Autor Tópico: Autorização para fotos no Zoo de B.Horizonte.  (Lida 1785 vezes)

reineves

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 200
Online: 03 de Janeiro de 2008, 17:40:37
Hoje visitei o zoo de Beagá, a última vez que lá estive foi há uns 20 anos, e o local está muito bonito, gostei bastante do passeio. O único contratempo foi que, assim que armei a D80, Bigma e monopé e comecei a fotografar, uma funcionária se aproximou e cobrou a autorização para fotografar. Disse que fotografo com camera grande e tripé era profissional e precisava da autorização. Questionei tal procedimento pois estava ali como amador, poderia estar com uma saboneteira ou celular, tinha equipo profissional por hobby ( em parte, sim). Assim fui até a administração e preenchi e assinei um documento, me comprometendo a nao divulgar, comercializar, usar as imagens produzidas alí, exceto uso estritamente pessoal.  Me deram uma cópia, que era a tal autorização. No passeio vi outros fotógrafos com Rebel e D50, e nao foram questionados, ou seja a avaliação é pela aparência...ridículo. Não sou contra o tal docto, mas deveria ser aplicado a todos os visitantes portando cameras.


MateusZF

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.418
  • Sexo: Masculino
  • Você vê o mundo com a sua lente interior.
Resposta #1 Online: 03 de Janeiro de 2008, 20:16:15
Que eu saiba, local público, não necessita de autorização muito menos para uso comercial.
A não ser que seja algo específico.
 
Minha máquina fotográfica e prolongamento natural do meu braço.
Foto é algo que depende de uma certa visão... De quem fotografa, de quem vê e de quem interpreta...

www.ribeiraopreto.sp.gov.br
http://www.meadiciona.com/mateuszf


Beto Eterovick

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.390
  • Sexo: Masculino
  • NOVO SITE: www.betoeterovick.fot.br
Resposta #2 Online: 03 de Janeiro de 2008, 21:17:15
Pois é, estão usando 1 peso e 2 medidas! Isso não é certo! Quando estagiei lá, há alguns anos atrás, o pessoal só pedia autorização para quem quisesse fotografar dentro do borboletário. Agora parece que estão pedindo com mais frequência, mas sem método e critério algum, na base do achômetro e do tamanho do equipamento de cada um.

Fizemos alguns passeios por lá em 2007 e não houve nenhuma abordagem dos funcionários ao nosso grupo, e olha que tinha muito equipamento maior, além de tripés. Geralmente no fim de semana, como o quadro de funcionários reduz para sistema de plantão, eles não fiscalizam ou se sim, quase nada. Durante a semana é que deve ser mais fiscalizado, porque o número de visitantes cai e o número de funcionários aumenta.

Imagina um cara com uma prossumer com zoom optico de 12x. Fará fotos quase tão boas quanto um cara de DSLR e uma boa lente tele, se não melhores. Aí é que entra a falta de informação de determinados órgãos, instituições, casas de show, etc.. Simplesmente ridículo!

Mas só mudaremos esse cenário se reclamarmos e ficarmos em cima destes órgãos que de forma errada acabam atrapalhando um passeio amistoso num bonito local.

Tenho muito respeito pela Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte, onde aprendí muito e fiz grandes amigos, mas mesmo assim atitudes como esta devem ser revistas e discutidas conosco, fotógrafos amadores e profissionais.

Até,


Beto Eterovick

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.390
  • Sexo: Masculino
  • NOVO SITE: www.betoeterovick.fot.br
Resposta #3 Online: 03 de Janeiro de 2008, 21:19:24
Que eu saiba, local público, não necessita de autorização muito menos para uso comercial.
A não ser que seja algo específico.
 

Mateus, lá não é publico não, é um parque pertencente à uma Fundação administrada pela prefeitura de Belo Horizonte. Tanto é que precisa-se de pagar para entrar.


André Sena

  • Trade Count: (23)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.673
  • Sexo: Masculino
Resposta #4 Online: 03 de Janeiro de 2008, 21:28:52
Pois é, estão usando 1 peso e 2 medidas! Isso não é certo! Quando estagiei lá, há alguns anos atrás, o pessoal só pedia autorização para quem quisesse fotografar dentro do borboletário. Agora parece que estão pedindo com mais frequência, mas sem método e critério algum, na base do achômetro e do tamanho do equipamento de cada um.

Fizemos alguns passeios por lá em 2007 e não houve nenhuma abordagem dos funcionários ao nosso grupo, e olha que tinha muito equipamento maior, além de tripés. Geralmente no fim de semana, como o quadro de funcionários reduz para sistema de plantão, eles não fiscalizam ou se sim, quase nada. Durante a semana é que deve ser mais fiscalizado, porque o número de visitantes cai e o número de funcionários aumenta.

Imagina um cara com uma prossumer com zoom optico de 12x. Fará fotos quase tão boas quanto um cara de DSLR e uma boa lente tele, se não melhores. Aí é que entra a falta de informação de determinados órgãos, instituições, casas de show, etc.. Simplesmente ridículo!

Mas só mudaremos esse cenário se reclamarmos e ficarmos em cima destes órgãos que de forma errada acabam atrapalhando um passeio amistoso num bonito local.

Tenho muito respeito pela Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte, onde aprendí muito e fiz grandes amigos, mas mesmo assim atitudes como esta devem ser revistas e discutidas conosco, fotógrafos amadores e profissionais.

Até,

pois eh....ta muito estranho isso.....
André Sena


MateusZF

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.418
  • Sexo: Masculino
  • Você vê o mundo com a sua lente interior.
Resposta #5 Online: 03 de Janeiro de 2008, 21:29:08
Entendi.
Alguém assistiu a matéria sobre as pirâmides do Egito?
Eu só ouvi a manchete.
Eles querem cobrar direitos autorais para uso comercial das imagens feitas das Piramides. Assim eu concordo, assim como deveriam fazer com o Corcovado e alguns patrimonios culturais.
Minha máquina fotográfica e prolongamento natural do meu braço.
Foto é algo que depende de uma certa visão... De quem fotografa, de quem vê e de quem interpreta...

www.ribeiraopreto.sp.gov.br
http://www.meadiciona.com/mateuszf


Beto Eterovick

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.390
  • Sexo: Masculino
  • NOVO SITE: www.betoeterovick.fot.br
Resposta #6 Online: 03 de Janeiro de 2008, 23:04:46
Eu não concordo! Afinal, são patrimônios da humanidade e recebem milhares de turistas / ano só para vê-los e fotografá-los. O próprio ingresso nestes locais já cobreria materialmente isso. Acho abusivo.


Lúzio

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.601
Resposta #7 Online: 04 de Janeiro de 2008, 01:34:45
Eu não concordo! Afinal, são patrimônios da humanidade e recebem milhares de turistas / ano só para vê-los e fotografá-los. O próprio ingresso nestes locais já cobreria materialmente isso. Acho abusivo.

Perfeito!
Nova Nikon D300 + Nikon D70. Lentes 18-70 DX  e Tamron 18-50 f/2.8 XRDI.
Flash SB 600, tipés, filtros, mochilas, moto...

Rio de Janeiro


Fernanda Maia

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.960
  • Sexo: Feminino
Resposta #8 Online: 04 de Janeiro de 2008, 09:51:52
Tenho uma amiga que foi RP da Fundação Zoo Botânica de BH. E ela disse o seguinte com relação as fotografias e aos fotógrafos, que só se  a imagem dos animais em for para uso comercial é que é solicitado autorização.
Ela até descreve um acontecimento. Um cursinho de BH usou uma imagem (não autorizada) de uma girafa do Zoo. Então a Fundação entrou em contato com o cursinho, que entrou em contato com a agência de publicidade responsável pelo anúncio e a mesma se explicou dizendo "que não sabia de nada" em relação a autorização. Quem descobriu que a girafa era a girafa do Zoo foi o tratador dela, que consegue diferenciar uma girafa de outra e conhece bem as girafas que cuida.
Neste caso não teve processo nem nada do tipo, a única coisa que a Fundação Zoobotânica queria era as fotos, ela necessita de um banco de dados com fotos dos animais.
Fernanda Maia
Sony H2
Nikon D90, Sigma 50mm macro



reineves

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 200
Resposta #9 Online: 04 de Janeiro de 2008, 11:40:09
O meu objetivo ao colocar aqui este relato foi justamente o de se colocar em debate o procedimento do zoo. Realmente falta conhecimento aos funcionários, pois conversando com a funcionária( botanica) ela achava que minha camera era de filme, pelo tamanho da lente e monopé. Pelo jeito, muita gente ainda acha que profissionais são os que usam filmes. Não entrei em maiores minúcias pois queria aproveitar o passeio, acho correta a intenção do zoo, mas os critérios são realmente ridículos.


joseazevedo

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 588
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/jerazevedo/
Resposta #10 Online: 05 de Janeiro de 2008, 00:32:30
No mínimo dos mínimos o Zoológico deve avisar seu procedimento com relação a fotógrafos/fotografias claramente na entrada. E, de preferência, de forma simpática, como, por exemplo:

"Caro fotógrafo, você é bem-vindo, pode e deve fotografar todos os animais para levar boas lembranças do nosso Zoológico. Apenas pedimos que, caso sua intenção seja o uso comercial das fotos dos animais, que por favor entre em contato com a administração para a obtenção de uma autorização legal. Podemos ajudá-lo, inclusive, no acesso aos animais."

Não custa nada e o Zoológico pode pedir, como "pagamento", uma cópia da foto eventualmente usada comercialmente. Ou mesmo uma taxa, o que acho justíssimo já que eles certamente penam para cuidar dos animais.

Mas acho que devem ser claros, inclusive no que consideram "uso comercial" da imagem. Sendo em propaganda, perfeito. Sendo num livro de um fotógrafo já acho incorreto pois, mesmo que nenhum fotógrafo (que eu conheça, pelo menos) publique livros só pra dar de brinde, também acho que nenhum publica pensando em ficar rico, é mais para divulgação do seu trabalho.

Abraços,

José Azevedo
« Última modificação: 05 de Janeiro de 2008, 00:36:25 por joseazevedo »


Beto Eterovick

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.390
  • Sexo: Masculino
  • NOVO SITE: www.betoeterovick.fot.br
Resposta #11 Online: 06 de Janeiro de 2008, 11:44:14
Pois é, eu posso ir lá com uma prossumer e tirar uma foto de algum animal que dará tranquilo para usar comercialmente! E ninguém lá vai me barrar na hora, por causa do tamanho da minha cam. O que digo mais uma vez: falta-se critério para solicitar autorização dos visitantes.

JoséAzevedo, acho sua idéia bacana. Uma placa em cada entrada(2) da Fundação resolveria o problema tranquilamente.

Vou encaminhar o link deste tópico para uma grande amiga de lá e pedir a opinião dela a respeito!

Abraços, 


joseazevedo

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 588
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/jerazevedo/
Resposta #12 Online: 06 de Janeiro de 2008, 22:04:46
Pois é, eu posso ir lá com uma prossumer e tirar uma foto de algum animal que dará tranquilo para usar comercialmente! E ninguém lá vai me barrar na hora, por causa do tamanho da minha cam. O que digo mais uma vez: falta-se critério para solicitar autorização dos visitantes.

JoséAzevedo, acho sua idéia bacana. Uma placa em cada entrada(2) da Fundação resolveria o problema tranquilamente.

Vou encaminhar o link deste tópico para uma grande amiga de lá e pedir a opinião dela a respeito!

Abraços, 

Legal, Beto. Acho que só pode facilitar a vida de todos. Acho que a informação, inclusive por parte do pessoal dos parques e museus com relação a equipamento, só pode beneficiar a todos. Minhas máquinas são mecânicas e antigas, é engraçado como muita gente ainda acha elas "as verdadeiras", "essas que eram boas"... Se eu for tirar uma foto da minha filha brincando num shopping os seguranças vão cair de pau, pode apostar. Se eu usar uma dessas prossumers de 12MP discretas, aí pode... Não posso fotografar minha filha num shopping com minha F2... Santa ignorância, Batman!

Fica a sugestão para que outros parques e museus passem ver o fotógrafo como um parceiro e não como um inimigo. Isso só traz benefícios aos dois.

Uma curiosidade relacionada a esse tipo de comportamento que eu senti há anos, na última vez em que fui a Orlando. Nos parques da Disney, ninguém reclama se você filmar a atração - sem usar iluminação artificial, claro. Já nos da Universal ele até anunciam no som da atraçnao que filmagens não são permitidas... É uma questão de filosofia, acredito. A Disney se garante e sabe que você irá fazer a melhor propaganda que existe para seus parques - gratuita e boca-a-boca. Já na Universal devem achar que você irá roubar as idéias deles. Ponto a menos para eles.

Abraço,

José Azevedo


Marcelo das Fotos

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 35
Resposta #13 Online: 07 de Janeiro de 2008, 09:51:43
Acredito que, pelo menos no Brasil, o que eles estão fazendo é ilegal.

Caso você se recusasse a parar de fotografar, o que eles poderiam fazer? Agredi-lo fisicamente? Chamar a polícia? Com qual argumento?
Marcelo Versiani

versiani.net


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #14 Online: 07 de Janeiro de 2008, 11:18:51
Acredito que, pelo menos no Brasil, o que eles estão fazendo é ilegal.

Caso você se recusasse a parar de fotografar, o que eles poderiam fazer? Agredi-lo fisicamente? Chamar a polícia? Com qual argumento?

Se você está fotografando em local particular, deve obedecer `as regras do dono / gerência do lugar. Uma pessoa responsável poderia tirar a ua camera até o final do passeio e confiscar seu filme/ cartão de memória. Isso é previsto por lei e configura violação de direito `a privacidade de propriedade.
()s
GuiGui  8)