Autor Tópico: Revival de Pintores de Retrato... pintura ou fotografia?  (Lida 2278 vezes)

padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Online: 15 de Outubro de 2007, 17:56:45
Hoje eu li uma materia que me fez pensar:

http://www.reuters.com/article/lifestyleMolt/idUSN2042094420071015

A materia fala q retratos pintados estao na moda novamente, o que eu acho legal, mas muitas vezes eu me pergunto... o que esses novos retratistas tem em comum com os retratistas de seculos passados?

Os retratistas de hoje em dia usam cameras fotograficas para congelar o tempo, a iluminacao e a pose, e pintam os quadros baseados naquela foto.
Antigamente, o retratista dependia de longas sessoes para poses, e inumeras vezes tinha que apelar para a imaginacao para compor certos detalhes na falta do modelo.

Em certos casos, eh quase impossivel discernir um retrato pintado de hoje em dia da propria foto que serviu de modelo.

Ai entao me pergunto: considerando apenas os fins, o que faz um retrato valer 15 mil dolares, e a foto ampliada no mesmo meio e tamanho (canvas) nao valer tanto assim? (a resposta eh obvia, estou interessado na discussao)

Se o pintor se baseou em uma foto tirada por outra pessoa que nao ele, de quem eh a autoria? De quem pintou ou de quem compos a cena, a iluminacao, etc?

Eu ainda nao cheguei aa uma conclusao decisiva.
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.550
Resposta #1 Online: 15 de Outubro de 2007, 19:06:45
Lá pelos anos 20 (talvez 30, talvez 10), tinham uns pintores que detinham uma técnica tão apurada que eram capazes de fazer pinturas tão realistas (se não mais) do que as fotografias da época. Não sei qual era a motivação desses artistas. Talvez fosse apenas uma demonstração de habilidade, mas talvez residisse aí uma angústia ou uma crítica sobre qual é o valor da pintura com riqueza fotográfica de detalhes.

Eu acho que o pintor pode contemplar uma fotografia assim como quando contempla uma paisagem ou um(a) modelo, porém com a vantagem de poder congelar a cena e o jogo de luz/sombra. A pintura que for uma mera reprodução fotográfica, na minha opinião, tem muito pouco valor. Se alguém compra esse tipo de produto, bem... aí vai de cada um, assim como podemos comprar aqueles retratos a grafite super-realistas com pouca expressividade que encontramos por aí nas ruas.

Acho que usar uma fotografia para pintar retratos, paisagens, objetos, etc, é um recurso válido desde que o artista sobreponha o olhar do fotógrafo com o seu próprio (às vezes o pintor pode ser o próprio fotógrafo, inclusive).
Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #2 Online: 15 de Outubro de 2007, 19:08:09
Interessante, Padu
Fiz, por um tempo, exatamente isso : fotografava crianças para passar as fotos a um artista plástico que trabalhava a foto no PS ( um estilo meio pop-art) e a projetava em canvas, e só aí pintava em acrílico . No meu caso, que não é de uma pintura realista, nunca considerei que houvesse um conflito de autoria entre as duas coisas. Minha foto sempre foi minha foto, e a pintura dele, sempre foi a pintura dele. Aliás, recentemente fotografei um autor de um livro que queria utilizar a foto para a capa. A editora não quis, e ele acabou dando a foto para um pintor, que fez uma coisa totalmente abstrata em cima. Claro, não ganhei um tostão. Fiquei até com essa pulguinha atrás da orelha, mas.....não sei, como você  não concluí nada  ainda.
Talvez a sua questão seja mais `a respeito da pintura realista mesmo.
Imagino que para um pintor que saiba o que está fazendo, ele vai ter que captar a luz e conseguir passar nas tintas a cor perfeita da maneira como ele vê, né? Se ele vai fazer isso `a partir de uma foto impressa num papel, ou de uma cena real, realmente faz diferença ? `A não ser, claro, pela própria modelo, que tem que ficar ali horas a fio.
É complexo mesmo...
Acho que tem outro fator, já que vc falou em $$... : a diferença entre os dois meios . Uma foto pode ser infinitamente reproduzida, enquanto a pintura é única.
Vamos ver o que os outros tem a acrescentar.... eu tb quero ouvir mais opiniões !
()s
GuiGui


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #3 Online: 15 de Outubro de 2007, 20:00:41
A questao da pintura de uma fotografia eh bem semelhante aa de uma fotografia arquitetonica... O seu argumento de que o pintor vai ter que utilizar a tinta certa, a mistura certa, e a tecnica correta para conseguir reproduzir aquela luz mostrada na fotografia eh bem valida, eu acho que aceito o argumento.

Existe uma linha de pensamento que diz que fotografia arquitetonica nao tem valor, pois a obra original e a plasticidade da imagem eh de direito do arquiteto, e nao do fotografo. A outra vertente de pensamento diz que uma coisa complementa a outra, pois eh com a visao do fotografo (qual o angulo, qual a luz, qual fundo, qual composicao) que a obra se complementa.

Bom, so estou empurrando mais material pra confusao.
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Resposta #4 Online: 15 de Outubro de 2007, 20:21:34
Padu; Deixa eu ver se acrescento soluções ou confusões ao caldeirão.

Em primeiro lugar, temos de separar Pintura, uma das artes, sua história, sua tradição e seus problemas da pintura que é feita para decoração ou atendimento a necessidades de consumo.

Embora a Pintura tenha começado com retratos, há muito tempo a Pintura não problematiza mais isso, ou melhor, quando o faz faz criando uma nova dimensão para eles, como o Andy Wharwol e seus retratos da Marilyn.

Retratos como os descritos por você têm outra função, não a de fazer arte mas de atender a uma demanda por produtos exclusivos. É preciso entender que essa demanda, que eu chamaria de "produtos de posicionamento social", existe, e não é racional no sentido que sua racionalidade é apenas posicionamento, não utilidade nem arte.

Tais produtos são de estética conservadora, pois a estética conservadora é aquela assimilada pelo público pouco afeito à arte, e assim é realista, hiper-realista, e teria seu apogeu na fotografia caso esta permitisse o posicionamento. Há fotografias posicionadoras, mas essas já não são tão conservadoras e são destinadas a um público avançado.

Quem é o autor? Essa é a grande pergunta do Século XXI. Caso a fotografia seja encomedada pelo pintor, o produto em sua inteireza é dele, e o fotógrafo apenas uma mão de obra especializada.

Isso difere bastante da fotografia de arquitetura. Fotografia de Arquitetura e arquitetura são duas artes em relacionamento, cada qual com sua autonomia, contudo a fotografia de arquitetura legítima serve à arquitetura, isto é, sua finalidade é mostrar e demonstrar as formas e o espaço arquitetônico. Ela não é redutível à arquitetura, tem dimensão autoral própria, mas sua função é transmitir a idéia arquitetônica valendo-se dos meios fotográficos. Veja que distingo Fotografia Arquitetônica (sou arquiteto) de fotografias de arquitetura, essas mais livres e criações fotográficas sem sentido relacional com a obra, somente a usando como tema. No caso da Fotografia de Arquitetura, o autor da arquitetura é o arquiteto, e o autor das fotos o fotógrafo, havendo tão somente um relacionamento de uma com a outra porque uma é o motivo da outra.


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #5 Online: 15 de Outubro de 2007, 20:36:18

Existe uma linha de pensamento que diz que fotografia arquitetonica nao tem valor, pois a obra original e a plasticidade da imagem eh de direito do arquiteto, e nao do fotografo. A outra vertente de pensamento diz que uma coisa complementa a outra, pois eh com a visao do fotografo (qual o angulo, qual a luz, qual fundo, qual composicao) que a obra se complementa.

Bom, so estou empurrando mais material pra confusao.

Hmmm, acho que não estou de acordo com essa linha não.
Seria o mesmo que dizer que a fotografia de vida selvagem ou de paisagem não tem valor, já que a " obra original"  é de outra " autoria"  que não do fotógrafo. A luz que vem por uma janela pode ser fundamental na interpretação do fotógrafo para descrever uma obra arquitetônica. Controverso isso, não?
Na minha opinião, o fotógrafo capta plasticamente a luz e as formas reveladas por ela, e o resultado da fotografia é a visão particular dele, sua maneira única de expressar sua intenção.
Se eu fotografar uma escultura, esta foto será o registro do que eu vejo quando olho para a obra de outro artista, a minha interpretação dela. Com isso, estou imprimindo `a esta foto uma opinião, ou crítica, a minha maneira de ver a obra de outro. Minha foto é uma expressão artística, a escultura é outra, independente.


ICSousa

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 43
  • Sexo: Masculino
Resposta #6 Online: 15 de Outubro de 2007, 22:07:11
     Nesta sexta feira de feriado, estava vendo um DVD do programa Mundo da Fotografia que abordava justamente a pintura de fotos, feita por um fotógrafo se não me engano do Ceará; eu já nem lembrava mais desta técnica tão comum na minha infância; tem uma foto minha feita assim, vou tentar resgatá-la com minha mãe.
     Ele possui um ateliê com cinco funcionários, cada um encarregado de uma técnica; um faz as roupas; isso mesmo! você entrega a foto por exemplo de camiseta regata e diz que quer a foto ampliada para 20 x 30 e também quer aparecer de terno e gravata e assim é feito. Não sei de quando é o programa mais o fotógrafo faz referência as câmeras digitais e ao PS, portanto é dos anos 90, e pasmem ele pinta cerca de 1.200 fotos por mês.
"...toda fotografia testemunha a dissolução inexorável do tempo." (Ensaios de Fotografia) Susan Sontag