Autor Tópico: Festa de aniversário de uma criança que sofreu um acidente....  (Lida 1238 vezes)

Gisele Malet Fotografia

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 2
Online: 05 de Novembro de 2012, 20:55:09
Bom dia queridos!!!

Sou ainda uma super amadora na área da fotografia, mas já estou fazendo eventos (adooorooo)
Bom o que acontece, acabei de fechar um contrato de uma mãe que quer fotografar a festa de 3 anos do filho que quando tinha 1 aninho sofreu um acidente gravíssimo e não tem movimento nas pernas, nem nos braços, não fala, tem traqueostomia, se alimenta por sonda, ele não entende muito bem o que falamos, ele é muito sério, eu estou um pouco confusa de como agir alguém tem algumas dicas para me dar???

Obrigada desde já...


Mike Castro

  • Trade Count: (4)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 3.941
  • Sexo: Masculino
Resposta #1 Online: 05 de Novembro de 2012, 21:06:55
Olha, sem querer te desanimar, mas que situação complicada!

Eu nunca passei por isso, mas sugiro que converse com a mãe, seja franca, pergunte o que ela espera das fotos, pergunta como é a vida do garoto, etc... Não adianta vc querer fazer o menino rir, fazer pose, vc só vai se lascar...

Acho que o ideal é tentar registrar de longe, pra tentar deixar o menino mais à vontade.

Abraço, espero ter ajudado!


Alexandre Ricci

  • Trade Count: (31)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.070
    • Flickr Alexandre
Resposta #2 Online: 05 de Novembro de 2012, 21:14:44
Situação muito delicada hein  :shock:
Não sou profissional, mas achei as dicas do Mike ótimas.
Além delas, sugeriria pra que tente "entrar na família", fazer uma imersão (como um ator faz para interpretar uma personagem), para que possa participar como se fosse alguém próximo, sentindo o clima, fazendo parte realmente. É um trabalho bem difícil, mas o resultado pode ir além do profissional e ser uma grande experiência pessoal também.  Boa sorte  :)


Gisele Malet Fotografia

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 2
Resposta #3 Online: 05 de Novembro de 2012, 22:07:30
Ja conheci a família ela sabe da situação e ela disse que não espera que ele sorria, pelo contrário ela sabe que não vai ser fácil por isso me convidou pra passar na casa dela conhecer ele, conversar com ele saber mais sobre a familia, sobre ele, sobre o que aconteceu etc...
Acho que fui mandada por Deus para isso, estou orando muito para que Ele ilumine a minha cabeça e que eu consiga dar o melhor de mim, porque esse não será o único, bem possivelmente se ela gostar eu serei a afotografa oficial das festas da AACD...
Adoro esse tipo de envolvimento, mas ainda não sei bem como agir, por isso queria algumas dica e trocas de experiencias..


Mr. Hyde

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 16.575
  • Sexo: Masculino
    • Faceboock
Resposta #4 Online: 05 de Novembro de 2012, 22:08:34
Dá uma lida no estilo foto-jornalismo.
Acho uma boa saída para esse caso.

____________________
"Deus perdoe o Mal que habita em mim" M. Nova


agalons

  • Trade Count: (10)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.870
Resposta #5 Online: 05 de Novembro de 2012, 22:16:59
Situação muito delicada hein  :shock:
Não sou profissional, mas achei as dicas do Mike ótimas.
Além delas, sugeriria pra que tente "entrar na família", fazer uma imersão (como um ator faz para interpretar uma personagem), para que possa participar como se fosse alguém próximo, sentindo o clima, fazendo parte realmente. É um trabalho bem difícil, mas o resultado pode ir além do profissional e ser uma grande experiência pessoal também.  Boa sorte  :)

Falou tudo,nota 10!!!
Isso se chama empatia, ou seja se colocar no lugar do outro
este e um dos segredos da nossa atividade.
Eu sou fotografo de eventos faz algum tempaoooo....,
ja fiz varios de pessoas com problemas (sem entrar em detalhes),
e um desafio forte,porem importante como experiencia humana.
Vai enfrente.
abs.


milton42zl

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 168
Resposta #6 Online: 06 de Novembro de 2012, 11:24:36
   Bom qdo fiz meu primeiro casamento em q o noivo era cadeirante e tetraplégico , o maior desafio era enquadrar o casal  na cerimónia religiosa,onde não é possível interferir na cerimonia. De resto foi tudo tranquilo ,como um trabalho normal . Qdo era preciso eu subia a cadeira de rodas,pra cá e pra lá ,pra favorecer as fotos.  Fotos na mesa do bolo,tbm muito tranquilo,todas na frente da mesa. As fotos ficaram lindas !
  Acho q vc deve agir como se estivesse num evento comum. No caso de buffet com brinquedos, ajude a mãe a colocar a criança nos brinquedos,onde seja possível  o adulto acompanhar.  mesmo q a criança não consiga esboçar um sorriso, pode ter certeza q o brilho no olhar,de felicidade,esse sim vc pode captar ,use e abuse dos closes fechados .


milton42zl

  • Trade Count: (0)
  • Conhecendo
  • *
  • Mensagens: 168
Resposta #7 Online: 06 de Novembro de 2012, 11:26:11
esqueci, carregue o lencinho no bolso,e não se sinta constrangida de limpar a babinha q normalmente escorre no cantinho da boca .


agalons

  • Trade Count: (10)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.870
Resposta #8 Online: 06 de Novembro de 2012, 21:23:29
   Bom qdo fiz meu primeiro casamento em q o noivo era cadeirante e tetraplégico , o maior desafio era enquadrar o casal  na cerimónia religiosa,onde não é possível interferir na cerimonia. De resto foi tudo tranquilo ,como um trabalho normal . Qdo era preciso eu subia a cadeira de rodas,pra cá e pra lá ,pra favorecer as fotos.  Fotos na mesa do bolo,tbm muito tranquilo,todas na frente da mesa. As fotos ficaram lindas !
  Acho q vc deve agir como se estivesse num evento comum. No caso de buffet com brinquedos, ajude a mãe a colocar a criança nos brinquedos,onde seja possível  o adulto acompanhar.  mesmo q a criança não consiga esboçar um sorriso, pode ter certeza q o brilho no olhar,de felicidade,esse sim vc pode captar ,use e abuse dos closes fechados .
e isso mesmo,ser profissional e isso,
abs.


Karl Junior

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.233
  • Sexo: Masculino
  • Fotografar é mostrar aos outros como vemos o mundo
    • Romanelli Fotografia
Resposta #9 Online: 22 de Novembro de 2012, 11:45:45
Como psicólogo, embora não atuante, posso dar uma dica. Em fotografia existe a composição geométrica que cuida da disposição física dos elementos dentro do quadro, tipo regra dos terços, diagonais, etc... e a composição simbólica, aquela que passa pelo simbolismo, pela subjetividade, enfim, pela mensagem.
Acho que este seria um bom caminho para seguir. Dar ênfase mais à relação dele com a mãe e com a família, irmão etc. Usá-lo sempre em algum contexto, brincando por exemplo ou realizando alguma tarefa. Tudo com o intuito de despertar emoções e não as formas físicas. Pegar detalhes como o olhar e silhuetas podem dar bons frutos também.
Espero ter colaborado.
NIKON D7000 / NIKON D610 / NIKKOR 18-105mm / NIKKOR AF 50mm 1.4G & 1.8D / NIKKOR AF 85mm 1.8D / SIGMA 150-500mm 5-6.5 / NIKKOR 70-200 2.8 / NIKKOR 24-70 2.8 / SB-700 / SB-910
http://www.romanellifotografia.com.br
https://www.flickr.com/photos/karl_junior/
https://500px.com/romanelli