Autor Tópico: "Uma boa foto tem substância e certa magia"  (Lida 4028 vezes)

Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Online: 07 de Setembro de 2009, 20:59:46
Essa entrevista tem muitas questões interessantes, mas no geral é irônica e divertida, pois, a propósito da última questão, eu me divirto horrores com a fina ironia, até com a grotesca eu me divirto também, embora não seja o caso aqui.



ENTREVISTA DA 2ª

ELLIOTT ERWITT


"Uma boa foto tem substância e certa magia"


Elliott Erwitt, referência da agência Magnum, fundada por Cartier-Bresson, reclama das imagens fajutas da atualidade

NOME CENTRAL da agência Magnum, referência do fotojornalismo mundial, o fotógrafo francês radicado em Nova York Elliott Erwitt fala de sua desilusão com fotos fabricadas e cores saturadas "para vender Sucrilhos e automóveis". Reclama da falta de dedicação dos fotógrafos profissionais e revela como retratou Marilyn Monroe, Che Guevara, Simone de Beauvoir, Arnold Schwarzenegger, terriers e chiuauas.


Elliott Erwitt/Magnum Photos
   

"SENHORITA MONROE"
A atriz Marilyn Monroe retratada em 1960, nas filmagens de "Os desajustados", de John Houston

SILAS MARTÍ
DA REPORTAGEM LOCAL


Não vaza para a vida real o bom humor das fotografias de Elliott Erwitt. Famoso por seus retratos de cães e por congelar a irreverência em imagens em preto e branco, faz algumas décadas que este francês radicado em Nova York reclama da morte da boa fotografia. Diz se sentir hoje um "taxista à espera de um destino" em vez de ser um inventor por trás da objetiva.
Aos 81, Erwitt está entre os membros mais longevos da agência Magnum, referência no fotojornalismo mundial, que teve Henri Cartier-Bresson entre seus fundadores. É uma influência que ele não renega, mas não gosta muito da ideia de mentores -talvez porque um aluno seu fugiu com sua mulher depois de algumas aulas. Impaciente, rabugento, Erwitt fala pouco. Diz ser um fotógrafo que tira fotos com uma câmera. Só isso. Desde o início de sua carreira nos anos 50, cobriu um amplo espectro do fazer fotográfico -da dureza das fotos oficiais da Standard Oil Company a retratos de Che Guevara e Marilyn Monroe.
Já publicou 17 livros de fotos, quatro deles sobre cachorros. Desiludido com as manipulações da fotografia digital e cores saturadas "para vender Sucrilhos", está lançando agora sob pseudônimo um livro de "fotografias toscas, flores, retratos". Antes de embarcar para São Paulo, onde participa da feira SP Arte/Foto a partir desta quarta, Erwitt falou à Folha, por telefone, de Nova York.

 

FOLHA - O sr. já fotografou todo tipo de tema, mas sempre retrata cachorros. Acredita que cães são tão interessantes quanto os humanos?

ELLIOTT ERWITT - Muitas vezes, sim. Cachorros não dão desculpas e não se incomodam. São seres simpáticos, como o meu cairn terrier Sammy, que aparece aqui e ali no meu trabalho.

FOLHA - Os cachorros nas suas imagens foram sua forma de inserir um pouco de humor no fotojornalismo?
ERWITT - Não acordo de manhã e decido ser engraçado. Algumas das minhas fotografias são engraçadas, outras não. Muitos fotógrafos se concentram nas misérias do mundo, outros nas coisas mais belas. Eu só gosto de boas fotografias, não importa do que sejam, contanto que falem da condição humana.

FOLHA - E o que é uma boa fotografia na sua opinião?

ERWITT - Uma boa foto tem de ser bem composta, ter substância e algum tipo de magia que não se pode explicar. Hoje as pessoas são muito desajeitadas ao fotografar. Certo formalismo ainda é importante, mas conteúdo também. Só fotos que têm os dois são memoráveis.

FOLHA - Não pensa que a fotografia digital, com a facilidade de reprodução, tenha banalizado esse tipo de memória fotográfica?
ERWITT - Tenho a sensação que o digital só tornou as pessoas más fotógrafas. Serviu para que amadores pudessem tirar fotos, mas fez os profissionais ficarem folgados demais. Há muito menos pensamento hoje. Você pode dar uma câmera digital a um orangotango e conseguir resultados melhores do que com uma pessoa.

FOLHA - Não acredita que o sr. resiste muito às mudanças?

ERWITT - Nada mudou. Muitas das minhas boas fotografias são as mesmas agora que eram há 50 anos. O interesse essencial não mudou e não vai mudar. Pode ser monótono para outros, porque agora está na moda ser "cool" e atual, mas não me interessa ser "cool" e atual. Não sou tão conservador, só acredito em regras na fotografia. Se você está fotografando, tem responsabilidades. Tem de fazer um trabalho honesto.

FOLHA - Há muita discussão sobre a veracidade de imagens feitas agora e também de algumas clássicas, como as da Guerra Civil Espanhola, de Robert Capa, alvo de suspeitas de fraude. Ser honesto é não manipular imagens?
ERWITT
- Se você quer ser fotógrafo, manipular imagens é uma coisa terrível. Isso ficou fácil demais e virou algo quase criminoso, e ao mesmo tempo muito "cool", muito atual. Acho que tudo bem, contanto que não chame isso de fotografia.

FOLHA - O que é fotografia então?
ERWITT
- Fotografia é o que está ali, não o que você inventa na tela do computador. Isso vale se você quer vender Sucrilhos ou um automóvel, mas é preciso dizer que você quer vender Sucrilhos ou um automóvel. O que é especial em fotografia é que é real, não que você voltou para um quartinho e fabricou algo. Isso não é fotografia.

FOLHA - Como foram feitos seus retratos de celebridades?
ERWITT
- Foram feitos com uma câmera. Não há mistério, você vai lá, encontra a pessoa e tenta fazer uma foto que tenha a ver com a personalidade dela, mas é uma questão de sorte e simpatia. Quando vê alguém famoso ou qualquer outra pessoa que vai retratar, você tenta formar uma opinião sobre a pessoa.

FOLHA - Quais foram suas opiniões sobre Marilyn Monroe?
ERWITT
- Tentei fazer com que as circunstâncias influenciassem mais o retrato do que meus preconceitos. Fotografei a senhorita Monroe nas filmagens do filme "Os Desajustados". Era uma atmosfera caótica, por causa do comportamento da grande estrela que ela era. Estava muito estressada e chegava sempre atrasada às filmagens, despreparada. Mas diante da câmera, pareceu muito gentil, simpática, mesmo louca.

FOLHA - E como foi com Arnold Schwarzenegger?
ERWITT
- Ele veio ao meu apartamento em Nova York para ser fotografado. Na época, ele só era conhecido como fisiculturista. Foi agradável o suficiente e falava com aquele sotaque austríaco engraçado que ele tem até hoje. Só achei tudo muito bobo, o culto ao corpo.

FOLHA - Muito diferente então de quando fotografou Jack Kerouac ou Simone de Beauvoir?
ERWITT
- Faz mais de 50 anos que fotografei Simone de Beauvoir. Só lembro que era uma pessoa atraente e muito séria. O Kerouac eu fotografei antes que se tornasse hippie. Parecia um autor sério, esperto, com um casaco Harris Tweed.

FOLHA - Foram todos retratos em preto e branco. O sr. usou cor só agora que fez um livro sob pseudônimo. Por quê?
ERWITT
- Prefiro preto e branco para meu trabalho sério. Não tenho nada contra a cor, só acho que preto e branco é mais bonito. Nesse livro colorido, só estou me divertindo.

FOLHA - Mas o sr. só se diverte quando está ironizando algo?
ERWITT -
Gosto da minha vida. A fotografia é minha profissão e meu hobby. Não penso nessas coisas. Sou só um fotógrafo, não fico filosofando, sou apenas um fotógrafo. Só tiro fotos.

Fonte: FSP - Ilustrada - 07/09/2009

Observação: sublinhados meus



Google imagens:
http://images.google.com.br/images?hl=pt-BR&um=1&q=elliott+erwitt&sa=N&start=18&ndsp=
« Última modificação: 09 de Setembro de 2009, 21:59:28 por Kika Salem »


Formel

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.186
  • Sexo: Masculino
    • Formel Fotografia
Resposta #1 Online: 07 de Setembro de 2009, 22:39:06
Valeu Kika, muito bom esse post!  :clap:

Essa parte é demais:

FOLHA - Como foram feitos seus retratos de celebridades?
ERWITT - Foram feitos com uma câmera. Não há mistério, você vai lá, encontra a pessoa e tenta fazer uma foto que tenha a ver com a personalidade dela, mas é uma questão de sorte e simpatia. Quando vê alguém famoso ou qualquer outra pessoa que vai retratar, você tenta formar uma opinião sobre a pessoa.



:hysterical: :hysterical:

[ ]s

Formel


GutoVilaça

  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 07 de Setembro de 2009, 23:13:28
Valeu, Kika.

Para ilustrar:







"Tenho a sensação que o digital só tornou as pessoas más fotógrafas. Serviu para que amadores pudessem tirar fotos, mas fez os profissionais ficarem folgados demais. Há muito menos pensamento hoje. Você pode dar uma câmera digital a um orangotango e conseguir resultados melhores do que com uma pessoa."

"Sou só um fotógrafo, não fico filosofando, sou apenas um fotógrafo. Só tiro fotos."

Faz pensar...










VAMOS ESTUDAR MAIS FOTOGRAFIA ANTES DE CRITICAR UMA FOTO ALHEIA. VAMOS CRITICAR SE O AUTOR PEDIR. SE VAMOS CRITICAR E COMENTAR, VAMOS FAZER COM SABEDORIA, COM EMBASAMENTO E DE MODO QUE SEJA ALGO CONSTRUTIVO. NÃO APELE SE O AUTOR DAS FOTOS REBATER ÀS CRÍTICAS AFINAL ISSO É DIREITO DELE. VAMOS DÁ BONS EXEMPLOS COM NOSSAS FOTOS POIS SÓ FICAR CRITICANDO FOTOS DOS OUTROS NÃO FAZ DA GENTE UM BOM FOTÓGRAFO.  VAMOS FOTOGRAFAR MAIS E CORNETAR MENOS!!!


jeff cann

  • Trade Count: (26)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 519
Resposta #3 Online: 08 de Setembro de 2009, 17:08:59
esse é o cara !


fabio_yamauti

  • Trade Count: (17)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.576
  • Sexo: Masculino
  • Santo André - SP
Resposta #4 Online: 08 de Setembro de 2009, 17:55:45
Genial o humor em suas fotografias! www.elliotterwitt.com
Fotografia Karatê Ecoturismo Geocaching


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #5 Online: 08 de Setembro de 2009, 19:27:31
Essa parte é demais:

FOLHA - Como foram feitos seus retratos de celebridades?
ERWITT - Foram feitos com uma câmera. Não há mistério, você vai lá, encontra a pessoa e tenta fazer uma foto que tenha a ver com a personalidade dela, mas é uma questão de sorte e simpatia. Quando vê alguém famoso ou qualquer outra pessoa que vai retratar, você tenta formar uma opinião sobre a pessoa.


Quem sabe faz tudo parecer fácil. kkkk
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 19:43:15 por Kika Salem »


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #6 Online: 08 de Setembro de 2009, 19:41:52
"Sou só um fotógrafo, não fico filosofando, sou apenas um fotógrafo. Só tiro fotos."

Faz pensar...

Guto:

Pra mim, essa resposta final é malandragem do entrevistador que não faz uma transcrição da entrevista, mas uma interpretação do diálogo, primeiro porque, pelo que entendi, não teve uma recepção acalorada de um senhor de 83 anos que já está de saco cheio de ser acordado por jornalistas ou interrompido na sua leitura diária, sobretudo quando os jornalistas reiteram velhas perguntas; segundo que atender o telefone, em qualquer dia, horário e cirscunstância, é um porre mesmo, eu também acho; e terceiro que a pergunta (sobre se divertir em ser irônico, eu me divirto, os outros que não kkkk) não tem muito a ver com a resposta (não fico filosofando, sobre ironia?, muito estranho). Jogar essa frase no final da entrevista, sem ter correspondência com a pergunta, é pra criar uma polemicazinha básica, já que esse assunto sempre rende alguma coisa, embora pra mim esteja meio démodé.

Obrigada por essa coletânea de imagens.
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 19:44:36 por Kika Salem »


GutoVilaça

  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
Resposta #7 Online: 08 de Setembro de 2009, 19:56:17
Guto:

(...) Jogar essa frase no final da entrevista, sem ter correspondência com a pergunta, é pra criar uma polemicazinha básica, já que esse assunto sempre rende alguma coisa, embora pra mim esteja meio démodé.

Kika, não foi à toa que citei essa frase... >:D  :assobi:

Mas já que esse assunto está meio fora de moda, não vamos criar mais polêmicas desnecessárias. Cada um que leia, sente e analise.  

Abraços.
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 19:57:47 por GutoVilaça »
VAMOS ESTUDAR MAIS FOTOGRAFIA ANTES DE CRITICAR UMA FOTO ALHEIA. VAMOS CRITICAR SE O AUTOR PEDIR. SE VAMOS CRITICAR E COMENTAR, VAMOS FAZER COM SABEDORIA, COM EMBASAMENTO E DE MODO QUE SEJA ALGO CONSTRUTIVO. NÃO APELE SE O AUTOR DAS FOTOS REBATER ÀS CRÍTICAS AFINAL ISSO É DIREITO DELE. VAMOS DÁ BONS EXEMPLOS COM NOSSAS FOTOS POIS SÓ FICAR CRITICANDO FOTOS DOS OUTROS NÃO FAZ DA GENTE UM BOM FOTÓGRAFO.  VAMOS FOTOGRAFAR MAIS E CORNETAR MENOS!!!


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #8 Online: 08 de Setembro de 2009, 20:00:30
Kika, não foi à toa que citei essa frase... >:D  :assobi:

Mas já que esse assunto está meio fora de moda, não vamos criar mais polêmicas desnecessárias. Cada um que leia, sente e analise.  

Abraços.

Eu te entendi, você me entendeu. Nunca contei, mas eu leio pensamentos (detalhe, pela internet). kkkkk
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 20:32:12 por Kika Salem »


pedro_raythz

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 8.469
  • Sexo: Masculino
Resposta #9 Online: 08 de Setembro de 2009, 20:03:34
Citar
(...) está lançando agora sob pseudônimo um livro de "fotografias toscas, flores, retratos"

uAHHauhUAHUh foi feito em minha homenagem rs
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 20:17:27 por pedro_raythz »


GutoVilaça

  • Trade Count: (6)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.321
  • Sexo: Masculino
Resposta #10 Online: 08 de Setembro de 2009, 20:05:23
Eu te entendi, você me entendeu. Nunca contei, mas eu leio pensamentos (detalhe, pela internet). kkkkk
Hehehehehehe.
VAMOS ESTUDAR MAIS FOTOGRAFIA ANTES DE CRITICAR UMA FOTO ALHEIA. VAMOS CRITICAR SE O AUTOR PEDIR. SE VAMOS CRITICAR E COMENTAR, VAMOS FAZER COM SABEDORIA, COM EMBASAMENTO E DE MODO QUE SEJA ALGO CONSTRUTIVO. NÃO APELE SE O AUTOR DAS FOTOS REBATER ÀS CRÍTICAS AFINAL ISSO É DIREITO DELE. VAMOS DÁ BONS EXEMPLOS COM NOSSAS FOTOS POIS SÓ FICAR CRITICANDO FOTOS DOS OUTROS NÃO FAZ DA GENTE UM BOM FOTÓGRAFO.  VAMOS FOTOGRAFAR MAIS E CORNETAR MENOS!!!


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #11 Online: 08 de Setembro de 2009, 20:31:24
Hehehehehehe.

Como diria uma vizinha doida de S. Paulo (doida mesmo, não é força de expressão), sempre ao falar sozinha: "Malandrinho, malandrinho!"

As polêmicas não são necessariamente desnecessárias, mas esta já foi bastante discutida nos últimos tempos por aqui. Mas se quiserem discutir de novo fiquem à vontade, não quero frear o ímpeto de ninguém.

Abraço



Pra não perder a resposta ao Fábio, mudei ela de lugar.

Genial o humor em suas fotografias! www.elliotterwitt.com

Pois é Fábio, como pode uma personalidade "rabugenta", como definiu o entrevistador, ter um trabalho tão bem humorado?
Estou com isso na cabeça desde que li essa entrevista e associei a um texto do Francisco noutro tópico:

A fotografia tem muito a ver com semiologia. Pelo fato de a fotografia (e arte, em geral) lidar com signos, o fotógrafo acaba capturando uma imagem que reflete um pouco da sua visão de mundo. Ao deparar-se com a imagem revelada, capturada, o fotógrafo faz uma análise crítica (ou seria autocrítica?) da cena. Tanto que há fotos boas (para os olhos dos outros) que eventualmente não queremos mostrar, por haver algo que não julgamos pertinente expor ao mundo. Mas não tem muito como fugir da exposição. Até uma sequência de macros de flores ou insetos pode dizer muito sobre nós. Mesmo o fotógrafo profissional deixa um pouco de si em um trabalho encomendado.
Indo mais longe, por onde passamos fica um rastro de nós. A fotografia é o registro desse rastro e a análise crítica desse registro provoca modificações em nossa visão de mundo.

Essa aparente contradição lembrou-me também Mário Quintana que, segundo dizem, tinha um mau humor do cão, mas que, no entanto, brindou-nos com poemas tão singelos, de coisas simples, mas nada simplórias. Como explicar essa aparente contradição? O mau humor é um estado momentâneo que não afeta a produção fotográfica? O mau humor é uma casca que algumas pessoas utilizam para se proteger do mundo exterior? Isso, da produção fotográfica revelar características do fotógrafo é uma lenda urbana, não revela porcaria nenhuma? Enfim, não tenho resposta para as questões que formulei, são apenas exercícios do pensar.
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 20:37:32 por Kika Salem »


pedro_raythz

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 8.469
  • Sexo: Masculino
Resposta #12 Online: 08 de Setembro de 2009, 20:45:16
Kika, você não achou engraçada a entrevista?

Então, ele é bem humorado, entretanto como a maioria não consegue entendê-lo, chamam-no de rabugento. Nas fotos ele apenas exterioriza isto de maneira mais clara...  :ok:
« Última modificação: 08 de Setembro de 2009, 20:46:16 por pedro_raythz »


Kika Salem

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Feminino
Resposta #13 Online: 09 de Setembro de 2009, 22:05:55
Kika, você não achou engraçada a entrevista?

Então, ele é bem humorado, entretanto como a maioria não consegue entendê-lo, chamam-no de rabugento. Nas fotos ele apenas exterioriza isto de maneira mais clara...  :ok:

Gostei da resposta, simples, mas perspicaz.


Ricardo Lou

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 198
  • Sexo: Masculino
Resposta #14 Online: 09 de Setembro de 2009, 23:44:37
Polêmicas à parte; Kika valeu pela matéria postada.

Que a arte (me) aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Oswaldo Montenegro (adaptação nossa)