Autor Tópico: sair pra fotografar na rua  (Lida 5327 vezes)

Pedro Vilas Boas

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 598
Online: 19 de Novembro de 2007, 14:06:47
está sendo um problema.

parece que é uma questão de local. Nivel social das pessoas.
Saí aqui perto de casa ,hj de manha, para fazer umas fotos. Pra brincar com minha nova zoom. Fotos sem propósito/compromisso, saindo mesmo pra brincar.

aqui não tem perigo quase nenhum.
Pedro Raythz até conhece. Pau da Fome. Uma das entradas para o Parque Estadual da Pedra Branca.

Na subida até o parque tem moradia.. pessoas simples.. alguns sitios.. alguns com muito dinheiro. rs


estava de chinelo, de mochila, bem simples.. e vi uma cena bacana.
nada que eu pretendesse fazer uma boa foto. Eu queria mesmo era mecher no anel do zoom -rs

Bom, ai vi uma casa bacana! casa velha, toda de madeira, e um cavalo parado (descansando. de perfil) bem na varanda da casa.
Aquilo ficaria uma foto linda se eu quisesse.
Mas ai quando apontei um tubo preto de uns 30cm de comprimento para a casa, um carinha, que estava sentado À porta do sitio (no qual a casa ficava. casa abandonada) se manifestou:
ele- amigo
eu- opa!
ele- não pode tirar foto não.
eu- ah... td bem então.
(fui saindo, quando ele pergunta)
ele- vai tirar foto do cavalo?
eu- sim.
ele- então pode tirar.

bom.
a reação dele foi de medo.
se eu quisesse tirar foto de qualquer coisa o faria, a partir do momento que ele me "autorizou" a fotografar. Ele talvez estivesse com medo, pensando que eu estaria fazendo fotos da casa... para mostrar pra alguém , ou sei la oq.

mas isso quebra o clima.
Vc está lá. ve uma cena legal. Mas ai vem alguem te reprime de alguma forma (com o olhar, ou verbalmente, etc). Já não é a mesma coisa.
Ai eu parei e fiz duas fotos bem ruins.
Já não estava mais com vontade de tirar foto alí. Nem me importei com abertura ou o quê. Cliquei duas vezes e saí.

Me incomoda as pessoas me olhando.
pessoas que nunca viram ninguem fotografando por lá. Vêem um tubo preto na mao de um moleque (eu), daí ficam olhando. Na verdade até eu olharia.

Ai fui mais pra cima na rua (é uma ladeira até o parque) e descobri uma casa de tucano na arvore.
Fiquei sentado por mais de meia hora.
O tucano tinha filhotes disse o dono da casa onde tinha a arvore.  Daí ele não conseguia , por medo, descer até o buraco no tronco. Então, sentei no chão (me sujei TODO) e fiquei esperando.
Dai-me paciencia. Toda vez que ele ia entrar, passava alguém (a arvore estava na calçada) e ele voava pra longe. Isso se repetiu por mais de 10x.
E os carros passando.. pra cima pra baixo, pessoas também.
Me olhando. ME encarando. ME estranhando.
Mais que caceta!
Não tinha mais clima pra fotografia. Mas resolvi ficar alí, afinal já estava ali há uns bons minutos.

Eu , assim como os moradores deviam estar se sentido, fiquei completamente desconfortável.
Todo mundo que passava olhava.

E o pior. Lá não é um lugar perigoso. Mas não posso garantir ,nem me dar o direito de pensar, que todos que lá moram são pessoas do bem.
Daí eu também ficava com medo. "Será que eles tão me olhando.. olhando a maquina.. daí falam para uns outros que vêm e me roubam?"

acho que eu assustei o povo do local, com algo que não é comum lá. E, também fiquei assustado.


Parece meio complicado, ainda mais pra mim com minha cara de novinho, sair pra tirar foto. Eu não gosto de pessoas encarando. Olhando.
Aliás, olhar td bem... mas ficar encarando, chegar a torcer o pescoço pra ver... fala serio.

E eu estava bem simples. com um short, uma camisa, chinelo... todo sujo.. pq ja havia sentado no chão.


costumo mais dar voltas Pela Urca , um bairro nobre da zona sul do RJ-RJ. Lá ninguem, ninguem, para pra olhar.
eu ando com a camera na mão pra cima e pra baixo e ninguem me encara. Nem ligam.
Até os moleques que estudam numa escola publica de lá, são MUITO receptivos com a maquina.
Ja fiz algumas fotos deles pulando de uma ponte alí.


Bom, ai em cima é mais um desabafo... ou um relato do que houve hj. Nada de tanta importancia.
Mas isso é comum de acontecer?
Quem fotografa pela rua, seja em areas de mato ou lugares movimentados, também já passou por algo do tipo?
È pq me senti completamente desconfortavel de fotografar as coisas. E todo mundo olhando. Vai que alguém tá prestando atenção na minha frequencia por lá, pra me roubar.
meio complicado.

alguém pode compartilhar experiencia de foto em meio a pessoas? ja passaram por algo semelhante? ou, como lidam com o ambiente para nao acontecer situações desestimulastes como essa?


--
lembrei da foto que o Ivan postou. De um bar onde tinham uns velhos encarando a foto.  De uma forma não harmonica ou receptiva.


zairon

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 79
  • Sexo: Masculino
Resposta #1 Online: 19 de Novembro de 2007, 14:39:53
certos ambientes exigem uma interação maior. simplesmente 'invadir' o espaço de alguém com um 'canhão' pode não soar legal. a pessoa sente que sua privacidade esta sendo exposta. no caso da casa, vale a pena uma conversa antes, etc... procurar se integrar ao local e só depois sacar a 'arma' e disparar. :)

mas o lance do pessoal olhar pra câmera, sempre acontece. outro dia estava no mirante de dona marta, na época usava uma nikon d50, ai passa uma menina com o pai e comenta: "olha pai, ele ta usando uma câmera profissional!" e ambos ficaram me olhando.. dei de ombros, e continuei caminhando...

realmente depende da área, já fotografei na urca, praia vermelha, e outros tantos lugares, e realmente ninguém fixa o olhar em voce.

recentemente comprei uma compacta samsung S630, e nesse tipo de foto, ela é nota 10, silenciosa, compacta, discreta... bem melhor que sair com uma DSLR com lente 70-300mm :D


Davi Sato

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.036
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #2 Online: 19 de Novembro de 2007, 15:21:04
Pedro,

Morar em cidade de interior tem lá suas vantagens...

Bom, qdo eu ando de bobeira com a minha cam, eu costumo ouvir "olha o moço está "filmando"..."... Eu acho "filmando" ótimo!!! hehehehehehe... Mas, costumo nao esquentar mto com isso...  ;D
Pentax K10d / Sigma 28-70 f/2.8 / Pentax 18-55 / Pentax 50-200
São Gotardo – MG


Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Resposta #3 Online: 19 de Novembro de 2007, 20:19:55
Pedro;

Uma das coisas que os fotógrafos não compreendem é que a fotografia é uma violência, uma invasão. Quase todos acham que fotografar é um direito, e não é.

As fotografias de rua precisam de uma educação específica e de um equipamento específico. Câmeras grandes, lentes grandes simplesmente não funcionam. Você, pela sua experiência, pode agora perceber porque os fotógrafos de rua preferem cãmeras pequenas, lentes fixas, isto é, câmeras que não chamam atenção, ou chamam menos.

Além disso, a fotografia de cenas exige certa confiança. Não é assim chegar e fotografar. Cenas humanas exigem aproximação antes, e aproximação sincera.

Já deixei de fotografar inúmeras vezes porque senti as pessoas incomodadas com eu fotografar. Aquela cena do bar eu não liguei porque era uma cena coletiva de rua, mas quando a cena individualiza mais as pessoas eu só fotografo com consentimento. Sem consentimento procuro evitar que a fotografia identifique as pessoas.

É bonita a Estrada do Pau da Fome. Uma vez, quando arquiteto, projetei uma casa em um condomínio aí. Nunca a vi pronta, pois o proprietário a vendeu no meio da obra.



joseazevedo

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 588
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/jerazevedo/
Resposta #4 Online: 19 de Novembro de 2007, 21:16:38
Oi Pedro,

olha, pelo que eu aprendi em décadas de fotografia, quando a gente sai na rua para fotografar, fotografar é a última coisa que se deve fazer. Primeiro tem que haver aquela conversinha, a troca de idéias sobre o que lhe chamou a atenção em determinado lugar, um envolvimento entre você e a pessoa do local, pede pra essa pessoa lhe contar a história daquilo, aí, como ela vai ver que você está realmente muito interessado naquilo, chega uma hora que vai deixar você fotografar. E dessa forma os resultados são muito melhores.

Infelizmente a gente nem sempre tem todo o tempo do mundo pra bater um papo, mas nunca se deve arrombar a porta. Fotografia é realmente um ato invasivo, quer a gente goste ou não. As pessoas da sua família, por exemplo, quantas vezes não gostam que você as fotografe? E a namorada? Pois é.

É por isso que os fotógrfos da National Geographic passam 3, 4 meses ou mais em um local quando estão fazendo um ensaio. Para conseguir a confiança dos locais e, assim, a permissão para que eles trabalhem.

Quanto aos curiosos, isso é inevitável. Fotografia tem o seu "glamour". A melhor coisa é ser simpático com eles, e colocar eles para trabalhar como assistentes - segurar um rebatedor aqui, tirar um matinho da frente, essas coisas bobas pra gente mas que para eles é o máximo, estão quase realizando um sonho. Tem umas pessoas que parecem estátuas, ficam paradas só olhando. Mas tem uns que enchem o saco mesmo... Aí tem que ter paciência e lábia.

Abraço,

José Azevedo


olff

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 58
  • Sexo: Masculino
Resposta #5 Online: 19 de Novembro de 2007, 21:43:51
Pois é Pedro, acabo concordando com o pessoal daqui. Quem sabe se você não tivesse conversado com a pessoa que tava perto da casa antes, perguntado sobre a casa, se é abandonada e tal a coisa não fluiria mais fácil...
É sempre bom, no caso de fotografia de casas, perguntar a alguém sobre a história daquilo, até pq faz uma diferença até no nosso olhar não?!
Mas é isso, também já me senti um ET andando com a máquina pendurada por aí e as pessoas olhando rs, só não pode desanimar com isso.
Osni Filho
Rio de Janeiro
Canon XT + 18-55 + 75-300 USM + Canon 50mm 1.8 mkII + Tamron 90mm f2.8 macro


Isabella Palmié

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 479
  • Sexo: Feminino
Resposta #6 Online: 19 de Novembro de 2007, 22:01:57
Pedro, eu entendo isso perfeitamente...eu mesma fico constrangida de ser fotografada.

Aqui no Rio é tudo perigoso, além da vida ser muito corrida. Tá todo mundo com medo de tudo...Mas eu acho que tem muito lugar legal pra fotografar e podemos conseguir entrar em alguns lugares conversando com os responsáveis. Não sei se estou errada, mas sozinho fica tudo mais difícil.

Aliás, gostaria muito que a galera do RJ se organizasse mais pra fazer passeios fotográficos. Tem muito lugar legal e lindo aqui, e assim, um dá força para o outro.

Mas tá difícil sair...

Abração
Isabella Palmié
Rio de Janeiro

Canon XTi 400D Tamrom 28-75 F 2.8 + Canon 75 -300mm f 4,0 - 5,6 USM III />


Alex Biologo

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.803
  • Sexo: Masculino
    • Olhares Dispersos
Resposta #7 Online: 19 de Novembro de 2007, 22:27:01
Pedro, é preciso lembrar que o dono da casa não tem a obrigação de deixar alguém clicar a casa dele. Ele não sabe o que vc vai fazer com a imagem. Se vc fotografa alguém na rua e essa pessoa vê a foto aqui no fórum, pode te processar se não te deu autorizaçlão pra isso.
Alex Martins dos Santos - São Paulo/SP
Fuji S5100
Pentax MZ-50
Canon 10D e 300D + lente  28-135 is Canon + lente 70-300 TAmron


Pedro Vilas Boas

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 598
Resposta #8 Online: 20 de Novembro de 2007, 13:55:19
entendo!
concordo com todos, perfeitamente.

aliás, mais um desabafo. Eu postei no sentido de mostrar o que eu passei. Mas eu não gostei do que eu fiz.
Eu, não sei como explicar, mas fiquei constrangido comigo.
Me pondo no lugar das pessoas, é logico que eu ficaria com receio de alguma coisa.


Mas eu tenho um problema. Talvez seja a maturidade. Mas eu não tenho jeito pra chegar e conversar com alguém... bater um papo.
É como se eu tivesse 2 escolhas: pra fazer fotos na rua...casa abandonada, eu teria que me aproximar dos locais. Ou, se não o fizer, então sem foto.

Eu sou simpatico e tal. Até consiguiria me aproximar das pessoas pra ganhar confiança e fazer algumas fotos.
Mas estou percebendo que eu não gosto disso.
Até deve ser meu estilo de fotografia. Eu não gosto de pessoas na foto. Eu não gosto de conversar enquanto as faço. Adoro quando estou completamente sozinho. Que ninguem fica me observando deitado no chão

Quando fui fotografar os tucanos (eu contei dos tucanos?) ... eu fiquei muitos minutos. Daí passavam as kombis (um transporte alternativo muito comum aqui onde moro). Então, como o itinerário da kombi é pequeno elas passavam por mim mais de 1x. Me olhavam.

Dai eu conclui que, pelo menos agora, o que quero fazer não serve na presença de pessoas curiosas.
Eu fico MUITOS minutos pra disparar 1x. Muitos minutos mesmo.
Daí não entra a parte que eu , como minha maquina, não encomodo as pessoas. Mas elas me incomodam.


No caso de fotografar casas e tal.
não vou mais fazer isso. Não quero me dar o trabalho de conversar com ninguem. É que, na verdade, esse é o meu estilo (*atual , pode mudar.. e sempre muda) de fotografia.
Também é questão de experiencia, mais maturidade...

Hoje eu estava voltando pra lá.
mas ,dessa vez, para ir no Parque da pedra branca. Eu estava tão sem propósito indo pra lá, que parei a bicicleta no meio do caminho e voltei pra casa.
Dei uma olhada em como eu posso subir num morro aqui em frente de casa. Quero um dia ir lá em cima.
Eu preciso ler uns textos sobre composição que o Ivan me passou. Preciso estudar mais um pouco e ver mais fotos
achei aqui uns amigos do Ansel adams
P&B> http://www.anseladams.com/index.asp?PageAction=VIEWCATS&Category=13
Color> http://www.anseladams.com/index.asp?PageAction=VIEWCATS&Category=14
é bom.
fotografia sem propósito é aquela que vc amplia , vê uma vez e nunca mais vê de novo.


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #9 Online: 20 de Novembro de 2007, 16:13:50
Pedro;

Uma das coisas que os fotógrafos não compreendem é que a fotografia é uma violência, uma invasão. Quase todos acham que fotografar é um direito, e não é.

Na verdade, salvo algumas excessoes, eh um direito legal, mas nao eh por isso que deve ser feito de uma maneira nao etica.

Citar
As fotografias de rua precisam de uma educação específica e de um equipamento específico. Câmeras grandes, lentes grandes simplesmente não funcionam. Você, pela sua experiência, pode agora perceber porque os fotógrafos de rua preferem cãmeras pequenas, lentes fixas, isto é, câmeras que não chamam atenção, ou chamam menos.

Concordo em genero numero e grau. Eu tenho uma voightlander bessa (rangefinder) so para esse fim. Esse fim de semana eu fotografei um casamento (extra-oficialmente) usando essa rangefinder. As pessoas ficam muito mais confortaveis, pois voce se mistura com a massa de "fotografos" com point and shoot digitais. Alias, varias vezes as pessoas vinham me perguntar o que era aquela alavanquinha que eu empurrava depois de cada foto, e outros vinham querer ver a foto...

Citar
Além disso, a fotografia de cenas exige certa confiança. Não é assim chegar e fotografar. Cenas humanas exigem aproximação antes, e aproximação sincera.

Já deixei de fotografar inúmeras vezes porque senti as pessoas incomodadas com eu fotografar. Aquela cena do bar eu não liguei porque era uma cena coletiva de rua, mas quando a cena individualiza mais as pessoas eu só fotografo com consentimento. Sem consentimento procuro evitar que a fotografia identifique as pessoas.

Tambem concordo, eh sempre legal ter o consentimento, antes ou depois da fotografia. Se eh uma foto espontanea, eu procuro tirar escondido pra nao tirar o clima, mas mesmo assim depois de tirar a foto escondida, eu chego na pessoa, explico o que me chamou atencao nela e a finalidade da foto, e entao peco pra tirar mais uma posada, o que legitimiza o trabalho. Se voce seguir esta abordagem, vai conseguir fotos que caso contrario te renderiam algum problema. Por exemplo essa foto:



Pela cara dos policiais, eles nao estavam muito afim de serem fotografados. Eu aposto que se eu tivesse apontado a camera no nariz deles e fotografado, eles teriam alguma reacao negativa. Por eu ter chegado neles e gentilmente pedir pra tirar a foto, imediatamente a minha imagem passou de "espiao" para "turista folgado", sendo q esta ultima categoria me deu acesso aa imagem. Note que para publicacao comercial, eh sempre necessaria a autorizacao escrita da pessoa, mas para diversos outras finalidades mais perto da fronteira (requer ou nao requer autorizacao?), uma foto dessas tem uma autorizacao implicita.

http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #10 Online: 20 de Novembro de 2007, 16:24:51
Pedro, é preciso lembrar que o dono da casa não tem a obrigação de deixar alguém clicar a casa dele. Ele não sabe o que vc vai fazer com a imagem. Se vc fotografa alguém na rua e essa pessoa vê a foto aqui no fórum, pode te processar se não te deu autorizaçlão pra isso.

Alex,

Eu conheco mais a legislacao relacionada aos direitos da imagem aqui nos EUA, mas nao acredito que no brasil seja muito diferente. Alias, ja embarquei nessa discussao no orkut diversas vezes.

No exemplo do dono da casa, se o Pedro estava fotografando de um local publico, nao existe a necessidade de autorizacao (salvo excessoes). A autorizacao eh necessaria para publicacao, nunca para se tirar a fotografia. Mas como eu falei acima, tirar a foto mesmo com o cara ter pedido pra nao tirar, pode ser legal, mas nao eh etico. A diferenca entre o etico e o legal eh q o etico so depende da moral de cada um.

Para publicar em algum site, como por exemplo esse aqui, eh muito dificil rolar processo, pois a divulgacao eh vista como editorial. Novamente, salvas as excessoes. Se a foto for usada para denegrir a imagem da pessoa por exemplo, ai sim voce vai ter problemas.

http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #11 Online: 20 de Novembro de 2007, 16:30:42
Mas estou percebendo que eu não gosto disso. [fotografar pessoas]

Essa eh a diferenca entre Ansel Adams e Henry Cartier-Bresson. Pessoalmente, eu prefiro o ultimo. Quote de HCB: "I don't care about photography, it is people that interests me the most"...

Eu aprecio muito o trabalho de Ansel Adams e outros, mas eu vejo que se voce domina a tecnica e tiver a paciencia necessaria, voce vai conseguir a sua "moonrise over hernandez", enquanto que uma foto que captura um momento da vida de uma pessoa eh realmente original e unica, por natureza. Mas esse eh o meu ponto de vista.
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


Pedro Vilas Boas

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 598
Resposta #12 Online: 20 de Novembro de 2007, 20:24:44
engraçado.
é bom ler o que vcs escrevem.

vcs não entenderiam. pode nem fazer sentido.
mas as coisas se esclarecem na minha cabeça


qdo padu fez a comparação do estilo do Ansel com o Bresson.
eu me lembrei quando acampei numa praia aqui no Rio. Uma praia bastante deserta. Bastante no sentido de só ter vc na praia (e seus amigos)

e aquele dia, entrou pra historia.

junto com muitos outros que guardo na memoria, foi um dos melhores dias da minha vida.
Eu nao quis dormir na barraca, então dormi em cima da pedra. Olhando as estrelas. São infinitas! São muitas estrelas cadentes e tal...

Como maluco, eu comecei a ouvir Midnight Oil na madrugada.. e andando pela praia.
MA-RA-VI-LHO-SO
Realmente, não dá pra descrever aquilo tudo.


bom, por que escrever isso?
pq ai eu consigo associar o que eu gosto mais.
O que me faz feliz, como me sinto feliz, onde estou feliz e por que.

é um auto-conhecimento.
Daí isso se refletiria na minha fotografia. Talvez.


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #13 Online: 20 de Novembro de 2007, 20:45:24
Eu só gosto das minhas fotos que têm pessoas, mas também não sei muito bem como abordá-las. Nesse momento em específico fico muito tímida. Mas na minha curtíssima e quase inexpressiva experiência já notei que é fundamental um contato prévio por alguns motivos: primeiro para não invadir a privacidade alheia, segundo para não me sentir uma "ladra" de imagem ou de alma e terceiro que o meu equipamento limita arquitetar "grandes crimes". Minha lente é curtinha e todo mundo sabe o que estou focalizando.
Talvez fosse interessante começar a fotografar pessoas em lugares que você freqüenta e elas já te conhecem e depositam alguma confiança em você. Eu, por exemplo, tenho pensado nas feiras, na praça perto de casa, na loja de artesanato, nas aulas de tapeçaria, nos lugares que costumo freqüentar ou até passar a freqüentar caso ache o lugar muito interessante como duas lojas/escolas (de tapeçaria e de mosaico) que tem na V. Mariana, em S. Paulo. Mas além de carecer de tempo, antes tenho outro percurso a fazer como ganhar agilidade, rapidez e experiência. Enquanto não fico apta para grandes empreendimentos fotografo as pessoas próximas.
Essa informação que o José Azevedo citou acima, que os fotográfos profissionais ficam até 4 meses nos locais para fotografar culturas e hábitos de uma determinada região, é fundamental para desmistificar a fotografia instantânea, sem planejamento, fruto do acaso.
Vejo muitas fotos e fico imaginando como o fotógrafo fez para consegui-las. Não é possível que ele chegou num hospital, por exemplo, e começou a fotografar pessoas em doentes, outras em desespero, com doenças incuráveis, em estado terminal, sem nenhuma preparação e o mínimo de atenção e sensibilidade.


« Última modificação: 20 de Novembro de 2007, 20:49:03 por Kika Salem »


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #14 Online: 21 de Novembro de 2007, 03:57:52
Eu sou muito ecletico no que toca a fotografia, mas eu tenho uma certa preferencia por pessoas. E por incrivel que pareca, eu sou muito timido. A fotografia se transforma entao em uma terapia para mim. Ja conheci muita gente assim, pedindo pra fotografar.
A chave eh sempre chegar com um sorriso no rosto...
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California