Autor Tópico: Fragilidade, Violência e Fotografia  (Lida 859 vezes)

FeLopes

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 610
Online: 01 de Novembro de 2011, 20:12:26
Olá

Desde que comprei minha dSLR tenho experimentado novas sensações com a fotografia. Não só por ter mais recursos e controles, mas também por ter um equipamento enorme, caro e nada discreto nas mãos, e sempre que saio na rua com ele, sinto literalmente meu coração nas mãos, e que pode ser facilmente levado por pessoas menos escrupulosas. Esse mix de emoções novas de uma forma ou outra recriam e transformam esse olhar do fotógrafo, e por ainda estar no começo dessa história, e ter uma paixão enorme por estar na rua, sei que isso vai render muita coisa ainda, ainda mais vivendo entre dois centros, um mais complicado que o outro no quesito violência (SP e Salvador).

Queria saber como vocês, fotógrafos que gostam de estar nas ruas, mesmo que saiam pra fotografar árvores e pássaros, se sentem nesse universo urbano, que pra mim é sempre tenso, deixando o fotógrafo num lugar forte de fragilidade forte.

É isso, aguardo respostas pra gente discutir um pouco sobre, hehe



dondon

  • Trade Count: (5)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.287
  • Sexo: Masculino
    • Plínio Dondon
Resposta #1 Online: 01 de Novembro de 2011, 20:24:11
Fe, a primeira atitude é fazer seguro do seu equipamento, assim ao menos seu bem estará resguardado. Vale a pena fazer.

A segunda atitude é tomar cuidado, como se toma cuidado sempre, não dar bobeira, conhecer os lugares e horários certos para se estar, procurar fotografar em grupo, etc...

Depois escrevo mais, vou comer.

[]s


Magro Costa

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.448
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 01 de Novembro de 2011, 21:25:54
Isso é uma coisa que me preocupa bastante também.
Já pensei no seguro, mas esbarrei num problema sério, infelizmente em nossa realidade, a diferença entre um produto na loja e um exatamente igual comprado "extra oficialmente" (Paraguai, ML, internet, etc) é brutal, não raro esses valores ultrapassam os 100% fácil.
Bom nesse universo, é bastante comum termos por ai fotógrafos que usem equipamentos comprados dessa forma, e por isso sem nota fiscal; dai seguro esqueça, apesar de procurar em algumas corretoras aqui, não achei nenhuma que não exigisse esse item pra efetuar o seguro.

Solução? Sinceramente não sei. Procuro sempre nesses casos sair acompanhado com no mínimo outro amigo que curta fotografia, que mesmo não impedindo, acredito que dificulta o roubo, e como disse dondon, fico sempre atento, mesmo que isso no meu caso prejudique muito o chamado "olhar fotográfico".


spiderman

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 13.410
Resposta #3 Online: 01 de Novembro de 2011, 21:40:05
Eu prefiro não comprar um equipamento maior do que meu bolso do que ficar com esse medo de ser roubado. A nao ser que seja para uso profissional bem especifico. Aí eu deixaria ele em casa quietinho e só sairia com ele para o trabalho. Pelo menos até rentabilizar o investimento e ter dinheiro pra comprar outro em caso de furto. Eu tive sorte na vida de nunca ter sido roubado. E olha que já andei por cada buraco!Acho que é porque tenho cara de mulambo  :ponder:. Não dou mole mas tambem procuro nao ficar paranoico. Procuro pensar que o máximo que pode acontecer comigo é passar dessa pra uma melhor :).
« Última modificação: 01 de Novembro de 2011, 21:41:04 por spiderman »
Campanha de crowdfunding pra lançamento do livro - Retratos pra Yayá

Acesse e apoie: www.catarse.me/retratosprayaya


Mr. Hyde

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 16.575
  • Sexo: Masculino
    • Faceboock
Resposta #4 Online: 01 de Novembro de 2011, 23:24:13
1ª coisa: Seguro.
Depois, compre uma mochila de saque rápido. Leve seu equipo com vc quando sair andando pelas ruas e sempre pense: "Se aparecer algo, saco a cam, faço a foto, guardo rapidinho e me mando mais rápido ainda!" Com o passar do tempo, vc ganhará confiança de estar com ele por aí, mas claro, não se deve dar mole.
P. ex, aqui em SSA eu morro de vontade de fazer uma fotos do Gabinete Português de Leitura, mas, infelizmente, ele fica na Prç. da Piedade. Aí não dá, né?!

____________________
"Deus perdoe o Mal que habita em mim" M. Nova


Natão

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.273
  • Sexo: Masculino
  • "dichterisch, wohnet der Mensch auf dieser Erde"
Resposta #5 Online: 02 de Novembro de 2011, 08:36:09
apesar de procurar em algumas corretoras aqui, não achei nenhuma que não exigisse esse item pra efetuar o seguro.

Bom, a Porto Seguro faz e a Royal SA faz também, corretores são a Liame e a Kertzmann. É necessário que se tenha algo para provar a propriedade do equipamento como invoice, cartão de garantia, caixa com número de série, recibo de compra de usado ou até mesmo fotografias detalhadas do equipamento inclusive do número de série.


agalons

  • Trade Count: (10)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.870
Resposta #6 Online: 02 de Novembro de 2011, 08:50:31
Pelo equipamento a saida e por no seguro.
pelo pessoal, o grave problema de falta de segurança,
vai alem da fotografia.
Ninguem esta livre de nada.
tenta nao chamar a atençao,nao usar a tipica "bolsa de fotografo",
mochila "feia", e uma saida.
Porque o seguro nao paga ,
o susto, a raiva,o medo, e as eventuais pauladas, socos,revolver na cara, etc,
habituais nos assaltos.
Como habitante da magnifica Sampa, tenho algumas historias para contar!!!!
abs.
« Última modificação: 02 de Novembro de 2011, 08:56:09 por agalons »


Magro Costa

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.448
  • Sexo: Masculino
Resposta #7 Online: 02 de Novembro de 2011, 11:16:46
Pois é Natão, meu seguro residencial e de automóveis é da Porto Seguro, então por isso, essa foi a primeira que tentei, a resposta que o corretor daqui me deu foi categórica, sem nota , sem seguro. Estranho né?

Pois é Spiderman, eu também "Eu prefiro não comprar um equipamento maior do que meu bolso do que ficar com esse medo de ser roubado." ate porque fazer ao contrario seria entrar em dividas e detesto isso.
Mas mesmo estando com um equipamento dentro das suas possibilidades; o que varia muito de pessoa pra pessoa, o resultado de um assalto pode ser grande, tanto financeiramente como fisicamente. Ficar se restringindo a isso, ou seja, não sair, ou sair com um equipamento aquém do desejado (e possível) por causa da insegurança é que acho revoltante. Coisa desse nosso paizinho de "M" ... :aua: (EMHO)

agalons não é só sampa não cara, sou carioca, ainda tenho bastante família morando por lá, vou lá vez por outra, a coisa lá nesse ponto é uma"gracinha". Mas dai RJ e SP "seira esperado", mas e onde moro? Moro em Curitiba, a dita cidade brasileira de primeiro mundo, aqui amigo se bobear, dança rapidinho. Temos aqui 3 casos de assalto só na minha família direta. Ou seja a coisa ta tensa por todo lugar.

Abraços povo!
« Última modificação: 02 de Novembro de 2011, 11:19:23 por Magro Costa »


Natão

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.273
  • Sexo: Masculino
  • "dichterisch, wohnet der Mensch auf dieser Erde"
Resposta #8 Online: 02 de Novembro de 2011, 11:53:16
Pois é Natão, meu seguro residencial e de automóveis é da Porto Seguro, então por isso, essa foi a primeira que tentei, a resposta que o corretor daqui me deu foi categórica, sem nota , sem seguro. Estranho né?

Tem um tópico enorme em outro fórum sobre isso. O que acontece é que parece que quem tem qualquer outro tipo de serguro com a porto não consegue fazer específico de equipamento fotográfico sem apresentar notas e esse mesmo entrando naquele tipo de seguro de equipamentos eletrônicos que, segundo eles, depreciam 80% do valor em 2 anos (bem que eu queria que uma Nikkor 24-70 depreciasse isso), o que não entra na realidade de equipamentos fotográficos...
Por isso te aconselho essa corretora www.liame.com.br, e procurar o Lindolfo. Eles fazem com a Royal, e é mais barato do que a Porto.

Mas voltando ao assunto do tópico, realmente o susto que se passa mesmo tendo seguro não compensa as vezes a despreocupação na rua... Por isso sou louco para comprar uma Nex ou uma GF só para street, já que são muito mais discretas, chamam menos atenção e assustam menos os fotografados...


agalons

  • Trade Count: (10)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.870
Resposta #9 Online: 02 de Novembro de 2011, 12:16:52
Pois é Natão, meu seguro residencial e de automóveis é da Porto Seguro, então por isso, essa foi a primeira que tentei, a resposta que o corretor daqui me deu foi categórica, sem nota , sem seguro. Estranho né?

Pois é Spiderman, eu também "Eu prefiro não comprar um equipamento maior do que meu bolso do que ficar com esse medo de ser roubado." ate porque fazer ao contrario seria entrar em dividas e detesto isso.
Mas mesmo estando com um equipamento dentro das suas possibilidades; o que varia muito de pessoa pra pessoa, o resultado de um assalto pode ser grande, tanto financeiramente como fisicamente. Ficar se restringindo a isso, ou seja, não sair, ou sair com um equipamento aquém do desejado (e possível) por causa da insegurança é que acho revoltante. Coisa desse nosso paizinho de "M" ... :aua: (EMHO)

agalons não é só sampa não cara, sou carioca, ainda tenho bastante família morando por lá, vou lá vez por outra, a coisa lá nesse ponto é uma"gracinha". Mas dai RJ e SP "seira esperado", mas e onde moro? Moro em Curitiba, a dita cidade brasileira de primeiro mundo, aqui amigo se bobear, dança rapidinho. Temos aqui 3 casos de assalto só na minha família direta. Ou seja a coisa ta tensa por todo lugar.

Abraços povo!
Meu caro Magrao, nao quero te decepcionar,
mas Curitiba tambem esta muitoooooo,longe de ser nada do tal do primeiro mundo,isso e so ilusao.
alias na Europa e Usa, tambem tem ladrao.
Nao vamos comparar sp,rj,bh, etc,etc,cada local e de um jeito,
Tripoli ,e Bagdad, tambem devem ser perigosas, sei la.
Eu falo de sp porque estou aqui,  ja viajei a serviço por varios paises,
e aqui na bela sp, voce respira medo e violencia nas ruas.
Que com a correria vai acostumando e uma outra coisa, mas a miseria e a violencia te da tapa na cara 24hs por dia. :eek:
Mas deixa pra la , o assunto e ter muito cuidado, e nao querer fazer "gracinhas".
abs.


Magro Costa

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.448
  • Sexo: Masculino
Resposta #10 Online: 02 de Novembro de 2011, 13:10:34
Meu caro Magrao, nao quero te decepcionar,
mas Curitiba tambem esta muitoooooo,longe de ser nada do tal do primeiro mundo,isso e so ilusao.
alias na Europa e Usa, tambem tem ladrao.
Não amigo talvez tenha me expressado erroneamente, eu disse "Moro em Curitiba, a dita cidade brasileira de primeiro mundo" a dita, não falei que eu digo isso, nem muito menos que eu concordo com isso.
:ponder: Agora violência por violência, trocaria sem pestanejar qualquer lugar daqui por uma Viena, uma Berlim, uma Munique... 

Abraços.
« Última modificação: 02 de Novembro de 2011, 13:11:20 por Magro Costa »


FeLopes

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 610
Resposta #11 Online: 02 de Novembro de 2011, 14:01:41
Pelo menos falando por mim, ter ou não um equipamento na sua realidade, tê-lo roubado é sempre triste e de um jeito ou de outro é problema. Por mais que você tenha uma condição legal e tenham uma d40 surrada pra ir pra rua, tê-la roubada será complicado, e por mais seguro que se tenha, ninguém fica tranquilo e sai da história sem prejuízo (o seguro só reduz. Tem quem não goste de ficar com dívidas, mas eu fiz empréstimo pra comprar minha d90 eu não me arrependo um minuto disso.

Até criei o tópico pelos dias utópicos passados em Buenos Aires, em que saia com câmera no pescoço e andava a cidade toda, até em passeata me meti e me sentia seguro, pois Buenos Aires em comparação a SP e SSA é extremamente segura.

Vou dar uma olhada nos seguros, mas lembro de quando vi pra outros equipamentos a uns 2 anos atrás, o seguro era caro e a depreciação muito alta.

A mochila de saque rápido já comprei, e realmente ajuda muito, é facil fotografar e esconder, eheheheh

Mr. Hyde, por incrível que pareça, fico até tranquilo ali na piedade por conta do movimento de pessoas, fica até um cara com uma grande formato montada ali. Locais que gostaria de fotografar é Carlos Gomes, praça Chile, Barroquinha.... esses andando sem nada no bolso já é tenso dependendo do horário. Foras as praias que são legais, mas nem a cam do celular tenho muita coragem de sacar...


agalons

  • Trade Count: (10)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.870
Resposta #12 Online: 02 de Novembro de 2011, 14:04:50
Não amigo talvez tenha me expressado erroneamente, eu disse "Moro em Curitiba, a dita cidade brasileira de primeiro mundo" a dita, não falei que eu digo isso, nem muito menos que eu concordo com isso.
:ponder: Agora violência por violência, trocaria sem pestanejar qualquer lugar daqui por uma Viena, uma Berlim, uma Munique... 

Abraços.
Agora entendi, imagina se aquilo e primeiro mundo o que sobra pro resto da patria amada??
Sem duvida eu tambem prefiro a violencia de outros montes de cidades!!!!(eles reclamam de barriga cheia).
abs.