Autor Tópico: Henri Cartier-Bresson - The Decisive Moment  (Lida 2843 vezes)

Marcelo.S.

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.279
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/msafioti/sets/72157618134645270/detail/
Online: 15 de Fevereiro de 2008, 18:38:25
Simplesmente fantástico  :clap: :clap: :clap:

http://www.e-photobooks.com/cartier-bresson/decisive-moment.html

Eu diria: 1% Equipamento e 99% Fotógrafo

O "cara" dominava a técnica, manjava muito de composicao, arte, enfim um verdadeiro gênio da fotografia.
Impressionante o nível de detalhes em cada foto, uma verdadeira aula!

Equipamento:
Leica rangefinder com uma lente 50 mm e ocasionalmente uma wide-angle para landscapes


Wikipedia:
Henri Cartier-Bresson (22 de agosto de 1908, Chanteloup-en-Brie, Seine-et-Marne, França — 2 de agosto de 2004, Cereste, Vaucluse, França) foi um dos mais importantes fotógrafos do século XX, considerado por muitos como o pai do Fotojornalismo.

Cartier-Bresson era filho de pais de uma classe média (família de industriais têxteis), relativamente abastada. Quando criança ganhou uma câmera fotográfica Box Brownie, com a qual produziu inúmeros instantâneos. Sua obsessão pelas imagens levou-o a testar uma câmera de filme 35mm. Além disto, Bresson também pintava e foi para Paris estudar artes em um estúdio. Em 1931, aos 22 anos, Cartier-Bresson viajou à África, onde passou um ano como caçador. Porém, uma doença tropical obrigou-o a retornar à França. Foi neste período, durante uma viagem a Marselha, que ele descobriu verdadeiramente a fotografia, inspirado por uma fotografia do húngaro Martin Munkacsi, publicada na revista Photographies (1931), mostrando três rapazes negros a correr em direção ao mar, no Congo.

Quando eclodiu a Segunda Guerra Mundial, Bresson serviu o exército francês. Durante a invasão alemã, Bresson foi capturado e levado para um campo de prisioneiros de guerra. Tentou por duas vezes escapar e somente na terceira obteve sucesso. Juntou-se à Resistência Francesa em sua guerrilha pela liberdade.

Quando a paz se restabeleceu, Cartier-Bresson, em 1947, fundou a agência fotográfica Magnum junto com Bill Vandivert, Robert Capa, George Rodger e David Seymour "Chim". Começou também o período de desenvolvimento sofisticado de seu trabalho. Revistas como a Life, Vogue e Harper's Bazaar contrataram-no para viajar o mundo e registrar imagens únicas. Da Europa aos Estados Unidos da América, da Índia à China, Bresson dava o seu ponto de vista especialíssimo. Tornou-se também o primeiro fotógrafo da Europa Ocidental a registrar a vida na União Soviética de maneira livre. Fotografou os últimos dias de Gandhi e os eunucos imperiais chineses logo após a Revolução Cultural. Na década de 1950, vários livros com seus trabalhos foram lançados, sendo o mais importante deles "Images à la Sauvette", publicado em inglês sob o título "The Decisive Moment" (1952). Em 1960, uma megaexposição com quatrocentos trabalhos rodou os Estados Unidos em uma homenagem ao nome forte da fotografia.


Em inglês tem muito mais informacao:
http://en.wikipedia.org/wiki/Henri_Cartier-Bresson
Deutschland

Flickr


Urbano

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 68
  • Sexo: Masculino
    • Viajante Urbano
Resposta #1 Online: 15 de Fevereiro de 2008, 19:50:13
Fantasticas as fotos e extremamente inspiradoras. :)
____________________________________________
[ ]`s Urbano
Sony Nex f3 • GoPro 3+Black
SEL 18-55/F3.5 • SEL 55-210/F4.5 • Minolta MD 50/1.7


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #2 Online: 15 de Fevereiro de 2008, 20:13:47
HCB esta na minha lista dos top 2 fotografos do mundo inteiro. Eu admiro muito o estilo dele.
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


Marcelo.S.

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.279
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/msafioti/sets/72157618134645270/detail/
Resposta #3 Online: 16 de Fevereiro de 2008, 07:11:11
HCB esta na minha lista dos top 2 fotografos do mundo inteiro. Eu admiro muito o estilo dele.

Legal Padu, realmente nao tem como nao admirar.
Quem é o outro?
Deutschland

Flickr


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #4 Online: 16 de Fevereiro de 2008, 21:40:29
HCB esta na minha lista dos top 2 fotografos do mundo inteiro. Eu admiro muito o estilo dele.

Legal Padu, realmente nao tem como nao admirar.
Quem é o outro?

Sebastiao Salgado
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


Braga.SP

  • Trade Count: (14)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.858
  • Sexo: Masculino
Resposta #5 Online: 16 de Fevereiro de 2008, 21:54:29
HCB esta na minha lista dos top 2 fotografos do mundo inteiro. Eu admiro muito o estilo dele.

Legal Padu, realmente nao tem como nao admirar.
Quem é o outro?

Sebastiao Salgado


Concordo!
-22.352971,-48.775582


joseazevedo

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 588
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/jerazevedo/
Resposta #6 Online: 16 de Fevereiro de 2008, 23:39:24
Oi Marcelo,

sugiro que você leia "O Imaginário Segundo A Natureza", de Henri Cartier-Bresson, Editora Gustavo Gili - comprei na Livraria Cultura.

"É a primeira recopilação, em um único volume, dos textos mais significativos de Cartier-Bresson (Chanteloup, 1908), entre eles "O Instante Decisivo" e "Os Europeus". Também inclui artigos que destilam com a mesma intensidade e imediatidade visual suas viagens a Moscou e China, ou os que dedica a seus amigos André Breton, Alberto Giacometti ou Jean Renoir."

Vale a pena para conhecer um pouco mais a fundo essa figura interessantíssima, seus princípios. Com relação à técnica, você vai ver que ele tinha plena consciência de que é preciso conhecer e dominar o que lhe basta. O resto é coisa para os técnicos MESMO. O mesmo vale para equipamentos. Para ele o processo terminava apenas na ampliação, que não era ele quem fazia.

Eu acho que sua magia estava na composição, sensibilidade e capacidade de antecipação - mesmo para quem usava rangefinders. Observando com um olhar de "ampliador" muitas de suas imagens, podemos verificar que em boa parte dela houve erro de fotometragem e o laboratorista rebolou muito para salvar a ampliação. Mas, sinceramente, isso não importa. O que vale é que, mais uma vez, um instante mágico foi capturado. É isso que entra nas nossas mentes, não a fotometragem correta.

Abraços,

José Azevedo


padu

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 444
  • Sexo: Masculino
  • I have ten fingers
    • Padu Casual Photography
Resposta #7 Online: 16 de Fevereiro de 2008, 23:58:05
Uma vez eu assisti uma (das poucas) entrevistas com o Bresson e ele mesmo admitiu que nao chegava nem perto do laboratorio. Grande parte do sucesso dele tambem se deve aos master printers que trabalhavam com ele.
http://www.flickr.com/photos/padu_merloti/ http://padu.merlotti.com <br />Sony Alpha 100, Minolta Maxxum 7, Toyo4x5  View Camera, Calumet 4x5 View Camera, 1942 US Navy 4x5 Combat Camera, Voighlander Bessa R, Canon Powershot SD800, Minolta Maxxum 7000 (aposentada), Zenit 12XP (aposentada)<br />San Diego, California


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #8 Online: 17 de Fevereiro de 2008, 11:59:49
Na história da fotografia, Henri Cartier-Bresson é unanimidade e Sebastião Salgado também, embora haja pessoas que façam restrições a uma suposta "exploração" da miséria, uma "estética da fome" (se é que está correto usar essa expressão na fotografia). Gostei muito da última entrevista que li dele sobre essa questão. Quando encontrar posto no fórum.

Grandes fotógrafos sempre nos levam a refletir sobre a questão técnica, de um jeito ou de outro.
Não sei se com vocês aconteceu isso. Mas quando eu era irresponsável na fotografia, ou seja, não estudava e achava que a coisa era mais simples do que realmente é, como a maioria das pessoas acha, eu me sentia mais à vontade e de algumas dessa época eu até gosto (aliás, minha foto que eu mais gosto foi feita em Parati em 1997 quando eu conhecia o básico do básico do básico). Hoje, por outro lado, tenho mais inibição, acho tudo uma droga, que errei nisso, errei naquilo. Mas, enfim, cada um processa a experiência de uma maneira e esse não é um tema para ser discutido nesse tópico.

Voltando a Cartier-Bresson, gosto muito dessa foto (e todas as outras). Quem sabe um dia me arrisco a refletir sobre elas aqui.

A imagem da internet está bem diferente da que vejo no livro "Henri Cartier-Bresson: city and landscapes".

E dessa também:


E os retratos?

Uma vez eu consultei um livro que tinha os desenhos dele, esboços, essas coisas. Na ocasião não comprei, mas me arrependo muito. É interessante ver como os estudos dele em arte (história e técnica) são transmitidos na imagem fotográfica.

Bem, vivendo e aprendendo...



« Última modificação: 17 de Fevereiro de 2008, 12:04:32 por Kika Salem »


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #9 Online: 17 de Fevereiro de 2008, 12:15:04
A obra de HCB é também prá mim uma das mais valiosas em toda a fotografia do mundo.
Ele era realmente maravilhoso, de um talento e sensibilidade tão enormes quanto naturais.
Agora, sem querer ser chata mas já sendo, esse site é um assassinato `as obras dele.
As fotos estão escaneadas da maneira mais tosca, direto de um livro com as páginas abertas,
e a resolução destruiu completamente todas as nuances do preto e branco que são uma das maiores qualidades daquelas fotos.
É legal prá quem nunca viu estas fotos, mas é apenas uma vaga idéia. Quem quiser realmente ver as fotos dele deve procurar bons livros, de preferência os que foram compilados e impressos enquanto ele estava vivo, porque tinham sua aprovação de qualidade.
Como o Padu bem falou, o HCB contava muito com seus master printers, e se visse suas fotos nesse site teria mandado bombardear.
Se quiserem ver um pouco melhor, tentem aqui :

http://www.magnumphotos.com/Archive/C.aspx?VP=XSpecific_MAG.PhotographerDetail_VPage&l1=0&pid=2K7O3R14T1LX&nm=Henri%20Cartier%20-%20Bresson

()s

GuiGui  :)


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #10 Online: 17 de Fevereiro de 2008, 12:42:32
As fotos estão escaneadas da maneira mais tosca, direto de um livro com as páginas abertas,
e a resolução destruiu completamente todas as nuances do preto e branco

Isso é verdade. De modo geral, a divulgação na internet não preza pela qualidade da imagem. Essa que postei acima está completamente diferente da vejo na impressão do livro "Henri Cartier-Bresson: city and landscapes".
Mas tem algum valor, pelo menos de divulgação do título do livro, que te leva a procurar a versão impressa. Fui bem Polyanna né... :)