acha do JPG dessa câmera....  :denken:


EDIT: a impressão que dá, algumas vezes, é de uma imagem que sofreu algum processo semelhante à "porterização" que se faz no PS (ainda que bem suave)....
« Última modificação: 05 de Outubro de 2005, 18:33:25 por Xiru »
Gentileza gera gentileza.

Xirú Sander Scherer - Ivoti / RS

Flickr
.. Blog: Andarilho Freak


Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Resposta #8 Online: 18 de Janeiro de 2006, 16:32:45
Desculpem-me todos, pois não li nenhuma resposta até hoje. Só hoje abri novamente este tópico.

Bom, Xiru, o fotômetro de barrinha permite ler realmente a luz em termos numéricos, ao contrário do "what you see is what you get" das canons e Sonys. A Sony, pelo que você descreve, não permite ler a luz de fato, numericamente, s isso é essencial para calcular fotometria, epecialmente se associado ao modo spot de medição.

O JPEG em WB auto sempre funcionou a contento comigo, nas poucas vezes em que o suei. Geralmente fazia o WB na conversão do RAW.

O JPEG 12mp é bastante bom, e fiz com ele fotos de 20X25 ótimas umas poucas vezes, mas EU NÃO GOSTO DE JPEG -risos. De nenhuma câmera.



Eliane

Para retratos é uma ótima câmera, mas como toda cãmera de sendsor pequeno não desfoca muito o fundo. É melhor fazer retratos com fundo neutro ou já usando o fundo na composição.  Mas a lente resolve extremamente bem nas distãncias típicas de retarto, melhor do que em longas distãncias.



------------------
Hoje não tenho mais a s7000. Usei por quase um ano e fiz cópias de 30X40 com ela, algumas muito satisfatórias, ótimas mesmo.

Este tamanho, 30X40 para mim é um tamanho importante, motivo pelo qual tive de trocar de cãmera, pois nem toda foto dela dá bom rsultado nesse tamanho para o assunto que faço muito, isto é, paisagens. Para retratos e ambientes, dá fácil, mas paisagem é um tipo de fotografia muito exigente.

Troquei por uma Canon 300d, a qual tem vantagens principalmente decorrentes do tamanho do sensor e do fato de poder usar as lentes mecãnicas que estou acostumado (com adaptador). O RAW da Canon me dá mais facilmente ampliações em 30X45 e isso para mim é fundamental.

Contudo, a tecnologia do SuperCCD é mais agradável nas cores e na latitude.
« Última modificação: 18 de Janeiro de 2006, 16:33:41 por Ivan de Almeida »


roselima

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 73
  • Sexo: Feminino
Resposta #9 Online: 15 de Outubro de 2007, 22:43:21
òtimo adorei...
Rosimeire Lima
Belo Horizonte - MG
(31) 9745-5587

www.rosimeirelima.com