Autor Tópico: Câmera digital 1.000 vezes melhor com sensor de grafeno  (Lida 1537 vezes)

Alexandre ABC

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 546
Online: 31 de Maio de 2013, 18:29:27
A iluminação está se tornando uma questão secundária no campo da fotografia.

Cientistas criaram um novo sensor para câmeras digitais que é mais de mil de vezes mais sensível do que os sensores CCD e CMOS usados atualmente e ainda captura uma larga faixa do espectro eletromagnético.

O resultado é que câmeras digitais equipadas com esses sensores poderão ser muito mais rápidas e tirar fotos em ambientes quase escuros.

Além disso, o novo sensor, feito de grafeno, captura um largo espectro da luz, do visível ao infravermelho médio.

Isto significa que ele é adequado para todos os tipos de câmeras, incluindo câmeras infravermelhas, de visão noturna, câmeras de alta velocidade, de imageamento por satélite etc.

Segundo os pesquisadores da Universidade Tecnológica Nanyang, em Cingapura, o sensor de grafeno é 1.000 vezes mais sensível do que os sensores CCD e usa 10 vezes menos energia, funcionando com uma tensão muito menor.

A grande sacada de Yongzhe Zhang foi usar o grafeno puro para criar nanoestruturas que aprisionam os elétrons gerados pelo impacto dos fótons de luz por um tempo muito longo, gerando um sinal elétrico muito mais forte em cada pixel.

Sendo mais fortes, esses sinais elétricos, que são processados e reunidos para formar as imagens, geram imagens mais claras e mais nítidas.

Segundo a equipe, o próximo passo é trabalhar junto com um parceiro da indústria para escalonar o protótipo para a produção industrial.

Bibliografia:

Broadband high photoresponse from pure monolayer graphene photodetector
Yongzhe Zhang, Tao Liu, Bo Meng, Xiaohui Li, Guozhen Liang, Xiaonan Hu, Qi Jie Wang
Nature Communications
Vol.: 4, 1811
DOI: 10.1038/ncomms2830

Fonte


Kokimoto

  • Trade Count: (30)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.091
    • Mototuristas
Resposta #1 Online: 31 de Maio de 2013, 19:39:52
Iso base será 64000? :shock: :D

Tomara que seja viável industrialmente e que gere boas imagens.  :clap:
D600 - E-M10


Sunriser

  • Trade Count: (3)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.222
  • Sexo: Masculino
  • Deus seja louvado
    • Sunriser Photography Facebook
Resposta #2 Online: 31 de Maio de 2013, 20:34:36
Vim correndo para postar sobre isso depois de ler essa matéria: http://gizmodo.uol.com.br/novos-sensores-fotograficos-de-grafeno-sao-mil-vezes-mais-sensiveis-a-luz/

É incrível mesmo...


Humberto Yoji

  • Trade Count: (23)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 7.607
  • Sexo: Masculino
    • Humberto Yoji - fotógrafo
Resposta #3 Online: 31 de Maio de 2013, 20:48:58
O melhor é que diz que os sensores de grafeno são 5x mais baratos que os CMOS!!!

Mas acho que ainda demora um bocado até essa tecnologia chegar às nossas mãos. Só nos resta mesmo torcer!


Ah, sei que é off-topic, mas discordo totalmente da primeira frase: "A iluminação está se tornando uma questão secundária no campo da fotografia". A iluminação sempre vai ser a questão primária na fotografia. Abundância de luz não quer dizer luz boa, se a luz ambiente é ruim, a foto vai ser ruim, não importa o quão sensível é o sensor. Se a luz ambiente é ruim, sempre precisaremos de iluminação.

Abraços


C. Ferrari

  • Trade Count: (11)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.768
  • Sexo: Masculino
  • Em busca de conhecimento, sempre.
    • Trabalhos
Resposta #4 Online: 31 de Maio de 2013, 21:42:45
A graça da fotografia está em trabalhar com a luz. Se o sensor - assim como nosso olho - ver tudo o que enxergamos, a fotografia se torna banal.


De qualquer forma, é meio antiga essa ideia do sensor de grafeno... e como tudo é uma questão mercadológica, acredito que em 10 anos teremos ele em nossa mão.... Eles tem muito pra explorar ainda em cima do CMOS e CCD


Pope

  • SysOp
  • Trade Count: (31)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.196
  • Sexo: Masculino
    • Renato Pope
Resposta #5 Online: 31 de Maio de 2013, 21:44:03
A graça da fotografia está em trabalhar com a luz. Se o sensor - assim como nosso olho - ver tudo o que enxergamos, a fotografia se torna banal
Concordo!
"If you wanted a cheap profession to get into you picked the wrong one."Zack Arias
Flickr


fernandoaas

  • Trade Count: (1)
  • Freqüentador(a)
  • **
  • Mensagens: 499
  • Sexo: Masculino
    • Fernando Augusto Fotografia
Resposta #6 Online: 31 de Maio de 2013, 22:29:28
Questão a se pensar, será que as lentes vão acompanhar essa evolução dos sensores na captura de luz, resolução e nitidez? Eu li a pouco tempo, não vou lembrar onde, que as lentes já não capturam todo o potencial dos sensores mais modernos, faz sentido isso?
Canon 6D + Canon 85mm. f/1.8 + Canon 24-105mm. f/4L + 580EX II

http://www.fernandoaugustofoto.com.br
https://www.facebook.com/fernandoaugustofoto


RSalles

  • Trade Count: (14)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.266
  • Sexo: Masculino
    • Don't let the naysayers get to you. If naysayers stopped us from trying, we'd never get anywhere and humanity would still be wearing fig leaves picking berries of wild bushes.
Resposta #7 Online: 31 de Maio de 2013, 22:36:06
Concordo!

Pope,

Então me explica porque eu não entendí...

[]s,

RSalles
Bodies: Sinar F2 :: Canon EOS 5D  MarkII :: Minolta XG-1 :: Minolta XG-M :: Contax RX
Lentes: Rodenstock S Sinaron f5.6/210mm MC :: Schneider Super Angulon 8/90 :: Staeble Ultragon 135, 150, 180, 210 e 240mm f9 :: Schneider Symmar 5.6/210 :: Leica-R Summicron 2.0/50 :: Carl Zeiss Jena Sonnar 3.5/135 :: Rollei QBM 1.8/50 HFT :: Jupiter 21M 4/200 :: Pentacon 3.5/30 :: Pentacon Prakticar MC 1.8/50 :: Industar 50-2 3.5/50 :: Zeiss Planar 1.4/50 C/Y


Pope

  • SysOp
  • Trade Count: (31)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 6.196
  • Sexo: Masculino
    • Renato Pope
Resposta #8 Online: 31 de Maio de 2013, 22:41:56
Pope,

Então me explica porque eu não entendí...

[]s,

RSalles
Eu gosto da fotografia pois dá para criar efeitos que o olho humano não consegue captar, brincar com a luz.
"If you wanted a cheap profession to get into you picked the wrong one."Zack Arias
Flickr


Hoogle

  • Trade Count: (4)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 970
  • Sexo: Masculino
  • Hello. It's me.
    • Alexander Hugo - Fotografia
Resposta #9 Online: 01 de Junho de 2013, 17:18:13
Não tão rápido  :no: :no: :no:

Esta nova tecnologia é 1000 vezes mais sensível que os sensores de grafeno atuais, não que os sensores de silício utilizados em nossas câmeras.

Sensores de grafeno atuais são bens ruins, então uma melhora de 1000 vezes em sua performance só os torna menos ruins  :D

O resumo do artigo pode ser lido aqui:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23651999
e olha só o que ele diz:
Citar
Graphene has attracted large interest in photonic applications
Citar
However, the maximum responsivity of these photodetectors is below 10 mA W(-1), which significantly limits their potential for applications.
Citar
Here we report high photoresponsivity (with high photoconductive gain) of 8.61 A W(-1) in pure monolayer graphene photodetectors, about three orders of magnitude higher than those reported in the literature

De qualquer modo, isso não significa que não veremos sensores de grafeno melhorando nossas ferramentas num futuro próximo.
Por mais que eu também esteja torcendo para algo do tipo acontecer, temos que lembrar que a mídia adora esconder os detalhes para que seus histórias pareçam incríveis.


Alexandre ABC

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 546
Resposta #10 Online: 02 de Junho de 2013, 12:56:04
A graça da fotografia está em trabalhar com a luz. Se o sensor - assim como nosso olho - ver tudo o que enxergamos, a fotografia se torna banal.


De qualquer forma, é meio antiga essa ideia do sensor de grafeno... e como tudo é uma questão mercadológica, acredito que em 10 anos teremos ele em nossa mão.... Eles tem muito pra explorar ainda em cima do CMOS e CCD

Esse é o C. Ferrari que conheço. Sempre discordando.
Não tem nada a ver. A câmera vai ter controle da mesma forma, o fotógrafo será sempre o 'maestro'. A imagem ficará como ele quiser. Não se esqueça dos programas de edição, que cada vez mais estarão embutidos nas máquinas. Libertará das limitações técnicas e cada vez mais exigirá dos mesmos que sejam 'artistas', 'criadores'.


C. Ferrari

  • Trade Count: (11)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 2.768
  • Sexo: Masculino
  • Em busca de conhecimento, sempre.
    • Trabalhos
Resposta #11 Online: 02 de Junho de 2013, 13:42:50
Esse é o C. Ferrari que conheço. Sempre discordando.
Não tem nada a ver. A câmera vai ter controle da mesma forma, o fotógrafo será sempre o 'maestro'. A imagem ficará como ele quiser. Não se esqueça dos programas de edição, que cada vez mais estarão embutidos nas máquinas. Libertará das limitações técnicas e cada vez mais exigirá dos mesmos que sejam 'artistas', 'criadores'.

Eu não penso assim, e respeito a sua opinião :ok:


Mr. Hyde

  • Trade Count: (4)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 16.575
  • Sexo: Masculino
    • Faceboock
Resposta #12 Online: 02 de Junho de 2013, 16:47:49
Acho que a vantagem é poder fotografar em ambientes de baixíssima luminosidade. Dentro de carvernas, noites escuras em um deserto, etc...
Qualquer ambiente com um mínimo de luz, o olhar do fotógrafo fará diferença. Não adianta setar ISO 350.000 para zerar o fotômetro no rosto da noiva, se o colo ou o rosto do noivo que está ao lado dela vai estourar completamente nesse ISO. Então, trabalhar a luz continuará, se esse sensor vier a ser produzido comercialmente e substituir os atuais, a ser o diferencial entre o fotógrafo e o apertador de botão.
Subir ISO é apenas evolução do meio, não afeta nem a sensibilidade nem a habilidade do fotógrafo ao utilizar esse mesmo meio. Cam, objetiva e flashes são apenas instrumentos...

____________________
"Deus perdoe o Mal que habita em mim" M. Nova


Alexandre ABC

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 546
Resposta #13 Online: 02 de Junho de 2013, 19:12:23
Acho que a vantagem é poder fotografar em ambientes de baixíssima luminosidade. Dentro de carvernas, noites escuras em um deserto, etc...
Qualquer ambiente com um mínimo de luz, o olhar do fotógrafo fará diferença. Não adianta setar ISO 350.000 para zerar o fotômetro no rosto da noiva, se o colo ou o rosto do noivo que está ao lado dela vai estourar completamente nesse ISO. Então, trabalhar a luz continuará, se esse sensor vier a ser produzido comercialmente e substituir os atuais, a ser o diferencial entre o fotógrafo e o apertador de botão.
Subir ISO é apenas evolução do meio, não afeta nem a sensibilidade nem a habilidade do fotógrafo ao utilizar esse mesmo meio. Cam, objetiva e flashes são apenas instrumentos...

Hyde, no futuro os parâmetros vão ser bem diferentes.
O software/sensor vai fazer o controle de entrada de luz de cada pixel, barrando quando é o suficiente e deixando entrar no outro que ainda precisa de luz.
O sensor vai captar qual é o comprimento da luz e vai saber que cor ele é e o quanto precisa de informação.
E outras informações, como uma que postei esses dias sobre a informação quântica da luz que nosso sistema ocular capta para saber que fonte de luz é, se incandescente, fluorescente, etc.
Muitas informações essenciais hoje, como ISO, balanço de branco, etc, para o fotógrafo vão ser coisas do passado.
Claro que ele continuará a ter controle, mas de uma forma mais abstrata, o que sinceramente, acho que já passou da hora de acontecer.
Tenho certeza que cada vez menos o fotógrafo vai se preocupar com técnicas operacionais e se dedicará com as técnicas artísticas, criativas, se não vai ter que mudar de profissão.
Olhe aqui o que li hoje.