Autor Tópico: Fórum Latino-americano de Fotografia - São Paulo  (Lida 1090 vezes)

Miliandre Garcia

  • Visitante
  • Trade Count: (0)
Online: 02 de Outubro de 2007, 05:37:56
Segue reportagem veiculada na Folha de São Paulo, Ilustrada, em 2 de outubro de 2007.

Evento em SP debate fotografia latina

O Fórum Latino-Americano de Fotografia traz ao país fotógrafos, curadores e pesquisadores para analisar a produção regional

Discussões acontecem até o próximo sábado e contam com a participação de 72 convidados, de 15 países, nas palestras e workshops

Daniela Edburg/Divulgação
[Foto]
Obra da mexicana Daniela Edburg, que estará na exposição "Sutil Violento"

EDER CHIODETTO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

No contexto de um mundo globalizado, de culturas homogeneizadas, distâncias e fronteiras diluídas pela intensa troca de informações via dispositivos eletrônicos, ainda é possível se falar de uma produção fotográfica com sotaque latino-americano?
Essa é a pergunta que as palestras, os debates, as entrevistas e os workshops do 1º Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo - Paralelos e Meridianos da Latinidade tentarão responder entre hoje e sábado, no Itaú Cultural.
Com curadoria do fotógrafo Iatã Cannabrava, o evento contará com a participação de 72 convidados do mundo da fotografia, sendo 36 estrangeiros de 15 países diferentes, entre fotógrafos, críticos, curadores e pesquisadores.
O fórum busca reeditar a fórmula dos Colóquios Latino-Americanos de Fotografia, que ocorreram em cinco edições, sendo que a última foi no México, em 1996.
Onze anos e uma revolução tecnológica depois, a fotografia documental, que até aquele momento se mostrava mais politizada, incidindo sobre a herança de atraso cultural, miséria e violência deixada pelos regimes ditatoriais na região, hoje ganhou abordagens mais experimentais e conquistou o mercado de arte, embora siga preservando algumas dessas matrizes, como se pode ver na mostra "Sutil Violento", que marca o início do evento, hoje à noite, para convidados.

Destaques
Entre os destaques individuais estarão presentes o fotógrafo britânico Martin Parr e a norte-americana Susan Meiselas, ambos da agência Magnum, os curadores espanhóis Alejandro Castellote, Horácio Fernandez e Claudi Carreras e os mexicanos Alejandro Castellanos e Pedro Meyer.
Entre os brasileiros, destacam-se os artistas Miguel Rio Branco e Miguel Chikaoka, os pesquisadores Boris Kossoy, Fernando de Tacca e Rubens Fernandes Junior, entre outros, que estarão distribuídos em diversas atividades.
Para assistir aos dois seminários sobre políticas públicas para a fotografia, relatos e entrevistas com fotógrafos e quatro debates noturnos, os interessados deverão retirar ingresso no local com meia hora de antecedência. Já os seis workshops estão com inscrições encerradas.

Falta de apoio
Para o superintendente de Atividades Culturais do Itaú Cultural, Eduardo Saron, "o fórum surge com a premissa de pensar políticas públicas para a discussão e o fomento da produção fotográfica. A fotografia é das linguagens mais contemporâneas e de acesso mais democrático, no entanto, faltam ações e apoio para que ela se desenvolva como ocorre comumente em outras áreas", diz.
Agindo neste sentido, a mostra fotográfica "Sutil Violento" já tem itinerância acertada para Brasília, Uruguai, Argentina e Chile em 2008, onde também ocorrerão debates nos moldes desta edição. Segundo Saron, o evento deverá ocorrer a cada dois ou três anos, em São Paulo, dependendo da repercussão desta primeira edição.
Se há ou não uma fotografia de caráter latino-americano a ser discutida e preservada, o fórum tentará desvendar, mas, para o curador Iatã Cannabrava, o evento pretende saldar parte de uma dívida: "O Brasil vive de costas para a América Latina, realizando trocas sociais e culturais ínfimas. Isso não faz sentido", diz.