Autor Tópico: Sobre cortes  (Lida 10392 vezes)

rafaelfrota

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 254
  • Sexo: Masculino
  • "Toda a arte é absolutamente inútil" (O. Wilde)
    • http://www.rafaelfrota.com
Online: 15 de Agosto de 2008, 14:31:48
Estive dando uma estudada em enquadramento quando, olhando algumas fotos, me veio a questão do corte no enquadramento. Fotos em que um pedacinho do topo da cabeça é cortado, ou entao um determinado pedacinho do pé é estripado. Cortes em planos ou até cortes mais "dinamicos" são fáceis de entender e "defender". Mas existe alguma regra clássica na fotografia que fale sobre esses pequenos cortes?
O que é "erro" na hora de um corte? Existem algumas regras de ouro ou acaba tudo sendo uma questão intuitiva?
Cacei no google algumas imagens só pra demonstrar o que estou falando. Não é crítica, é só um exemplo

http://www.fashionbooks.com.br/fashionbooks/fb050.jpg
Corte na cabeça

http://www.fashionbooks.com.br/fashionbooks/cod005b.jpg
Corte no calcanhar

http://www.fashionbooks.com.br/fashionbooks/erica24.jpg
Corte no pé

Valeu galera!
Abraços
« Última modificação: 16 de Agosto de 2008, 21:04:49 por Kika Salem »


Luciano Martins

  • Trade Count: (12)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 138
  • Sexo: Masculino
Resposta #1 Online: 15 de Agosto de 2008, 18:19:00
Olá Rafael,

Eu conheço apenas 1 regra sobre cortes em pessoas, a regra é: nunca dê a impressão de que a pessoa está sem determinado membro.

Ex.: Em um retrato que a pessoa esteja com os braços abaixados não se corta no cotovelo, pois dá a impressão de não ter o antebraço. O corte certo seria ou abaixo do cotovelo ou acima. No mesmo exemplo, não se corta no pulso, ou o corte tem de ser mais pra cima ou no meio da mão.
No link do calcanhar eu consideraria uma falha de corte, já o link com corte no pé eu acharia normal, pois tem a sensação que há um pé.

Corte na cabeça é interessante que seja acima da linha da testa, assim nao daria a impressão que está faltando a "tampa" da cabeça.
No link o corte eu consideraria correto.

Essa é minha humilde opinião e colaboração.
Fotografia como estilo de vida, um dia eu chego lá !


kiran

  • Trade Count: (16)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 633
  • Sexo: Masculino
    • PROFISSIONAL
Resposta #2 Online: 16 de Agosto de 2008, 02:15:24
concordo com o luciano,
uma dica na hora de cortar é prestar atenção pra onde a imagem tá chamando mais a atenção num primeiro olhar,
já que muitas vezes um corte ajuda a trazer a atenção para
outro ponto de imagem, como fica claro na última (o pé cortado) inconscientemente vc percebe que não há informação perdida, o pé tá aí, então o olhar segue a diagonal da perna e vai para o rosto que é onde tem informação.
Se vc tenta nessa mesma foto cortar um pouco mais perto da linea preta do sofá, vai ver q o corte traz a sensação de dúvida, será que tem sapato? :ponder: o que desfoca a atenção do observador é indica que o corte foi errado. eu acho.
kiran

« Última modificação: 16 de Agosto de 2008, 02:18:25 por kiran »


rafaelfrota

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 254
  • Sexo: Masculino
  • "Toda a arte é absolutamente inútil" (O. Wilde)
    • http://www.rafaelfrota.com
Resposta #3 Online: 20 de Agosto de 2008, 18:40:40
Pois é...as vezes eu fico um tanto quanto perdido, porque nao sou fotografo, sou artista plastico.
No desenho, cortes desse tipo sao considerados erros, como se tivesse "acabado o papel". Os cortes são mais bem definidos e tal, então rola uma insegurança de tirar "nacos" das pessoas

Mas obrigado pelas dicas..é algo bom para meditar a respeito!


kiran

  • Trade Count: (16)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 633
  • Sexo: Masculino
    • PROFISSIONAL
Resposta #4 Online: 20 de Agosto de 2008, 18:47:48
se a foto é um retrato da pessoa geralmente os cortes
são considerados erros, eu acho isso, mas quando a foto é usada com outra intenção, como é na propaganda, onde
o que importa as vezes é a atitude, o contexto, a ação, etc. então os cortes viram aspectos secundários ou até uma forma de "charme", uma "quebra de regras".
As discussões sobre imagem lotam tópicos neste e outros forums.
 :)
« Última modificação: 20 de Agosto de 2008, 18:50:50 por kiran »


Sermarini - RJ

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 221
Resposta #5 Online: 21 de Agosto de 2008, 14:58:44
Concordo com todos, porém acho também que o último link, do corte no pé, foi o único que me chamou atenção, leigamente falando, me parece um erro. Da mesma forma que a linha da perna leva o olhar para o rosto, se seguirmos o olhar para baixo também leva para o pé (cortado).Considerei um corte grosseiro, ou forçado demais.
Boa colocação para discussão. :ok:
Sermarini_RJ
www.flckr.com/photos/sermarini

Canon EOS 350D XTI
Lentes: Canon EFS 18-55mm + Canon EF 75-300mm


Marcelo.S.

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.279
  • Sexo: Masculino
    • http://www.flickr.com/photos/msafioti/sets/72157618134645270/detail/
Resposta #6 Online: 21 de Agosto de 2008, 16:40:56
O que tento seguir é nao cortar as articulacoes (calcanhar, cotovelo, joelho, etc.), é o pior lugar para se aplicar o corte.
Deutschland

Flickr


Marcos Amend

  • Trade Count: (2)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 128
  • Sexo: Masculino
    • Marcos Amend
Resposta #7 Online: 24 de Agosto de 2008, 02:23:10
Moçada, uma vez eu li vários artigos sobre Gestalt, que basicamente é uma linha da psicologia que estuda como nosso cérebro reage a estímulos visuais. Tem muita coisa disponível na net, é só fuçar (e acho que vale a pena!). Comprei um livro sobre o assunto, mas ele é bem fraco, então nem vou recomendar...
Sobre cortes, a Gestalt fala basicamente que imagens incompletas tendem a gerar uma maior interação com o cérebro, porque ele vai intuitivamente completar a forma do objeto. E isso pode ser bem interessante em alguns casos.
O cinema usa muito, por exemplo. Podem reparar que cenas de tensão ou suspense costumam ser feitas em planos muito fechados, porque isso aumenta a "participação" do espectador.

Bom, mas depois de falar isso tudo, eu gostaria também de expressar uma opinião pessoal: acho que estética não tem regra. Algumas coisas agradam mais, outras menos, mas acho que o legal da parte estética da fotografia é que qualquer "regra" pode ser quebrada e ainda assim se chegar a resultados interessantes. Sobre a parte técnica não tem jeito: variou 1 stop, a luz vai dobrar ou dividir por dois (e não adianta espernear!). Mas é na estética que cada um expressa sua maneira pessoal de enxergar as coisas. E nela, quebrar as regras pode justamente ser o que faz o resultado mais interessante.
Abraços


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #8 Online: 24 de Agosto de 2008, 10:30:03
Em retratos de pessoas, em estúdio ou não, costuma-se orientar o iniciante a utilizar alguns planos básicos: close (rosto), fechado (até a altura do tórax), médio (até perto da cintura), americano (até a altura abaixo do bolso da calça, acima do joelho, muito usado nos filmes de faroeste) e geral (corpo inteiro). Sempre a partir do topo da cabeça deixando o mínimo de espaço possível entre o cabelo e o fim da fotografia.

Não encontrei uma ilustração para postá-la aqui.

Imagino que, a partir dessas estruturas gerais, pode-se apresentar possibilidades criativas.

Mas têm cortes que quase nunca são bem-vindos porque causam a impressão de mutilação, a menos que se trate de um caso específico e seja intencional em um trabalho artístico, por exemplo.

A título de exemplo, fiz essa foto num ensaio e, na euforia do movimento, registrei a bailarina num momento em que parece que ela não tem as pernas e nem um braço. Se fosse um trabalho profissional, para um grupo de dança ou mesmo para um encarte de revista, essa foto com certeza seria reprovada (não só por esse motivo, claro).
Agora, se esses cortes são indesejáveis em trabalhos comerciais, talvez não sejam em trabalhos com outras finalidades. Tudo depende da intenção da foto, suponho.





« Última modificação: 24 de Agosto de 2008, 10:53:06 por Kika Salem »


kiran

  • Trade Count: (16)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 633
  • Sexo: Masculino
    • PROFISSIONAL
Resposta #9 Online: 24 de Agosto de 2008, 14:19:52
 :eek: a muier voadora! :hysterical:
tá ótima pra um cartaz de espetáculo, gostei  :clap:


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #10 Online: 24 de Agosto de 2008, 22:43:19
:eek: a muier voadora! :hysterical:
tá ótima pra um cartaz de espetáculo, gostei  :clap:

Olá Kiran!

Ela foi vítima da Noiva (Uma Thurmann) naquela cena do Kill Bill em que ela luta com um monte de japoneses e todo mundo sai com pelo menos um membro amputado. kkkk

Agora falando sério, essa foto ficou ruim demais. O correto era poupá-los de vê-la, só mostrei mesmo porque achei um bom exemplo do efeito visual negativo do corte.

Esse tópico sobre o corte é interessante para o estudo da composição, mas fora essas orientações básicas, de ordem prática, também desconheço um material mais elaborado, de reflexão sobre o corte.

Essa questão citada pelo Marcos, a de que imagens incompletas tendem a gerar uma maior interação com o cérebro tem lógica. Resta saber até que ponto um corte é atraente, agradável aos olhos, e até que ponto ele causa certa rejeição, a impressão de erro crasso? Acho que vamos encontrar reflexões dessa natureza em livros mais teóricos, sobre a construção da imagem em geral, mas não sei indicar nenhum.



rafaelfrota

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 254
  • Sexo: Masculino
  • "Toda a arte é absolutamente inútil" (O. Wilde)
    • http://www.rafaelfrota.com
Resposta #11 Online: 24 de Agosto de 2008, 23:00:28
Realmente a intenção deste tópico era ver se havia uma regra clara a respeito dos cortes. Temos pouca "regra" pra nos guiar além da nossa própria intuição. Cortes clássicos (ou os chamados planos) são sempr emuito bem-vindos, cortes nas juntas quase sempre são desagradaveis.  Problemas como os da foto da Kika são mais relativos ao escorço (perpectiva humana), mas também só vêm enriquecer o tópico.

aliás essa foto da Kika me fez lembrar daquela antiga foto de uma menina-fantasma vodora que lotou nossas caixas de email há uns 8 anos.

Uma coisa interessante que eu reparei na foto da Kika, irrelevando o problema com o escorço, uma coisa me hamou atenção e cai bem neste tópico: reparem como aquela "coisa- prateada-que-não-sei-como-chamar" do lado direito da foto tem uma lasquinha faltando, assim como um pedacinho da saia. São o que costumo chamar de "lasquinhas". Não chega a ser um cooooorte, entao eu chamo assim.  Existe algo que "Regulamente" a tirada ou não de lasquinhas de uma foto, mesmo essas nao amputando ninguém?
É interessante essa discussão até porque pelo visto só mesmo a gente debatendo que podemos chegar a cum consenso.

Abrações


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #12 Online: 25 de Agosto de 2008, 00:41:09
Temos pouca "regra" pra nos guiar além da nossa própria intuição. Cortes clássicos (ou os chamados planos) são sempr emuito bem-vindos, cortes nas juntas quase sempre são desagradaveis. 

Muito legal mesmo ver as visões de cada um, e um consenso até que meio instintivo.
Tive um professor de fotografia, mais precisamente de retrato, renomado fotógrafo de casamentos aqui da FL, que sempre recomendava o corte nas juntas, ou um pouquinho abaixo delas. Eu nunca concordei nem discordei dele, porque dá prá se ver vários tipos de corte caindo bem ou mal, dependendo do contexto da foto.
Ele deu vários exemplos comprovando a teoria dele, e em todas realmente caía melhor o corte nas juntas.
Mas é só abrir uma revista e analisar algumas fotos prá ver que isso não é uma verdade ( nem uma mentira) absoluta.
Pessoalmente gosto de close ups, e de cortes radicais ( rosto pela metade, corpo visto só da metade prá baixo, só cabeça e um braço, e por aí vai). Prá mim o corte é mais um recurso prá se conseguir destaque em determnado ponto da foto, do que realmente uma regra `a ser seguida. Ou quebrada !  :D


Davi Sato

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.036
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #13 Online: 29 de Agosto de 2008, 01:33:26
O que tento seguir é nao cortar as articulacoes (calcanhar, cotovelo, joelho, etc.), é o pior lugar para se aplicar o corte.

Também sigo esse mesmo princípio básico... Só evito cortar as articulações...
Canon D80 / Pentax K10d / Sigma 28-70 f/2.8 / Pentax 18-55 / Pentax 50-200.
São Gotardo – MG


GutoVilaça

  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
Resposta #14 Online: 29 de Agosto de 2008, 09:48:37
Tópico bacana. Realmente o corte na foto pode ser usado como um recurso na composição ou, dependendo do propósito, pode detonar uma fotografia deixando-a "mutilada" e desagradável de se ver. Acho que o consenso aqui é usar o corte com bom senso (hehehehe), ou seja, respeitar a harmonia da foto e sermos fieis ao que desejamos retratar. Pelo que vejo é difícil estabelecer uma receita de bolo até porque parece que não existem regras fundamentadas sobre o assunto (????). O que temos são opniões da qual podemos nos orientar. Li o tópico, fiquei interessado e pesquisei mais na net mas não encontrei basicamente nenhum artigo fundamentado ou uma referência direta sobre o assunto. Quem souber de alguma coisa, dê-me um help pois gostaria de me informar melhor. Procuro fazer minhas fotos com cortes sempre propositais e usando enquadramentos que tornem o corte o menos perceptível possível deixando o foco principal no assunto que desejo mostrar. Nem sempre isso é possível pq às vezes esbarramos em algum erro na composição da foto deixando o corte muito evidente. Como já foi bem dito aqui, depende muito do contexto da foto. 
Obs...Gostei do comentário que colocou, Amend. Parece ser muito interessante esse assunto.
« Última modificação: 29 de Agosto de 2008, 09:57:51 por GutoVilaça »
VAMOS ESTUDAR MAIS FOTOGRAFIA ANTES DE CRITICAR UMA FOTO ALHEIA. VAMOS CRITICAR SE O AUTOR PEDIR. SE VAMOS CRITICAR E COMENTAR, VAMOS FAZER COM SABEDORIA, COM EMBASAMENTO E DE MODO QUE SEJA ALGO CONSTRUTIVO. NÃO APELE SE O AUTOR DAS FOTOS REBATER ÀS CRÍTICAS AFINAL ISSO É DIREITO DELE. VAMOS DÁ BONS EXEMPLOS COM NOSSAS FOTOS POIS SÓ FICAR CRITICANDO FOTOS DOS OUTROS NÃO FAZ DA GENTE UM BOM FOTÓGRAFO.  VAMOS FOTOGRAFAR MAIS E CORNETAR MENOS!!!