Autor Tópico: De Compacta para Reflex  (Lida 9649 vezes)

GRM

  • Trade Count: (8)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.746
Online: 12 de Março de 2006, 02:22:49
Esse texto não pode ser chamado de artigo, no máximo uma reflexão. Faz quase uma semana que estou com a D50, e resolvi escrever um pouco a respeito. Espero que ajude quem estiver pensando nessa troca (e acredito que quase todo mundo pensa).

A primeira impressão foi a melhor possível, mesmo com fotos um tanto primárias, apenas com a intenção de testes e de configurar a câmera, já foi possível notar uma primeira vantagem incomparável com a maioria das compactas. A imagem é suave, limpa de artefatos, com transições de cores e de brilho mais naturais, e principalmente, em função disso, é muito mais maleável a tratamento, acabou aquilo de apenas um curves e sharp destruir uma imagem, não acontece mais. Num pensamento precipitado eu diria que só isso valeria a troca. Digo precipitado, porque nem tudo são flores.

Pegada, visor, dials, velocidade, botões de acesso rápido, isso tudo é perfeito, também é pouco comparável a uma compacta, ajuda incrivelmente a compor a foto, é como se o raciocínio tivesse ficado aguçado, talvez seja só impressão, mas nas Panasonics anteriores - mesmo sendo rápidas - aquilo de botões, menus, joystick, trava completamente o momento fotográfico, é quase um antagonismo do que se espera da fotografia, agilidade e momento. Facilitou bastante, não é preciso perder tempo, uma coisa leva a outra. Se eu fosse abusar, brincaria que dslr e o fotógrafo se confundem no momento fotográfico, o ato de fotografar se torna mais natural.

Okey, mas isso está perfeito, tem que ter algo de ruim. E tem...

Mesmo sendo pouca coisa maior que uma Panasonic FZ15, chama incrivelmente mais a atenção (talvez seja psicológico), mas o fato é que vc não está mais carregando qualquer valor, é um valor muito maior. Falando em valor, se alguém chegou ao ponto de ter reflex (com exceção do profissional que não tem opção) é pq queria qualidade, e qualidade, nesse caso, significa boas lentes, no mínimo razoáveis, tomando por base que muitos usuários de reflex possuiram antes câmeras com longos ranges. Para se equivaler a uma FZ15 em uma D50 seria necessário ao menos 2 lentes, uma 18-55 ou 18-70 e uma 70-300G ou 70-300D, como falei em lentes razoáveis, vou descartar a 18-55 e a G, ficamos com a 18-70 e a 70-300D, preço total delas novas, R$2300 no lugar mais barato, usadas é possível se conseguir em torno de R$1800. É o preço de uma FZ30 nova (R$2300) ou usada (R$1800). E não comprou a câmera, cartão, mochila (que agora é necessária para as lentes), não se falou em seguro também, e talvez seja necessária uma segunda câmera para os momentos em que uma reflex se tornar incômoda. É pouco? Pois não acabou.

Também com as lentes que mudam já estou preocupado com as constantes limpezas do CCD. Acho que não será tão ruim assim, mas sei de amigos que usam lente fixas e limpam semanalmente, um risco para o sensor. Digamos que seja exagero (ainda não sei), mesmo assim, se limpar 2X por ano em autorizada, não sai por menos de R$200, fora o stress de deixar um técnico, nem sempre cuidadoso, mexer em sua tão sonhada cãmera.

Enfim, existem fortes argumentos a favor e contra. A favor o principal é a qualidade. Mas penso que as compactas ainda podem buscar as DSLR (ou ao menos se aproximar muito como é o caso da Sony R1), e se estivessem bem próximas, ao menos nos assuntos cores e latitude, eu não hesito em afirmar que voltaria a ter uma compacta, gosto de versatilidade tanto quanto gosto de qualidade, hoje o salto é muito grande para aceitar a versatilidade de uma FZ30 e abrir mão da qualidade de uma reflex, mas isso pode mudar em um ou dois anos.

O principal argumento talvez seja de que uma boa ultrazoom custa em torno de R$2000, e dificilmente alguém conseguirá uma reflex e lentes iniciais por menos de R$ 4000 (usadas), simplesmente o dobro. Por outro lado, não sendo um investimento fechado, pode se adquirir lentes com calma, ainda assim dói o bolso. O Leonardo Terra muito disse isso aqui no fórum, e eu desconsiderei, sou obrigado a fazer um 'mea culpa' parcial dizendo, ele tinha razão, e parcial pq mesmo assim eu faria tudo de novo. É o preço da qualidade.
« Última modificação: 12 de Março de 2006, 02:55:07 por Gustavo RM »
Nikon/Panasonic Gear


Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Resposta #1 Online: 12 de Março de 2006, 09:48:57
Gustavo:

A diferença fundamentel, para mim, é relativa à mudança da linguagem derivada da profundidade de campo.

No meu caso, como eu também comando tudo na lente, houve um igualamento entre minha fotografia de filme e a digital, ambas sendo feitas da mesma maneira agora.

Ivan


Paulo Machado

  • Trade Count: (6)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.015
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 12 de Março de 2006, 11:00:11
Gustavo, a choque inicial é grande, tanto na qualidade quanto no bolso e nas costas para carregar o peso das lentes com a câmera.
Mas como o Ivan disse, acho o principal controlar a profundidade de campo, mas além disto a experiência fotográfica parece mais completa. Como a minhna compacta tem um visor ótico muito ruim, fazer enquadramento pelo LCD é dose, ainda mais em dia claro. Mas não abro mão dela de jeito nenhum.
Estamos esperando as fotos.
« Última modificação: 12 de Março de 2006, 11:00:28 por pmachado »
When words become unclear, I shall focus with photographs. When images become inadequate, I shall be content with silent.  - Ansel Adams


Marcos Henrique

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 430
  • Sexo: Masculino
Resposta #3 Online: 12 de Março de 2006, 14:51:32
Durante toda minha vida fotográfica sempre tive compactas, no sentido de pequenas e discretas, como Trip 35, Aiptek, Genius, e minha ex A520. O que me deixa com um pé atrás em relação às DSLR, além do custo, é saber que carrego comigo uns 5 mil de equipamentos. O meu maior medo sempre foi o roubo da câmera, já que adoro fotografar pessoas e paisagens, em parques, praças, e até noturnas no centro da cidade, etc, lugares onde eu ia tranqüilamente com minha A520 e um tripé, sem muita apreensão a roubos. Já, com uma reflex, teria qualidade e praticidade infinitamente superior, mas com o ponto negativo de chamar muita atenção, ou mesmo o prejuízo que corria o risco de ter.
Sendo assim, o ideal para consumidores como eu, seria compactas de qualidade próximas a de reflex. Uma que estou de olho há tempos é a F11, que seria ideal.

E aguardamos fotos com a D50  :thmbup:

Abraços.
« Última modificação: 12 de Março de 2006, 14:53:37 por Marcos Henrique »


Ivan de Almeida

  • Trade Count: (1)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.297
  • Sexo: Masculino
  • . F o t o g r a f i a .
    • Fotografia em Palavras
Resposta #4 Online: 12 de Março de 2006, 15:25:30
Marcos:

Não é questão de qualidade, mas de linguagem. Elas simplesmente não fazem as mesmas coisas, há coisas que uma câmera de sensor pequeno faz memlhor, outras que uma DSLR faz melhor.

Tudo muda com o desfoque das DSLRs em relação ás de sensor pequeno.

Por exemplo, você poce fotografar com 180mm-equivalente e f4 e ter boa profundidade de campo numa compacta, mas em 180mm-equivalente em f4 voc~e tem pequeníssima profundidade de campo na reflez. Assim, voc~e para ter a mesma PC precisa usar f11, digamos, e como fechou o diafragma deve diminuir a velocidade para compensar.

O que estou mostrando a voc~e é que isso muda tudo, algumas fotos se tornam mais fáceis, outras mais fdifíceis.


Carlo Luciano

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.034
  • Sexo: Masculino
  • Rio de Janeiro
    • De Luca Fotografia
Resposta #5 Online: 12 de Março de 2006, 15:25:55
Sobre segurança acho que sou o menos medroso aqui. Andei o dia inteiro por Diamantina com a Rebel + grip + 24-70, fora as minhas andadas por São Lourenço, Tiradentes, BH, Caraça, Gramado, Passa Quatro, etc etc... Acho que já acostumei com o tamanho e a atenção gerada pela máquina. Cuidados? Sim, claro, mas tipo em capital como foi em BH, só em grupo.

Como iniciei com uma 3000N + 35-80 e não com uma compacta não sei te dizer se foi um salto, mas que houve diferença para pior quando eu comprei a digital houve. Perdi cores, saturação, nitidez. Ganhei fotos chapadas e muito trabalho para editar as fotos.

EU QUERO CROMO!!!!  :mf_w00t2:  
30D + 3000N + 24mm 1.4L + 50mm 1.4 + 135mm 2.0L + 15mm 2.8 FE + 12-24mm 4.5-5.6 + 150mm 2.8 Macro + 550ex
http://www.flickr.com/photos/andarilho/
http://www.delucaphotography.com/br/


Marcos Henrique

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 430
  • Sexo: Masculino
Resposta #6 Online: 12 de Março de 2006, 23:13:22
Entendi Ivan. Mas na verdade, quando eu falo da qualidade das reflex comparada à das compactas, é no sentido das cores e nitidez, fatores que de início achei incríveis na minha A520, até porque vim de uma Aiptek. Mas depois que comecei a estudar mais e analisar as fotos com um "olhar fotográfico", vi que a A520 estava longe do que eu esperava. E é aí que chega no ponto onde se fica indeciso, quanto a partir para o universo das DSLR´s ou não.  
Se os sensores pequenos não produzissem tanto ruído (o super ccd é bacana), creio que no meu caso seria perfeito, pois possíbilitaria fotografar com grandes aberturas e uma ótima velocidade, além de proporcionar uma profundidade de campo tolerável. Pessoalmente nunca fui muito fã de fotos onde o 2° plano fica desfocado. Ao invés disso, prefiro me aproximar mais do assunto. Mas creio que essa idéia varia de pessoa pra pessoa.
Não sei se é possível, mas aguardo o dia em que teremos compactas com cores, nitidez, velocidade, etc, próximas às das reflex. Quem já fotografou um show com uma compacta, por exemplo, sabe como é sofrível.

Citar
EU QUERO CROMO!!!!  :mf_w00t2:
e o RAW?!  :denken:  
« Última modificação: 12 de Março de 2006, 23:14:27 por Marcos Henrique »


Carlo Luciano

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.034
  • Sexo: Masculino
  • Rio de Janeiro
    • De Luca Fotografia
Resposta #7 Online: 13 de Março de 2006, 01:29:52
Citar

Citar
EU QUERO CROMO!!!!  :mf_w00t2:
e o RAW?!  :denken:
RAW ainda é um bebê perto das cores do um bom Provia / Velvia / Astia.
30D + 3000N + 24mm 1.4L + 50mm 1.4 + 135mm 2.0L + 15mm 2.8 FE + 12-24mm 4.5-5.6 + 150mm 2.8 Macro + 550ex
http://www.flickr.com/photos/andarilho/
http://www.delucaphotography.com/br/


Marcelo Almeida

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.344
Resposta #8 Online: 13 de Março de 2006, 09:19:12
Citar
Andei o dia inteiro por Diamantina com a Rebel + grip + 24-70, fora as minhas andadas por São Lourenço, Tiradentes, BH, Caraça, Gramado, Passa Quatro, etc etc... Acho que já acostumei com o tamanho e a atenção gerada pela máquina. Cuidados? Sim, claro, mas tipo em capital como foi em BH, só em grupo.

 
Nesses lugares (exceto BH) eu andaria tb sem medo nenhum.


Davi Sato

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.036
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #9 Online: 13 de Março de 2006, 09:25:26
Citar
Citar
Andei o dia inteiro por Diamantina com a Rebel + grip + 24-70, fora as minhas andadas por São Lourenço, Tiradentes, BH, Caraça, Gramado, Passa Quatro, etc etc... Acho que já acostumei com o tamanho e a atenção gerada pela máquina. Cuidados? Sim, claro, mas tipo em capital como foi em BH, só em grupo.

 
Nesses lugares (exceto BH) eu andaria tb sem medo nenhum.
Em Belo Horizonte de um modo geral tb. é tranquilo!!! Depende de quais lugares de BH... De um modo geral, se não for a região do hiper centro da cidade, é tranquilo...  :thmbup:  
Canon D80 / Pentax K10d / Sigma 28-70 f/2.8 / Pentax 18-55 / Pentax 50-200.
São Gotardo – MG


helder84

  • Trade Count: (1)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.187
Resposta #10 Online: 13 de Março de 2006, 11:20:07
Em belém tem riscos...
Já ouvi muitas histórias de cameras roubadas no tão fotografado ver-o-peso.

Voltando ao assunto: essa informação que o Gustavo nos trouxe é importante, pois é de se observar que há um tendencia p/ um dia chegar as dslr's.

As fotos dele com as cameras anteriores sao otimas.
Já vi duas com a D50. Estão ótimas também.
« Última modificação: 13 de Março de 2006, 11:22:08 por helder84 »
Helder Viana

"É um que sabe mais que o outro."


FernandoPaes

  • Trade Count: (17)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.522
  • Sexo: Masculino
  • Fernando Paes - Fotógrafo
    • Fernando Paes - Fotógrafo de Casamentos
Resposta #11 Online: 13 de Março de 2006, 11:30:19
Sem dúvida o fator peso e incomodo ao carregar uma máquina SLR tem um peso grande na decisão. No entanto, para quem possui camera reflex o prazer de fotografar é diferente e o carregar peso está intrinsico ao procsso. Outra coisa: Normalmente se pensa mais para fazer fotos com reflex. Se gasta mais tempo analisando ambiente, e com isso, o objetivo passa a ser outro, e a praticidade não é mais tão importante.

Por exemplo: depois que comecei a usar reflex e vendi minha compacta, parei de fazer fotos no churrasco com os amigos. Já não via mais "tanta graça" em carregar uma mala cada vez que ia a um churrasco. As atenções aos objetivos mudaram também. As fotos da turma pararam de ser legais para serem normais.

Eu acredito que fotografia com reflex exige uma dedicação à composição e ao uso da fotometria mto mais apurado que uma compacta.

Na realidade, são 2 estilos de camera que se completam. SLR e compactas tem funções diferentes, necessidades diferentes e prazeres diferentes. Basta saber qual te atrai mais e qual camera é ideal para vc.

Um detalhe: Nem todo mundo será feliz com SLR.

Abraço,
Fernando
« Última modificação: 13 de Março de 2006, 11:32:58 por FernandoPaes »
Fernando Paes - Fotógrafo de Casamentos - SP
Visite meu Website: http://www.fernandopaes.com.br

Conheça nosso podcast para fotógrafos sociais!


GRM

  • Trade Count: (8)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.746
Resposta #12 Online: 13 de Março de 2006, 14:06:43
Citar
As fotos dele com as cameras anteriores sao otimas.
Já vi duas com a D50. Estão ótimas também.

Obrigado, Helder. Na verdade eu não estou tão satisfeito, mas por outro lado estou, explico: todo mundo que vi sair da compacta para reflex, teve uma queda (de início) na qualidade. De certa forma eu não achei isso, elas não estão onde quero, mas tbm não sairam ruins como eu já esperava.

Citar
Um detalhe: Nem todo mundo será feliz com SLR.

Fernando, sem dúvida, inclusive é sobre isso o texto, e legal que gerou reflexão. Mas não tem jeito, as melhores conclusões que estou tirando é através do uso, poderiam me falar 10X para não comprar uma DSRL, só agora estou avaliando realmente o que tem de bom e o que tem de ruim. Não é o bicho de sete cabeças que pintaram e é muito divertida de usar.
« Última modificação: 13 de Março de 2006, 14:10:21 por Gustavo RM »
Nikon/Panasonic Gear


Jack

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.853
    • http://www.olhares.com/jackdb
Resposta #13 Online: 13 de Março de 2006, 19:22:43
Belo texto Gustavo, valeu!!! :thmbup:

Eu vou continuar com a minha UZ compacta, gosto muito dela e apesar da falta de qualidade em iso alto, o preço e a versatilidade são grandes atrativos, para aprender, imprimir e mandar fotos por e-mail, não vou precisar mais do que isso por enquanto.

A diferença das crianças e dos homens é o preço dos brinquedos :D

Abraços,  
Jack db - Floripa


diaemus

  • Trade Count: (0)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
    • Laboratório de Síntese Ecológica
Resposta #14 Online: 14 de Março de 2006, 09:03:50
Gustavo, muito legal a sua reflexão, obrigado por partilhá-la!

Eu também acabo de fazer minha entrada no maravilhoso mundo das DSLR! :photo: Concordo quase totalmente com os prós e contras que você levantou, mas acho que o aumento na qualidade e nas possibilidades compensa e muito a compra de uma reflex para quem gosta mesmo da arte fotográfica, mesmo um amador como eu. Mas esse negócio de carregar os trambolhos por toda parte e ficar com medo de roubo é um saco mesmo...

Comecei na fotografia com uma Yashica podrona quando era criança, que tive por muitos anos. Depois tive uma Canon compacta também de filme, que era totalmente automática e simples, mas me rendeu umas fotos bem legais.

Em 2004 entrei no mundo das digitais com uma Nikon Coolpix 4300, que me acompanhou por todo o meu último trabalho de campo, permitindo registrar detalhes bem importantes dos meus objetos de estudo. Sou muito grato a ela!

Agora mantive a 4300 como "compacta-pau-pra-toda-obra" e comprei uma D50, porque queria fazer macrofotografias de verdade e não me limitar aos close-ups, investir aos poucos em lentes decentes, tubos de extensão, flashes macro etc.

Ela valeu cada centavo investido e estou felicíssimo com o quanto ela aumentou minhas possibilidades fotográficas. Só reclama mesmo o meu bolso, que não gostou dessa história dos equipamentos ainda por comprar...
Cientista profissional, fotógrafo amador.