Autor Tópico: Morre Dith Pran, fotógrafo cambojano  (Lida 708 vezes)

lambe-lambe

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 31
  • Pela difusão da informação
Online: 31 de Março de 2008, 11:59:31
Hoje foi publicado na FSP dois artigos sobre o fotógrafo cambojano Dith Pran, cuja trajetória inspirou o filme "Gritos do silêncio", ganhador do oscar de melhor fotografia, entre outros.
O trabalho do fotógrafo é muito importante não só para a história do fotojornalismo como também para a história do Camboja, pois denunciou um regime de terror no seu país nos anos 1970.
Se alguém encontrar um site que disponibilize as imagens dele para mostrar para outros foristas interessados nesse assunto, eu agradeço a indicação.

Dúvida: é aqui mesmo que eu posto assuntos sobre história da fotografia?

Morre Dith Pran, fotógrafo que sobreviveu a genocídio no Camboja e expôs Pol Pot


Pran, cuja trajetória inspirou o filme "Os Gritos do Silêncio" (1984), em retrato dos anos 80

DA REDAÇÃO

O fotógrafo cambojano Dith Pran, do jornal "The New York Times" morreu ontem, vítima de câncer, aos 65 anos. Pran trabalhou como intérprete e assistente do jornalista Sydney Schanberg no Camboja até 1975 e ajudou a denunciar as atrocidades do regime de Pol Pot (1975-1979).
Quando o Khmer Vermelho assumiu o poder, Schanberg foi expulso do país, e Pran foi encarcerado, torturado e condenado a trabalhos forçados. Pran escapou da morte porque se disfarçou de camponês iletrado. O grupo comunista perseguia as pessoas que tivessem um grau de instrução mais elevado ou influência ocidental.
Em 1979, Pran conseguiu fugir e se mudou para os EUA. Ele se tornou embaixador do Alto Comissariado da ONU para Refugiados e fundou o Projeto de Conscientização de Holocausto Dith Pran.
Em 1980, Schanberg escreveu uma reportagem sobre o amigo intitulada "A morte e a vida de Dith Pran", título de um livro publicado em 1985.
A história foi ainda a base do filme "Os Gritos do Silêncio" ("The Killing Fields"), que havia sido lançado um ano antes e recebeu três Oscars.
Foi o próprio Dith que cunhou o termo "killing fields" (campos de extermínio), para definir os horrores que via -corpos e esqueletos das vítimas do Khmer Vermelho- durante sua jornada para escapar do país.
Entre 1975 e 1979, o regime matou 2 milhões de cambojanos -quase um terço da população do país na época.
Quando Pol Pot morreu, em 1998, Pran lamentou que o ditador nunca tenha sido julgado por seus crimes contra a humanidade. "A busca por justiça do povo cambojano não termina com Pol Pot", disse.

MORRE CAMBOJANO DE "GRITOS DO SILÊNCIO"
Dith Pran, o fotógrafo cambojano cuja história inspirou o filme "Os Gritos do Silêncio" (1984, dirigido por Roland Joffé), morreu ontem, aos 65 anos, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, devido a um câncer no pâncreas. A notícia foi anunciada pelo ex-correspondente do "The New York Times" Sydney Schanberg, que cobriu a tomada de poder do Camboja pelo Khmer Vermelho em 1975, ao lado de Pran, seu intérprete, impedido de deixar o país após o episódio - experiência descrita por Schanberg em uma reportagem, vencedora do Pulitzer de 1976. Pran sofreu quatro anos de tortura antes de conseguir escapar para a Tailândia.

Folha de S. Paulo - Caderno Mundo e Ilustrada - 31/03/2008


« Última modificação: 31 de Março de 2008, 12:03:29 por lambe-lambe »


MateusZF

  • Trade Count: (1)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.418
  • Sexo: Masculino
  • Você vê o mundo com a sua lente interior.
Minha máquina fotográfica e prolongamento natural do meu braço.
Foto é algo que depende de uma certa visão... De quem fotografa, de quem vê e de quem interpreta...

www.ribeiraopreto.sp.gov.br
http://www.meadiciona.com/mateuszf