Autor Tópico: Mostra com fotos de Paris durante a 2ª GM causa polêmica  (Lida 1330 vezes)

Juliana Dedavid

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 49
  • Sexo: Feminino
Online: 25 de Abril de 2008, 15:05:18
Reportagem que vi hoje no Estadão:

Mostra com fotos de Paris 'ocupada' causa polêmica
Fotografias coloridas raras foram feitas por fotógrafo contratado por nazistas.
Mostra reúne 250 fotos e é apresentada como "uma visão da vida parisiense" durante a ocupação nazista.

De Paris para a BBC Brasil - Uma exposição de fotos de Paris no período da ocupação alemã, durante a 2.ª Guerra Mundial, está causando grande polêmica na França. 


A crítica que está se fazendo em relação à mostra é de que as fotos mostram uma Paris feliz e tranqüila, o que poderia fazer parte de uma manipulação nazista para propagandear esse sistema político na época.
Fiquei me perguntando se o fotógrafo teria uma responsabilidade social de mostrar o sofrimento humano que poderia ser deflagrado ali, ou se ele estava apenas cumprindo o seu dever como um contratado do governo nazista. Passados mais de 50 anos, a crítica ainda é válida ou não? Contemplamos, nesse caso, o papel que a fotografia teve/teria ou a beleza das fotos?

Além da discussão proposta pela reportagem, me chamou bastante a atenção o fato de as fotos, tiradas pelo fotógrafo francês André Zucca, serem coloridas, o que era raríssimo na época.

Toda a reportagem e algumas fotos em:
http://www.estadao.com.br/arteelazer/not_art162669,0.htm
« Última modificação: 25 de Abril de 2008, 15:18:08 por Juliana Dedavid »
Juliana Dedavid
Porto Alegre - RS
Pentax MX; Pentax 1:1.7 50mm, Tokina 1:2.8 28mm, Samyang 1:4.0-5.6 70-210mm;
Minolta AL; Minolta SRT-102.


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #1 Online: 26 de Abril de 2008, 00:14:50
Juliana!
Obrigada por informar-me da matéria, pra mim ela é de extrema importância pois resgata um debate interessante sobre as imbricações entre fotografia e história, desconstrói a idéia de que tanto uma como a outra são locais privilegiados de "verdades incontestes", além de evidenciar como se dão as apropriações do passado e reconstruções no presente.
Outra hora esmiuço melhor essas questões.
Queria muito ver essa exposição ao vivo e em cores, literalmente. Só eu né?
Um abraço e de novo obrigada.
« Última modificação: 26 de Abril de 2008, 00:24:31 por Kika Salem »


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #2 Online: 26 de Abril de 2008, 11:33:02
Pois é,
até o horror pode ser documentado sem mostrar sua verdadeira cara.
As fotos são lindas , eu gostaria de poder ver a exposição, independentemente de elas esconderem  o verdadeiro retrato daqueles tempos.


Anderson Fonseca

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 691
  • Tião Carreiro e Pardinho Salva!!!!!!
Resposta #3 Online: 26 de Abril de 2008, 12:19:54
polêmicas à parte, o fotógrafo foi simplesmente profissional, mesmo até porque não acredito que ele tivesse tido opção de não fazer o serviço, não é??


Anderson Fonseca

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 691
  • Tião Carreiro e Pardinho Salva!!!!!!
Resposta #4 Online: 26 de Abril de 2008, 12:24:24
chama a atenção também o fato histórico, de Hitler preferir ter poupado a estrutura da bela cidade de Paris, não a bombardeando como feito em outras capitais, pois seu desejo era reconstruir Berlin, muito mais bonita e imponente doque Paris...um mero capricho que salvou a cidade...podemos ver fotos de 1944,faltando 1 ano quase para o fim da guerra, e a cidade e seus monumentos intactos...


pedro_raythz

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 8.469
  • Sexo: Masculino
Resposta #5 Online: 27 de Abril de 2008, 00:36:18
Bem que poderia ser fechada a exposição lá e viesse pra cá  :D

Hitler na verdade pensava como na Antiguidade... não bastava vencer a guerra, mas era necessário destruir por completo o inimigo. Ainda bem que ele tinha admiração pela arquitetura de Paris rs


Juliana Dedavid

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 49
  • Sexo: Feminino
Resposta #6 Online: 30 de Abril de 2008, 18:03:43
Pois é, acredito que a mostra devesse ter sido melhor divulgada e contextualizada, mas não acho que tenha fundamento ser proibida.

Entendo que seria meio absurdo alguém querer levar a público essas fotos como forma de levantar alguma bandeira política/ideológica... Não acho que tenha sido essa a idéia de quem promoveu a mostra. Acho que ela busca resgatar um lado da história do mundo daquela época [sem discutir aqui se o lado do bem ou o lado negro] e fazem parte de um importante registro documental.

Acho que concordo com todos que a fotografia, para além do debate político e social, tem um importante papel histórico. Citando o exemplo dessa mostra, o fato de a arquitetura de Paris ter sido preservada por Hitler ou o fato de o fotógrafo ter tido acesso a filme colorido são coisas bem interessantes. Nesse sentido, toda informação histórica é sempre bem-vinda e vem para colaborar, por mais que nos repugne ver algumas cenas ou ter de digerir certos acontecimentos.


« Última modificação: 30 de Abril de 2008, 18:09:52 por Juliana Dedavid »
Juliana Dedavid
Porto Alegre - RS
Pentax MX; Pentax 1:1.7 50mm, Tokina 1:2.8 28mm, Samyang 1:4.0-5.6 70-210mm;
Minolta AL; Minolta SRT-102.


Juliana Dedavid

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 49
  • Sexo: Feminino
Resposta #7 Online: 30 de Abril de 2008, 18:32:05
Ah, eu também adoraria que a mostra viesse pra cá!  :D
Juliana Dedavid
Porto Alegre - RS
Pentax MX; Pentax 1:1.7 50mm, Tokina 1:2.8 28mm, Samyang 1:4.0-5.6 70-210mm;
Minolta AL; Minolta SRT-102.


lambe-lambe

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 31
  • Pela difusão da informação
Resposta #8 Online: 06 de Maio de 2008, 12:50:43
Domingo saiu uma matéria sobre isso na Folha.
Colei a matéria inteira porque o acesso é restrito, então só o link não bastava. Segue abaixo.

Exposição com fotos de Paris ocupada gera polêmica na França

Fotógrafo André Zucca registrou cenas amenas do cotidiano da cidade em 1941, durante domínio do país pelos alemães

Imagens provocam críticas por não mostrarem o lado dos que resistiram aos nazistas; legendas dirão que autor era colaboracionista

LENEIDE DUARTE-PLON
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DE PARIS

A França ainda não acabou de ajustar contas com o passado ligado à ocupação alemã durante a Segunda Guerra Mundial e ao colaboracionismo com o ocupante. Prova disso é que nos últimos dias uma polêmica ocupou a imprensa francesa em torno da legitimidade da exposição de fotos de André Zucca, da Paris de 1941.
Tudo nessa exposição de fotos parece incomodar. A começar pelo título original. "Ela deveria se chamar "Parisienses sob a Ocupação" e não "Os parisienses sob a Ocupação", dizia o historiador Jean-Pierre Azéma, autor do prefácio do livro com as fotos da exposição, antes mesmo de o título ser mudado, na última sexta.
Como muitos, ele pensa que fotos de parisienses vivendo normalmente ocultam a realidade trágica dos resistentes e a perseguição dos judeus.
As belas fotos de Zucca foram encomendadas pelo invasor nazista para publicação na revista alemã "Signal", célebre pela qualidade da fotografia, mas acabaram não sendo publicadas. Eram fotos de propaganda, pois a revista era diretamente ligada a Goebbels.
Isso não estava dito explicitamente quando a exposição foi inaugurada na Biblioteca da Cidade de Paris, no bairro do Marais, onde fica até julho. Depois da crítica de um importante jornalista, os organizadores acrescentaram um texto explicativo informando que o "privilégio" de fotografar a cidade era dado a poucos fotógrafos, escolhidos a dedo pelos alemães.
Os caros e raros filmes Agfacolor eram fornecidos somente a esses fotógrafos. Por isso, há tão poucas imagens dessa época. As fotos existentes foram feitas por fotógrafos que trabalhavam sob estrito controle.
As 270 fotos inéditas da exposição têm um grande valor histórico, mas mostram uma Paris descontraída, com uma vida quase normal em diversos bairros emblemáticos. Zucca fotografa as elegantes corridas de cavalo de Auteuil, fachadas de cinemas, bairros chiques ou mais populares como o mercado Les Halles, que desapareceu.
Os parisienses parecem despreocupados, sentados nos cafés, entrando ou saindo do metrô ou de cinemas.
Algumas fotos mostram um aspecto light da ocupação, com tropas alemãs descendo a avenida Champs Elysées depois da troca diária de guarda do Arco do Triunfo ou a rue de Rivoli enfeitada com a bandeira do Reich. Na cidade, aqui e ali podem ser vistos letreiros em alemão. Imagens históricas que ainda incomodam muito.

Resistência ausente
Na mesma cidade e época, toda tentativa de resistência era fortemente reprimida pelo ocupante alemão. A ausência da realidade da guerra chocou alguns e gerou a polêmica.
Na última segunda, o prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, anunciou que a exposição continua, mas a prefeitura vai organizar debates com historiadores sobre o uso da fotografia como instrumento histórico.
Além disso, as fotos vão ganhar legendas mais explícitas para que fique claro que foram feitas por um colaboracionista e sob encomenda dos nazistas. Os cartazes espalhados pela cidade foram retirados.
André Zucca foi um dos mais ativos fotógrafos da imprensa de antes da guerra. Ele trabalhou como repórter especial de grandes revistas como "Life" e "Paris-Match". No fim da guerra, foi julgado por colaboração com o ocupante, mas não foi condenado à morte. Mudou de nome, de cidade e morreu longe de Paris.

Fonte: FSP - Caderno Mundo - 27/04/2008
« Última modificação: 06 de Maio de 2008, 12:55:14 por lambe-lambe »


Juliana Dedavid

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 49
  • Sexo: Feminino
Resposta #9 Online: 06 de Maio de 2008, 15:52:15
Legal ter compartilhado a notícia, lambe-lambe!!  :ok:
Deu pra entender melhor a proposta da mostra e o que tá rolando por lá a partir disso.

O título soava estranho mesmo (Os parisienses sob ocupação), como se toda a Paris estivesse lépida e faceira naquele momento dramático, como aparece em algumas fotos.
Mas legal que está havendo um debate com historiadores para tentar enriquecer a mostra, e não deturpá-la.

E, novamente, concordo com o aspecto histórico ressaltado pela reportagem, importantíssimo. Além do fato atinente à história da fotografia, que é o de o André Zucca ter tirado fotos de exceção para a época, pela qualidade do filme e pela natureza das imagens.
« Última modificação: 06 de Maio de 2008, 16:03:02 por Juliana Dedavid »
Juliana Dedavid
Porto Alegre - RS
Pentax MX; Pentax 1:1.7 50mm, Tokina 1:2.8 28mm, Samyang 1:4.0-5.6 70-210mm;
Minolta AL; Minolta SRT-102.